1 de julho de 2014

O Que Eu Li: Junho

Alô, alô, galera! Que é que tá pegando? Estão aproveitando a Copa do Mundo, gostando, sei lá? Mantenho o meu discurso de que não concordo com a forma que a mesma foi planejada, mas já que está acontecendo, não vou deixar de torcer para o meu Brasil, né!? Antes que eu me esqueça, adivinhem quem está de férias e promete que vai ler bastante em julho? Isso mesmo, euzinha! Só espero conseguir manter essa promessa, viu: eu saio dos estudos, mas eles não saem de mim!

Chega de blá blá blá e vamos ao que interessa! Em junho eu li muito menos do que eu esperava, confesso. Aliás, esse ano eu estou lendo bem menos que o esperado. Consegui ler apenas quatro livros, três muito bons - que fizeram valer o mês - e um bem fraquinho. 

01. Sangue Quente: comecei o mês com o livro mais fraco, infelizmente. Cogitei a ideia de abandoná-lo quando chegue mais ou menos na página 150, mas me mantive firme. Sou fã de zumbis, para quem não sabe, mas unicamente daqueles que não pensam, falam e, por Deus, têm sentimentos... Em breve sairá resenha aqui no blog com mais detalhes da minha frustração. 

R é um jovem vivendo uma crise existencial - ele é um zumbi. Perambula por uma América destruída pela guerra, colapso social e a fome voraz de seus companheiros mortos-vivos, mas ele busca mais do que sangue e cérebros. Ele consegue pronunciar apenas algumas sílabas, mas ele é profundo, cheio de pensamentos e saudade. Não tem recordações, nem identidade, nem pulso, mas ele tem sonhos. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a "vida" de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos-vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo, estando morto, e a tênue linha que os separa.

02. Simplesmente Ana: minha segunda leitura foi um nacional que me surpreendeu bastante. Todo mundo falava super bem da escrita da Marina, mas tive que tirar a prova e, felizmente, tenho que concordar. Foi uma leitura muito leve e divertida, mesmo com todo o clichê. Ah, já tem resenha aqui no blog! 

Imagine que você descobre que seu pai é um rei. Isso mesmo, um rei de verdade em um país no sudeste da Europa. E o rei quer levá-la com ele para assumir seu verdadeiro lugar de herdeira e futura rainha… Foi o que aconteceu com Ana. Pega de surpresa pela informação de sua origem real, Ana agora vai ter que decidir entre ficar no Brasil ou mudar-se para Krósvia e viver em um país distante tendo como companhia somente o pai, os criados e o insuportável Alex. Mudar-se para Krósvia pode ser tentador — deve ser ótimo viver em um lugar como aquele e, quem sabe, vir a tornar-se rainha —, mas ela sabe que não pode contar com o pai o tempo todo, afinal ele é um rei bastante ocupado. E sabe também que Alex, o rapaz que é praticamente seu tutor em Krósvia, não fará nenhuma gentileza para que ela se sinta melhor naquele país estrangeiro. A não ser… A não ser que Alex não seja esta pessoa tão irascível e que príncipes encantados existam. Simplesmente Ana é assim: um livro divertido, capaz de nos fazer sonhar, mas que — ao mesmo tempo — nos lembra das provas que temos que passar para chegar à vida adulta.

03. O Segredo de Ella & Micha: sem sombra de dúvidas, a melhor leitura do mês de junho. É um livro lindo, profundo, cheio de dores e desamores e tudo isso mesclado com um romance de tirar o fôlego. Minhas expectativas sobre essa obra estavam altíssimas e o melhor de tudo foi ver todas elas sendo superadas. Também tem resenha aqui no blog, para quem quiser dar uma conferida. 

Este livro que você vai ler agora arrancou suspiros de uma legião de leitores americanos, entusiasmados com a escrita provocante de Jéssica Sorensen. O segredo de Ella e Micha trata do romance entre dois jovens, mas não é só isso. Os protagonistas vão tecendo, em primeira pessoa, uma trama complexa e ao mesmo tempo simples, que envolve temas delicados como dramas familiares, traumas psicológicos, medo do futuro e da morte, com naturalidade e sinceridade. Eis o que torna o livro tão comovente: sua realidade. Em qualquer lugar do mundo, cada jovem têm um pouco destes dois heróis paradoxalmente frágeis com seus traumas, mas fortes para enfrentar a dura realidade da existência e superar seus conflitos mais difíceis. Respire fundo, prepare-se para acompanhar uma história de amor com pitadas generosas de sensualidade e adrenalina.

04. A Viagem do Tigre: fechei o mês com chace de ouro com o terceiro volume da saga dos tigres - que é puro amor, só para vocês saberem. Li os dois primeiros volumes no ano passado (ou retrasado, não tenho muita certeza) e não via a hora de continuar! Minha sorte é que a Jéssica, do Lendo & Comentando, mora na mesma cidade que eu e vive me emprestando os tesouros dela. A única coisa que eu tenho para dizer para vocês: leiam. AGORA!

Perigo. Desolação. Escolhas. A eternidade é tempo demais para esperar pelo verdadeiro amor? Em sua terceira busca, a jovem Kelsey Hayes e seus tigres precisam vencer desafios incríveis propostos por cinco dragões míticos. O elemento comum é a água, e o cenário de mar aberto obriga Kelsey a enfrentar seus piores temores.Dessa vez, sua missão é encontrar o Colar de Pérolas Negras de Durga e tentar libertar seu amado Ren tanto da maldição do tigre quanto de sua repentina amnésia. No entanto o irmão dele, Kishan, tem outros planos, e os dois competem por sua afeição, além de afastarem aqueles que planejam frustrar seus objetivos. Em A Viagem do Tigre, terceiro volume da série A Saga do Tigre, Kelsey, Ren e Kishan retomam a jornada emdireção ao seu verdadeiro destino numa história com muito suspense, criaturas encantadas, corações partidos e ação de primeira.

Bom gente, esses foram os livros que consegui eliminar da minha pilha que só cresce. Contem para mim o que vocês leram também, ok? Vou tentar aumentar meu ritmo nesses 15 dias que tenho de férias, torçam por mim! 

5 comentários:

  1. Eu também não curti tanto Sangue Quente, infelizmente. :(
    Mas pelo menos as outras leituras compensaram, não é?

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luara!

      Pois é! Ainda bem que não fui com todas as expectativas do mundo...

      Beijo!

      Excluir
  2. Oi Ana!
    Tbm penso assim sobre a copa, mas #tátendo né, fazer o que kk
    Pelo menos vc leu 4 livros, eu li 3 =/
    Eu conheço Sangue Quente de capa, mas acho que nunca li nada sobre ele... Não sabia que tinha zumbi no meio, haha. Pena que vc não gostou muito =/
    Simplesmente Ana eu já tenho, só falta ler, rs. O segredo de Ella & Micha eu comecei a prestar atenção há pouco tempo, todo mundo fala bem dele e vou dar uma chance ;)
    E ainda não comecei a saga do tigre que todo mundo fala tbm, hehe.
    Beijos!
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolina!

      Teve um mês ano passado que não consegui ler nada. Ultimamente, se eu conseguir ler um só eu já fico feliz! Dê uma chance de verdade para "O Segredo de Ella & Micha", é muito bom mesmo.

      Beijos!

      Excluir
  3. Li "A Maldição do Tigre" e amei! Preciso começar a ler logo as continuações! Valeram mesmo a pena! :D
    Uma pena que você não gostou de "Sangue Quente". É muito ruim quando os livros não atendem nossas expectativas, né?
    E quero muuito ler "O Segredo de Ella & Micha" (só ouço elogios) e "Simplesmente Ana" (apesar de me lembrar muito "O Diário da Princesa", o que não é ruim, já q eu adorei hahaha).
    Beijos,
    Déia!
    Own mine

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©