28 de outubro de 2014

Dica de Leitura: Joe Hill


Olá princesos e princesas. Por motivos de força maior hoje quem está postando no blog é a Jess. Hoje eu vou fazer um post diferente pra vocês, um pouquinho mais rápido, mas de Halloween! 

26 de outubro de 2014

Resenha: O Começo de Tudo

Título Original: The Beginning of Everything
Autora: Robyn Schneider
Páginas: 288
Tradução: Shirley Gomes
Editora: Novo Conceito

O garoto de ouro Ezra Faulkner acredita que todo mundo tem uma tragédia esperando ali na esquina – um encontro fatal depois do qual tudo o que realmente importa vai acontecer. Sua tragédia particular esperou até que ele estivesse preparado para perder tudo de uma vez: em uma noite espetacular, um motorista imprudente acabou com a perna de Ezra, com sua carreira no esporte e com sua vida social. Depois que perdeu o favoritismo ao posto de rei do baile, Ezra agora almoça na mesa dos losers, onde conhece Cassidy Thorpe. Cassidy é diferente de qualquer pessoa que Ezra tenha encontrado antes – melancólica e com uma inteligência mordaz. Juntos, Ezra e Cassidy descobrem flash mobs, tesouros enterrados e um poodle que talvez seja a reencarnação do Grande Gatsby. À medida que Ezra mergulha nos novos estudos, nas novas amizades e no novo amor, aprende que algumas pessoas, assim como os livros, são difíceis de interpretar. Agora, ele precisa considerar: se uma tragédia já o atingiu, o que poderá acontecer se houver mais infortúnios? O Começo de Tudo é um livro poético, inteligente e de cortar o coração sobre a dificuldade de ser o que as pessoas esperam, e sobre começos que podem nascer de finais trágicos.

Não vou mentir para vocês: a única coisa que me motivou a ler esse livro foi a cor da capa. Sim senhores. Amarelo é minha cor preferida e quando vi esse livro na estante da Jessie (do Lendo & Comentando), eu tive que pegar emprestado. Uma das melhores sensações que existem no mundo é se surpreender com essas escolhas aleatórias, garanto a vocês. 

22 de outubro de 2014

Resenha: Histórias Extraordinárias

Título Original: Extraordinary Tales
Autor: Edgar Allan Poe
Páginas: 272
Tradução: José Paulo Paes
Editora: Companhia das Letras

O homem sempre sentiu medo, sobretudo daquilo que não pode entender,do incerto e porque não dizer do proibido. Talvez por isso o horror tenha algo que nos afaste, mas que também nos atraia e nos deixe fascinados. E foi desbravando essa estranha e ambígua sensação que o contista, crítico e poeta norte-americano Edgar Allan Poe se consagrou como um dos mestres do gênero do terror e o pai da literatura policial. Ambientes sombrios, ruas desertas, esquinas escuras, mansões malditas, assassinatos misteriosos e personagens sobrenaturais compõem a atmosfera gótica que tanto marcou suas histórias de terror. Poe detém o poder de envolver o leitor desde a primeira frase. Ele nos conduz pelo conto, deixando escapar apenas o que devemos saber naquele momento, mantendo o suspense até o desfecho invariavelmente inesperado. Mas suas fina ironia, seu sarcástico humor e suas inigualáveis lógicas e sagacidade também são elementos que cunharam a obra desse homem que influenciou de forma decisiva o conto moderno de horror. Ler as histórias de Edgar Allan Poe nos faz regressar aos tempos de infância, em que os maiores medos despertavam o horror, mas também deixavam um estranho desejo de sentir o corpo arrepiar, só mais uma vez. Uma experiência inigualável.

Quando se fala em horror não há como não falar de Edgar Allan Poe, mestre do terror e pai da literatura policial. Seus livros expõe o leitor à um fino véu em que a realidade e o fantástico estão postos lado a lado, encarando-se de forma sagaz e comprometedora. É possível que a mente do leitor, ao tentar diferenciar a realidade da fantasia, encontre-se em estado de devaneios lunáticos.

15 de outubro de 2014

Resenha: Memórias de Uma Gueixa

Título Original: Memoirs of a Geisha
Autor: Arthur Golden
Páginas: 460
Tradução: Lya Luft
Editora: Imago

"Memórias de uma Gueixa" é um romance fascinante, para ser lido de várias maneiras: como um mergulho na tradicional cultura japonesa, ou um romance sobre a sexualidade, e ainda, como uma descrição minuciosa da alma de uma mulher já apresentada por um homem. Seu relato tem início numa vila pobre de pescadores, em 1929, onde a menina de nove anos é tirada de casa e vendida como escrava. Pouco a pouco, vamos acompanhar sua transformação pelas artes da dança e da música, do vestuário e da maquilagem; e a educação para detalhes como a maneira de servir saquê revelando apenas um ponto do lado interno do pulso - armas e mais armas para as batalhas pela atenção dos homens. Mas a Segunda Guerra Mundial força o fechamento das casas de gueixas e Sayuri vê-se forçada a se reinventar em outros termos, em outras paisagens.

Se tinha um livro que eu mais queria na face da Terra, era o "Memórias de Uma Gueixa". Sério gente, nunca senti tanta vontade de ter/ler um livro como eu senti com esse aqui. Não sei se vocês sabem, mas ele está esgotado em todas as livrarias, isso significa que é muito difícil achá-lo em um bom estado de conservação. Vocês não imaginam minha felicidade quando eu ganhei o bendito de presente. Ainda penso seriamente em casar com a pessoa que me deu (espero que ela não leia isso qq). 

13 de outubro de 2014

Top 05: Livros Mais Desejados do Momento


Todo leitor, mas todo leitor MESMO, tem uma lista sem fim de livros desejados. Vocês sabem bem como é: a cada livro adquiro mais três são adicionados à lista. Porém, sempre têm aqueles que a vontade de ler é tão grande que não cabe dentro da gente. 

Obviamente comigo não é diferente. Pensando nisso, resolvi mostrar para vocês os cinco livros que mais estou desejando por esses dias. Vai que uma alma caridosa resolva me dar algum deles de presente, não é? 

Vamos conferir minhas escolhas? Lembrando que não estão em ordem, ok? Aí já seria pedir demais. u.u

10 de outubro de 2014

Resenha: Cartas de Amor aos Mortos

Título Original: Love Letters to the Dead
Autor: Ava Dellaira
Páginas: 344
Tradução: Alyne Azuma
Editora: Seguinte

Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

"Cartas de Amor aos Mortos" fez um reboliço danado aqui na blogosfera assim que foi lançado. Não bastasse isso para me matar de curiosidade, o livro ainda tem esse título incrível e uma pequena crítica do Stephen Chbosky bem na capa. Acharam pouco? As referências musicais são maravilhosas também, e ficamos sabendo disso antes mesmo de começar a ler. 

6 de outubro de 2014

Resenha: O Retrato de Dorian Gray

Título Original: The Picture of Dorian Gray
Autor: Oscar Wilde
Páginas: 273
Tradução: Oscar Mendes
Editora: Abril

Dorian Gray é um belo e ingênuo rapaz retratado pelo artista Basil Hallward em uma pintura. Mais do que um mero modelo, Dorian Gray torna-se inspiração a Basil em diversas outras obras. Devido ao fato de todo seu íntimo estar exposto em sua obra prima, Basil não divulga a pintura e decide presentear Dorian Gray com o quadro. Com a convivência junto a Lorde Henry Wotton, um cínico e hedonista aristocrata muito amigo de Basil, Dorian Gray é seduzido ao mundo da beleza e dos prazeres imediatos e irresponsáveis, espírito que foi intensificado após, finalmente, conferir seu retrato pronto e apaixonar-se por si mesmo. A partir de então, o aprendiz Dorian Gray supera seu mestre e cada vez mais se entrega à superficialidade e ao egoísmo. O belo rapaz, ao contrário da natureza humana, misteriosamente preserva seus sinais físicos de juventude enquanto os demais envelhecem e sofrem com as marcas da idade.

Com uma narrativa encantadora, Oscar Wilde prende o leitor com facilidade às páginas de seu livro, considerado a obra prima do escritor. Esta é composta por uma narrativa moderna e ágil, recheada de diálogos inteligentes e estupendos. É exatamente o tipo de livro em que você pode esperar uma frase arrebatadora na próxima página, e se ela não estiver lá, tenha certeza de que estará em outra página com mais duas outras frases de grande teor filosófico.

2 de outubro de 2014

Análise de Série: As Crônicas de Nárnia

Títulos: O Sobrinho do Mago
              O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa
              O Cavalo e seu Menino
              Príncipe Caspian
              A Viagem do Peregrino da Alvorada
              A Cadeira de Prata
              A Última Batalha
Autor: C. S. Lewis
Páginas: Total de 792 páginas
Tradutor: Paulo Mendes Campos, Silêda Steuernagel
Editora: Martins Fontes

As Crônicas de Nárnia é uma série de livros de fantasia, a mais famosa do autor britânico Clive Staples Lewis, tendo vendido mais de 120 milhões de cópias mundialmente. Pois é meus caros, e além disso é uma das obras literárias mais conhecidas de todos os tempos, tendo sido traduzida para 41 idiomas diferentes. As crônicas já foram adaptadas para televisão, rádio, peças de teatro e claro, para o cinema, e eu acho que é dai que muita gente (assim como a pequenina Jess) conheceu a obra!
 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©