19 de dezembro de 2014

05 Livros Nacionais Que Devem Ser Lidos

Se tem uma coisa que me deixa bastante chateada é o preconceito que as pessoas têm para com os livros nacionais, principalmente os clássicos. Por conta disso, resolvi fazer uma pequena lista de alguns livros nacionais que eu li e amei.

Vale lembrar que essa é uma opinião pessoal e pode não agradar a todos, mas ainda assim acho que esses cinco livros da minha lista merecem uma atenção especial. Só para constar, eles não estão exatamente em uma ordem de preferência.

Título: Pra Ser Sincero
Autor: Humberto Gessinger
Páginas: 304
Editora: Belas-Letras

Em 11 de janeiro de 1985, mesmo dia da abertura da primeira edição do Rock in Rio, Humberto Gessinger subia ao palco do auditório da Faculdade de Arquitetura da UFRGS de cabelo new wave e bombacha, para o primeiro show de uma banda que tinha nascido para durar uma noite só. Era para ter se chamado Frumelo & Os Sete Belos, mas ninguém gostou, então os integrantes da banda resolveram fazer uma brincadeira com os estudantes de Engenharia e os surfistas que frequentavam o bar da universidade, que estava a pelo menos 100 quilômetros do mar. Engenheiros do Hawaii. Vinte e cinco anos depois dessa estreia, Humberto Gessinger – que acompanhou todas as formações desde o primeiro show – lança neste livro seu olhar sobre a trajetória do grupo, sobre cada uma das composições e revela curiosidades e bastidores das gravações. Com fotografias inéditas, informações sobre cada um dos discos, letras comentadas e um diário de 1984 a 2009, Pra Ser Sincero é um livro sobre uma banda que era para ter durado uma noite só, mas que acabou escrevendo um capítulo da história do rock brasileiro, mesmo estando longe demais das capitais.

Muita gente não sabe, mas além de ser um exímio cantor e compositor, Humberto Gessinger também escreve. "Pra Ser Sincero" é o seu segundo livro e de longe o meu favorito entre todos os que ele escreveu. Na obra, ele nos conta um pouquinho sobre sua carreira, os Engenheiros do Hawaii e outros projetos.

Título: Para Francisco
Autora: Cristiana Guerra
Páginas: 192
Editora: Arx

Delicado, verdadeiro, denso – Para Francisco é mais do que uma história de amor e superação. É um livro de rara beleza, em que a realidade e a poesia se entrelaçam, despertando nos leitores emoções essenciais. Um homem tem morte súbita, dois meses antes do nascimento do seu único filho. Assim nasceu o blog “para Francisco”, de Cristiana Guerra, que foi transformado neste livro. Em seus textos, a publicitária mineira tenta entender e explicar dois sentimentos opostos e simultâneos vividos por ela, que ao mesmo tempo se transformou em viúva e mãe. Muitos questionamentos. Muitos raciocínios. Muito aprendizado. E a ânsia de Cris em falar para Francisco sobre seu pai, sobre o mundo e sobre si mesma. Textos delicados, ora engraçados, ora sensíveis, mas sempre envoltos pela urgência de ser feliz e superar a perda.

"Para Francisco" é sem sombra de dúvidas um dos livros mais lindos emocionantes que já li, e olha que eu já li livros para caramba. Cristiana nos conta de uma forma muito simples e suave toda sua dor após a perda do amor da sua vida e de como isso foi sendo superado gradativamente com a chegada do filho que nem chegou a conhecer o pai.

Título: Dom Casmurro
Autor: Machado de Assis
Páginas: 160
Editora: Moderna

E Bentinho vira Casmurro. Fechado, solitário, corroído pela suspeita que cresceu ferindo, impiedosa, condenando a bela Capitu! Mas o que é a verdade e a quem pertence? Quem é seu dono? Bentinho? Maior escritor brasileiro de todos os tempos, Joaquim Maria Machado de Assis (1839-1908) é o autor deste “Dom Casmurro”. Editado pela primeira vez em 1900, o romance foi escrito e pensado para ser publicado originalmente em livro, e não em capítulos nos jornais. Concebido com o cuidado de uma obra- prima, Dom Casmurro é um dos mais importantes e representativos romances da literatura universal, um clássico que não se pode deixar de ler.

É impossível falar de literatura brasileira e não falar de "Dom Casmurro", um dos maiores clássicos nacionais e também alvo de muita discussão e, cá entre nós, um pouco de polêmica também. Afinal, Capitu traiu ou não Bentinho? Se querem realmente saber a minha opinião, estou totalmente do lado de Capitu e sim, acho que toda a história foi invenção da cabeça do nosso querido protagonista. Ou será que é tudo ilusão da minha cabeça? Vai saber, né?

Título: Eles Eram Muitos Cavalos
Autor: Luis Ruffato
Páginas: 136
Editora: Companhia das Letras

Lançado originalmente em 2001, o romance Eles eram muitos cavalos tornou seu autor num grande sucesso de público e crítica. Com uma voz literária original e arrebatadora, Luiz Ruffato retrava um dia na vida de São Paulo, combinando recursos de sua formação jornalística a inovações formais e estéticas. O romance, que chega neste relançamento à sua 11ª- edição, seria ainda vencedor dos prêmios APCA e Machado de Assis. Considerado pelo jornal O Globo um dos dez melhores livros de ficção da década, está publicado em Portugal, na França, Itália, Alemanha, Colômbia e Argentina. O nove de maio de 2000 é um dia qualquer em São Paulo. Os habitantes seguem realizando pequenos e grandes feitos cotidianos, protagonistas de uma narrativa subterrânea, que representa, ao fim e ao cabo, o próprio tecido da cidade. Para captar essa polifonia urbana, Ruffato estruturou seu romance em 69 episódios, cada qual com registro e fôlego próprios, alternando entre poesia, discurso publicitário, música, teatro e prosa, instantâneos de uma cidade que só se move deixando para trás um rastro de esquecidos. Ao jogar luz sobre esses anônimos, o autor iluminou também as circunstâncias em que eles se confrontam, em atos que se alternam entre a solidariedade e a frieza. Doze anos depois de sua publicação, Eles eram muitos cavalos ainda é um retrato atual e doloroso da vida na grande cidade.

Há uns dois anos, tive que ler esse livro para prestar o vestibular para Engenharia Civil na UEMG e no final acabei gostando muito. Há quem diga que "Eles Eram Muitos Cavalos" é um tanto confuso, mas para mim expressa com bastante sinceridade os confrontos internos do ser humano.

Título: O Meu Pé de Laranja Lima
Autor: José Mauro de Vasconcelos 
Páginas: 190
Editora: Melhoramentos

Na obra juvenil mais conhecida de José Mauro, a pobreza, a solidão e o desajuste social vistos pelos olhos ingênuos de uma criança de seis anos, nascido em uma família pobre e numerosa. Zezé tinha muitos irmãos, a sua mãe trabalhava numa fábrica, o pai estava desempregado, e como tal passavam por muitas dificuldades, pelo que eram as irmãs mais velhas que tomavam conta dos mais novos; por sua vez, Zezé tomava conta do seu irmãozinho mais novo, Luiz. Zezé é um menino especial, que envolve o leitor ao revelar seus sonhos e desejos, por meio de conversas com o seu pé de laranja lima, encontrando na fantasia a alegria de viver.

Apesar de ser especialmente indicada para o público infantil-juvenil, é uma obra que não posso deixar de falar. "O Meu Pé de Laranja Lima" é o primeiro livro que me tocou realmente. Eu tinha cerca de 12 anos quando o li pela primeira vez e até hoje é um dos meus livros preferidos. É emocionante e retrata verdadeiramente como são os sentimentos de uma criança e o quão belo eles podem ser.

Mesmo que o mercado da literatura internacional seja mais valorizado, é óbvio que temos autores e livros tão bons quanto os de fora que merecem nosso amor também. E aí, já leram algum livro dessa lista ou pretendem lê-los? Contem pra mim!

7 comentários:

  1. Olá

    Eu tenho Dom Casmurro no meu iPad, ainda vou ler, não gosto muito de ler em e-readers, mas Machado De Assis sempre me atraiu

    Abraços, Heitor
    shakedepalavras.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Heitor!

      Leia! É um dos meus clássicos preferidos e acho que a maioria das pessoas gostam.

      Beijo!

      Excluir
  2. Oi Ana,
    Me interessei por ''Para Francisco'', parece uma história extraordinária. Vou procurar para ler haha

    Beijos,
    www.travelingbetweenpages.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lud!

      Ai, acho que você ia adorar mesmo, eu me emocionei demais da conta.

      Beijo!

      Excluir
  3. Gostei da listinha, tenho que ler eles ;)
    Bjs
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Desses ai só li dom Casmurro ... sei exatamente como é isso de desprezar livros brasileiros kk
    eu era desses
    Mas ai veio Renata Ventura na minha vida para mudar esse cenário ...
    Um dos melhores livros que já li ... A Arma Escarlate dela ..
    Tenho vontade de ler esse Para Francisco e o Pé de Laranja Lima ... esse último foi um dos primeiros que minha irmã leu kkkk
    Mto bom kk ^^
    ~ Matt the King ~

    ResponderExcluir
  5. Dessa lista, eu só li "Dom Casmurro" - e adorei! :D E eu concordo com você, Bentinho que era ciumento doentio, e Capitu fez nada não hahaha
    Adorei as outras dicas, vou procurar para ler :)
    Minha amiga leu o Pé de Laranja Lima agora (acredita que deram para ela ler aqui na faculdade em Portugal? Achei lindo!) e adorou! Fiquei ainda mais curiosa!
    Beijos,
    Déia!
    Own mine

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©