7 de dezembro de 2014

O Que Eu Li: Novembro

Olá pessoal, como vocês estão!? Para responder a pergunta de vocês se eu estou ou não bem, lá vai uma questão: sabe quando as pessoas dizem para vocês que a vida melhora cem por cento na faculdade? Pois então, é tudo mentira. É claro que a gente tem um tempinho sobrando, mas não dá para fazer tudo o que gostamos e acaba entrando tudo em uma bola de neve, principalmente agora no fim do período. 

Mas para ser sincera, estou bem feliz. Acho que alguns dos meus esforços estão valendo à pena, então vai ficar tudo bem. Também queria pedir desculpas pelo meu sumiço, mas a verdade é que eu não estou conseguindo ler muito, portanto... Enfim, depois dessa falação toda, vamos ao que interessa de verdade. Vou mostrar para vocês as minhas leituras do mês de novembro. 

01. A Menina Que Semeava: um dia desses, quando fui gravar alguns videos com a Jessie, do Lendo & Comentando, ela me levou para ver os milhões de livros que ela tem repetidos e acabou me dando alguns de presente. Me apaixonei por essa capa logo de cara. Apesar de ter uma história com grande potencial, assim como eu disse na resenha, o livro acabou me decepcionando um pouco. 

Chris Astor é um homem de seus quarenta e poucos anos que está passando pelo mais difícil trecho de sua vida. Ele tem uma filha, Becky, de 14 anos, que já passou imensas dificuldades até chegar a se tornar uma moça vibrante e alegre, mas que parece que terá que enfrentar mais um grande problema em sua vida. Quando Becky era pequena e teve câncer, Chris e ela inventaram um conto de fadas, uma fantasia infantil que adquiriu vida e tornou-se um terrível, provavelmente fatal, problema. Agora, Chris, Becky e Miea (a jovem rainha da fantasia criada por pai e filha) terão que desvendar um segredo: o segredo de por que seus mundos de fantasia e realidade se juntaram neste momento. O segredo para o propósito disso tudo. O segredo para o futuro. É um segredo que, se descoberto, irá redefinir a mente de todos eles.A menina que semeava é um romance de esforço e esperança, invenção e redescoberta. Ele pode muito bem levá-lo a algum lugar que você nunca imaginou que existisse. Uma fantasia que trabalha assuntos densos como a separação dos pais, oncologia infantil, separação de filha e pai, adolescência. A menina que semeava não é um livro sobre adolescentes comuns. É sobre uma que se deparou prematuramente com a ameaça do fim e teve de tentar aprender a lidar com ele.

02. Príncipe Mecânico: estou pensando seriamente em gravar um vídeo para vocês (sim gente, um vídeo) falando sobre As Peças Infernais, e acho que nem assim eu conseguiria expressar o tanto que eu gostei de ter lido essa série. Como sempre, Cassandra Clare não me decepcionou nem um pouco. Juro que eu não achava que o segundo volume ia ser melhor que o primeiro, mas pelo Anjo! hahahahaha 

Tessa Gray não está sonhando. Nada do que aconteceu desde que saiu de Nova York para Londres — ser sequestrada pelas Irmãs Sombrias, perseguida por um exército mecânico, ser traída pelo próprio irmão e se apaixonar pela pessoa errada — foi fruto de sua imaginação. Mas talvez Tessa Gray, como ela mesma se reconhece, nem sequer exista. O Magistrado garante que ela não passa de uma invenção. Para entender o próprio passado e ter alguma chance de projetar seu futuro, primeiro Tessa precisa entender quem criou Axel Mortmain, também conhecido como Príncipe Mecânico.

03. Princesa Mecânica: simplesmente NÃO EXISTE LIVRO COM FINAL MAIS INCRÍVEL QUE ESSE. Gente do céu, não tem condição, não tem de verdade e eu não posso falar mais nada se não vocês vão é me bater! Mas a Cassie é tão incrível que ela conseguiu construir um final que deixa todo mundo feliz e saltitante, tem como ser melhor que isso? E só para constar nos registros por saí, sou team Jessa até a os últimos dias da minha vida. 

Continuação de Príncipe mecânico, “Princesa Mecânica” é ambientado no universo dos Caçadores de sombras, também explorado na série Os Instrumentos mortais, que chega agora ao cinema. Neste volume, o mistério sobre Tesversa Gray e o Magistrado continua. Mas enquanto luta para descobrir mais sobre o próprio passado, a moça se envolve cada vez mais num triângulo amoroso que pode trazer consequências nefastas para ela, seu noivo, seu verdadeiro amor e os habitantes do Submundo.

04. Bob, Um Gato Fora do Normal: para falar a verdade, não sou muito fã desse tipo de livro que o próprio autor conta a sua história. Isso significa que quando peguei esse aqui para ler, não esperava muita coisa. E não é que eu acabei gostando, apesar da linguagem super simples utilizada pelo James. Bob é um gato muito fofinho e acabou me conquistando de verdade. 

“Nós ganhamos segundas chances todos os dias, mas geralmente não as aproveitamos. E então eu conheci o Bob.” James Bowen é um músico sem-teto que se apresenta nas ruas de Londres para sobreviver. A partir do momento em que ele encontra um gato de rua machucado, com o pelo cor de laranja e grandes olhos verdes, sua vida começa a mudar. Juntos, James e Bob enfrentam o mundo – e vencem. Uma história verdadeira sobre amor e amizade que vai fazer você sorrir muito.

Como vocês puderam ver, li poucos livros, mas nenhum efetivamente ruim. Dei nota mediana para dois deles mais por causa da linguagem mesmo, que achei um pouco fraca. É claro que eu também quero saber como foi o mês de vocês, então não deixem de comentar. :3

1 comentários:

  1. Oie Ana =)

    Minhas leituras em novembro foram relativamente melhores do que as de outubro.
    Não li nenhum livro que você leu, mas estou amando a série Instrumentos Mortais *---*

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©