13 de novembro de 2015

Resenha: Sequestrados

Título Original: Taken
Autor: Robert Crais
Páginas: 304
Tradução: Cayo Candido
Editora: Companhia Editora Nacional

Quando Nita Morales contrata Elvis Cole para encontrar sua filha desaparecida, ela não está com medo, mesmo tendo recebido um telefonema pedindo resgate. Ela sabe que é uma farsa, que sua filha está com o cara que Nita chama somente de “aquele garoto” e que eles precisam de dinheiro. Mas ela está errada. A moça e o namorado foram sequestrados por bajadores – bandidos que se aproveitam de outros bandidos, profissionais da fronteira que se aproveitam não só de vítimas inocentes, mas um do outro. Eles roubam drogas, armas e pessoas – comprando e vendendo vítimas como mercadorias, e matando aqueles que não geram negócio. Elvis Cole e Joe Pike encontram o local onde o casal foi sequestrado. Há marcas de pneus, cápsulas de balas e manchas de sangue. Eles sabem que as coisas podem não ser tão ruins quanto parecem. Mas eles também estão errados, porque a situação está prestes a piorar. O próprio Cole é sequestrado quando, à paisana, localiza os dois jovens e tenta compra-los de volta. E agora cabe a Joe Pike refazer os passos de Cole, infiltrando-se no duro e perigoso mundo do tráfico de pessoas para encontrar seu amigo. O problema é que pode ser tarde demais...

Não sou muito de ler romances policiais. Não que eu ache o gênero ruim, mas nenhum livro desse tipo nunca conseguiu me prender de verdade e podem ter certeza que eu tentei, e tentei muito. Já abandonei muitos livros da Agatha Christie (por favor, não me julguem) e gostei bem mais ou menos de algumas histórias do Sir Arthur Conan Doyle. Justamente por esses motivos comecei a leitura de Sequestrados bem despretensiosamente, quase que por obrigação. Apesar de não ter sido uma leitura 100%, posso dizer que me surpreendeu bastante. 

O livro começa nos apresentando o casal Jack e Krista, que foram sequestrados por bajadores (pessoas que roubam imigrantes ilegais dos coiotes) junto a um grupo de imigrantes ilegais apenas pelo fato de estarem no lugar errado, na hora errada. Após algum tempo após o sequestro, a mãe de Krista, Nita Morales, resolve contratar Elvis Cole (o melhor detetive do mundo) para encontrar a sua filha. 

Elvis Cole descobre, então, que o que Nita achava ser apenas uma brincadeira de adolescentes é algo muito maior e mais perigoso do que eles mesmos imaginam. Sendo assim, Cole se junta com o seu companheiro Joe Pike para encontrar Krista e Jack, a todo custo. Salvar os dois se torna prioridade assim que Cole e Pike descobrem sobre a quadrilha de tráfico humano.

A obra é narrada sobre diversos pontos de vista que se alternam entre Elvis Cole (o único em primeira pessoa), Jack e Krista e alguns parceiros que Cole conseguiu para o ajudarem na missão. Há também as famosas mudanças temporais, que foram muito bem sinalizadas, portanto não causam nenhum tipo de confusão. A narrativa é tão fluida que não conseguia me desgrudar do livro e sofria quando tinha que interromper a leitura. Se eu não tivesse na casa da minha tia que tem criança pequena (e eu adoro criança pequena), com certeza teria lido tudo em uma sentada. 

— E se o seu amigo não conseguir nos encontrar?
— Ele vai. Há certas pessoas que nunca deixam você na mão.

Fazendo algumas pesquisas para a resenha, descobri que Sequestrados não é o primeiro livro com os personagens Elvis Cole e Joe Pike, e sim o 15º. Na verdade, foram lançados 16 livros com os personagens, mas apenas Sequestrados e Suspeitos foram publicados aqui no Brasil, ambos pela Companhia Editora Nacional. Ler os livros fora de ordem aparentemente não atrapalha no entendimento da história, mas gostaria muito de ter lido a série completa, desde o primeiro. 

Sequestrados é um romance de tirar o fôlego. Me senti um pouco retraída nas cenas mais pesadas, geralmente as do ponto de vista de Krista ou Jack que retratava o cativeiro. Se preparem pois há bastante morte e sangue, algumas coisas narradas com muitos detalhes. Gostei muito de toda a história porque sabemos que essas coisas realmente acontece, mesmo que no livro tenha sido totalmente inventado. 

Ah, vocês me desculpem, mas não consegui não sentir ódio de Krista o tempo todo, porque para mim a culpa de os dois terem sido sequestrados foi dela. Tudo bem, ela não podia imaginar que daria de cara com bajadores em uma noite qualquer, mas o tanto de hora que ela fez dava para eles terem saído ilesos. Para vocês terem ideia, ela ficou parada tirando fotos da situação enquanto Jack chamava por ela!

Se estiverem procurando um livro com a história marcante, Sequestrados está mais que indicado. Tem suspense do início ao fim e o romance não se torna o foco da narrativa em nenhum momento. Apesar do final um pouco corrido, tive aquela sensação que eu mais amo em uma leitura: a sede de saber o que acontecerá com os personagens no final.

Classificação final: 

4 comentários:

  1. Ei Ana

    Esse eu não tenho ainda, mas está nos meus desejados. Alguém gostou muito e me indicou, tenho um outro do autor, mas não li ainda rs.
    Eu adoro policiais, já tentou Tess Gerritsen? rs
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nanda!

      Esse autor é muito bom mesmo, foda que é uma série e esse não é o primeiro livro, mas a gente sempre supera. Gosto muito de policiais também, mas não conheço a Tess Gerritsen. Vou procurar saber.

      Beijo!

      Excluir
  2. Acho interessante livros assim, mas não fazem meu estilo de leitura. Este parece ser uma pouca fica para os fãs de suspense e romances policiais.

    Blog Profano Feminino

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ana! Tudo bem? Eu adoro um bom suspense/romance policial e acho que ia adorar ler "Sequestrados"! Só mais uma coisa: acho que também vou odiar essa Krista! Que menininha mais sem noção! rsrsrs Adorei a resenha! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©