29 de junho de 2016

Resenha: Bowie

Título Original: Bowie, The Biography
Autora: Wendy Leigh
Páginas: 322
Tradução: Joana Faro
Editora: Best Seller
Livro recebido em parceria com a editora.

Em Bowie, a biógrafa Wendy Leigh revela para o público facetas desconhecidas do recém-falecido ídolo pop David Bowie Leigh traça toda a trajetória do músico, desde a infância em sua família problemática, passando pela juventude desvairada em busca do sucesso, até atingir o estrelato e se tornar uma entidade única e inigualável da cultura popular contemporânea. Ao analisar a pluralidade de personagens que o cantor incorporou, examinando sua recusa a se submeter a qualquer padrão sexual, a autora também aponta para uma falta de ortodoxia sem precedentes, chave para a desconstrução de tabus e estopim de uma revolução dos costumes de gênero. Descritas fielmente neste livro, a subversão e a criatividade, algumas das características mais marcantes do astro britânico, não apenas o destacam de seus colegas de profissão, mas são responsáveis pelo charme de Bowie, que cativou milhões de fãs em todo o mundo. Este é o registro mais íntimo e revelador da vida de um dos maiores ícones da história recente. Bowie é, portanto, uma leitura indispensável para todos aqueles que ainda não se contentaram em dizer adeus a David.

Eu não sei vocês, mas eu sou louca por biografias. Pode até parecer um pouco esquisito, mas esse é um dos meus gêneros preferidos e sempre procuro ler alguma. Não vou mentir para vocês. Apesar de ouvir algumas músicas do Bowie e ter visto um ou dois de seus filmes, não posso dizer que sou uma fã, mas uma coisa eu não posso negar: Bowie foi e ainda é um dos artistas mais incríveis e completos que tive a oportunidade de "conhecer", então, como não querer ler uma biografia dele?

27 de junho de 2016

Resenha: Na Estrada Jellicoe

Título Original: On The Jellicoe Road
Autora: Melina Marchetta
Páginas: 296
Tradução: Guilherme Miranda
Editora: Seguinte
Livro recebido em parceria com a editora.

A pequena cidade de Jellicoe, na Austrália, vive uma guerra territorial travada entre três grupos: os estudantes do internato, os adolescentes da cidade e os alunos de uma escola militar que acampa na região uma vez por ano. Taylor é líder de um dos dormitórios do internato e foi escolhida para representar seus colegas nessa disputa. Mas a garota não precisa apenas liderar negociações: ela vai ter que enfrentar seu passado misterioso e criar coragem para finalmente tentar compreender por que foi abandonada pela mãe na estrada Jellicoe quando era criança. Hannah, a única adulta em quem Taylor confia e que poderia ajudar, desaparece repentinamente e a pista sobre seu paradeiro é um manuscrito que narra a história de cinco crianças que viveram em Jellicoe dezoito anos atrás

Confesso que solicitei esse livro apenas por ser uma indicação da Diana, mas eu não tinha ideia do que esperar, já que não sou muito de ler sinopses e resenhas antes de ler a obra (justamente pelo quesito surpresa). Terminei Na Estrada Jellicoe há um tempo e a verdade é que eu não sei muito bem o que pensar dele. Sabe aquela sensação de dúvida se gostou ou não de determinada coisa? Pois então...

25 de junho de 2016

Resenha: Não Fale Com Estranhos

Título Original: The Stranger 
Autor: Harlan Coben
Páginas: 304
Tradução: Marcelo Mendes
Editora: Arqueiro
Livro recebido em parceria com a editora.

O estranho aparece do nada e, com poucas palavras, destrói o mundo de Adam Price. Sua identidade é desconhecida. Suas motivações são obscuras. Mas suas revelações são dolorosamente incontestáveis. Adam levava uma vida dos sonhos ao lado da esposa, Corinne, e dos dois filhos. Quando o estranho o aborda para contar um segredo estarrecedor sobre sua esposa, ele percebe a fragilidade do sonho que construiu: teria sido tudo uma grande mentira? Assombrado pela dúvida, Adam decide confrontar Corinne, e a imagem de perfeição que criou em torno dela começa a ruir. Ao investigar a história por conta própria, acaba se envolvendo num universo sombrio repleto de mentiras, chantagens e assassinatos. Intrigante e perturbador, Não Fale Com Estranhos é mais que um suspense de tirar o fôlego. É uma reflexão sobre o bem e o mal, o amor e o ódio, o certo e o errado, os segredos, as mentiras e suas consequências devastadoras.

Não Fale Com Estranhos é o mais novo livro do aclamado escritor Harlan Coben que conta a história pacata de Adam Price, um advogado em uma pequena cidade chamada Cedarfield. A vida do sujeito sempre foi tranquila até o dia em que um estranho lhe revela algo que muda pra sempre a sua vida.

23 de junho de 2016

Promoção: Kit Harry Potter e a Pedra Filosofal


Olá, bonitinhos e bonitinhas (q)! A Jess, que além de colunista aqui no Roendo Livros, tem um canal super bacana, o Eu Li, e Daí? Não sei que feitiço que jogaram nela, mas para nossa felicidade, ela resolveu sortear um kit de Harry Potter maravilhoso! É claro que eu ia me enfiar no meio, né?

21 de junho de 2016

Resenha: O Caderninho de Desafios de Dash e Lily

Título Original: Dash & Lily's Book of Dares
Autores: David Levithan & Rachel Cohn
Páginas: 256
Tradução: Regiane Winarski
Editora: Galera Record
Livro recebido em parceria com a editora.

O novo livro de David Levithan e Rachel Cohn que juntos escreveram Nick e Nora: Uma Noite de Amor e Música, acompanha a dupla Lily e Dash. Ela está doida pra se apaixonar e, pra encontrar o par perfeito, decide criar um caderninho cheio de tarefas e deixá-lo na livraria mais caótica de Manhattan. Quem encontra o moleskine é Dash, e os dois começam a se corresponder e trocar sonhos, desafios e desejos no caderninho, que vai se perdendo nos mais diversos lugares de Nova York.

Desde que li Will & Will há alguns anos atrás, decidi que leria todos os livros do David Levithan e todos os livros do John Green. A verdade é que não tive experiências tão boas assim com o David, mas apesar de não me identificar tanto com as suas histórias, não posso negar a fluidez das suas narrativas. Aconteceu essa mesma coisa com Dash e Lily: não gostei tanto assim do conteúdo do livro (acho que mais pelas partes narradas por Lily), mas ele é tão bem escrito que é impossível não tiver proveito.

19 de junho de 2016

Book Haul: Maio 2016


Oi gente! O post de book haul desse mês demorou um pouquinho para sair, mas é aquele famigerado ditado né, antes tarde do que nunca. Em maio recebi menos livros que abril, até porque solicitei bem menos. Minha pilha tá tão gigante que entro num quase desespero só de olhar, mas tudo bem! Mas enfim, corram para ver e espero que gostem!

17 de junho de 2016

Resenha: Amor à Moda Antiga

Título: Amor à Moda Antiga
Autor: Carpinejar
Páginas: 104
Editora: Belas-Letras
Livro recebido em parceria com a editora.

Em seu aniversário de 43 anos, Fabrício Carpinejar ganhou de presente uma velha máquina de escrever Olivetti Lettera 82 verde-esmeralda. Desde esse dia, ele se dedica a escrever nela poemas de amor e a guardá-los como um inventário de seus sentimentos e emoções ao longo de sua carreira. Pela primeira vez, a Belas-Letras publica esses poemas exatamente como os originais foram enviados à editora, em maços de papel despachados pelos Correios, sem nenhum tipo de correção ortográfica, edição ou retoques, inclusive com as próprias anotações à mão feitas pelo próprio Carpinejar. Todos os textos de Amor à Moda Antiga (inclusive este) foram originalmente escritos em máquina de escrever. O resultado é um livro orgânico, singelo e apaixonadamente imperfeito, exatamente como o amor é.

Comecei a tomar gosto por poesia esses dias mesmo. Eu achava que não gostava do gênero até descobrir o Paulo Leminski em minhas andanças pelo Tumblr, e depois disso me apaixonei. Quando solicitei Amor à Moda Antiga, o fiz por um único motivo: é uma obra do Carpinejar e convenhamos que o cara é foda, né? Não tinha lido a sinopse, consequentemente não sabia que era um livro de poesias... E eis que me surpreendi com o seu conteúdo. 

15 de junho de 2016

Promoção: Primeiro Aniversário do Gettub!


Adivinhem quem está fazendo um aninho de idade? Isso mesmo, o Gettub, um dos meus blogs preferidos (puxando um saquinho apenas). Claro que o Roendo Livros não poderia ficar de fora dessa festa, né? 

14 de junho de 2016

Resenha: Rompendo Limites

Título Original: Breakthrough
Autora: Jack Andraka
Páginas: 224
Tradução: Sandra Martha Dolinsky
Editora: Best Seller
Livro recebido em parceria com a editora.


Ao perder seu melhor amigo para o câncer de pâncreas, Jack Andraka se deu conta da inacessibilidade e ineficácia dos exames existentes para detectar a doença. Decidido a criar seu próprio método, Jack, então com 15 anos de idade, se dedicou a um extenso estudo e descobriu uma maneira para identificar o câncer de pâncreas, ovários e pulmão de forma muito mais precoce. Após ser rejeitado por diversos pesquisadores, o jovem conseguiu, finalmente, que sua criação fosse aceita por um laboratório de pesquisa. Em Rompendo Limites, Jack Andraka narra a sua difícil jornada contra a depressão e a homofobia e relata todos os detalhes de sua importante invenção científica.

A família Andraka é apaixonada por ciências e novas descobertas. Com pais felizes em suas profissões, o contágio da ideia de felicidade profissional transborda dentro do ambiente familiar. Os pais incentivam desde a infância, seus dois filhos, Luke e Jack, a experimentarem esportes, ciências e atividades que possam apontar não apenas suas aptidões, mas que os tornem pessoas mais felizes. 

12 de junho de 2016

Resenha: Para Poder Viver

Título Original: In Order to Live: A North Korean Girl's Journey to Freedom
Autora: Yeonmi Park
Páginas: 328
Tradução: Paulo Geiger
Editora: Companhia das Letras
Livro recebido em parceria com a editora.

Em narrativa memorável, uma jovem norte-coreana conta como escapou de uma das mais sanguinárias ditaduras do planeta. Yeonmi Park não sonhava com a liberdade quando abandonou a Coreia do Norte. Mas sabia que fugir era a única maneira de sobreviver à fome, às doenças e ao governo repressor. Este livro é a história da luta de Park pela vida. O leitor acompanha sua infância no país mais sombrio do mundo. Em seguida, testemunha sua fuga, aos treze anos, pelo submundo chinês de traficantes e contrabandistas. Emociona-se com seu périplo pela China através do deserto de Gobi até a Mongólia, guiada pelas estrelas, em direção à Coreia do Sul. Vibra com seu papel como ativista pelos direitos humanos. Antes dos 21 anos, Yeonmi acumulou experiência suficiente para encantar todas as gerações de leitores neste livro memorável.

"Sou muito grata a duas coisas: ao fato de ter nascido na Coreia do Norte e ao de ter escapado da Coreia do Norte. Esses dois eventos me configuraram, e eu não os trocaria por uma vida comum e pacífica. Más há muito mais na história de como me tornei o que sou hoje". Esse trecho foi tirado logo do prólogo do livro e já nos introduz ao que vamos ver nessa história: tudo o que aconteceu na vida de Yeonmi Park e o porquê de ela ter decidido escrever este livro. 

10 de junho de 2016

Resenha: Romance Moderno

Título: Romance Moderno 
Autor: Aziz Ansari (com Eric Klinenberg)
Páginas: 288
Tradução: Cristian Schwartz
Editora: Paralela
Livro recebido em parceria com a editora

Todos nós buscamos o amor em algum momento da vida. Conhecemos pessoas, namoramos, começamos e terminamos relacionamentos, sempre na esperança de desenvolver uma conexão profunda. Embora esses objetivos possam parecer normais ou até óbvios, a cultura dos relacionamentos era completamente diferente há algumas décadas. Graças à tecnologia, os solteiros agora têm um poder de escolha maior do que em qualquer outro período da história, mas também nunca estiveram tão frustrados com o amor. Por quê será? Em seu livro de estreia, o comediante Aziz Ansari explora minuciosamente as alegrias e desventuras dos relacionamentos modernos de forma pretensiosa e acessível.

Além de ser uma pesquisa aprofundada, onde o autor conta com a colaboração do sociólogo Eric Klinenberg para profundas avaliações e mais alguns personagens, Azis Ansari também escreve de uma forma engraçada. Existe humor em uma pesquisa sobre relacionamentos na era digital.

9 de junho de 2016

Promoção: Talvez Um Dia


Sabe aquele livro que a gente gosta tando que tem vontade que todo mundo leia e tem vontade de presentear todo mundo com ele? Tudo bem, não posso comprar um livro para cada um de vocês, mas resolvi sortear um exemplar de Talvez Um Dia em parceria com a Galera Record. Pelo menos um sortudo vai poder levar essa história linda para casa!

7 de junho de 2016

Resenha: Talvez Um Dia

Título Original: Maybe Someday
Autora: Coleen Hoover
Páginas: 368
Tradução: Natalie Gerhardt
Editora: Galera Record
Livro recebido em parceria com a editora. 

Um dos livros mais comentados de 2015, nos Estados Unidos, este é mais um sucesso arrebatador de Colleen Hoover, autora das séries Slammed e Hopeless. Sydney acabou de completar 22 anos e já fez algo inédito em sua vida: socou a cara da ex-melhor amiga. Até hoje, ela não podia reclamar da vida. Um namorado atencioso, uma melhor amiga com quem dividia o apartamento... Tudo bem, até Sydney descobrir que as duas pessoas em quem mais confiava se pegavam quando ela não estava por perto. Até que foi um soco merecido. Sydney encontra abrigo na casa de Ridge. Um músico cujo talento ela vinha admirando há um tempo. Juntos, os dois descobrem um entrosamento fora do comum para compor e uma atração que só cresce com o tempo. O problema é que Ridge tem uma namorada, e a última coisa que Sydney precisa agora é se transformar numa traidora.

Desde que eu li Nunca Jamais, livro que a autora escreveu com a Tarryn Fisher, eu simplesmente decidi que leria tudo o que eu pudesse dessa mulher. Quando vi esse livro no catálogo da Galera, não tive dúvidas de que seria um dos meus escolhidos. Gente, eu simplesmente devorei essa história, não consegui parar de ler até terminar. Tem algo na escrita da Coleen Hoover que não dá para você simplesmente ir fazer outra coisa antes de saber o final.

5 de junho de 2016

Resenha: A História de Nós Dois

Título Original: The Story of Us
Autora: Dani Atkins
Páginas: 352
Tradução: Raquel Zampil
Editora: Arqueiro
Livro recebido em parceria com a editora. 

Emma tem 27 anos, é linda e inteligente e vive cercada de pessoas que ama. Prestes a se casar com Richard, seu namorado desde a época de escola, ela não poderia estar mais empolgada.  Mas o que deveria ser o momento mais feliz de sua vida de repente vira uma tragédia. Emma sofre um acidente e é salva por um estranho minutos antes que o carro em que ela viajava explodisse.  Abalada, ela decide adiar o casamento. E nesse meio-tempo descobre segredos que a fazem questionar as pessoas nas quais sempre confiara a ponto de duvidar se deve se casar afinal.  Para complicar, ela se sente cada vez mais ligada a Jack, o homem que a salvou e que não sai da sua cabeça. Jack é lindo, gentil e divertido, de um jeito diferente de todos que ela já conheceu. Por outro lado, é Richard quem ela sempre amou... Uma mulher, dois homens, tantos destinos possíveis. Como essa história vai terminar?

Acho que eu só solicitei esse livro porque morro de vontade de ler Uma Curva no Tempo, da mesma autora.  A gente sempre fica muito curioso quando um livro faz muito sucesso e consequentemente quer ler tudo o que o autor publica. Eu ainda não sei exatamente o que pensar sobre A História de Nós Dois, para ser sincera, me emocionei e passei raiva proporcionalmente. Ah, só um avisinho básico: muito provavelmente essa resenha conterá spoilers, então pare por aqui se não quiser perder a emoção da leitura. 

3 de junho de 2016

Resenha: A Caderneta Vermelha

Título Original: La Femme au carnet rouge
Autor: Antoine Laurain
Páginas: 135
Tradução: Joana Angélica d'Avila Melo
Editora: Alfaguara
Livro recebido em parceria com a editora.

Caminhando pelas ruas de Paris em uma manhã tranquila, o livreiro Laurent Letellier encontra uma bolsa feminina abandonada. Não há nada em seu interior que indique a quem ela pertence — nenhum documento, endereço, celular ou informações de contato. A bolsa contém, no entanto, uma série de outros objetos. Entre eles, uma curiosa caderneta vermelha repleta de anotações, ideias e pensamentos que revelam a Laurent uma pessoa que ele certamente adoraria conhecer. Decidido a encontrar a dona da bolsa, mas tendo à sua disposição pouquíssimas pistas que possam ajudá-lo, Laurent se vê diante de um dilema: como encontrar uma mulher, cujo nome ele desconhece, em uma cidade de milhões de habitantes?

Conheço muito pouco sobre a literatura francesa, mas, no último ano, as obras dessa nacionalidade têm chegado até mim com maior frequência. Também tenho assistido a alguns filmes oriundos daquele país e, por alguma incrível coincidência - ou pela utilização indiscriminada e recorrente dos mesmos critérios pelos autores - quase todas as histórias que conheci até hoje têm uma construção semelhante: um objeto perdido, alguém encarregado de encontrar seu dono, pouquíssimas pistas e uma busca quase irracional que, é claro, tem tudo para resultar em um romance. Foi o que aconteceu, por exemplo, em O leitor do trem das 6h27 e, agora, em A Caderneta Vermelha, de Antoine Laurain.

2 de junho de 2016

Promoção: Um Arraiá de Livros Procê


Olá persoar, ocê num podi perder o nosso arraiá de livros desse anu. Tem muito livro pra ocê se divertir pru dimais da conta sô! São 24 matuto metido a blogueiro que se juntaro para premiar dois cabra sortudo, são 19 livrin e 110 "trocin" que cumadi chama de marcadores. Vem pra cá participar!!!!
 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©