31 de julho de 2016

Resenha: Três Coisas Sobre Você

Setecentos e trinta e três dias depois da morte da minha mãe, 45 dias após o meu pai fugir para se encontrar com uma estranha que ele conheceu pela internet, 30 dias depois de a gente se mudar para a Califórnia e apenas sete dias após começar o primeiro ano do ensino médio numa escola nova onde conheço aproximadamente ninguém, chega um e-mail. Deveria ser no mínimo esquisito, uma mensagem anônima aparecer do nada na minha caixa de entrada, assinada com o bizarro nome Alguém Ninguém. Só que nos últimos tempos a minha vida tem estado tão irreconhecível que nada mais parece chocante.

Título original: Tell Me Three Things
Autora: Julie Buxbaum
Páginas: 283
Tradução: Alves Calado
Editora: Arqueiro
Livro recebido em parceria com a editora

Três Coisas Sobre Você é o primeiro romance da categoria jovem/adulto escrito pela talentosíssima Julie Buxbaum. Publicado pela editora Arqueiro, conhecemos a história de uma adolescente comum, tendo dilemas corriqueiros a todos os que passam por essa idade de uma forma límpida e natural, tentando trazer o máximo de naturalidade e beleza para assuntos que são considerados tabus como o sexo e a morte.

29 de julho de 2016

Resenha: Voltar Para Casa

"Vamos, meu irmão. Vamos voltar para casa.". Frank Money volta da Guerra da Coreia com mais do que cicatrizes visíveis em seu corpo. Veterano como tantos outros, vive em profundo conflito com seus fantasmas, perturbado pela enorme culpa de ser um sobrevivente e pelas atrocidades que cometeu. Ao se deparar com um país racista e segregado, ele reluta em voltar à sua cidade natal na Geórgia, onde deixou dolorosas memórias de infância e a pessoa que lhe é mais querida, a irmã Ycidra. Ci sobreviveu como pode aos anos de ausência do irmão, numa sociedade machista e opressiva em que as mulheres não têm vez, são sistematicamente abandonadas pelos maridos e muitas vezes mutiladas sem piedade. Ainda que não seja um soldado, é com imperativos que a menina foi criada: "Amarre o sapato, largue essa boneca de trapo e pegue a vassoura descruze as pernas vá tirar as ervas daninhas daquele jardim endireite as costas não me responda". O ambiente nos Estados Unidos dos anos 1950 é tão hostil — que se diferencia muito de um campo de batalha —, especialmente para uma mulher. Nesse mundo desfigurado, ao se reencontrarem no caminho de volta para casa, os irmãos poderão enfim ressignificar seu passado e voltar a ver com esperança o futuro. Afinal, o que é o lar, senão o lugar onde estão os nossos afetos? É no retorno à casa e no amor fraterno que Frank poderá entender sua experiência traumática na guerra e reencontrar uma força que já não acreditava ter. Um das mais celebradas romancistas dos Estados Unidos, a Nobel de literatura Toni Morrison expande seu olhar a história norte-americana do século XX com esta narrativa de violência, amor e redenção.

Título Original: Home
Autora: Toni Morrison
Páginas: 135
Tradução: José Rubens Siqueira
Editora: Companhia das Letras
Livro recebido em parceria com a editora.

Voltar Para Casa é a história de dois irmãos: Frank e Ycidra — que carinhosamente é apelidada por Ci. Sim, sabemos. Mas são dois irmãos que viveram anos separados por um motivo triste, porém, preciso: Frank teve que enfrentar a Guerra na Coreia, por isso abandonara a irmã em sua cidade natal, na Geórgia.

27 de julho de 2016

Resenha: Outlander - A Viajante do Tempo

Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros. Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?
 Título Original: Outlander
Autora: Diana Gabaldon
Páginas: 800
Tradução: Geni Hirata
Editora: Saída de Emergência
Livro recebido em parceria com a editora.

Outlander: A Viajante do Tempo é o primeiro volume de uma série com oito livros já publicados e uma série com várias temporadas garantidas. Desde o lançamento da série no canal Starz, a leitura do livro já tornava-se uma missão para mim, uma admiradora da adaptação televisiva. Entretanto, as 800 páginas me afastavam da finalização do plano. Mas quando decidi começar a leitura, não parei mais e estou ávida pela continuação.

25 de julho de 2016

TAG dos 50% — 2016


Não precisam me falar que já estamos quase no final de julho, mas é aquele ditado né: antes tarde do que nunca. A TAG do 50% consiste basicamente em recapitular todas as leituras que fizemos até então, em 2016. Como eu estava com preguiça de digitar as 15 perguntas e respostas, decidi gravar um videozinho pra vocês  — bem novidade, se vocês pararem pra pensar. 

23 de julho de 2016

Resenha: De Volta a Blackbrick

Neste livro sensível e delicado, a autora utiliza o universo fantástico para falar sobre memória. O protagonista é Cosmo, um menino que vive com o avô e muitas vezes tem pouca paciência com ele. Na verdade, o avô sofre de Mal de Alzheimer e está perdendo a memória. Um dia, ele dá uma chave a Cosmo e pede que ele vá até a mansão de Blackbrick. O menino descobre que o local é, na verdade, um portal para o passado, e lá encontra o avô aos 16 anos. Com a nova convivência, ele vai conhecer de verdade sua história.

 Título Original: Back to Blackbrick
Autora: Sarah Moore Fitzgerald
Páginas: 240
Tradução: Glenda D'oliveira
Editora: Galera Record
Livro recebido em parceria com a editora

Eu sou totalmente apaixonada por infanto-juvenis e sempre que tenho oportunidade, leio algum. Não precisou muito para eu querer desesperadamente ler De Volta a Blackbrick: um tema delicado, a doença de Alzheimer, atrelado a um mistério super envolvente. A história e os personagens são tão cativantes que eu a li em um piscar de olhos, numa sentada. 

21 de julho de 2016

Resenha: Saco de Ossos

Mike Noonan é um romancista de sucesso que vê sua vida subitamente transformada com a morte da esposa Jo. Quatro anos já se passaram e o sentimento é o mesmo - o desânimo, a tristeza, a sensação de que nunca mais será capaz de escrever. Diante da tela branca do computador, ele vê o vazio doloroso que passou a dominar seus dias. Nem mesmo o sono lhe traz alívio. Noonan é agora atormentado por terríveis pesadelos com Sara Laughs e a casa do lago - o recanto de sonhos onde ele e Jo foram tão felizes. Voltar à pequena cidade. Esta parece ser a única saída. Mike sente que precisa enfrentar o passado e tentar reencontrar seu caminho. Sara Laughs, no entanto, já não é a mesma. Apesar da aparente tranqüilidade de sempre, sua comunidade vive atormentada pelo domínio cruel do milionário Max Devore, que não mede esforços para atingir seu grande objetivo: arrancar a neta de três anos da guarda da jovem mãe viúva. Pouco a pouco, Mike redescobre a paixão. Mike Noonan reencontra um motivo para seus dias, mas a luta não será fácil. Além da fúria de Max Devore, Noonan terá de enfrentar forças estranhas e malignas que agora dominam Sara Laughs. Ele terá de descobrir de onde vêm os pesadelos cada vez mais terríveis que insistem em atormentá-los. Mike Noonan subitamente volta a escrever, mas não terá sossego até encontrar as respostas para as dúvidas que o atormentam. Que forças são essas que dominam a pequena cidade? O que esperam dela?

Título Original: Bag of Bones
Autor: Stephen King
Páginas: 568
Tradução: Myriam Campello
Editora: Suma de Letras
Livro recebido em parceria com a editora 

Que eu amo Stephen King não é segredo para ninguém (até porque pelo menos 80% dos livros que eu resenho aqui pro blog são dele), mas o que me fez ter vontade de ler Saco de Ossos, pasmem, foi a capa. O livro conta a história de Mike, um escritor que se vê totalmente abalado após a morte da sua esposa, Jo, e acaba sofrendo um bloqueio. Se quiserem saber o que eu achei do livro, é só assistir ao vídeo abaixo, corram que tá bem curtinho! 

19 de julho de 2016

Promoção: Dois Anos de Re.View


Olá gente, tudo bem? Hoje é dia de celebrar, pois o blog Re.View está completando e seu segundo aniversário e é sempre muito bom quando um blog amigo completa mais um ano!! E não há meio melhor para celebrar o segundo ano de um blog, do que com um belo dum sorteio, não é? E para comemorar o segundo aniversário do Re.View, blogs amigos LiteRata, Pobre Leitora, Roendo Livros, O Maravilhoso Mundo da Leitura e Entre Parênteses se juntaram a ele, e a Editora Arqueiro para sortear os seis livros lançados até agora da série Outlander!! E aí gente, diz se não é um baita sorteio?? Basta preencher o formulário corretamente e seguir as regras para participar.

18 de julho de 2016

Novidades das Editoras Para Julho/Agosto

Oi, gente! Esses dias estava pensando que faz séculos que não faço um post de novidades aqui no blog e é sempre bom a gente ver o que as editoras estão preparando pra gente, não é? Resolvi, então, separar alguns livros que as parceiras aqui do blog lançaram esse mês ou ainda vão lançar para vocês darem uma olhada. :3

16 de julho de 2016

Resenha: Precisava de Você

Então está aqui tudo o que eu guardei por algum tempo. A partir de agora eu pretendo escrever, desde o começo, a nossa história (se é que eu posso chamar assim). O nosso (des)romance. Acho que a melhor maneira de se livrar de alguma coisa (neste caso, de alguém) é colocando para fora. Então é isso que eu vou fazer. Eu vou te exorcizar de mim. Que droga. Que droga, Gabriel Vegas. Eu gostava de você pra caramba.

 Título Original: Precisava de Você
Autor: Pedro Guerra Lola Tavares
Ilustrações: Karen Basso
Páginas: 224
Editora: Belas-Letras
Livro recebido em parceria com a editora

Comecei a ler esse livro por birra. Há um tempo atrás, li um livo chamado Por Isso a Gente Acabou e achei, já pela sinopse, o enredo de Precisava de Você super parecido com a obra da Daniel Handler. A verdade é que sim, os livros são parecidos, têm aquela mesma pegada de desilusão e decepções amorosas, apesar de Por Isso a Gente Acabou ser muito mais denso. O fato é que eu me diverti muito mais com a personagem do livro do Pedro justamente por causa desse toque mais leve e engraçado.

14 de julho de 2016

Promoção: Holy Cow




Como a disseminação da mensagem do livro Holy Cow é muito importante, tanto que todos deveriam ler, a editora Record, o blog Roendo Livros e o Gettub vão sortear um exemplar.

Quer saber como participar? Só continuar lendo ;) 

13 de julho de 2016

Resenha: Holy Cow, Uma Fábula Animal

Uma aventura irreverente e itinerante com muita personalidade, e uma heroína quadrúpede que você não vai esquecer tão cedo. Elsie Bovary é uma vaca muito feliz em sua bovinidade. Até o dia que resolve sair sorrateiramente do pasto e se vê atraída pela casa da fazenda. Através da janela, observa a família do fazendeiro reunida em volta de um Deus Caixa luminoso – e o que o Deus Caixa revela sobre algo chamado “fazenda industrial” deixa Elsie e tudo o que ela sabia sobre seu mundo de pernas para o ar. A única saída? Fugir para um mundo melhor e mais seguro. Assim, um grupo para lá de heterogêneo é formado: Elsie; Shalom, um porco rabugento que acaba de se converter ao judaísmo; e Tom, um peru tranquilão que não sabe voar, mas que com o bico consegue usar um iPhone como ninguém. Munidos de passaportes falsos e disfarçados de seres humanos, eles fogem da fazenda e é aí que a aventura deles alça voo – literalmente. Elsie é uma narradora marrenta e espirituosa; Tom dá conselhos psiquiátricos com um sotaque alemão um tanto forçado; e Shalom, sem querer, acaba unindo israelenses e palestinos. As criaturas carismáticas de David Duchovny indicam o caminho para um entendimento e uma aceitação mútuos dos quais esse planeta tanto precisa.

Título Original: Holy Cow, a Modern-day Dairy Tale
Autor: David Duchovny
Páginas: 206
Tradução: Renata Pettengill
Editora: Record
Livro recebido em parceria com a editora. 

Uma fábula tem duas características principais e muito bem definidas: os personagens são animais que agem e pensam como seres humanos; e a construção da narrativa culmina em alguma mensagem moral. Por isso mesmo são mais voltadas para o público infantil ou infanto-juvenil. Mas não só. É o caso da obra do ator David Duchovny, Holy Cow.

11 de julho de 2016

Resenha: Arena 13

Primeiro livro da nova trilogia do autor best-seller de As Aventuras do Caça-Feitiço. Leif tem uma única ambição: tornar-se o melhor lutador da famosa Arena 13. Lá, os espectadores apostam em qual lutador vai derramar sangue primeiro. E, em ajustes de contas, apostam em qual lutador vai morrer. Mas a região é aterrorizada por Hob, um ser maligno que se deleita torturando a população e exibe o seu poder devastador desafiando combatentes da Arena 13 a lutas até a morte quando bem entende. E isso é exatamente o que Leif quer, pois ele conhece bem os crimes de Hob. E, no cerne da sua ambição, arde o desejo de vingança. Leif procura revanche contra o monstro que destruiu a sua família. Mesmo que isso lhe custe a vida.

Título Original: Arena 13 
Autor: Joseph Delaney
Páginas: 320
Tradução: Stephania Matousek
Editora: Bertrand Brasil
Livro recebido em parceria com a editora.

Assim como em sua série mais famosa, As Aventuras do Caça-Feitiços, Joseph Delaney apresenta vários monstros conhecidos com uma roupagem nova. Mas ele não faz isso com displicência. Ele faz com uma competência sem igual. E consegue que essas mesmas criaturas sejam mais apavorantes do que as originais.

9 de julho de 2016

Resenha: Persépolis

Título Original: Persepolis 1, 2, 3 e 4
Autora: Marjane Satrapi
Páginas: 352
Tradução: Paulo Werneck
Editora: Quadrinhos na Cia
Livro recebido em parceria com a editora.

Marjane Satrapi tinha apenas dez anos quando se viu obrigada a usar o véu islâmico, numa sala de aula só de meninas. Nascida numa família moderna e politizada, em 1979 ela assistiu ao início da revolução que lançou o Irã nas trevas do regime xiita - apenas mais um capítulo nos muitos séculos de opressão do povo persa. Vinte e cinco anos depois, com os olhos da menina que foi e a consciência política à flor da pele da adulta em que se transformou, Marjane emocionou leitores de todo o mundo com essa autobiografia em quadrinhos, que só na França vendeu mais de 400 mil exemplares. Em Persépolis, o pop encontra o épico, o oriente toca o ocidente, o humor se infiltra no drama - e o Irã parece muito mais próximo do que poderíamos suspeitar.

Não vou mentir para vocês. Solicitei esse livro para a Companhia das Letras unicamente porque ele estava no clube do livro da Emma Watson do mês passado. E sim, se tem uma coisa que eu confio é no gosto literário da Emma Watson. O que eu não sabia é que, além de gostar muito do quadrinho, ele ia mexer tanto comigo.

7 de julho de 2016

Resenha: Fuja, Coelhinho, Fuja

Título Original: Run, Rabbit, Run
Autora: Barbara Mitchelhill
Páginas: 236
Tradução: Luiz Antônio Aguiar
Editora: Biruta

Quando o pai de Lizzie recusa-se a lutar na Segunda Guerra Mundial, a polícia vem à sua procura. Para continuarem juntos, Lizzie e seu irmão Freddie acompanham o pai e refugiam-se em uma idílica comunidade chamada Whiteway. Porém, a estadia não dura muito tempo, e a família se vê obrigada a fugir novamente. O inverno rigoroso é apenas um dos obstáculos que tornarão a jornada cada vez mais difícil, e a chance de permanecerem unidos ainda mais distantes.

O que mais me interessou nesse livro foi o fato de se passar na Segunda Guerra Mundial e eu costumo simplesmente amar histórias que se passam nessa época por causa da carga dramática, que é gigantesca. Depois de pesquisar um pouquinho, descobri que, apesar de os personagens serem de criação da autora, os acontecimentos contidos no livro foram baseados em fatos reais. Como não ficar curiosa?

5 de julho de 2016

Promoção: A Rainha Vermelha


Tô gostando demais dessa coisa de presentear meus leitores com os livros que adoramos. Eu nunca li A Rainha Vermelha, mas a Ju, colunista aqui do blog, gostou tanto e essa série faz tanto sucesso que, em parceria com a Editora Seguinte, vamos sortear um exemplar para um sortud@. 

3 de julho de 2016

Resenha: A Rainha Vermelha + Espada de Vidro

Título Original: Red Queen
Autora: Victoria Aveyard
Páginas: 422
Tradução: Cristian Clemente
Editora: Seguinte

O mundo de Mare Barrow é dividido pelo sangue: vermelho ou prateado. Mare e sua família são vermelhos: plebeus, humildes, destinados a servir uma elite prateada cujos poderes sobrenaturais os tornam quase deuses. Mare rouba o que pode para ajudar sua família a sobreviver e não tem esperanças de escapar do vilarejo miserável onde mora. Entretanto, numa reviravolta do destino, ela consegue um emprego no palácio real, onde, em frente ao rei e a toda a nobreza, descobre que tem um poder misterioso Mas como isso seria possível, se seu sangue é vermelho? Em meio às intrigas dos nobres prateados, as ações da garota vão desencadear uma dança violenta e fatal, que colocará príncipe contra príncipe - e Mare contra seu próprio coração.

Título Original: Glass Sword
Autora: Victoria Aveyard
Páginas: 496
Tradução: Cristian Clemente
Editora: Seguinte
Livro recebido em parceria com a editora.

Se sou uma espada, sou uma espada de vidro, e já me sinto prestes a estilhaçar. O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar. Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.

A Rainha Vermelha, de Victoria Aveyard, não chamou minha atenção por sua originalidade, já que os elementos que estruturam seu enredo são batidos em outros livros de sucesso. Foi sua narrativa, na verdade, que me fez gostar tanto do livro, visto que a escrita da autora se desenvolve tão bem que chegar ao fim das páginas se torna uma necessidade, semelhante até a um movimento muscular involuntário. São reviravoltas demais para se conseguir dormir sem saber mais.

1 de julho de 2016

Resenha: O Peso da Gravata

Título: O Peso da Gravata
Autor: Menalton Braff
Páginas: 171
Editora: Primavera Editorial
Livro recebido em parceria com a editora

Esta coletânea de contos inéditos do autor Menalton Braff traz diversos universos, a partir de diferentes pontos de vista. Mergulha no realismo fantástico, com histórias como a de um sobrado degradado pelo tempo, e a de um personagem morto que caminha em direção ao seu próprio túmulo. Alguns contos permeiam, ainda, a cruel realidade da rotina, do dia a dia, da morte e da vida. O leitor é convidado, ao final do livro, com o conto "Jardim Europa", a entrar no mundo de um condomínio prestes a ser invadido.

Há muito tempo eu não lia um livro de contos. Ou melhor: há muito tempo eu não lia um livro de contos que fugia dos finais felizes e das fábulas generosas, que se carregavam nos detalhes de cada história.
 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©