29 de abril de 2019

Resenha: A Viúva de Safira

Dinah Jefferies volta a retratar o Ceilão inglês do começo do século XX em mais um romance histórico de tirar o fôlego, com a participação especial de Gwendolyn, Laurence e outros personagens amados de O perfume da folha de chá.
O ano é 1935. No Ceilão, uma rica colônia britânica do sul da Ásia, Louisa e Elliot vivem um casamento feliz. Ela, filha de um importante comerciante da região; ele, um charmoso homem de negócios. Juntos, eles aparentam ser um casal que tem tudo. Exceto aquilo que mais desejam: um filho.
Durante as diversas tentativas de Louisa de engravidar, seu marido parece cada vez mais distante, passando a maior parte do tempo em uma fazenda de canela das redondezas. Mas a morte repentina de Elliot ― tão trágica quanto misteriosa ― é seguida de revelações chocantes, atirando a jovem numa espiral de incertezas. Quem era, de fato, aquele homem? Por que ele tinha tantos inimigos? Como foi capaz de cometer uma traição tão terrível?
Em busca de respostas, Louisa embarca em uma jornada devastadora. Quando finalmente descobre o terrível segredo por trás de seu casamento, seu mundo vira de cabeça para baixo. Será que ela encontrará forças para seguir em frente? Ou sofrerá, para sempre, as consequências do que parece imperdoável? 

Título Original: The Sapphire Widow
Autora: Dinah Jefferies
Páginas: 376
Tradução: André Fontenelle
Editora: Paralela
Livro recebido em parceria com a editora

Sou apaixonada pelos livros da Dinah Jefferies. O Perfume da Folha de Chá foi o primeiro romance de época que li e quando vi que, além de ser uma obra de uma das minhas autoras preferidas, A Viúva de Safira contaria com a presença dos personagens do primeiro livro, não pensei duas vezes antes de solicitá-lo.

27 de abril de 2019

Resenha: As Afinidades Eletivas

Eduard e Charlotte formam um casal elegante e aristocrático que vive numa propriedade rural idílica, porém perigosamente próxima do fastio. Mas a relativa paz de sua existência é posta à prova quando a presença de dois visitantes - o Capitão e Ottilie - faz despertarem reservas magmáticas de atração sexual e amor proibido.
Com o título inspirado pelo princípio da química a respeito de certos elementos que são atraídos para outros, e com uma temática calcada na própria biografia sentimental (e conflituosa) de Goethe, este romance é um dos triunfos supremos do romantismo. Permanece, mais de duzentos anos depois de sua publicação original, como um estudo profundo sobre amor e destino.
Esta edição permite conhecer (ou revisitar) a obra que é uma das pedras fundamentais do romance do século XIX. Um objeto literário encantador e meditativo sobre como somos arrastados pelas paixões.

Título Original: Die Wahlverwandtschaften 
Autor: Goethe
Páginas: 328
Tradução: Tercio Redondo
Editora: Penguin
Livro recebido em parceria com a editora

A vida que Eduard e Charlotte levavam era tranquila e satisfatória, até o dia em que Eduard decidiu trazer seu amigo, o Capitão, para passar um tempo morando com eles. Mesmo com a insatisfação de Charlotte frente a essa proposta, Eduard, acostumado a sempre ter seus desejos atendidos com prontidão, traz o amigo para o convívio do casal.

24 de abril de 2019

Sorteio: Vergonha — Brittainy C. Cherry


Quem me acompanha no Instagram viu que o Grupo Editorial Record enviou vários lançamentos maravilhosos para o Roendo Livros, e quem me conhece ao menos um pouquinho sabe que eu adoro um bom romance — mesmo não sendo fã de uma literatura mais hot. Sendo assim, para fazer a felicidade dos verdadeiros amantes da Brittainy C. Cherry, decidi sortear um exemplar de Vergonha, novo livro da autora, lá no meu perfil do Instagram. 

22 de abril de 2019

Resenha: Faça Tempo

Depois do sucesso do método Sprint, do Googe Ventures, e da experiência de design em produtos tecnológicos que estão por toda parte — do Gmail ao YouTube —, Jake Knapp e John Zeratsky passaram anos buscando maneiras de ajudar as pessoas a otimizar energia, concentração e tempo. Então reuniram as táticas mais eficientes em uma estrutura diária de quatro passos, para que qualquer pessoa seja capaz de esquematizar o próprio dia de maneira mais sistemática. Leitura obrigatória para qualquer um que já tenha pensado “E se meu dia tivesse pelo menos algumas horas a mais?”, Faça tempo não é uma fórmula-padrão sobre produtividade. Tampouco propões soluções irreais, como jogar fora seu celular ou sair de todas as redes sociais ao mesmo tempo. Em vez disso, é um guia que proporciona pequenas mudanças na sua vida para que você se liberte da ocupação e da distração constantes e priorize o que é realmente importante na sua vida.

Título Original: Make Time
Autora: Jake Knapp e John Zeratsky
Páginas: 304
Tradução: Jaime Biaggio
Editora: Intrínseca
Livro recebido em parceria com a editora

Você já parou para contar todas as horas que perde por dia encarando a tela do seu celular? Se não, deveria. Ao contrário de muitos livros de autoajuda que prometem produtividade infinita e métodos infalíveis para a realização de tarefas, Faça Tempo é um relatório de experiências e várias dicas que podem ou não ser aplicadas em sua vida. Um verdadeiro guia do qual pode você extrair apenas aquilo que lhe convém e fugir do desperdício de energia enquanto realmente se faz presente em momentos preciosos como um jantar em família ou um happy hour com os amigos. 

19 de abril de 2019

Resenha: Os Meninos de Nápoles

Com ritmo eletrizante e prosa brutal, Roberto Saviano narra a ascensão de uma gangue juvenil na violenta Nápoles dos dias atuais. Do premiado autor de Gomorra e Zero zero zero.Um novo tipo de gangue domina as ruas de Nápoles: as “paranzas”, grupos de adolescentes que dividem seu tempo entre o Facebook e o video game e circulam com pistolas e AK-47s, aterrorizando os moradores e marcando território para seus chefes, ligados à máfia. Os meninos de Nápoles conta a história da ascensão de uma dessas paranzas e de seu líder, Nicolas Fiorillo, conhecido por amigos e inimigos como o Marajá. Seduzido pela perspectiva de imprimir seu nome na história, ele não medirá esforços para conquistar o bairro de Forcella — sem levar em conta, porém, que ambição, dinheiro e poder acarretariam consequências inimagináveis.
Com toda a vivacidade e a perspicácia que fizeram de Gomorra uma sensação mundial, o premiado escritor Roberto Saviano nos transporta para as violentas terras italianas neste romance de tirar o fôlego.

Título Original: La Paranza dei Bambini
Autor: Roberto Saviano
Páginas: 408
Tradução: Solange Pinheiro
Editora: Companhia das Letras
Livro recebido em parceria com a editora
Compre aqui

No começo escolhi essa leitura pela minha ligação com a Itália, mas depois de pesquisar um pouco sobre o autor, algo a mais surgiu. Saviano, ao escrever Gomorra, foi jurado de morte pela máfia italiana pelo que estava retratando, então me interessei muito pelo que ele tinha a dizer. Inclusive no começo de Os Meninos de Nápoles ele faz uma nota deixando bem claro que personagens e locais ali retratados não tem nenhuma ligação com pessoas, situações ou estabelecimentos que existem ou existiram na vida real. Saviano atualmente vive sob proteção da policia italiana... Ficou curioso? Eu também fiquei.

16 de abril de 2019

Resenha: Mundo em Caos

Em um mundo pós-apocalíptico, uma infecção rara e perigosa causou o inimaginável: a morte de todas as mulheres. O mesmo germe fez com que os pensamentos dos homens se tornassem audíveis, e agora o caótico Ruído está por toda parte. É impossível guardar segredos no Novo Mundo.
Todd Hewitt é o único garoto entre os homens da cidade de Prentisstown, e mal pode esperar para se tornar um deles. No entanto, o lugar esconde algo grave, capaz de mudar o futuro de Todd e do Novo Mundo para sempre. A apenas um mês de se tornar homem, um segredo impensável é revelado, e ele se vê forçado a fugir antes que seja tarde demais. Acompanhado por seu fiel escudeiro, o cachorro Manchee, ele empreende uma jornada repleta de perigos e se depara com uma criatura estranha e silenciosa: uma garota. Mas quem é ela? E por que não foi morta pelo germe como todas as mulheres?
Publicado em mais de trinta países, Mundo em caos é o primeiro volume de uma distopia perturbadora sobre os laços que forjamos em situações extremas e traz à tona a infinita insensatez humana diante das diferenças. A adaptação cinematográfica da obra terá Tom Holland e Daisy Ridley como protagonistas. A Intrínseca relança em uma edição especial, com tradução inédita e um conto extra, a série que consagrou Patrick Ness como um dos maiores nomes da literatura jovem.

Título Original: The Knife of Never Letting Go
Autor: Patrick Ness
Páginas: 480
Tradução: Edmundo Barreiros
Editora: Intrínseca
Livro recebido em parceria com a editora

A primeira frase da sinopse de Mundo em Caos é: "Em um mundo pós-apocalíptico, uma infecção rara e perigosa causou o inimaginável: a morte de todas as mulheres". Óbvio que eu nem precisei terminar de ler para ficar megacuriosa, né? O problema é que eu estava esperando justamente isso, uma história voltada para como seria um mundo sem mulheres — a reação dos homens, o que eles fazem para sobreviver, existiria alguma forma de gerar novos humanos? Não que as mulheres sejam ferramentas de procriação, mas sejamos sinceros: como perpetuar a espécie num lugar onde elas não existem? Acabei me decepcionando bastante quando notei que o foco do livro é totalmente outro.

13 de abril de 2019

Roendo Indica: Séries Para Ver na Netflix


Hoje o post é o primeiro episódio de uma série nova aqui no blog, o Roendo Indica, onde daremos muitas dicas de coisinhas variadas que gostamos bastante: série, livros, filmes & qualquer coisa que venha na nossa cabeça! Hoje cada uma de nós falou sobre uma série muito legal que está disponível na Netflix, o streaming que veio para facilitar a nossa vida — convenhamos que hoje em dia não existe uma pessoa que não assina o serviço, né? Esperamos do fundo do coração que vocês gostem das indicações e que possam compartilhar com a gente as séries preferidas de vocês também!

11 de abril de 2019

Resenha: Mulheres na Luta

Há 150 anos, a vida das mulheres era muito diferente: elas não podiam tomar decisões sobre seu corpo, votar ou ganhar o próprio dinheiro. Quando nasciam, os pais estavam no comando; depois, os maridos. O cenário só começou a mudar quando elas passaram a se organizar e a lutar por liberdade e igualdade.
Neste livro, Marta Breen e Jenny Jordahl destacam batalhas históricas das mulheres — pelo direito à educação, pela participação na política, pelo uso de contraceptivos, por igualdade no mercado de trabalho, entre várias outras —, relacionando-as a diversos movimentos sociais. O resultado é um rico panorama da luta feminista, que mostra o avanço que já foi feito — e tudo o que ainda precisamos conquistar.

Título Original: Kvinner i Kamp
Autoras: Marta Breen e Jenny Jordahl
Páginas: 128
Tradução: Kristin Lie Garrubo
Editora: Seguinte
Livro recebido em parceria com a editora

Vocês já se perguntaram por que as mulheres foram apagadas do nosso passado histórico? Na escola, a gente aprende muito sobre vários físicos, filósofos e cientistas que revolucionaram o planeta de alguma forma, todos gênero masculino. Vocês já pararam para pensar que, naquela época, existiam mulheres tão inteligentes — quiçá mais — quanto esses homens importantes? Vocês já pararam para pensar quantos homens tiraram proveito de as mulheres, naquela época, serem proibidas de expressar seus conhecimentos? É por causa dessas mulheres, que lutaram, que podemos continuar lutando hoje!

9 de abril de 2019

Promoção: Cartas de Amor aos Mortos + O Lado Mais Sombrio


Como vocês já sabem, faço aniversário em abril e, portanto, é um mês muito importante pra mim. Para não deixar a data passar em branco, resolvi sortear dois livros incríveis para vocês: Cartas de Amor aos Mortos & O Lado Mais Sombrio (ambos cedidos para o blog pela leitora Larissa Santos). A promoção vai do dia 09/04/2019 ao dia 09/05/2019. Boa sorte, pessoal! 💛💙💜

6 de abril de 2019

Resenha: Intrusos

Intrusos é uma vitrine estonteante das possibilidades do formato graphic novel e uma exploração carregada de ironia sobre perda, ambição criativa, identidade e dinâmicas familiares. Com esse trabalho, Adrian Tomine reafirma seu lugar não apenas como um dos criadores de quadrinhos mais significativos da contemporaneidade, mas também como uma das maiores vozes da literatura norte-americana moderna. Seu dom para capturar emoção e intelecto fica evidente aqui: o peso do amor e sua falta, o orgulho e o desapontamento da família, a ansiedade e a esperança de estar vivo no século XXI.

Título Original: Killing and Dying
Autor: Adrian Tomine
Páginas: 128
Tradução: Érico Assis
Editora: Nemo
Livro recebido em parceria com a editora

Comecei a me interessar verdadeiramente por quadrinhos no ano passado, então não sou a maior conhecedora de autores desse gênero literário. Por exemplo, eu não fazia ideia de que Adrian Tomine é tão famoso pelas suas histórias — muito menos que ele é quadrinista regular do The New Yorker. Fique muito feliz com esse primeiro contato, porque realmente gostei de Intrusos, um quadrinho sobre pessoas que não se encaixam.

3 de abril de 2019

Resenha: Querido Evan Hansen

Dos criadores do premiado musical da Broadway Dear Evan Hansen, esta é uma história emocionante sobre solidão, luto, saúde mental e amizades inesperadas.
Evan Hansen sempre teve muita dificuldade de fazer amigos. Para mudar isso, decide seguir as recomendações de seu psicólogo e escrever cartas encorajadoras para si mesmo, com esperança de que seu último ano na escola seja um pouco melhor. O que não esperava era que uma das cartas fosse parar nas mãos de Connor Murphy, o aluno mais encrenqueiro da turma. Quando Connor comete suicídio e sua família encontra a carta de Evan, todos começam a pensar que os dois eram melhores amigos. Sem conseguir explicar a situação, Evan acaba refém de uma grande mentira.
Ao mesmo tempo, graças a essa (falsa) amizade, o garoto finalmente se aproxima de Zoe, a menina de seus sonhos, e passa a ser notado no colégio. No fundo, Evan sabe que não está fazendo a coisa certa, mas se está ajudando a família de Connor a superar a perda, que mal pode ter? Evan agora tem um propósito de vida. Até que a verdade ameaça vir à tona, e ele precisa enfrentar seu maior inimigo: ele mesmo.

Título Original: Dear Evan Hansen
Autores: Val Emich com Steve Leverson, Benj Pasek e Justin Paul
Páginas: 336
Tradução: Guilherme Miranda
Editora: Seguinte 
Livro recebido em parceria com a editora
Isso me lembra daquele ditado: “O fruto nunca cai longe da árvore”. Acho que quer dizer que somos apenas produtos de quem nos fez e não temos muito controle sobre isso. A questão é que quando as pessoas usam essa frase, ignoram a parte mais fundamental: a queda. Segundo a lógica desse ditado, o fruto cai toda vez. Não cair não é uma opção. Então, se o fruto precisa cair, a questão mais importante para mim é o que acontece quando ele atinge o chão? Ele cai sem nenhum arranhão? Ou é esmagado pelo impacto? Dois destinos completamente diferentes. Quando se pensa sobre isso, quem se importa com a proximidade da árvore ou o tipo de árvore que o gerou? O que realmente faz a diferença é como pousamos.

Querido Evan Hansen é um livro emocional. A história é sobre Evan, um rapaz na casa dos 17 anos que lida com depressão e ansiedade. Ele faz acompanhamento terapêutico, mas nada parece ajudar muito. Nem os remédios. Ele se sente só, não tem amigos e enfim, sem esperança.

1 de abril de 2019

Top Comentarista: Abril 2019

Se março foi mês de celebrar a importância das mulheres, abril também é comemorado por aqui, afinal, foi quando mainha me trouxe ao mundo — inclusive fiquem atentos porque essa data nunca é passada em branco aqui no blog. Como sempre o ganhador terá direito a um vale compras de trinta reais para comprar um livro incrível! O período de inscrições vai de 01/04/2019 à 01/05/2019, lembrando que o último dia é apenas para a regularização de comentários.
 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©