A Vida Secreta das Abelhas | Sue Monk Kidd


A adolescência de Lily Owens tem sido complicada. Ela não se lembra da morte da mãe, há mais de dez anos, e sua relação com o pai é mais que difícil. Em 1964, quando completa catorze anos, ela decide fugir junto com sua babá Rosaleen. Lily sai a caminho de Tiburon, a cidade que parece esconder alguma resposta sobre a vida de sua mãe. Chegando lá, ela e Rosaleen são acolhidas por três irmãs. Aos poucos, Lily descobre um mundo mágico de abelhas, mel e da Madona Negra. Com a ajuda das irmãs Boatwright — August, May e June —, Lily tenta desvendar sua história. Será que ela conseguirá enfrentar os demônios de seu passado e se tornar uma jovem independente?

Título Original: The Secret Life of Bees
Autora: Sue Monk Kidd
Páginas: 232
Tradução: Maria Ignez Duque Estrada
Editora: Paralela
Livro recebido em parceria com a editora
Compre aqui
 
Quando eu tinha uns 14 anos, tive o prazer de assistir ao filme A Vida Secreta das Abelhas, estrelado por Dakota Fanning e Queen Latifah. Não faz muito tempo que descobri ser uma adaptação de um livro de uma autora que gosto muito, Sue Monk Kidd, que também escreveu A Invenção das Asas. Não sei se o livro A Vida Secreta das Abelhas é realmente tudo o que eu falo, mas eu tenho um carinho enorme por ele e gostaria de compartilhar meus sentimentos com vocês. 

A história de Lily Owens se passa da década de 60, na Carolina do Sul, época em que o Movimento pelos Direitos Civis dos negros nos Estados Unidos estava no auge. Essa é uma informação valiosa, pois Lily só consegue sair da sua vida miserável com o pai não fosse sua babá, Rosaleen, que é negra e decidiu se registrar para votar assim que o presidente assinou a lei que garantia seus direitos civis. Obviamente não seria uma tarefa fácil num estado extremamente racista, então as duas se meteram em uma baita confusão e foram presas.

Lily, obviamente, é solta, enquanto Rosaleen fica na cadeia. A menina não aceita tamanha injustiça e, como não tem o apoio do pai (e teve a pior briga de todas com ele) — prefiro nem expressar em palavras o ódio que eu sinto por esse babaca —, resolve fugir, levando a babá consigo após enganar um policial. Então, ambas seguem em direção a Tiburon, uma cidade que provavelmente lhe dará respostas sobre sua mãe, que morreu em um trágico incidente quando Lily ainda era praticamente um bebê.

Em Tiburon, Lily e Rosaleen são acolhidas pelas irmãs Boatwright, August, May e June. Desde o início do livro as abelhas rondam a história, mas é a partir desse ponto que começamos a entender o protagonismo delas. August cria abelhas, é do mel, da cera, que ela tira o seu sustento. Lily se torna a pupila de August, que ensina tudo o que sabe para a menina, que parece ter um talento nato para tratar as abelhas. É só ao lado das irmãs Boatwright que Lily e Rosaleen entendem o que é ter uma família.

A Vida Secreta das Abelhas não é só um livro sobre amor, de uma forma geral. Ele é carregado de mensagens e reflexões, principalmente sobre racismo. Os Estados Unidos eram racistas e são até hoje. Inclusive me veio a lembrança aquele livro, A Resposta — foi adaptado para os cinemas com o nome Histórias Cruzadas —, que também fala sobre negros durante o movimento dos direitos civis nos Estados Unidos, onde ainda existia muita discriminação e segregação racial. Esse tipo de livro mexe muito comigo, porque é real e eu infelizmente não posso mudar o que aconteceu, mesmo tendo a consciência que tenho hoje.

Temas como problemas psicológicos e fé também são retratados aqui de maneira bem forte. May vive em um mundo inteiramente dela e toma as dores do Universo de forma intensa e inexplicável. Isso faz com que ela viva deprimida em um nível difícil de inferir. Gostei da personagem e do peso dela para a história, porque ela é extremamente real. Além disso, fiquei muito admirada e emocionada com a forma que Monk Kidd conduziu a questão da fé aqui nesse livro. Vocês já perceberam que sempre que pensamos em Maria e Jesus, logo vem aquela imagem de dois seres brancos de olhos azuis? Pois para August, May e June, que têm uma religião própria, Maria é negra, o que, para mim, é a imagem real da Virgem. Fiquei muito feliz e emocionada por isso, e tenho certeza que é esse o motivo que faz eu amar tanto A Vida Secreta das Abelhas.

Não é uma história fofa, se é o que vocês estão procurando. É triste e pesada, para falar a verdade. Mas eu amo e indico porque me trouxe um ensinamento que vou carregar para sempre no meu coração: é impossível a gente apagar o passado, mas podemos aprender com ele para seguirmos com a nossa vida em paz.

Postar um comentário

18 Comentários

  1. Mas nossa, não fazia ideia de que esse livro era assim. Minha irmã tinha me falado pra ver o filme, ela ficou doida com essa história. Nunca parei pra ver o que era. Queria ler. Falar sobre racismo e uma trama assim, com uma menina no protagonismo vendo todas essas injustiças, uns tempos mais antigos, me chama atenção. Lembrei de A reposta também. Amei aquele livro e filme, se lembrar do estilo sei que vou adorar esse. Ver umas tramas com jeito real assim sempre pega a gente. De saber que esse tipo de coisa, essas situações revoltantes aconteciam e ainda acontecem faz a gente ficar realmente baqueado. História forte. Nada do que imaginei quando vi minha irmã falando tanto.

    ResponderExcluir
  2. Oiii ❤ Não sabia que esse livro traz tantas reflexões. Mas estou animada por saber disso, já que adoro fazer a leitura de livros assim.
    Gostei que a história se passa numa época onde a luta pelos direitos civis dos negros estava no auge, mas que, infelizmente, o racismo ainda era muito presente. E me agrada o livro abordar o tema.
    Estou curiosa para saber como Rosaleen e Lily encontram as três irmãs, como serão suas vidas a partir daí e para conhecer melhor as moças que as acolhem.
    Gostei que além do racismo, a autora também aborda a fé e problemas psicológicos.
    Vou colocar esse livro na minha lista de leituras.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  3. É um livro tocante, forte que mexe com a gente.
    Lily - que já passou por muita coisa e junto com Rosaleen - que também já sofreu e sofre muito- juntas fogem em busca de um recomeço. E esse recomeço é no lar das Boatwrigt e as abelhas transformam para sempre suas vidas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É lindo demais! É um das minhas histórias preferidas da vida. <3

      Excluir
  4. Amo quando descubro que filmes incríveis são baseados em algum livro.
    Confesso que não assisti esse filme por completo, mas fui tocada pelo pouco que vi. Agora nem quero ver mais, quero é ler.
    E também estou de olho no livro de Histórias cruzadas; precisamos de mais histórias assim.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ana!
    É um daqueles livros para a vida toda, onde vemos o amor aflorado em suas diversas formas.
    É uma leitura reflexiva e profunda.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Fiquei com muita vontade de ler A vida secreta das abelhas pelo protagonismo feminino, além do livro abordar assuntos tão contraditórios como amor/amizade e segregação/discriminação, no contexto da luta pelos direitos civis dos negros nos EUA. Estou muito curiosa para saber o passado da mãe de Lily e se tem algum significado na história, as irmãs Boatwright possuírem nomes de meses ou se é só uma coincidência.

    ResponderExcluir
  7. Eu pude ver o filme duas vezes até o momento, digo isso, pois é um filme que precisa ser revisto assim, direto.rs
    Não sabia do livro,mas acredito que a mensagem seja até mais importante, mais detalhada, mais vivida do que na telinha.
    Não apenas pela busca de respostas,mas por encontrar nestas respostas, motivos para que a vida não pare.
    Essa separação injusta ali, tocável e sendo driblada pelo amor, pela amizade, pela cumplicidade!
    Quero demais poder conferir o livro sim e agora? Rever mais uma vez o filme(e também Histórias Cruzadas, que é incrível)
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu assisti ao filme uma vez só e logo gostei. Faz pouco tempo que descobri que era baseado em um livro, aí num pensei 2x antes de pedir. Engraçado que nos livros a gente consegue ver bem melhor os sentimentos dos personagens, né?

      Excluir
  8. Oi, Ana
    Já assisti o filme algumas vezes e não sabia que tinha livro. Coloquei na lista de desejos é claro.
    Um enredo encantador e triste de uma menina desprezada pelo pai que vai em busca de saber sobre sua mãe.
    Fui rever o trailer para lembrar, quero assistir novamente depois que ler o livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Olá! ♡ Confesso que ainda não tinha ouvido falar desse filme, nem do livro, mas agora quero muito conferir ambos!
    Acho muito importante que livros e filmes abordem temas como racismo e discriminação, esses temas precisam ser trabalhados, pois infelizmente, ainda persistem em nossa sociedade.
    É um livro que parece mesmo muito reflexivo, que marca. O tipo de história tão marcante que fica com a gente, mesmo muito tempo depois de termos concluído a leitura.
    Com toda certeza, vou ler! Obrigada pela indicação!
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  11. Muito lindo o ensinamento que o livro traz. Ja assisti Histórias Cruzadas e posso dizer que é um ótimo filme.
    Fiquei com vontade de ler A Vida Secreta das Abelhas por trazer reflexões e mensagens sobre o rascismo, que é um tema muito importante. Parece ser uma historia triste e marcante. O fato da Lily ver uma família nas irmãs que a acolheram e ter resgatado Rosaleen daquela injustiça, nos mostra a personagem real que ela é.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Uau, que livro. Esses tipos de historia que aborda sobre o racismo naquela época, é muito forte. Eu basicamente quando vejo algo assim ou leio e como se eu se sentisse na pele da pessoa pelo que passa. Gostei bastante do livro, tem uma ótima premissa e com certeza já quero ler. Ah, falando em filme, eu assistir Estrelas Além do Tempo é um filme maravilhoso e que também retrata sobre o racismo no EUA.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  13. Puxa, pensei que fosse uma história super reflexiva e de certa forma com um pouco de aventura. Mas triste e pesada não e a minha praia, pois fico muito impresionada com certas coisas, mas por outro lado tem uma temática forte em relação ao negro, o que é muito importante.

    ResponderExcluir
  14. Olá! Eu juro que quando eu bati o olho no título do livro e li a sinopse imaginei um livro de fantasia do jeitinho que eu gosto. Não conhecia a adaptação cinematográfica do livro - ou se conhecia não lembro de ter assistido. Fiquei interessado pelo livro por ele ser bastante reflexivo e pela sua premissa mas o fato dele ser triste e pesado me deixou com um pé atrás. Vou tentar assistir o filme e, quem sabe, não leio o livro num futuro, né?
    Beijos, ♡.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Ana
    Eu não conhecia essa obra. Mas preciso pra hoje!
    Gosto muito de ler livros sobre racismo, preconceito, etc. Porque apesar de muito triste, é extremamente necessária falar e discutir sobre.
    Essa obra parece ser emocionante e forte, nos transformando após a leitura.
    Vou procurar no kindle, se tiver, já compro o ebook.
    Bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi, Ana!!
    Não assistir ao filme A Vida Secreta das Abelhas, para falar bem a verdade não conhecia esse livro é nem a sua adaptação, mas parece ser uma história bem interessante, e o filme também pois adoro os filmes com a Dakota Fanning e Queen Latifah.
    Bjs

    ResponderExcluir