16 de novembro de 2013

Análise de Série: Maze Runner

Títulos: Correr ou Morrer
  Prova de Fogo
  A Cura Mortal
  Ordem de Extermínio
Autor: James Dashner
Páginas: Total de 1575 páginas
Tradutor: Henrique Monteiro
Editora: Vergara & Riba







Lembre. Corra. Sobreviva.

Essa é a frase que marca uma série em crescimento e com grande potencial. Constituída por uma trilogia inicial e um quarto livro derivado da mesma, a saga se inicia com um garoto chamado Thomas preso dentro de uma caixa metálica e sua única lembrança é o próprio nome. Ele vai parar em um local chamado Clareira onde muitos outros como ele se encontram. Já no início do primeiro livro, chamado Correr ou Morrer, eu me preenchi com uma sensação que não me abandonou durante a leitura deste ou dos posteriores: agonia.

Um minuto se passou. Dois. Ele olhava em todas as direções, mas via apenas a escuridão; apalpou as paredes de novo, procurando um jeito de sair. Porém não havia nada, apenas o metal frio. Gemeu de frustração; o eco de sua voz amplificou-se no vazio, como o lamento fantasmagórico da morte. Os ruídos foram sumindo aos poucos e o silêncio retornou. — Correr ou Morrer

Em Maze Runner o autor cria uma espécie de suspense psicológico e nos leva a sentir o mesmo que o personagem e a querer cada vez mais terminar uma página com o propósito de esclarecer todas as dúvidas. Assim como Thomas, não sabemos onde ele está e do que se tratam todos os desafios enfrentados por ele e os amigos no mundo criado por James Dashner.

O Mundo
                 
Uma coisa que me deixou tão nervoso lendo essa série é que tudo que ocorreu pode acontecer em um futuro não muito distante. A história se passa no nosso mundo, porém com uma realidade muito mais devastadora, tema presente em outras distopias atuais. O que diferencia esse universo de outros é a maneira como o autor tornou a história convincente, criando fatos para explicar como o mundo que conhecemos hoje chegou até ali.

Enredo

Os livros são escritos em terceira pessoa, sendo que Thomas está sempre no centro da obra. No primeiro livro da série tanto ele quanto os outros se focam em fugir da Clareira e para isso eles têm que descobrir o segredo de um labirinto repleto de criaturas perigosas. O que eles e nem nós imaginávamos é que sair daquele lugar era um dos muitos outros testes que viriam pela frente.

Ao longo da trilogia inicial percebemos que a história foi mentalmente construída para afetar não somente quem faz parte dela, mas quem está conhecendo ela. Você acompanha Thomas querendo tanto quanto ele colocar um fim no incômodo criado pela falta de memória e pelo mundo em desastre.

O enredo conta com a presença de tecnologia avançada, um vírus altamente contagioso e que pode levar uma pessoa a um completo estado de loucura e uma organização manipuladora e impiedosa chamada C.R.U.E.L (Catástrofe e Ruína Universal: Experimento Letal).

Personagens
                
Thomas é o personagem principal e tudo gira em torno dele, porém existem outros que são essenciais para o desenvolvimento da história. Teresa, Minho, Newt, Chuck e Brenda foram os que eu considerei mais chocantes e participativos no desenrolar de um ou mais livros.

O protagonista é um personagem complexo, tudo o que vemos vem dele e por isso durante a história podemos acabar sendo influenciados pelos seus pensamentos. Thomas não é meu personagem favorito, na realidade eu não sinto nada por ele além de desgosto. Apesar de ser extremamente inteligente ele age por impulso e por ter passado por momentos difíceis acaba confiando em ninguém além de si mesmo.

Teresa será a única personagem “secundaria” (ninguém aparece sem uma razão na série) que comentarei. Não por ela ser mais importante que os outros, mas porque para mim ela é a personagem mais complexa e também a minha favorita. Para começar ela é a primeira garota a aparecer na Clareira e sua chegada acaba com tudo que os que já viviam ali acreditavam, além disso, ela traz uma mensagem consigo e permanece desmaiada por um longo tempo.  Sabemos que Teresa é especial não somente por ser uma garota, mas também por ela ter uma ligação especial com Thomas. No decorrer da história muitos leitores passam a não gostar tanto de Teresa, mas ainda assim é impossível negar o quanto ela é marcante.

Seus olhos azuis brilhando e olhando para lá e para cá, tendo respirações profundas. Os lábios rosados tremiam quando ela dizia algo baixinho entre os dentes uma e outra vez, de uma forma que era indecifrável. Então disse uma frase, com sua voz rouca e tempestuosa, mas clara.
- Tudo vai mudar agora. — Correr ou Morrer

A série superou minhas expectativas e se tornou a minha favorita desde que a li. Não me decepcionei com a leitura e acho que todos os que leram se surpreenderam com a história. É importante lembrar que o quarto livro, Ordem de Extermínio, se trata de personagens diferentes e em um momento anterior, mas que não deve deixar de ser lido por conter respostas para muitas perguntas criadas durante a trilogia inicial.

2 comentários:

  1. Maze Runner é simplesmente INCRÍVEL e facilmente tornou-se uma das minhas trilogias favoritas!
    Minho e Brenda <3
    Espero ler Ordem de Extermínio logo, porque pelo que ouvi falar, tem muitas respostas e mais detalhes.

    Ótima resenha, twin.

    PS: Já tinha lido antes, sorry caras de mértila :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que não existe nada igual a Maze Runner, hehe. Obviamente todo mundo que ler vai se apaixonar. E obrigado pelo elogio, twin.

      Excluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©