18 de janeiro de 2014

Resenha: Zumbis x Unicórnios

Título Original: Zombies vs. Unicorns
Autores: Libba Bray, Meg Cabot, Cassandra Clare, Kathleen Duey, Alaya Dawn Johnson, Maureen Johnson, Margo Lanagan, Garth Nix Naomi Novik, Diana Peterfreund, Carrie Ryan e Scott Westerfeld.
Organizadoras: Holly Black e Justine Larbalestier
Páginas: 388
Tradutor: Rodrigo Abreu
Editora: Galera Record

Nesta antologia, editada por Holly Black e Justine Larbalestier, diversos contos apresentam fortes argumentos a favor de Zumbis de um lado e de Unicórnios de outro. Os argumentos, que incluem tanto pontos negativos e positivos de cada lado, são expostos por renomados autores, entre eles Cassandra Clare, Meg Cabot e Scott Westerfeld, que deixam clara a preferência por um time ou outro.

Não sei se vocês sabem, mas sou apaixonada por unicórnios. E opa, sou apaixonada por zumbis também. Quando dei de cara com esse livro na livraria da minha cidade, fiquei louca por ele. Infelizmente, ele estava bem carinho e não pude comprar. Mas uma amiga muito querida acabou me dando de presente de natal no ano passado. 

Zumbis x Unicórnios é um livro composto por doze contos de diferentes autores. Como se trata de uma disputa, temos dois times: o Time Unicórnio, liderado pela Holly Black e o Time Zumbi, liderado pela Justine Larbalestier. A partir dos contos, as duas travam uma disputa bastante acirrada para tentar nos convencer a aderir a seu lado.

Antes de cada conto, as autoras fazem uma espécia de introdução, conversando entre si, provocando uma a outra o máximo possível. E devo dizer que a Justine é bem mais ácida e irônica que a Holly, mais fofinha e compreensível. 

Ele gosta de Joy Divison mais do que New Order, tem todos os discos do Sonic Youth e viu você na plateia do último show do Artic Monkeys, embora você estivesse muito chateado para notar qualquer coisa que ão fosse miojo saber queijo que você tinha levado de casa e que era claramente de qualidade inferior.  

Falando sobre os contos, eles são bem diferentes entre si. De zumbis gays e fofos aos tradicionais lerdos comedores de cérebros. De unicórnios assassinos aos famosos seres meigos cheios de arco-íris. 

Se eu tivesse que escolher um conto vencedor para cada time, certamente ficaria com "Love Will Tear Us Apart", da Alaya Dawn Johnson (Time Zumbi) e "Princesinha Bonitinha", da Meg Cabot (Time Unicórnio). Ambos muito divertidos. 

Mas isso era diferente. Esse era um unicórnio majestoso e elegante que tinha quase 2 metros de altura (extremamente alto para um cavalo), com um chifre cintilante de 1 metro de comprimento e olhos lavanda. 
E também, ela peidava arco-íris. Então. 

Apesar do meu conto favorito de todos ter sido sobre unicórnios ("Princesinha Bonitinha", que é todo fofo e engraçadinho), eu sou totalmente Time Zumbi. Isso porque eu gostei mais dos contos de zumbis do que os de unicórnios. Além do mais, o conto da Margo Lanagan do Time Unicórnio, "Mil Flores", me incomodou demais. Fiquei com um pouco de nojinho, para falar a verdade (vocês vão entender assim que terminarem de ler).

Tirando isso, os contos são muito gostosos de ler e a leitura flui bem rápido. Sem contar que a capa do livro é a coisa mais divertida do mundo e a Galera caprichou de verdade na diagramação, que é simplesmente maravilhosa, cheia de detalhes que fazem toda a diferença na hora da leitura.

Classificação Final: 

0 comentários:

Postar um comentário

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©