24 de fevereiro de 2014

Resenha: Pra Ser Sincero

Título: Pra Ser Sincero, 123 variações sobre um mesmo tema
Autor: Humberto Gessinger
Páginas: 304
Editora: Belas-Letras

Em 11 de janeiro de 1985, mesmo dia da abertura da primeira edição do Rock in Rio, Humberto Gessinger subia ao palco do auditório da Faculdade de Arquitetura da UFRGS de cabelo new wave e bombacha, para o primeiro show de uma banda que tinha nascido para durar uma noite só. Era para ter se chamado Frumelo & Os Sete Belos, mas ninguém gostou, então os integrantes da banda resolveram fazer uma brincadeira com os estudantes de Engenharia e os surfistas que frequentavam o bar da universidade, que estava a pelo menos 100 quilômetros do mar. Engenheiros do Hawaii. Vinte e cinco anos depois dessa estreia, Humberto Gessinger – que acompanhou todas as formações desde o primeiro show – lança neste livro seu olhar sobre a trajetória do grupo, sobre cada uma das composições e revela curiosidades e bastidores das gravações. Com fotografias inéditas, informações sobre cada um dos discos, letras comentadas e um diário de 1984 a 2009, Pra Ser Sincero é um livro sobre uma banda que era para ter durado uma noite só, mas que acabou escrevendo um capítulo da história do rock brasileiro, mesmo estando longe demais das capitais.

Engenheiros do Hawaii é uma das minhas bandas nacionais favoritas. Por mais que eu seja suspeita para falar de qualquer coisa relacionada ao Humberto Gessinger e aos EngHaw, decidi que ia expressar minha opinião sobre o livro mesmo assim.

Sou fã da banda e de todos os trabalhos do Humberto há um tempo. Durante esse percurso conheci muitos "de fé" e tive a sorte de uma dessas pessoas especiais dar o PSS123 de presente para mim. Até hoje acho que foi um dos melhores presentes que ganhei...

O livro é escrito pelo próprio Humberto Gessinger. Além de nos mostrar um pouco da sua infância, adolescência e do nascimento de sua paixão pela música, ele nos conta como surgiram os Engenheiros do Hawaii (Frumelo & Os Sete Belos, se dependesse só do HG).

Esse primeiro show parece ter ido bem. Pintaram convites para outras faculdades e alguns bares. A banda que montamos pra durar uma única noite estava virando uma banda pra durar algumas semanas. Já como um trio, tocávamos onde dava pra tocar. Onde não dava, também tocávamos.

Após esse breve apanhado sobre como tudo começou, Humberto narra a história da sua carreira. Desde a primeira formação dos Engenheiros do Hawaii à criação do Pouca Vogal, temos uma análise minuciosa de tudo o que acontece, ano a ano: discos lançados, shows, novas composições, conquistas, derrotas e mudanças.

O subtítulo "123 variações sobre um mesmo tema" provém das 123 músicas que o autor escolhe para fechar o livro com chave de ouro. Algumas das letras vêm com comentários sobre a sua criação ou simplesmente um fato que o HG achou interessante citar.

Adoro desmontar e remontar minhas músicas. Juntar duas em uma, quebrar uma em duas. Deve ser herança da Arquitetura ou das bandas progressivas. Módulos. Tijolos em prédios. Prédios numa cidade.

"Pra Ser Sincero" é, sem dúvidas, o meu livro favorito dentre todos os que o Humberto escreveu até hoje. Também é, na minha opinião, a edição mais caprichada: cheia de fotos lindas. Sem contar a diagramação e acabamento mais que perfeitos.

Leitura essencial para quem quer conhecer um pouco mais sobre a vida, o universo e tudo mais do Humberto Gessinger.

Classificação final: 

0 comentários:

Postar um comentário

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©