10 de outubro de 2014

Resenha: Cartas de Amor aos Mortos

Título Original: Love Letters to the Dead
Autor: Ava Dellaira
Páginas: 344
Tradução: Alyne Azuma
Editora: Seguinte

Tudo começa com uma tarefa para a escola: escrever uma carta para alguém que já morreu. Logo o caderno de Laurel está repleto de mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Heath Ledger, Judy Garland, Elizabeth Bishop… apesar de ela jamais entregá-las à professora. Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sobre sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky. Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era — encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um — é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

"Cartas de Amor aos Mortos" fez um reboliço danado aqui na blogosfera assim que foi lançado. Não bastasse isso para me matar de curiosidade, o livro ainda tem esse título incrível e uma pequena crítica do Stephen Chbosky bem na capa. Acharam pouco? As referências musicais são maravilhosas também, e ficamos sabendo disso antes mesmo de começar a ler. 

Laurel é uma garota de 14 anos que resolve dar uma guinada na vida. Após perder a irmã e ser abandonada pela mãe, Laurel decide mudar para um colégio onde ninguém sabe nada sobre a sua vida, muito menos sobre a morte de May. Não é difícil perceber que a vida da protagonista mudou drasticamente após esse acontecimento. 

Após a mãe se mudar sem ela, Laurel tem migrar entre a casa de sua tia Amy, que é super protetora e possui alguns hábitos bastante peculiares, e a casa do pai, que ainda não superou a separação e a morte da filha mais velha, o que o faz deixar Laurel um pouco de lado. De quando em quanto a garota fala com a mãe pelo telefone.

Um dia, na escola nova, a professora passa um trabalho que consiste em escrever uma carta para alguém que já morreu. O que era para ser apenas uma tarefa escolar, passa a virar hábito na vida de Laurel, que escreve não uma, mas várias cartas para os seus maiores ídolos: Kurt Cobain, Amy Winehouse, Elizabeth Bishop e vários outros. 

Talvez ao contar histórias, por pior que sejam, não deixemos de pertencer a elas. Elas se tornam nossas. E talvez amadurecer signifique que você não precisa ser personagem seguindo um roteiro. É saber que você pode ser a autora.

O livro é narrado em primeira pessoa e em forma de cartas. Apesar de não serem destinadas para mim, senti como se Laurel estivesse me contando seus segredos mais profundos, e não para pessoas que nunca leriam suas cartas. Durante esses "desabafos", conseguimos conhecer um poco mais sobre a personagem principal e todas as suas angústias. 

Laurel fala muito sobre sua irmã mais velha, a May, nas cartas, sobre o que ela significou na vida da protagonista. Na verdade, eu senti o tempo todo que Laurel era apenas uma sombra da May. Explicando melhor, Laurel colocava a menina em um pedestal e queria porque queria ser exatamente como ela. Além disso, ela deixa a entender que a mais velha era a favorita e, mesmo que não demonstrasse, tenho certeza que isso a magoava. 

É claro que o assunto retratado nas cartas não era só esse. Laurel contava bastante sobre o seu dia-a-dia, sobre as amizades que fez na escola nova, uma galerinha bem diferente, mas muito bacana, sobre Sky, o garoto misterioso por quem ela sente uma forte atração desde o primeiro dia que o vê... Sobre como essas amizades e o romance foram evoluindo.

Apesar da previsibilidade da história, eu amei. Amei de verdade. Vocês sabem como eu gosto de um bom drama, e nisso Ava Dellaira não deixa nada a desejar. Com uma narrativa impecável, ela mostra bem a fundo como é a sensação de perder alguém e como isso pode ser superado com a ajuda dos amigos e das pessoas que amamos. 

Classificação final: 

5 comentários:

  1. Olááá
    Comprei o livro, mas ainda não o li, porém, quero ler em breve com certeza, pois estou com altas expectativas sobre a história, apesar de ter visto muitas críticas negativas e poucas positivas como a sua, mas fico feliz que tenha gostado e espero gostar tanto quanto você.
    Ótima resenha

    Beijão
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/10/22-filmes-que-valem-por-um-chocolate.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Catharina!

      Ai, espero que você goste também.
      Também li muitas críticas negativas, mas acho que no meu caso li tantas positivas quanto.

      Beijo!

      Excluir
  2. Oie Ana
    eu amei esse livro. E o segredo da Laurel superou a previsibilidade da obra. Além disso, me deliciei com as muitas referências musicais.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jacque!

      Eu gostei bastante também.
      Engraçado... Foi justamente o segredo dela que eu achei meio previsível.
      As referências são incríveis mesmo, né?

      Beijo!

      Excluir
  3. Olá!

    Ana, você não sabe como eu amei esse livro ♥
    Apesar de ter achado o começo do romance meio bléh, gostei muito (oooo) do livro.


    Beijos,
    http://voceetaolivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©