25 de julho de 2015

Resenha: Eu Te Darei o Sol

Título Original: I'll Give You the Sun
Autora: Jandi Nelson
Páginas: 384
Tradução: Paulo Polzonoff Junior
Editora: Novo Conceito
Livro recebido em parceria com a editora.

Noah e Jude competem pela afeição dos pais, pela atenção do garoto que acabou de se mudar para o bairro e por uma vaga na melhor escola de arte da Califórnia. Mal-entendidos, ciúmes e uma perda trágica os separaram definitivamente. Trilhando caminhos distintos e vivendo no mesmo espaço, ambos lutam contra dilemas que não têm coragem de revelar a ninguém. Contado em perspectivas e tempos diferentes, EU TE DAREI O SOL é o livro mais desconcertante de Jandy Nelson. As pessoas mais próximas de nós são as que mais têm o poder de nos machucar.

De todos os lançamentos da Novo Conceito para junho, o que eu mais queria ler era Eu Te Darei o Sol, sem sombra de dúvidas. Confesso que enrolei um pouquinho para começar por causa do tamanho do livro e, obviamente, a minha total falta de tempo. Apesar de já ter ouvido falar de O Céu Está em Todo Lugar, nunca tinha vontade de ler algo da Jandy Nelson até a editora anunciar esse livro aqui. O livro é bom,  mas com algumas ressalvas.  

Nessa obra, somos apresentados aos irmãos gêmeos Noah e Jude. Apesar de serem inseparáveis, sentem bastante inveja um do outro, competem pela atenção dos pais (principalmente da mãe) e disputam uma vaga em uma escola de arte muito bem conceituada da Califórnia, apesar de só Noah desejar verdadeiramente tal vaga. Os capítulos são alternados entre os dois, mas com uma peculiaridade: a narração é feita em tempos diferentes. Jude narra o presente, com 16 anos, e Noah o passado, aos 13 anos. 

Apesar de serem irmãos, várias coisas acontecem e eles simplesmente param de se falar. Alguns desses acontecimentos podem até parecer pequenos e bobos na visão de alguns, mas fizeram diferença por terem se acumulado por tanto tempo. Além do mais, há um evento realmente muito forte que foi o estopim da indiferença entre Noah e Jude. A narração de ambos nos leva a várias respostas que desejamos desde o início.

— Platão falou sobre coisas que existiam e que tinham quatro pernas, quatro braços e duas cabeças. Eram coisas únicas, estáticas e poderosas. Poderosas demais, então Zeus as cortou pela metade e espalhou as metades pelo mundo, para que os humanos estivessem para sempre fadados a procurar suas metades, a metade com a qual compartilham a própria alma. Somente os humanos mais sortudos encontram suas metades, sabe? (págs. 337 e 338)

Comecei a ler esse livro sem esperar nada dele. No início fiquei bastante irritada com o tamanho dos capítulos (na verdade fiquei irritada com isso o livro inteiro, mas...), todos com mais de 70 páginas. Porém, o livro é tão cativante que esse fato não deixou a leitura tão cansativa como achei que seria. A história dos irmãos, além de ser muito bonita, dá aquele gostinho de quero mais. Cada vez que a narrativa de um dos dois era interrompida, eu ficava ansiosa para saber o resto da história. Cada um contava um ponto diferente, o que deixou tudo muito mais interessante. 

Os personagens são um capítulo a parte. Tanto Noah quanto Jude possuem uma característica que os tornam especiais. Sou suspeita para falar do Noah porque ele é exatamente o tipo de personagem que eu adoro, super fofo e sensível. Gosto muito da Jude também, é super autêntica e animada, mas não concordo com muitas atitudes dela (não que o Noah seja totalmente inocente). Toda a arte e ambiente artísticos contidos no livro também acabam se tornando personagens, de tão importante que são, e eu adorei.

O tempo inteiro, enquanto lia, não deixava de imaginar o quando Eu Te Darei o Sol daria um filme perfeito. A adivinhem só? De acordo com o Deadline a Warner adquiriu os direitos para o filme, mal posso esperar para assisti-lo. O livro é tão maravilhoso que anotei vários trechos (na verdade teria marcado o livro inteiro, mas pra isso mesmo é que eu o tenho, hahahaha). Se não fossem os tais capítulos gigantes, com certeza seria um cinco estrelas.


Classificação final: 

3 comentários:

  1. Olá, Ana!
    Vou ter que adiantar essa leitura para antes do filme.
    Ótima resenha!

    SUA ESTANTE
    Gatita&Cia.

    ResponderExcluir
  2. Oi Ana, como você viu na minha resenha esta questão dos capítulos me deixou bem traumatizada huahuahahua, porém você tem razão, apesar dessas ressalvas o livro é bastante interessante. E sim, os personagens são tão característicos e autênticos como a muito tempo eu não via. Terminei essa leitura apaixonada e mal posso esperar pelo filme!

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana, como você viu na minha resenha esta questão dos capítulos me deixou bem traumatizada huahuahahua, porém você tem razão, apesar dessas ressalvas o livro é bastante interessante. E sim, os personagens são tão característicos e autênticos como a muito tempo eu não via. Terminei essa leitura apaixonada e mal posso esperar pelo filme!

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©