13 de julho de 2016

Resenha: Holy Cow, Uma Fábula Animal

Uma aventura irreverente e itinerante com muita personalidade, e uma heroína quadrúpede que você não vai esquecer tão cedo. Elsie Bovary é uma vaca muito feliz em sua bovinidade. Até o dia que resolve sair sorrateiramente do pasto e se vê atraída pela casa da fazenda. Através da janela, observa a família do fazendeiro reunida em volta de um Deus Caixa luminoso – e o que o Deus Caixa revela sobre algo chamado “fazenda industrial” deixa Elsie e tudo o que ela sabia sobre seu mundo de pernas para o ar. A única saída? Fugir para um mundo melhor e mais seguro. Assim, um grupo para lá de heterogêneo é formado: Elsie; Shalom, um porco rabugento que acaba de se converter ao judaísmo; e Tom, um peru tranquilão que não sabe voar, mas que com o bico consegue usar um iPhone como ninguém. Munidos de passaportes falsos e disfarçados de seres humanos, eles fogem da fazenda e é aí que a aventura deles alça voo – literalmente. Elsie é uma narradora marrenta e espirituosa; Tom dá conselhos psiquiátricos com um sotaque alemão um tanto forçado; e Shalom, sem querer, acaba unindo israelenses e palestinos. As criaturas carismáticas de David Duchovny indicam o caminho para um entendimento e uma aceitação mútuos dos quais esse planeta tanto precisa.

Título Original: Holy Cow, a Modern-day Dairy Tale
Autor: David Duchovny
Páginas: 206
Tradução: Renata Pettengill
Editora: Record
Livro recebido em parceria com a editora. 

Uma fábula tem duas características principais e muito bem definidas: os personagens são animais que agem e pensam como seres humanos; e a construção da narrativa culmina em alguma mensagem moral. Por isso mesmo são mais voltadas para o público infantil ou infanto-juvenil. Mas não só. É o caso da obra do ator David Duchovny, Holy Cow.

Apesar dos personagens principais do livro serem animais, a mensagem entregue abrange todas as idades. A narrativa simples, recheada de piadas baseadas na cultura pop, além de referências diretas a outras obras literárias, pode ser compreendida pelo mais novo leitor, bem como apreciada pelos mais velhos.

Em resumo, a moral gira em torno de como o abate de animais, no mundo atual, atingiu níveis absurdos de crueldade. Usando a vaca Elsie como protagonista, Duchovny intercala a aventura com informações de como os animais são tratados à base de reprodução acelerada, sem respeitar qualquer limite de dignidade perante um ser vivo.

Elsie, a vaca, Tom, o peru, e Jerry, ou Shalom, o porco, são personagens divertidos, que cativam rápido e possuem, cada um, uma personalidade bem distinta e engraçada. Os diálogos são inspirados, e as soluções que encontram para os problemas que enfrentam na viagem são hilários de tão absurdos.

Holy Cow é uma fábula com uma didática simples, que não possui nenhuma característica que demonstre se o autor possui habilidade para elaborar algo mais complexo. As piadas, embora engraçadas, enveredam pelo caminho da obviedade e não apresentam uma real novidade. Mesmo assim, a obra serve, com certeza, como alerta para os mais novos de como estamos nos tornando pessoas insensíveis e desinteressadas sobre como o alimento chega às nossas mesas. Ao mesmo tempo, puxa as orelhas dos mais velhos, para que tomem uma providência para amenizar a comercialização de carne animal.

Classificação final: 
Resenha por: Carlos Barros

5 comentários:

  1. Eu já tinha ouvido falar desse livro e achei super interessante,ainda mais pela protagonista ser um animal,e parece ser uma estória bastante engraçada e diferente.Fiquei curiosa e é sempre bom diversificar nossas leituras de vez em quando.Sem deixar de mencionar a capa que é bem fofinha haha.Ótima resenha,bjss!

    ResponderExcluir
  2. Apesar do livro não aborda nada surpreendente, ou que te prenda a leitura, mesmo assim me interessei pela leitura do livro, principalmente por parecer que a trama e engraçada e divertida, e isso de certa forma faz com que a gente saia dos gêneros comuns e dê chance para outros estilos de leitura, já vou incluir essa leitura na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  3. Nunca li nenhuma obra deste autor, Holy Cow me parece bem atrativa (Só o nome já é um pouco engraçado), não sou muito habituado a ler fabulas com frequência e acho que apreciar este livro seria uma boa. Em relação a resenha, gostei bastante das informações, eu leria este livro baseado aqui, acredito que o autor atingiu o objetivo.

    ResponderExcluir
  4. Oi Carlos,
    Achei a capa fofinha assim que vi haha, MAS pra ser sincera, nem tive a curiosidade de ler a sinopse, então nem sabia do que se tratava. Embora, fábulas não seja meu gênero favorito, achei interessante tratar desse nosso "desinteresse" sobre como os alimentos de origem animal chegam às nossas mesas.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  5. Fiquei bem interessada pelo fato de ser uma fábula, e por falar sobre o abate de animais. Não lembro de ter lido nada assim ultimamente!
    Abraços!

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©