13 de fevereiro de 2017

Resenha: Sway

Sway é o apelido de Jesse Alderman, por causa de seu talento para conseguir qualquer coisa para qualquer pessoa, como providenciar trabalhos escolares, fazer com que pessoas sejam expulsas da escola, arrumar cerveja para as festas, entre outras coisas, legais ou ilegais... É sabendo dessa fama que Ken Foster, o capitão do time de futebol da escola, pede a ele um trabalho controverso: Ken quer que Bridget Smalley saia com ele. Com seu humor ácido e seu jeito politicamente incorreto de ver a vida, Sway terá que encarar o trabalho mais difícil que já teve: sufocar todos os sentimentos que Bridget desperta nele, a única menina verdadeiramente boa que ele conheceu em toda a sua vida.

Título Original: Sway
Autora: Kat Spears
Páginas: 256
Tradução: Santiago Nazarian
Editora: Globo Alt
Livro recebido em parceria com a editora

Sway te ajuda a ganhar dinheiro e o dinheiro te ajuda a ter sway. Mas way não é dinheiro.

Sway é o apelido de Jesse Alderman. Um jovem negociante que consegue tudo dentro e fora da lei. Expulsar alunos, drogas, cerveja, trabalhos escolares são fichinha para o requisitadíssimo aluno da Wakefield High School. Dono de uma personalidade forte recheada de sarcasmo e rancor familiar, a história não poderia ter um meio diferente: uma garota surge sob condição improvável e o faz repensar toda a sua postura desde a morte de sua mãe.

Bridget Smalley é como um raio de sol: estonteante, amável e aquece os corações mais frios. A típica mocinha boa que não permite tristeza nas passagens do livro que lhe pertencem. Entretanto, o envolvimento da mesma com Sway é perigoso.  Ken Foster, o capitão do time de futebol, convoca o negociante para que possa finalmente receber um sim da senhorita. Tramando de todas as formas para descobrir e conhecê-la afim de deixar seu cliente satisfeito, acaba tendo seu coração invadido por Bridget.

No mundo real, a Bela não se apaixona pela Fera e vive feliz para sempre. No mundo real, a Fera transa com a Bela. A Fera quebra o coração da Bela. A Bela entra num comportamento autodestrutivo como dormir demais nas aulas da faculdade, aumentando assim o impacto emocional causado pela Fera. 

A premissa simples não dá as dimensões maravilhosas e viscerais que o livro pode atingir. Passeando por casas de traficantes, becos repletos de violência, festas universitárias regadas a drogas lícitas e ilíticas, Sway narra em primeira pessoa sua indiferença ao mundo. Personagens indiferentes são meus favoritos, porque quando eles finalmente se importam, é pra valer. E isso acontece quando o protagonista conhece Pete Smalley, irmão com paralisia cerebral de Bridget.

A forma como a amizade dos dois se desenrola e como se tornam quase parceiros nos crimes é incrível. Pete faz-se de coitado, mas Sway é impassível. Isso é contagiante e ao mesmo tempo triste. Nada parece derrubar seus muros, apesar que todos tentem. Joey, sua melhor amiga da escola  tentou; seu pai, o músico falido tentou; os irmãos Smalley tentaram. Parece impossível.

- Qual é a merda da diferença? Todo mundo está fazendo showzinho o tempo todo. Ninguém é real. Talvez você não possa esconder as coisas sobre si como o jeito que você anda ou fala, mas todo mundo está mentindo o tempo todo sobre quem você é, o que sente. 

Mas depois de tudo que ocorre entre Bridget e Sway ele parece sucumbir e se permite ser mais humano. A partir daí, as confusões começam e o clímax do livro me tirou o fôlego e me fez gritar inconscientemente. Kat Spears sabe como surpreender. O final já era esperado, mas o caminho rápido e tortuoso que ela criou tornou Sway um dos meus livros preferidos.

A complexidade da trama adolescente, a ambientação, as referências musicais e de cultura pop, as respostas intensas de Sway e sua inteligência brilhante... São apenas algumas das razões da minha paixão por este livro. 

12 comentários:

  1. Se me lembro é a primeira resenha q leio da obra... Gostei bastante!
    Não conheço a escrita da autora, mais um motivo pra querer ler...
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Oi! Nunca ouvi nada a respeito do livro, mas já estou super curiosa para saber se Sway consegue fazer com que Bridget saia com o capitão do time de futebol. Adorei a resenha. Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Não tinha lido outra resenha do livro, achei a premissa bem clichê com o mocinho problemático e a mocinha certinha que o ajuda. Porém, parece ter sido bem desenvolvido. Imagino o quanto o livro deve passar mensagens ao tratar de problemas adolescentes.

    ResponderExcluir
  4. Não conhecia o livro e confesso que é raro eu ler algo adolescente assim. Apesar de enxergar os pontos positivos na resenha, ainda assim não me interessei

    ResponderExcluir
  5. Oi, Mylane!!
    Nunca ouvi falar do livro mais adorei a resenha dele!! A premissa da história é muito diferente de tudo que já li!! Parece aqueles livro que você ama ou odeia!!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  6. Oi Mylane!
    É a primeira vez que leio uma resenha desse livro. Embora talvez a premissa um pouco cliché, parece que ao longo da trama a história foge um pouquinho do comum e a autora soube bem trabalhar os personagens. Fiquei curiosa para saber se Sway irá mesmo entregar Bridget para o capitão do time de futebol ou se irá se render aos encantos dela.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Olá. com uma trama ousada e personagens cativantes essa autora já me conquistou apenas com essa sinopse. ADORO quando há referências culturais nos livros. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Uau! Que história interessante de verdade, vou ler sim! Amei da capa a resenha. Essa capa ta maravilhosa, a sinopse me cativou muito e a resenha mais ainda. Não tem como não ler, estou louca para saber como Sway consegue tudo, alguma coisa de diferente ele tem!

    ResponderExcluir
  9. Mylane!
    Uma pena Sway ser tão inteligente, mas usar essa inteligÊncia para o lado 'criminoso'.
    Fico na expectativa que Bridget finalmente consiga mudar um pouco a vida desregrada do rapaz, já que tantos já tentaram e não conseguiram, quem sabe o amor o faz mudar?
    Desejo uma semana repleta de realizações!
    “O saber é saber que nada se sabe. Este é a definição do verdadeiro conhecimento.” (Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de FEVEREIRO, livros + KIT DE MATERIAL ESCOLAR e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  10. Confesso que pela capa não daria muito pelo livro, mas após ler a resenha minha opinião mudou. Fiquei impressionada com o potencial de Sway , pena não saber aproveitá-lo com coisas boas, mas mostra nossa realidade pois acontece muitos dessas coisas nas escolas.

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Esse livro me deixou bem curiosa, achei o enrendo dele diferente e acabou me chamando atenção, achei interessante esse mundo que o livro nos apresenta e principalmente o Sway que parece um personagens bem intrigante, se tiver oportunidade com certeza irei ler esse livro !!

    ResponderExcluir
  12. Achei a personalidade de Bridget bem clichê, nossa a tipica garota perfeita, amável do mundo. Já Sway, acredito que sua personalidade será justificada no decorrer do livro, já que é quase impossível não ter motivos pra eles ser tão intenso. Só espero muito que esta obra não seja muito clichê, pois parece ser realmente boa e não quero me decepcionar

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©