22 de abril de 2017

Resenha: A Última Camélia

Às vésperas da Segunda Guerra Mundial, o último espécime de uma camélia rara, a Middlebury Pink, esconde mentiras e segredos em uma afastada propriedade rural inglesa. Flora, uma jovem americana, é contratada por um misterioso homem para se infiltrar na Mansão Livingston e conseguir a flor cobiçada. Sua busca é iluminada por um amor e ameaçada pela descoberta de uma série de crimes. Mais de meio século depois, a paisagista Addison passa a morar na mansão, agora de propriedade da família do marido dela. A paixão por mistérios é alimentada por um jardim de encantadoras camélias e um velho livro. No entanto, as páginas desse livro insinuam atos obscuros, engenhosamente escondidos. Se o perigo com o qual uma vez Flora fora confrontada continua vivo, será que Addison vai compartilhar do mesmo destino?

Título Original: The Last Camellia
Autora: Sarah Jio
Páginas: 320
Tradução: Ana Paula Mello
Editora: Novo Conceito
Livro recebido em parceria com a editora 

A Última Camélia é um romance de tirar o fôlego que se passa em décadas diferentes, onde as protagonistas acabam se interligando por algo que mudou a vida de uma e poderá mudar a vida da outra. O livro possui 320 páginas, alternando os capítulos entre passado e presente, cada um referente à uma personagem.

No ano de 1940, temos a jovem Flora Lewis, filha de um casal humilde, donos de uma padaria pequena na cidade onde moram. Ela gosta de flores e seu sonho é trabalhar no Jardim Botânico de Londres — até surge uma oportunidade de emprego na tão sonhada cidade, contudo é totalmente diferente do que ela pretendia para seu futuro, mas que pode ajudar seus pais a saírem das dívidas. Como uma boa filha que é, a moça acaba aceitando o emprego que lhe custará caro no futuro.

Flora consegue seu novo emprego na Mansão Livingston, onde trabalhará como babá de algumas crianças que, no começo, são mal-educadas mas mudam seu comportamento ao conviver com a moça. Na verdade, o real trabalho da protagonista é encontrar uma flor da espécie das camélias que leva o nome do livro. Flora foi contratada por um ladrão de rosas para tal feito. 

No presente, décadas depois, temos o casal Addison e Rex Sinclair. Ela trabalha como botânica, construindo e montando jardins, enquanto o marido é escritor. O plot nesse caso é o fato de Addison tem um passado que lhe atormenta até os dias atuais. O casal, sendo coincidência ou não, acabam resolvendo passar um tempo na Mansão Livingston, que foi comprada pela família há algum tempo. O curioso é que a governanta da mansão se recusa a sair de lá e logo descobrirão que não é porque a mulher é uma velinha caduca...

A Última Camélia foi uma leitura empolgante, emocionante e que me deixou boquiaberta com o andar da situação. A cada novo capítulo a autora trazia novidades que eram de tirar o fôlego. Todos os acontecimentos são sensacionais e intricados, os diálogos são super bem construídos, o passado e o presente se interligam de uma maneira simples, mas ao mesmo tempo incríveis.

As personagens principais são mulheres fortes e decididas que conseguem se manter firmes mesmo com todos os problemas que têm. A ambientação da história é maravilhosa, principalmente em se tratando do jardim da Mansão Livingston, que é tão vivo que pode ser confundido facilmente com um personagem. O desfecho do livro é totalmente coerente e me impressionou bastante.

Não conhecia a autora e sua escrita, recomendo para quem gosta de romance com aquela pequena pitada de mistério, lembrando que o enredo alterna passado e presente. A Última Camélia é um livro impactante que a cada novo capítulo me trazia grandes emoções e novas descobertas.

16 comentários:

  1. Oii! Por essa capa linda eu já leria, é linda!
    Gostei mto do enredo tbm, vou qrer conhecer!!
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Lari!
    Uma das características da escrita da autora, é justamente criar duas histórias em épocas diferentes e depois acabar juntando ambas e dar um final fenomenal.
    Já li outros livros dela e gostei te todos, agora quero ler esse.
    Bom final de semana!
    “Preferi sempre a loucura das paixões à sabedoria da indiferença.” (Anatole France)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP COMENTARISTA ABRIL especial de aniversário, serão 6 ganhadores, não fique de fora!

    ResponderExcluir
  3. Pretendo ler esse livro, achei misteriosa essa mansão e essa flor então nem se fala, fiquei intrigada também com a governanta que segredos ela deve guardar para se manter até hoje na mansão, me deixou ansiosa pela leitura essas questões.

    ResponderExcluir
  4. Lari, diferente de você, eu já conheço a escrita da autora. Conheci através do livro O Bangalô e foi uma das maiores surpresas que tive, pois ele se torou uma das melhores histórias que li na vida! Perfeito! Portanto, quando vi este novo livro da autora, o desejei no mesmo instante, mas infelizmente ainda não tive o prazer de ler.
    Fiquei extremamente feliz quando vi que mais uma vez Sarah Jio nos presenteia com uma belíssima história que mescla o presente e passado de mulheres fortes e marcantes. Cada palavra dita na sua resenha, aumentou as minhas expectativas que antes já eram enormes! Lerei com toda certeza.
    Bjos!

    ResponderExcluir
  5. Essa capa chama muito a atenção, achei divina <3
    E quanto a história, parece ser bem delicinha e envolvente.
    Curto quando mesclam o passado e o presente e tenho certeza que a autora arrasou nessa construção.
    Gosto bastante da escrita dela, adorei os livros que já li, e sinto que vou gostar bastante desse.
    Parece ser bem apaixonante, como os outros.
    Beijos,
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  6. Eu sou apaixonada pela escrita dessa autora e estou bem curiosa acerca dessa nova história. Achei a premissa bem interessante e conclui a resenha certa de que é uma ótima leitura para quem procura um romance repleto de mistérios, que alterna o presente com o passado, com personagens incríveis e fortes e um final surpreendente.
    Leitura recomendada, leitura anotada.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Lari!
    Tenho interesse em um anterior da autora, Neve na Primavera, e agora esse mais novo também muito me atraiu por esse plot de mistério que tem uma vibe bem próxima, ao menos pelo o que pude notar pela resenha, com a do livro A Garota do Penhasco, da Lucinda Riley, que também mistura narrativas de tempos diferentes de várias gerações de duas famílias. Instigante saber qual o valor da então camélia no enredo, e ainda que não esteja entre as prioridades atuais, espero ler o livro um dia e conhecer mais a fundo o enredo, bem como, principalmente, a escrita tão elogiada da autora.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br ♥
    ♥ DandoUmadeEscritora.blogspot.com.br ♥

    ResponderExcluir
  8. Oi Lari.
    Depois da sua resenha fiquei super animada para conhecer esse livro adoro personagens fortes e decididas e o fato de quem rosas no livros me anima muito.
    E quem não gosta de ler livros com diálogos bem construídas né, adoro ler livros que se passam em séculos passado, eu ainda acho que nasci no século errado tá (risos) estou simplesmente encantada por essa capa e preciso ler esse com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Adoro livro com protagonistas mulheres, sendo de uma escritora mulher melhor ainda. Parecem personagens fortes e bem construídas, muito boa a resenha, me deu vontade de desvendar o mistério que ultrapassa gerações.

    ResponderExcluir
  10. Eu amei a capa da ao leitor a sensação de uma história tranquila a autora ainda não li nenhuma obra e já li comentários super positivos a respeito do livro pretendo ler em breve o gênero me interessou .
    Abraços!!!

    ResponderExcluir
  11. Oi Lari, tudo bem Flor?
    Eu gosto muito quando o autor consegue trabalhar com histórias em épocas diferentes, interligando as duas de forma que se mesclem e façam todo sentido. Confesso que quando eu vi esse livro pela primeira vez, não vi graça nele, mas ele foi me ganhando aos poucos e agora estou louca para ler.
    Beijokas
    Quanto Mais Livros Melhor

    ResponderExcluir
  12. Oi Lari!
    Gostei dos seus comentários sobre a dinâmica da narrativa, mas acho que pela sinopse não é o tipo de livro que eu iria gostar de ler.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi, Lari!!
    Nossa nunca iria imaginar uma história dessa, fiquei bem curiosa para saber o que aconteceu com as protagonistas desse livro!! Amei a indicação de leitura!!
    Beijoss

    ResponderExcluir
  14. Mas gente ... Toda vez que eu olhava pra esse livro imaginava um senhor romance água com açúcar, a capa sugere super isso então eu fiquei bem chocada quando vi o primeiro enredo do livro. Eu agora estou bem animada em relação a leitura e vou dar uma chance a esse livro. Obrigada pela leitura.

    ResponderExcluir
  15. Oi Lari,
    Sei que Sarah Jio já é conhecida no Brasil por outra obra (O Bangalô), mas ainda não conheço sua escrita. Geralmente livros com esta temática, onde se conta a história de dois personagens em épocas diferentes, não me chamam atenção. O diferencial desta livro é que a autora está propondo um suspense em meio a dramas familiares e romances e, isso, é algo que pode deixar a leitura mais envolvente.

    ResponderExcluir
  16. Fiquei tão empolgada com a resenha que mal posso esperar para ler o livro! Adoro quando os capítulos vão se alternando entre duas histórias interligadas...

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©