29 de maio de 2017

Resenha: Mas Você Vai Sozinha?

Mulheres que viajam sozinhas com certeza já ouviram essa pergunta. Seja em outro continente ou na cidade vizinha, é sempre um ato de coragem decidir conhecer um lugar por conta própria. Neste livro, Gaía Passarelli fala com sinceridade e bom-humor sobre suas aventuras sozinha pelo mundo. Ela não vai te dizer pra largar tudo e sair por aí, nem te dar dicas de como ser cool em Nova York. Estas são histórias sobre ser consolada por um xamã andino, molhar os pés nas águas do mar do extremo sul da Índia e dormir debaixo de uma mesa de bar no Texas. É sobre viajar e voltar pra casa. Acima de tudo, este é um livro que fala sobre ser mulher e, ao mesmo tempo, ser livre pra viajar por aí sem companhia, sem medo e sem preconceito.

Título Original: Mas Você Vai Sozinha?
Autora: Gaía Passarelli
Páginas: 176
Editora: Globo Livros
Livro recebido em parceria com a editora

Confesso que Mas Você Vai Sozinha? é um livro totalmente contrário as minhas expectativas iniciais, mas que por fim, me marcou e passei a semana inteira compartilhando cada parte da leitura em minhas redes sociais. Além do imaginado conjunto de dicas e relatos de experiência, é também um retrato de sua autora, Gaía Passarelli — ex VJ da MTV, jornalista musical, escritora de viagem e apresentadora de projetos. 

Inicialmente, pensava que o livro seria um guia para mulheres que desejassem viajar mundo afora apesar de carregarem o rótulo de sexo frágil e das várias imposições que o mundo machista impõe sobre este hobbie. Nossa, como eu estava enganada! A cada página, meu envolvimento com as desventuras e aventura de Gaía só aumentava e eu realmente sigo desejando um tempo de sua agenda só para ouvi-la contar pessoalmente cada caso. Sem dúvidas, eis na autora que se encontra o sucesso desse ousado não-ficção. 

Gaía é uma mulher forte, de muitos amores, viagens, sonhos, desejos, tatuagens e um belíssimo estilo que não passa despercebido. Sua sagacidade, desprendimento e feminismo são visíveis em cada linha do texto. Impressionou-me a maneira como conseguia narrar da forma mais engraçada e natural possível episódios que certamente foram muito tristes ou muito desesperadores quando vividos ou recordados. Sinto que ainda não estou pronta para ser correspondente de uma revista em um país desconhecido, mas suas dicas e crônicas são minimamente inspiradoras. 

Pude ouvir o xamã suspirando. Claro que tem. Sempre tem "essa pessoa". Esquimós, poloneses, quenianos, guerreiros, refugiados de guerra, rainhas: todo mundo tem alguém que foi embora, que não ligou de volta, que mentiu. A dor do coração partido não respeita nacionalidade, raça ou classe social. Acontece com todo mundo, em todo lugar. Um coração partido é universal.

É incrível a capacidade da autora de transportar o leitor a qualquer lugar e época sob uma óptica feminina, brasileira e ao mesmo tempo universal. Essa excentricidade de um ser global é a marca dela impressa e vívida dentre as páginas. Partindo daí, drogas lícitas e ilícitas, bem como a diversidade sexual são postas em seu texto com naturalidade e sem tabus. 

Mas nem só de Gaía se faz Mas Você Vai Sozinha?. Suas companhias de viagem acrescentam brevemente ao enredo de cada crônica (assim as chamo, pois são relatos bem parecidos com este gênero textual) e os lugares são narrados de forma visceral. Nunca havia lido uma visão de Veneza sem sentir os suspiros nas entrelinhas. Claro, eles existiram, mas não em uma escala que impeça o leitor de imaginar a cidade como um local onde as pessoas trabalham e fogem constantemente de inundações. 

O posicionamento com o aumento do número de viagens tornam os próprios relatos mais claros e mais indicados a serem seguidos. Os perrengues sempre acontecem, mas o jogo de cintura ganha-se com a experiência e a simplicidade de turismo que só um viajante possui. 

Afora, devo explicar porque todas as mulheres devem ler este livro. Claro, homens também devem! Mas ainda sinto um receio pessoal e nas outras mulheres em viajar, ou até mesmo em pequenos passeios. O machismo e a violência contra a mulher estão em todos os lugares, mas nem por isso devemos nos privar de conhecer o mundo e fazer aquilo que nos convém. Essa mensagem é reproduzida ao final de cada capítulo e sua enfatização me deixou mais corajosa para a próxima viagem!

Detalhes da edição
Toda a edição é super caprichada e a capa é emborrachada

Sumários são sempre bem-vindos

O livro possui fotos da autora. Algumas são nostálgicas, bem 90's

Iustrações lindíssimas com frases em tipografias igualmente maravilhosas

No final de cada capítulo, estão algumas dicas sobre a viagem narrada

Por fim, o que eu amei assim que peguei o livro: as mulheres feministas maravilhosas que comentaram o livro na orelha e contracapa!

14 comentários:

  1. Oi Mylane,
    Sempre quis fazer grandes viagens, muitas delas sozinhas, mas me sentia e ainda sinto intimidada, pois na minha cabeça mulher viajar sozinha não é muito "legal ou seguro", coisas que me foram impostas desde muito cedo pela sociedade. Mas Você Vai Sozinha? é um livro que trás a realidade de uma mulher que já passou pela experiência, mas que não quer nos empurrar histórias fantasiosas de que fazer uma viajem sozinha é a melhor experiência que alguém pode ter. Definitivamente é um livro que se eu visse em uma livraria não iria nem pegar para ler a sinopse, mas sua resenha me deixou bem interessada em fazer esta leitura.

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Não conhecia o livro, achei mto bacana o assunto ser desenvolvido dessa maneira bem detalhada, adorei as ilustrações tbm, qro conhecer mais sobre o livro, vou anotar na listinha sim...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Humm, mas parece que a leitura é bem diferente do que pensei que seria. Vi esse livro e não dei muita atenção por pensar que era de um jeito. Mas parece que é muito mais legal do que imaginei.
    Quem é mulher sabe como é esse receio de fazer viagens sozinha e os perigos e medos que a gente fica ali imaginando que vai passar. É complicado. Mas parece um bom livro pra se ler e ver essas situações sendo faladas, a experiência e o que se está perdendo, acho...Poder conhecer um pouco do que se aprende com isso, os lugares e as pessoas, culturas...
    Ele parece bom pra dar uma coragem, não deixar que o medo impeça a gente de fazer certas coisas e perder boas experiências. Parece legal.

    ResponderExcluir
  4. Não tem coisa melhor que viajar, não conhecia o livro, mas após ler um pouco mais sobre a história adicionei ele em minha lista de leituras, e pelo jeito a diagramação do livro foi bem caprichada, gosto de livros com ilustrações, espero conseguir ler este livro em breve.

    ResponderExcluir
  5. Mylane!
    É um livro em que devemos embarcar de malas prontas para acompanhar todas as aventuras vividas pela autora. Adoro conhecer os lugares pelo olha de quem pode vivenciar in loco.
    É bem verdade que ficamos receosas em viajar sozinha, já viajei muito e passei por poucas e boas, mas tenho um anjo da guarda forte.
    Quando uma das filhotas resolveu viajar sozinha para Espanha, onde mora o namorado dela, fiquei cheia de receios e preocupação. Quando ela voltou, fiquei foi feliz que ela pode aproveitar a viagem de forma tranquila. Depois disso ela já foi várias vezes e agora fico mais calma.
    Desejo uma semana tranquila!
    “Uma pergunta prudente é metade da sabedoria.” (Francis Bacon)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ola,
    Que livro super fofo, amei a capa e a frase me pareceu bem comigo sobre está mais no pensamentos. Não sei se me considero feminista mais o que autora fez foi incrível, querer demostrar que nós mulheres somos capazes de fazer as coisas sem ninguém nos ajudar ou demostrar fraqueza. Amei o livro é bem interessante de como ela aborda o tema.

    ResponderExcluir
  7. Olá Mylane ;)
    Que livro lindo! Desde as ilustrações até a premissa! Acho que vou amar *-*
    Sempre quis fazer um mochilão sozinha (ainda quero)... quem sabe o livro me dá uma força!
    Já coloquei na lista de leitura!
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Oi gente. Obrigada pela resenha tão carinhosa e comentários gentis. Quem quiser saber mais sobre eu e meu livro encontra informações em http://gaiapassarelli.com/mas-voce-vai-sozinha. O livro está à venda na Amazon e Cultura online e ganha primeira reimpressão em junho. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oi Mylane.
    Eu estou encantada por essas fotos.
    Eu fiquei muito feliz em saber que apesar do livro não sei o que você esperava ele realmente te surpreendeu Eu não costumo ler muito livro do gênero mas fiquei encantada com essa premissa e o fato de que ele fala sobre uma mulher forte e determinada ainda mais encantador enfim nesse vai para minha lista de leituras Com toda certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Adorei a proposta do livro, um tema tão legal! Viajar é tudo de bom! Infelizmente essa também é a minha realidade, pois nunca viajei sozinha, mas foi por opção mesmo, não sou uma pessoa aventureira. Mas deve ser muito bacana conhecer as experiências passadas no decorrer da leitura.
    Linda resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Pela capa e título também achei que era um guia para mulheres viajarem sozinhas rs. Achei muito interessante o livro e teve ter muitas historias que a autora passou em suas viagens, realmente é uma mulher de coragem e fibra. Eu gosto de estar acompanhada com alguém em viagens e passeios pois acho mais divertido e tem alguém para conversar e distrair assim as horas passam até mais rápido rs.

    ResponderExcluir
  12. Adorei a o titulo, a fotografia e a resenha. Quero muito conferir essa história da Gaía e suas viagens.!!!!! ADorei!

    ResponderExcluir
  13. Primeira vez que vejo falar desse livro, e achei linda essa edição, e deu muita vontade de ler e conhecer Gaia e saber mais sobre as viagens e tudo mais.

    ResponderExcluir
  14. As ilustrações ganharam minha atenção!

    Grande abraço,
    Victor N Souza
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©