21 de agosto de 2017

Resenha: Quinze Dias

Felipe está esperando por esse momento desde que as aulas começaram: o início das férias de julho. Finalmente ele vai poder passar alguns dias longe da escola e dos colegas que o maltratam. Os planos envolvem se afundar nos episódios atrasados de suas séries favoritas, colocar a leitura em dia e aprender com tutoriais no YouTube coisas novas que ele nunca vai colocar em prática. Mas as coisas fogem um pouco do controle quando a mãe de Felipe informa que concordou em hospedar Caio, o vizinho do 57, por longos quinze dias, enquanto os pais dele estão viajando. Felipe entra em desespero porque a) Caio foi sua primeira paixãozinha na infância (e existe uma grande possibilidade dessa paixão não ter passado até hoje) e b) Felipe coleciona uma lista infinita de inseguranças e não tem a menor ideia de como interagir com o vizinho. Os dias que prometiam paz, tranquilidade e maratonas épicas de Netflix acabam trazendo um turbilhão de sentimentos, que obrigarão Felipe a mergulhar em todas as questões mal resolvidas que ele tem consigo mesmo.

Título Original: Quinze Dias
Autor: Vitor Martins
Páginas: 208
Editora: Globo Alt
Livro recebido em parceria com a editora

Eu não acompanho muitos booktubers, então a verdade é que eu não conhecia muito bem o Vitor Martins. Bom, mas o que vocês realmente precisam saber é que Quinze Dias é o livro de estreia do Vitor e ele não podia ter entrado no mercado editorial de uma forma melhor. Isso porque a sua história passa uma mensagem que é extremamente importante para a sociedade. 

Felipe tem 17 anos e está super ansioso para as férias de julho — convenhamos que a gente também já começa a estudar pensando nas férias, porque são aqueles dias que podemos ficar largados em cima da cama lendo livros legais e vendo séries, só levantando pra comer, tomar banho e ir ao banheiro né , mas todos os seus planos vão por água abaixo quando a sua mãe, Rita, simplesmente solta a bomba que ela aceitou cuidar do vizinho, Caio, por 15 dias porque os pais dele não confiam nele para deixá-lo sozinho no apartamento por tanto tempo. 

O "problema" maior é que o Felipe sempre teve uma queda pelo Caio, então essa notícia foi simplesmente desesperadora para ele, porque ele vai precisar lidar com o crush dormindo no seu quarto por 15 dias. É claro que isso não seria motivo para um surto tão grande não fossem as inseguranças e ansiedades do protagonista, que é gordo. Eu não sou a melhor pessoa do mundo para falar dos sentimentos do Filipe, mas eu sou a melhor pessoa do mundo para afirmar que a sociedade é hipócrita o suficiente para fazer  todas as coisas horríveis que o personagem contava no livro. E, é claro, o que eu mais gostei foi que tudo foi tratado de uma forma muito real. 

O Vitor acrescenta detalhes muito marcantes como não pode ir a um restaurante ser ser julgado pela quantidade de comida que está servindo, o que mostra que nada nunca está bom. É claro que todas essas situações fizeram do Felipe um menino muito tímido que não tem contato com muitas pessoas além da sua mãe — que, inclusive, é sensacional. A narrativa se dá em primeira pessoa pelo protagonista, que não tem papas na língua, e para mim foi impossível não sentir uma conexão com ele logo de cara. Eu senti como se eu fosse uma amiga do Felipe, uma amiga para quem ele contava todos os seus problemas e inseguranças e eu admiro muito isso em qualquer história. 

Os personagens secundários são um espetáculo a parte. Além de Rita, mãe do Felipe, que provavelmente é a mãe mais engraçada que existe no Universo, somos apresentados à Beca, a melhor amiga do Caio. Beca é negra, gorda, lésbica e não se deixa atingir por qualquer coisa ou pessoa. Nunca tinha lido uma personagem tão empoderada e isso me deixou muito, muito feliz. Vitor Martins conseguiu, em poucas páginas, representar todas as minorias de uma forma maravilhosa, expondo todos os preconceitos que sofrem, mas mostrando que todo mundo é capaz de dar a volta por cima. 

Para deixar o livro ainda mais lindo, temos o romance entre Felipe e Caio, que foi inserido de uma maneira muito sutil, mas convincente. Eles não se apaixonaram de uma hora para outra. Parece que desde sempre eles sentiam algo um pelo outro, mas ambos tinham medo de demonstrar. O Caio também é muito inseguro porque nunca teve coragem de contar para a mãe, com quem tem problemas de relacionamento, que é gay. Todos esses "detalhes" foram muito importantes para a construção dos personagens e da história em si. 

Quinze Dias é um livro cativante, com personagens incríveis e reais, com uma história que faz a gente sentir aquele quentinho no coração de quando lê uma coisa que vai ficar na cabeça por bastante tempo. 

9 comentários:

  1. Oi Ana! Tudo bem?

    Acompanhei o Vitor durante um tempo no youtube, mas acabou que me voltei mais pra ler posts do que ver vídeos no youtube, portanto só vi na mídia mesmo o livro e pela curiosidade de ainda não ter visto nenhuma crítica vim aqui ler este seu post e gostei bastante da proposta da premissa.

    A capa é adorável.

    Parabéns pela resenha é bem esclarecedora!

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  2. Bom, eu não conheço esse youtuber e estou conhecendo agora por causa desse livro. Gostei bastante desse livro, ainda mais quando se trata de tema tão emotivo, que passa como a sociedade é tão desumana. Parece-me ser um livro muito gostoso de ler, pela narrativa e o bom humor de personagens secundários, com certeza tenho que ler esse livro! Vou conhecer um pouco mais sobre esse youtuber também.
    E que capa linda!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. EU NA VIDA!!!
    "Os planos envolvem se afundar nos episódios atrasados de suas séries favoritas, colocar a leitura em dia..."
    Olha, não curto booktubers, mas acho que vou dar uma olhada dpois, representatividade importa e muito).
    Livros como Cartas de Amor aos Mortos e Fera já estão na lista também.

    ResponderExcluir
  4. O livro apesar de abordar o preconceito, parece ser uma leitura agradável, acredito que de para o leitor se colocar no lugar do personagem e sentir suas angustias e inseguranças e como é discriminado pela sociedade por causa da aparência que na verdade não quer dizer nada.

    ResponderExcluir
  5. Ana!
    Deve mesmo ser um livro fofo de ser lido, embora traga assuntos bem pesados, porque não é brinquedo não falar sobre bullyng, sexualidade ou homossexualidade e gordofobia... Sei bem o que é isso, porque sempre fui gorda e sofria muito, agora estou no peso 'normal', mas ainda sinto os resquícios da discriminação...
    Desejo um final de semana mais que tranquilo e abençoado!
    “Deus com Sua infinita Sabedoria, escondeu o Inferno no meio do Paraíso para que nós sempre estivéssemos atentos.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  6. Eu acompanho o canal do Victor e quando fiquei sabendo que ia sair um livro eu fiquei super empolgada para conferir. E adorei a premissa do livro e desde então estou curiosa.

    ResponderExcluir
  7. Livros que marcam a alma e o coração,merecem atenção!
    Gratissíma!

    ResponderExcluir
  8. Esse livro parece ser muito amorzinho, não conhecia o Vitor Martins, nem sabia que ele era booktuber, mas com certeza já vou atrás do canal dele; quanto ao livro, o Felipe parece ser um daqueles protagonistas que dá vontade da gente entrar no livro e dar um abraço nele, fiquei bastante curiosa para ver como o romance entre o Felipe e o Caio se desenrola e conhecer mais sobre a Rita.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bom?
    O livro parece ser muito bom, eu ainda não li nada parecido, como você eu não acompanho youtubers, então não conheço o autor, a capa é linda e a história parecente ser envolvente.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©