7 de dezembro de 2017

Resenha: Matem o Presidente

Um plano para matar o presidente e um dilema moral unidos em um thriller explosivo. Aquilo que ninguém acreditava aconteceu... Os Estados Unidos elegeram como presidente um homem instável, machista e demagogo, apoiado por seu implacável estrategista, Crawford McNamara. Quando uma guerra de insultos com o regime da Coreia do Norte foge do controle e leva o presidente a ordenar o lançamento de um ataque nuclear, o que coloca em risco o mundo inteiro, fica claro que alguém precisa agir antes que a humanidade seja reduzida a cinzas. Assim, quando Maggie Costello, uma experiente funcionária de Washington e fiel aos seus princípios — completamente opostos aos do atual presidente —, descobre um plano dentro da própria Casa Branca para matar o presidente dos Estados Unidos, ela se depara com um grande dilema moral: ela deve salvá-lo, deixando o mundo à mercê de um tirano desequilibrado, ou trair seu comandante em chefe e arriscar lançar o país em uma guerra civil?

Título Original: To Kill the President
Autor: Sam Bourne
Tradução: Clóvis Marques 
Páginas: 406
Editora: Record
Prova recebida em parceria com a editora

Recebi a prova de Matem o Presidente em casa algumas semanas atrás. A primeira impressão que tive foi que o livro e o tal presidente seriam de alguma forma muito parecidos com o regime atual e o presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump. Não é que realmente estes dois se parecem tanto que, lá no fundo, duvido muito que o autor não tirou inspiração do que vem acontecendo com o país com a entrada do novo governo.

A premissa, antes de mais nada, é realmente matar o presidente, mas porque querem fazer isso? Apesar de algumas falas dos norte-coreanos, que não tinham intenção alguma de criarem uma guerra ou atingir os EUA, houve alguma contradição. O presidente, que infelizmente é instável e obcecado por fazer loucuras, decide que simplesmente vai atacar o outro país simplesmente porque ele se sentiu ofendido. Gente, pelo amor de Deus, fiquei no chão e boquiaberta com a reação deste homem por algo tão insignificante — qualquer semelhança não é mera coincidência. 

Nossa protagonista e heroína desta história é Maggie Costello, que trabalhava com o ex-presidente e resolveu ficar para ajudar a manter as coisas na mais pura ordem na Casa Branca, já que o novo presidente é sem noção. Mas infelizmente, para atazanar sua vida, eis que temos Crawford McNamar, um homem implacável que apoia o presidente em todas as suas decisões e fica de olho em tudo e todos dentro da Casa.

A leitura é tensa do começo ao fim, nada de conversas fiadas ou perdas de tempo. No primeiro capítulo já temos ação e mais ação, e nos capítulos posteriores temos revelações diferentes, segredos de pessoas em que achávamos que poderíamos confiar são revelados e pouco tempo depois descobrimos que fomos meramente enganados e feitos de trouxas. 

Cada personagem possui seu espaço. Gostei bastante que um dos principais é uma mulher que não se abala em nenhum momento, mesmo quando é colocada contra parede. Por um momento quase pensei que ela fosse desabar, mas Maggie me surpreendeu e tirou vários truques da manga quando eu menos esperava e, mais uma vez ficava com toda a situação controlada nas palmas de suas mãos.

Neste livro vemos como as pessoas são facilmente manipuladas e como existem preconceituosos onde menos esperamos. A Casa Branca se tornou um ninho de pessoas desse tipo e conviver com elas e trabalhar dentro de um ambiente tão hostil se torna algo quase insuportável de aguentar, mas quando você sabe que fez um juramento e tem caráter, ninguém poderá tirar a sua responsabilidade.

Matem o Presidente foi uma leitura que me abriu os olhos sobre as pessoas, como elas são e como agem quando elas possuem poder, dinheiro e sexo. As pessoas deste livro que não possuem o mínimo de caráter são guiadas por estas três coisas e quando elas as possuem nada mais importa, nada pode lhes tirar do caminho. Contudo, existem boas almas com corações puros que podem mudar uma monarquia e até o mundo se elas quiserem, e isso é o que me dá esperança.

13 comentários:

  1. Oi Lari!
    Confesso que não curto ler livros do tema, mas eu gostei desse viu, sua resenha me convenceu á conhecer, quem sabe consigo gostar um pouco do gênero né.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Parece muito interessante, embora não me interesso por livros de politica esse parece ser diferente e mostra como as pessoas são realmente e o que importa é dinheiro e poder, gostei por ter ação que adoro deixa a leitura mais envolvente e ágil e parece ser direto.

    ResponderExcluir
  3. Olá Lari! Realmente é muito semelhante com a situação atual, e o autor deve ter escrito esse livro para abrir os olhos das pessoas. Acho que deve ser uma trama cheia de ação e tensão. Por vivemos num mundo em que as pessoas só pensam em dinheiro e poder essa leitura é bem interessante. Beijos

    ResponderExcluir
  4. É uma história muito atual. Com certeza foi inspirada nos poderos que há no mundo, mas espero que possamos nos inspirar nas boas almas com corações puros; assim temos a chance de criarmos um mundo melhor.
    Gostei da resenha, mas não é tipo de leitura que me agrada.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Meio que fujo de livros assim e sendo bem sincera? Esse título é muito sugestivo para nós também!Ah..se fosse possível!
    Mas sonhos à parte, mesmo não sendo muito meu universo, gostei muito do que li acima. Da forma como a autora conduziu um tema tão pesado e denso. Trazendo personagens beirando o real.
    Quer saber até onde uma pessoa pode ir? Dê poder a ela!
    Vai para a lista de desejados e espero poder ler assim que possível!
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Fiquei bastante curiosa a respeito da obra, principalmente porque não imaginava que se tratava de um assunto tão real, que vemos hoje em dia no meio da política, onde as pessoas são capazes de fazer tudo o que querem para ter suas necessidades satisfeita. Claro que quero saber qual será o desfecho desta trama, mas para isto preciso adquirir a obra, e começar a leitura.

    SORTEIO NO AR, VENHAM PARTICIPAR: petalasdeliberdade.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Já chamou atenção pelo jeito da história e a premissa de matar o presidente. Já faz a gente pensar nos porquês...
    E nossa, mas que cara doido! Guerra porque se sentiu ofendido? Nem falo mais nada...
    Achei legal que o livro já chegue com aquela ação e revelações a toda hora, enganos, surpresas quando a gente acha que o personagem é confiável e coisas assim. Dá um ritmo legal pra história e acho que iria gostar de ler. A dica é boa.

    ResponderExcluir
  8. Olá, essa obra chama atenção por contar com uma evidente crítica ao governo, algo ousado e que parece se encaixar perfeitamente na dinâmica da obra, que ainda conta com uma vibe House Of Cards extremamente bem incorporada à trama. Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Quero ler! Logo que vi a capa, pensei que se tratava de um livro não ficção, uma biografia talvez...

    ResponderExcluir
  10. Oi, Lari!
    Estou bem intrigada com essa estória e quando li o nome do livro também pensei em Donald Trump!! Acho que por causa disso fiquei mais interessada ainda nesse livro.
    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Olá! Nossa, esse livro parece ser ótimo e realmente cheio de "coincidências". Acho que não são tão coincidências assim, afinal, como você mesma falou. De fato os EUA estão sob o regime de um tirano louco, inconsequente, infantil e desequilibrado (essa é minha opinião sobre o Trump, pelo menos) e acredito que a leitura vem bem a calhar nesse momento. Adorei a resenha e saber que a leitura é tão tensa quanto a premissa sugere.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Lari!
    Fico pensando que, mesmo na ficção, o motivo para atacar outro país é tão banal, concorda?
    O bom é que o livro parece cheio de tensão e muita ação, o que deve prender o leitor.
    Quanto a comparação com o atual presidente dos EUA, é tão evidente...
    Bom domingo!
    “A melhor mensagem de Natal é aquela que sai em silêncio de nossos corações e aquece com ternura os corações daqueles que nos acompanham em nossa caminhada pela vida.” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA dezembro 3 livros + 2 Kits papelaria, 4 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  13. Nossa, acredito que, se esse livro foi uma coincidência, o timing foi preciso. Parece ser essencial ler esse tipo de história considerando o contexto histórico que os EUA estão vivendo hoje, mas admito que tenho receio de me aproximar e confiar em personagens que se revelam manipuladores kk A capa também é maravilhosa. Bjs!

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©