8 de fevereiro de 2018

Cinema: Capitão Phillips

Título Original: Captain Phillips
Ano: 2013
Diretor: Paul Greengrass
Duração: 134 minutos
Gênero: Drama | Suspense
Elenco principal: Tom Hanks, Barkhad Abdi, Barkhad Abdirahman
Texto por Taís Ribeiro

Richard Phillips (Tom Hanks) é um comandante naval experiente, que aceita trabalhar com uma nova equipe na missão de entregar mercadorias e alimentos para o povo somaliano. Logo no início do trajeto, ele recebe a mensagem de que piratas têm atuado com frequência nos mares por onde devem passar. A situação não demora a se concretizar, quando dois barcos chegam perto do cargueiro, com oito somalianos armados, exigindo todo o dinheiro a bordo. Uma estratégia inicial faz com que os agressores recuem, apenas para retornar no dia seguinte. Embora Phillips utilize todos os procedimentos possíveis para dispersar os inimigos, eles conseguem subir à bordo, ameaçando a vida de todos. Quando pensa ter conseguido negociar com os piratas, o comandante é levado como refém em um pequeno bote. Começa uma longa e tensa negociação entre os sequestradores e os serviços especiais americanos, para tentar salvar o capitão antes que seja tarde

Capitão Richard Phillips (Tom Hanks) é um comandante que trabalha com o transporte de mercadorias e, nesta viagem, pretende percorrer a região do chifre africano para entregar abastecimentos de água e comida em Mombaça, Quênia. Porém sofre com o intempere da presença de piratas somalianos durante o percurso. Após tentativas de impedir que os piratas invadam o navio e que sua tripulação seja encontrada, o capitão é sequestrado pelo grupo de piratas e o filme passa a girar em torno da captura e da ação da Marinha Americana em relação ao ocorrido.

Baseado em fatos, o filme retrata de maneira extraordinária e realista como é encarada a situação de ambas as partes, do capitão americano e dos saqueadores africanos. Richard Phillips, durante a tentativa de manter seu navio à salvo, age da maneira mais centrada o possível — o que já é visto no início do filme, durante a conversa com sua esposa Adrea Phillips (Catherine Keener) —, nos fazendo admirar a atuação de Tom Hanks, que mantém seu personagem como alguém real e humano, não um herói americano. E também, claro, Muse (Barkhad Abdi), Bilal (Barkhad Abdirahman), Najee (Faysal Ahmed) e Elmi (Mahat M. Ali), o grupo de piratas que, por mais que tenham que agir como vilões, mostram o lado humano do medo de encarar a prisão e/ou a morte, no caso de serem pegos pela marinha.

A visão de como a função de pirata na África é uma necessidade e não uma obrigação é muito clara, nas primeiras cenas do filme e também durante a captura de Richard, mostrando toda a tentativa de êxito e obtenção do que foi-se exigido pelos contratadores por uma necessidade econômica. E, diferente de outros filmes que retratam visões do africano, este não os coloca como homens inferiorizados que merecem pena, e sim como humanos que têm caráter e se preocupam com a sua vida e a vida de seus companheiros, ao pé de igualdade com Phillips, que poderia muito bem ter sido retratado como superior, mas que não é o caso.

O uso da câmera em movimento e dos ângulos utilizados durante as cenas de ação mantêm o espectador ligado diretamente ao filme, fazendo — o parecer mais interessante e dando mais emoção às cenas de ação e suspense — basicamente, ao filme todo.

Embora alguns acreditem na ideia do patriotismo e supervalorização dos Estados Unidos no filme — pois quem triunfa é a Marinha Americana -, eu acredito que a ideia de triunfo não deu valor aos americanos, uma vez que o método utilizado pela marinha é pouco glorioso e não os coloca como bonzinhos que trazem o bem, e sim como desumanos que desvalorizam totalmente a vida de alguém que não tenha valor à sua própria pátria.

Portanto, podemos dizer que Paul Greengrass obteve êxito com o filme. Não consigo contar os pontos negativos do filme, porque mesmo ultrapassando as 2 horas - que para alguns filmes seria longo demais -, o filme parece passar rapidamente sem cansar o expectador. Prova do êxito está no fato do filme ter tido grandes críticas positivas e ser indicado as maiores premiações do cinema, o Globo de Ouro, o BAFTA (Barkhad Abdi ganhou como Melhor Ator Coadjuvante) e o Oscar, ou seja, vale a pena.

16 comentários:

  1. Acabei vendo este filme já tem um tempinho e adorei! Além de amar o trabalho de Hanks, este filme traz mais atuações impecáveis. Cenas e cenários que retratam bem a agonia que muitos tripulantes vivem nesta região do mundo.
    Ainda é comum demais a prática da pirataria naquela região, e este longa traduz bem isso!
    Super recomendado!
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Tá aí uma situação que nem pensava nos dias de hoje. Pirataria, a necessidade disso e ver que existem lugares no mundo que precisam fazer. Nossa, só por isso já deu vontade de ver o que o filme mostra sobre o assunto. Ter as duas visões deve ser interessante e chamou atenção porque faz tempos que não vejo nada com esse ator. Não é lá exatamente o tipo de filme que mais vejo, mas parece muito bom.

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ana!

    Já faz um tempo que assisti esse filme e ele é realmente uma obra-prima do cinema. Poderiam colocar mais 2 horas que eu ficaria até o final. Gosto muito dos filmes do Tom Hanks e esse foi mais um dos que ele teve uma excelente atuação. Importante ter as visões que você mencionou: a visão dos que são saqueados e dos saqueadores e de ver que a pirataria serve a um propósito de muitas regiões que vivem em situação muito difícil, muitas vezes, com guerra civil, com população pobre e marginalizada... Essa é a parte mais triste do tema abordado. Mas, valeu o filme!
    Grande abraço,
    Drica.

    ResponderExcluir
  4. Confesso que não sou muito de assistir filmes, e mesmo se eu assistisse, esse não seria um filme que eu gostaria de ver.
    Mas achei interessante ser baseado em fatos reais, ainda mais por envolver piratas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Também não assisti ao filme, mas me lembro que o trailer estava sendo passado no canal fechado o tempo inteiro, e isto me fez querer ver a obra, principalmente pelas cenas de ação e suspense exibidos. E agora sabendo que aqui a trama se mostra real, e palpável, mostrando os africanos como pessoas de carácter, e como a marinha americana não se importa com a vida de quem as representa, fiquei ainda mais interessada em dar uma chance. Inclusive não sabia que a obra tinha ganhado tantos prêmios.

    Venha participar do Top Comentarista e concorra o livro "O Maravilhoso Bistrô Francês": http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Menina adorei a diga de filme, principalmente para o meu pai que adora esse tipo de filme e eu também até curto, sou uma pessoa que adora comédias. Mas achei extremamente interessante por mostrar a realidade dos dois lados, seja ela boa ou cruel, filmes assim tendem a me deixar ligada e muitas vezes um pouco mal pelo ser humano. Agradeço de verdade a dica.

    ResponderExcluir
  7. Ana!
    Já tive oportunidade de assistir esse filme, porque quando tem Tom Hanks, já me atiço toda.
    E achei bem como falou, não é que os EUA quiseram se enaltecer, porque afinla, foi bem drástico como tudo foi resolvido, sem contar que foi baseado em fatos reais, se fosse como um filme de ficção como Independe Day que aí sim eles quiseram mostrar que eram soberanos e superiores até em relação aos ETs, tudo bem, mas nesse não, achei ótima as atuações e bem desenvolvido o ilme.
    Recomendo também.
    “Quer você acredite que consiga fazer uma coisa ou não, você está certo.” (Henry Ford)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana,
    Serei honesta e vou dizer que sem boas recomendações, talvez, eu não fosse me interessar por este filme (mesmo sendo uma grande fã dos filmes de Tom Hanks), pois filmes com Piratas não são muito atrativos para mim. O mais interessante desta história é saber que ela é baseada em fatos reais e a seriedade do ocorrido que me tira aquela imagem fantasiosa e infantil que tenho sobre a pirataria, além de trazer uma realidade dos africanos diferente da que estou acostumada ver ser retratada no cinema. Gostei muito desta indicação e irei assistir ao longa assim que possível.

    ResponderExcluir
  9. Ana esse filme é mto bom, eu já vi e recomendo mto tbm, o tema proposto é perfeito, eu qro rever novamente pq gostei mto.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Oi Ana! Ouvi falar desse filme pelos meus colegas de trabalham que gostam desse estilo de história envolvendo ação, militares etc, e já tinha anotado o nome dele porque elogiaram muito. Adoro o Tom Hanks, acho ele um ator incrível e qualquer filme dele vale a pena de ser conferido. Adorei sua resenha também, fiquei com a impressão de ser um filme bem ágil e interessante.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oi Ana!
    Para começar adoro os trabalhos do Tom Hanks, e não acredito que ainda não conhecia esse filme.
    Bom saber que mostraram um pouco da maldade dos mocinhos na hora da de resolver o sequestro, já que sempre vemos só o lado bom, e nunca como acontece de verdade não é? O filme parece regado de ação e estratégias, do tipo que eu gosto. Coloquei na lista para assistir.
    Bj

    ResponderExcluir
  12. Filme muito bom e o ator é ótimo, adoro ação e suspense, é uma grande aflição ficar nas mãos dos piratas é um filme tenso. Foi um filme bem trabalhado, que nos deixa atentos aos acontecimentos. Passa uma visão dos piratas que não conhecemos é bem diferente.

    ResponderExcluir
  13. Ainda não vi esse filme, mas gosto bastante de filmes com ação e suspense.
    Amo filmes com piratas e toda essa temática.
    Bjs

    ResponderExcluir
  14. Oi Ana.
    Não me julgue rsrs, mas eu não sou uma fã de filmes não, na verdade faz muito tempo que não assisto um, quando mais nova adorava filmes de terror, porém depois que passei a ter medo, nunca mais consegue assistir filmes dessa categoria o que me fez desistir um pouco também desse lado do cinema, séries porém já é algo bem diferente, devoro-as como se não houvesse amanhã, um exemplo disso é a série sobrenatural (que não tenho medo, aleluia) assistir 8 temporadas em um mês e meio, mas voltando ao que interessa, fico feliz que você tenha desfrutado do filme e que apesar dele ser longo não tenha te cansado, o que acontece muito comigo quando tento assistir, sei bem como é bom quando conseguimos nos prender a história e de uma forma única ao enredo que está sendo passado, enfim, não sei se vou assistir, mas gostei bastante.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  15. Pelos seus comentários este filme aparenta ser bom. Não costumo assistir filmes longos, mas que bom que apesar do filme ter ultrapassado duas horas, o filme parece passar rapidamente sem cansar o expectador.
    Pretendo assistir Capitão Phillips.

    ResponderExcluir
  16. Oi, Ana.

    O filme é capaz de mostrar, através de um novo ângulo, toda a situação paralela, a forma como ela é encarada diante de tais circunstâncias.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©