9 de abril de 2018

Resenha: Cartas Secretas Jamais Enviadas

Você já desejou poder voltar no tempo e dar conselhos para si mesmo? Já quis ter coragem de falar como é forte o amor que sente por alguém? Alguma vez já se perguntou por que uma pessoa importante na sua vida parou de falar com você? A partir de contribuições anônimas, Emily Trunko reuniu nesta coletânea cartas que revelam segredos profundos de quem as escreveu. Afinal, muitas vezes o único jeito de lidar com nossos sentimentos mais intensos — seja um amor incondicional ou uma perda irreparável — é botando tudo no papel. A leitura destas cartas nos permite mergulhar na vida de seus remetentes e, ao mesmo tempo, redescobrir nossa própria história e perceber que, mesmo nos piores momentos, não estamos sozinhos.

Título Original: Dear My Blank
Organização: Emily Trunko
Páginas: 200
Tradução: Fabricio Waltrick
Editora: Seguinte
Livro recebido em parceria com a editora

Não sei dizer o que me fez escolher ler Cartas Secretas Jamais Enviadas, de Emily Trunko, mas quando peguei o livro, sem nenhuma perspectiva sobre o que me esperava, senti como se tivesse levado um soco na boca do estômago. Fiquei fascinada e atordoada com o impacto que cada carta exerceu sobre mim e com a quantidade de emoção impregnada em cada linha. Há uma sinceridade tão explícita nas palavras que chega a doer.

O livro começa com uma apresentação de Emily Trunko. Ela explica quem é, conta que criou um Tumblr Dear My Blank para compartilhar suas próprias cartas e que abriu espaço para que as outras pessoas pudessem dividir um pouquinho de si. A partir daí, o blog explodiu e ela passou a receber cartas sobre tudo, desabafos sobre perdas e sobre amores, traições e amizades, ensinamentos e pedidos de socorro, tudo publicado no blog anonimamente. Algumas dessas cartas, mais tarde, dariam origem ao livro.


É interessante como parece fácil desabafar com um pedaço de papel, sem ninguém para julgar, e saber que provavelmente a pessoa para quem você escreveu talvez nunca leia aquilo. Emily Trunko criou uma forma de ajudar as pessoas a falarem, a desabafarem, e é perceptível o quanto cada carta daquela é verdadeira, porque no anonimato é possível despir as máscaras, contar os segredos mais ocultos e se tornar absurdamente exposto, sem se expor de verdade. E sem as máscaras diárias, aquelas cartas se tornaram quase cruéis de tão verdadeiras, expondo feridas e fraquezas, medos e arrependimentos.

O livro é todo ilustrado e decorado nos tons de azul, branco, preto e verde da capa, o que, junto da capa dura, faz da edição um trabalho lindo. Só por isso eu já gostaria de ter um exemplar na estante, mas depois de ler o livro, quero ter para poder revisitar aqueles sentimentos em outros momentos da minha vida. Além disso, a obra é dividida por temas: Querido eu, Querido Mundo, Amor, Amigos, Família, Coração Partido, Amor não correspondido, Traição, Perda e Obrigado.


No livro, há cartas com apenas cinco ou seis palavras, enquanto outras ocupam mais de uma página. Não é o tamanho da carta, porém, que determina o tanto de emoção que elas podem trazer. Todas têm importância e significado e servem para fazer o leitor enxergar que, não importa por qual dificuldade está passando, ele não está sozinho no mundo, pois alguém também se sentiu da mesma forma em algum momento.

Eu amei Cartas Secretas Jamais Enviadas e fiquei emocionada com diversos textos, tanto os curtos quanto os longos, refletissem eles sentimentos bons ou ruins. O livro é um presente de sinceridade, que abre feridas e faz doer, mas ao mesmo tempo traz um sentimento de conforto que poucas leituras me trouxeram na vida.

19 comentários:

  1. Conheci Cartas Secretas Jamais Enviadas nas Lives que a Seguinte faz no Facebook.
    E sempre achei que seria uma leitura cartase, que faz refletir sobre a vida escolhas amores e muito mais.
    Até brinquei em uma das Lives que esse livro deveria vir acompanhado de uma caixa de lencinhos de papel.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ju.

    É impressionante o quão, através dessas cartas reais e muito verídicas, elas podem transmitir um misto de sentimentos, e que faz o leitor rever várias coisas em sua vida.

    ResponderExcluir
  3. Ontem, acabei lendo uma resenha de outro livro(Últimas Mensagens Recebidas) e fiquei encantada com o cenário do livrinho. E quando fui colocar ele na lista de desejados, já vi este da mesma autora e ao ler a sinopse, já o coloquei juntinho ali.
    Pelas imagens não é só um livro lindo de conteúdo, mas de beleza em páginas também! Como se fosse realmente um diário, algo deixado à alguém!
    Espero muito poder ler os dois livros!
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Olá Ju!
    Adorei esse livro qdo comecei acompanhar sobre ele, as ilustrações me chamaram bastante atenção tbm, parece um enredo bom, espero poder conhecer em breve a escrita tbm.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Fiquei com muita vontade de ler esse livro, conhecer essas cartas, pois com muitas coisas nos identificaremos. É bom ler sobre algo que se passou com uma pessoa e o jeito que ela conseguiu superar, serve de lição para quem lê. Na vida levamos muitos momentos bons e ruins e as vezes não temos com quem conversar sobre eles!

    ResponderExcluir
  6. Nossa... estou apaixonada por sua resenha!
    Me apaixonei por esse livro desde à primeira vista, e desejo desde então.
    Gosto muito de cartas, e essas são reais... E também quero o outro livro organizado pela Emily.
    Vou preparar os lenços.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Já amei a ideia que ela teve de um blog do tipo, só imagino o que não rolou por lá. Ver cartas assim num livro me chama atenção. Parece emocionante e tem toda aquela coisa do desabafo, de não ser julgado mesmo e poder abrir o coração. Linda ideia. Deu vontade ler.

    ResponderExcluir
  8. Oi Ju.
    Esse livro parece lindo!
    Adorei as ilustrações e é fascinante ver como com poucas palavras é possível transmitir tanto sentimento.
    Já quero esse livro!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi Ju.
    Não sou de ler livros escritos em formato de pequenos textos, ou no caso, pequenas cartas, mas confesso que achei esse bem inspirador. Eu mesma tenho mas facilidade em escrever o que estou sentindo do que falar, então acredito que vou me identificar com alguns textos, a edição também está linda!
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Não é o tipo de livro que costumo ler, por causa dos textos. Mas a edição ficou tão linda e fofa que fiquei morrendo de vontade de comprar. Parece ser um livro que faz a gente refletir bastante, gostaria muito de adquirir.

    ResponderExcluir
  11. Oi Ju,
    Nunca escrevi uma carta, não uma de verdade, sincera e honesta, mas este meio de comunicação sempre me foi curioso, pois muitas vezes nos falta coragem para dizermos certas coisas e palavras escritas tem tanto ou mais poder que palavras ditas. Acho que Emily Trunko soube da importância do desabafo e sua iniciativa deu coragem e voz para muitos que precisavam se expressar. É um bom livro para se ter por perto, como livro de cabeceira, por exemplo e, com certeza, uma boa opção para se presentear alguém.

    ResponderExcluir
  12. Ju!
    Como faço correspondência há uns 40 anos, sei o poder que as cartas exercem para quem as escreve e para quem as recebe, é algo catártico e intenso.
    Fiquei interessadíssima em poder ler esse livro que pelo visto, tem uma diagramação linda e colorida e conteúde que sensibilizará profundamente.
    Bom domingo!
    “Violência gera violência, os fracos julgam e condenam, porém os fortes perdoam e compreendem.” (Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA ABRIL – ANIVERSÁRIO DO BLOG: 5 livros + vários kits, 7 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  13. Parece ser uma graça esse livro e bem diferente, as cartas devem conter muitos sentimentos e nos deixando refletir sobre elas. Concordo no papel a pessoa consegue expor muitas coisas que esta sentindo do que dizer pessoalmente, deve ter cada frase interessante aí.

    ResponderExcluir
  14. Oi Ju!
    Primeiro gostaria de ressaltar essa edição maravilhosa, a editora seguinte tá de parabéns mais uma vez.
    Com relação ao livro sinto que é um livro pra tocar o leitor. As cartas devem nos fazer refletir e chorar muito. Provavelmente não é uma das leituras mais fáceis devido ao conteúdo mas com certeza uma ótima obra.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi!
    Ainda não conhecia esse livro, mas achei muito interessante toda a historia por trás desse livro, é sempre importante colocar para fora o que estamos sentimento e a autora achou uma ótima forma de ajudar as pessoas sem julgamentos, quero muito ler esse livro !!

    ResponderExcluir
  16. Uma vez estava na livraria e dei uma folheada no outro livro da autora que eu não lembro bem o nome agora, mas que fala sobre últimas cartas recebidas. Abri logo numa página com um textinho que sinceramente me deixou até triste. Quando estava no clube do livro esse mês esse livro estava lá e falamos um pouco sobre ele e o outro. E inclusive a organizadora do evento leu essa parte. "L, achamos o anel na sua mesa. Eu teria dito sim. -A" e só essa parte conseguiu impactar nós leitores que estávamos lá. Apesar de serem livros curtinhos, eles tem muito a dizer, a impactar. Acho difícil ler e não criar histórias sobre o que podem ter causado essas cartas. O trabalho da autora é muito bacana porque além de incentivar as pessoas a desabafar, essas pessoas ainda ajudam outras pessoas. Fiquei sabendo que a autora é jovem e achei isso muito legal. Apesar de saber que vou ficar triste em alguns momentos eu estou com vontade de ler o livro. Acredito que vale a pena. E não posso esquecer que dizer que a edição está linda mesmo. As cores combinaram bastante.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Ju!!
    Seria bem interessante se tivéssemos a oportunidade de voltar no tempo e da conselhos a nos mesmos. Gosto da ideia da autora de escrever cartas para ela mesma. E também achei bem interessante as ilustrações, o livro todo está muito bonito.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  18. Eu tenho um pouco disso, acho muito mais fácil escrever pra desabafar. Não preciso mostrar pra ninguém, não preciso falar com ninguém, posso escrever só pra rasgar o papel e jogar no lixo, mas o simples fato de escrever, colocar tudo no papel, me ajuda muito. Diria até que me conforta. Esteticamente, o livro é lindo, as cores, apesar de fortes, elas combinam, se harmonizam. Entrou pra lista de desejados.

    ResponderExcluir
  19. Que livro fofo! Ja li algumas resenhas desse livro e também gostei bastante. Ainda não tive a oportunidade para ler por completo, mas esta entre meus objetivos.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©