15 de junho de 2018

Resenha: Depois da Queda

Depois de ter um colapso nervoso ao vivo, durante uma transmissão de TV, Rachel Childs, antes uma jornalista obstinada que desbravava o mundo, passa a viver totalmente reclusa. Mesmo assim, ela leva uma vida ideal, com um marido que parece ideal. Numa tarde chuvosa, porém, um encontro fortuito abala profundamente aquela vida perfeita, assim como seu casamento e ela própria. Embrenhada numa conspiração cheia de mentiras, violência e loucura, Rachel precisa encontrar forças para superar medos inimagináveis e verdades brutais.Ao mesmo tempo emocionante, sofisticado, romântico e cheio de suspense e tenções, Depois da queda é Dennis Lehane em sua melhor forma.

Título Original: Since We Fell
Autor: Dennis Lehane
Páginas: 392
Tradução: Sergio Flaksman
Editora: Companhia das Letras
Livro recebido em parceria com a editora

Reviravolta. Essa é a principal característica que tenho para definir Depois da Queda. A história de Rachel Childs, uma jovem jornalista, é longe de qualquer clichê que você espera de alguém que é filha única e por consequência do destino não conheceu o pai. Após ter várias crises de pânico, a vida não deixa nada barato para a protagonista, que acaba sendo sofrendo várias decepções e se envolve em um ato violento. Assim, além de tentar encontrar o pai, ela vai em busca de si mesa.

Sua mãe, Elizabeth, passou a vida inteira escondendo entre amarguras e desprezos a identidade do pai de Rachel. Mas, por quê? É aí que mora o xis da questão. Lehane cria, então, uma personagem com o gênio forte, marcada pela criação complicada. Uma curiosidade é que, os 14 livros lançados pelo autor, esse é o primeiro narrado sob o ponto de vista de uma mulher.

Não encare essa história, caro leitor, como algo que “já sei como tudo isso vai terminar”. Não. Não sabe. Repito: este livro é recheado de reviravoltas. Rachel vai do céu ao inferno. Para cada página, um novo desafio. Uma nova surpresa. Um sentimento tóxico permanente.

Muito bem descritivo, Dennis Lehane exibe a história de Rachel em detalhes, coberta de medos, angústia, dores e amores, além de outros personagens que se desencadeiam no decorrer da trama. A história da protagonista me fez refletir bastante sobre todas as dificuldades que eu mesma encontrei no caminho e a forma como lidei com elas.

A única coisa que talvez tenha me incomodado um pouco foi o final aberto, que deixa que o próprio leitor imagine o que, de fato, aconteceu. É claro que isso não desmerece a obra de um dos escritores contemporâneos de tramas policiais mais elogiado pela crítica.

Não me estenderei nesta resenha. Não por desdém  jamais! Mas pelo impacto que esta história me causou. Se eu puder te dar um conselho, seria entregar-se a esta leitura como Rachel Childs entregou à vida para que ela voltasse a ter sentido: sem superficialidades, embora com tantas quedas no meio do caminho.

18 comentários:

  1. Oi Ellen,
    Quando li a sinopse, confesso que não fiquei tão empolgada, mas ai quando li sua resenha, me animou mais. Não gostei muito dessa capa :/

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ellen!
    A capa do livro de antemão não atrai muito, eu passaria facilmente por ela numa livraria e não daria atenção se fosse apenas isso, mas interessante a premissa por trás dela. Daria para imaginar um enredo meio policial, mas parece ser puramente de suspense na busca da protagonista por descobrir quem é o pai e mesmo por encontrar a si mesma nesse meio tempo. Só complicado isso do final aberto, nem todos se dão bem com eles, até porque paira uma questão de "se chegou no final, é porque quer saber como se termina de fato", mas se o antes disso já faz valer a leitura, é algo positivo mesmo assim. Valeu a dica!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ Sonhando aos Vinte ♥

    ResponderExcluir
  3. Ellen!
    Gosto demais de thrillers psicológicos e o autor, sabe desenvolver um enredo que vai conquistando aos poucos e transformando as personagens em verdadeiros retalhos de mosaicos e aos poucos, contituem um todo.
    Quero poder ler.
    “Sou uma só. (...) Sou um ser. E deixo que você seja. Isso lhe assusta? Creio que sim. Mas vale a pena. Mesmo que doa. Dói só no começo.” (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JUNHO - 5 GANHADORES
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ellen.

    Há de convir que, a vida da personagem é marcada por acontecimentos instáveis. E, somente aí, já é capaz do leitor criar afeição por ela.

    Por ter um tom de mistério, não sei se todo esse enfoque na vida dela, seria suficiente para manter a minha atenção durante a leitura.

    No entanto, esse, pode ser um lado positivo, pelo mesmo passar uma reflexão para o leitor.

    ResponderExcluir
  5. Oi Ellen,
    Gosto muito de thriller policiais e psicológicos, mas, muitas vezes, sinto como se estivesse lendo a mesma história, pois as narrativas se assemelham em certos pontos. Dennis Lehane, o qual não conheço a escrita, mas já assisti a adaptação de uma de suas histórias (fiz uma breve pesquisa sobre ele) tem um jeito único de trabalhar. Pelo sua resenha, ele entra mais a fundo na mente e emoções dos personagens o que garante mais profundidade no enredo. Rachel é uma personagem com um psicológico atormentado e isso foi sendo construído desde a infância, talvez ela tenha conseguido se afastar disso por um tempo, mas a vida adulta e tudo que com ela vem a levam a sua síndrome do pânico. Tem bastante realidade nessa trama e, não tenho dúvidas de que é uma leitura bem impactante a qual estou curiosa para realizar.

    ResponderExcluir
  6. Uauuuu! Já estou criando várias teorias sobre a história da Rachel!
    Curto muito histórias com reviravoltas eletrizantes e inesperadas.
    Quando leio um livro assim sempre tento adivinhar o que irá acontecer mas não acerto nada.

    ResponderExcluir
  7. Sou fã de um bom suspense psicológico e este livro parece que traz de uma forma majestosa, um enredo impressionante.O tipo de livro onde nada é o que parece ser e as reviravoltas da trama são o que irão realmente traçar novos rumos, não só a Rachel, mas também de todos que a cercam.
    Espero muito poder ter e ler o quanto antes!
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Uma coisa que achei legal foi isso de ser um livro com muitas reviravoltas. Pela ideia básica que vi dele não coloquei tanta fé assim, mas depois de ver falar isso das coisas que não acabam sendo nada clichês eu animei. Deu vontade de ler. Tem muito sentimento sombrio na história, dá pra ver que a coisa é pesada, mas se for bem feita mesmo parece legal.

    ResponderExcluir
  9. Nossa, é a segunda resenha que leio sobre e ambas são tão carregadas de sentimentos; parabéns!
    Não curto thrillers nem essas histórias com investigações policiais, mas a maneira como fala da Rachel me deixa com uma vontade imensa de conhecê-la.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ellen!!
    Certamente deve ser difícil para a personagem que antes era uma grande jornalista torna-se uma totalmente reclusa. E sem dúvida um livro bem interessante por ter muitas reviravoltas na história. Gostei bastante da indicação.
    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Nossa, já deu pra perceber que essa estória foi impactante mesmo ein!
    Eu adoro esses livros que a gente pensa que já sabe o final mas no final das contas a gente não sabe é de nada hahaha
    Já quero ler!

    ResponderExcluir
  12. Entendi que esse livro é cheio de sentimentos mesmo. Eu gosto muito de terminar um livro e ficar pensando como a leitura dele influenciou na minha vida. Uma pena o final aberto, mas é como você disse, tem a obra toda e não é um final que vai desmerecer o meio dela.

    ResponderExcluir
  13. Uau parece ser um livro muito bom, adoro reviravoltas, mas odeio finais abertos rs. A personagem tem um longo caminho pela frente com essa autodescoberta de si mesma, ainda mais com tantos acontecimentos, é intrigante esse mistério em volta de quem é o pai dela. Parece ser uma historia bem elabora e envolvente.

    ResponderExcluir
  14. Adorei a premissa do livro, romance policial cheio de reviravoltas e um suspense. Ainda não conhecia o livro mas adorei a capa e a resenha. Curiosa sobre todas essas reviravoltas e conhecer mais sobre Rachel em busca do seu pai e o principal, de si mesma e ver em que fim de deu toda essa busca.

    ResponderExcluir
  15. Não me senti atraída a sinopse desse livro confesso que eu achava que a história teria outro rumo mas gostei das reviravoltas do livro no decorrer da Leitura apesar do final ter sido muito previsível

    ResponderExcluir
  16. Oi, Ellen
    Adoro thrillers e vejo muitas pessoas comentando sobre esse livro.
    Estou muito curiosa para ler e entender o que se passa na vida da Rachel.
    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi Ellen,
    pela sua resenha, consegui entender um pouco mais da trama.
    Eu li umas 50 páginas dele, mas não tava entendendo nada, parei kkk
    achei bem complexo, e como é um gênero que não leio muito, acho que vem daí meu estranhamento.
    bjs

    ResponderExcluir
  18. Meio complexo, mas bem interessante. Talvez tenha uma leitura complicada de entender o que é muito ruim, mas eu tentaria ler para saber o que acontece com a personagem.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©