20 de julho de 2018

Resenha: Um Segredo Doce e Amargo

Foto: O Que Tem na Nossa Estante
Um romance sobre amor e redenção da autora best-seller Barbara Delinsky. Charlotte e Nicole um dia foram melhores amigas, passando memoráveis verões juntas em uma ilha no Maine. No entanto, muitos anos e muitos segredos as mantiveram separadas. Ao aceitar escrever um livro sobre a culinária local, Nicole convida a velha amiga, agora uma escritora de sucesso, para trabalharem juntas. Por mais que a ilha resgate a emoção dos velhos tempos, quando Charlotte percebe que a verdade pode salvar o marido de Nicole, ela precisa enfrentar seus fantasmas e sofrer as possíveis consequências que a honestidade pode trazer. Corações vão se abrir sob as estrelas e segredos há muito esquecidos flutuarão na suave brisa marinha.

Título Original: Sweet Salt Air
Autora: Barbara Delinsky
Páginas: 392
Tradução: Rachel Gutierrez
Editora: Bertrand Brasil
Livro recebido em parceria com a editora

Charlotte e Nicole se conhecem desde os 8 anos de idade e, apesar de grandes amigas, não poderiam ser mais diferentes. Charlotte é solteira, vem de uma família complicada, cujos pais morreram muito cedo em um acidente de carro por pura imprudência. Apesar de seu histórico familiar, ela se tornou uma mulher bem-sucedida e viaja para todos os cantos do mundo para escrever histórias sobre as coisas mais inusitadas que existem.

Já Nicole, se casou muito cedo, aos 24 anos com um médico cirurgião 12 anos mais velho que ela. Nicole é muito caseira e apegada às pessoas a sua volta. Ela tem um blog sobre comidas orgânicas, que ganha força depois de descobrir que seu marido foi diagnosticado com uma doença grave. Ela usa o blog como distração para os seus problemas e agora vai escrever um livro sobre a culinária de Quinnipeague, uma ilha de Maine, onde ela passava os verões com Charlotte na casa de seus pais. Para isso, ela envia um email à amiga convidando-a a colaborar no livro, uma vez que Charlotte também tem experiência com a escrita e com a culinária da ilha.

A ilha era comprida e estreita, ondulando na beira do oceano como uma cobra ardilosa. Sua larga cabeça, que mirava o continente, erguera-se para sustentar o centro da cidade. Antes vila de pescadores, as ruas estreitas permaneciam habitadas por uma porção de vendedores de lagostas e de mexilhões, embora a maioria das propriedades pertencesse agora aos moradores locais que as alugavam para novos residentes. Estes, cujas casas ficavam numa ladeira, eram artistas, negociantes e programadores de computador, todos atraídos pela paz da ilha.

Narrado em terceira pessoa e alternando entre as histórias de Charlotte e Nicole, Um Segredo Doce e Amargo conta sobre uma amizade que se perdeu com o tempo, mas que volta à tona quando as amigas se encontram novamente no local onde costumavam passar os verões na infância. Devo admitir que, à segunda vista, não entendi muito bem o que me fez pedir este livro. Acredito que quando li a sinopse pensei que a história seria um pouco melhor. Não é o pior livro que já li, mas havia muito tempo que não sentia tanta dificuldade em terminar uma leitura.

A autora traz um excesso de detalhes à sua obra que torna a maioria dos capítulos extremamente maçantes. Se todos os detalhes desnecessários, na minha opinião, fossem tirados, o livro teria, no mínimo, cem páginas a menos. Algumas vezes os detalhes são necessários sim, para transportar o leitor para o mundo da obra, então são eles que costumam nos prender à história. Mas o excesso só a dificulta, por isso não consegui caminhar entre os capítulos de forma fluida.

A história em si não é ruim, o mistério das duas amigas, os segredos que elas guardam nos prendem ao enredo. Charlotte guarda um grande segredo até a metade do livro e, apesar de depois de um certo tempo eu esperar o que aconteceu, ficamos um tanto atônitos ao descobri-lo. Tem também um romance que floresce com o passar dos capítulos, entre Charlotte e Leo Cole, o filho de uma falecida curandeira, cujas receitas Charlotte quer conseguir para o livro de Nicole.

Um Segredo Doce e Amargo foi o primeiro livro que li de Barbara Delinsky e, sinceramente, não sei se lerei outras obras da autora — é bem complicado quando reagimos assim à uma história, mas espero pagar língua, de verdade. A sinopse me chamou atenção à primeira vista, mas apesar da essência da história ser interessante, a forma com que a autora a apresenta não me agradou nem um pouco. 

18 comentários:

  1. Mesmo nunca tendo lido nada da autora, já li o nome dela por aí, pelo mundo literário muitas vezes, mas vou confessar que é a primeira resenha que leio deste livro.
    Mas lendo a resenha, a gente entende que o roteiro até seria bom, se a autora não tivesse jogado tanta conversa fora. Uma amizade de tantos anos, com certeza, esconde muitos segredos e isso não é ruim, desde que usado de maneira mais enxuta.
    Ainda mais com tantas diferenças entre as duas mulheres!
    Talvez eu leia sim.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi, Alê,

    Gosto de livros como esse, que abordam essa questão da amizade. E, essa amizade quebrada, digamos assim, o torna um pouco delicado. Então, acompanhar uma possível reconstrução da mesma, é magnífico.

    O grande emaranhado em torno desse rompimento, traz curiosidade em relação ao desvendamento do mesmo, e sobre o que esse reencontro proporcionará para as personagens.

    Enfim, a proposta do livro é boa.

    ResponderExcluir
  3. Achei interessante pelo tema de amizade dessas duas, a coisa de se separar e voltar a se ver tempos depois e tudo isso. Mas confesso que não sei se leria e até desanimou ver falando que é um tanto difícil de terminar. Sou bem lerda pra ler e talvez isso nem fosse problema por isso, mas não é um livro que me chama muita atenção de cara também. Achei legal os mistérios e segredos da trama porque deve dar uma vontade de saber como tudo termina, mas achei meio difícil de acabar pegando pra ler.

    ResponderExcluir
  4. Estava toda animada com esse livro.
    É a primeira vez que leio sobre, mas o início da resenha me chamou atenção. Gosto de histórias sobre amizade, e a maneira como é abordada essa relação é bem interessante.
    Mas essa narrativa detalhista me incomoda, e acredito que também não fluiria pra mim.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi mana, então eu devo dizer que você realmente parece ter pegado o livro errado dela pra ler, eu já dela o livro O Homem De Montana faz muito tempo e foi um livro que ganhei em promoção mas mesmo assim foi uma boa leitura tanto que até hoje eu lembro da leitura com carinho. Eu acho o enredo pouco interessante pro meu caso e concordo com você quando os autores pecam no excesso de detalhe a leitura tende ser mais lenta. O melhor a fazer depois de ler esse livro pegar outro livro e dar uma chance pra autora depois de um tempo.

    ResponderExcluir
  6. A princípio A sinopse parece ser um tanto clichê mas ainda sim interessante. Mas se a autora se prende demasiadamente a detalhes..tudo Se modifica

    ResponderExcluir
  7. Um Segredo Doce e Amargo me apresentou uma sinopse tão legal, a história de duas amigas que possuem uma relação como um iô-iô, mas como disse na resenha, não parece mesmo valer a pena. Uma história com tão pouco para acontecer, mas muito detalhista não me parece a melhor opção.

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana,
    Sendo sincera, eu não tinha entendido bem a proposta na sinopse, pensei que focaria na amizade das duas, e esse segredo, pelo caminhar do enredo parece não convencer muito. Pena que os detalhes deixaram a leitura cansativa, sei como é quando isso acontece... Não conhecia a autora, mas espero que dê outra chance para os livros dela.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Poxa. pena que não foi uma boa leitura. Certamente muitos detalhes acabam deixando a leitura muito carregada e cansativa, dificultando o término do livro. Achei legal a história, fiquei curiosa sobre os segredos (quem não?!!) acho que seria um livro que eu daria uma oportunidade para ler apesar disso tudo.

    ResponderExcluir
  10. Alê!
    Já li vários romances da autora, principalmente livros de banca e os romances dela são mais serenos e equilibrados mesmo, sem muitos rompantes e dramas profundos e personagens marcantes. E carregado de detalhes, o que mais gosto.
    Uma pena que para voê não foi uma boa leitura ao ponto de não saber se irá ou não ler outros livros da autora.
    Desejo uma semana plena de luz e paz!
    “O homem está sempre disposto a negar tudo aquilo que não compreende.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  11. Olá Alê!
    Nunca tin ha ouvido flar do livro, parece bom, gostei por causa do mistério entre as amigas, me deixo curiosa, nunca li nd da autora tbm, seria uma oportunidade bacana. vou add nos desejados.
    bjs!

    ResponderExcluir
  12. Parece que o livro não tem nada demais, tirando o segredo que parece ser algo que surpreende e a amizade das duas. Não conhecia o livro e não despertou meu interesse. Sem falar nas páginas que ficaram enrolando com coisas sem necessidade.

    ResponderExcluir
  13. Sei que a Barbara Delinsky tem vários livros publicados aqui no Brasil. Só que até agora não realizei a leitura de nenhum livro da autora. E provavelmente não vou começar por esse. Pode ser que seja algo da escrita dela, mas eu espero que não, mas eu não gosto muito de detalhes em excesso. Achei a proposta legal. Duas amigas que se distanciam e que depois voltam a um lugar onde as duas se sentiam bem é algo bem instigante, levando em conta as diferenças entre elas e além disso, tem os mistérios, só que quando a história não é bem executada realmente fica difícil. Que pena que a leitura não foi agradável. Tomara que caso você leia outro livro da autora a experiência seja melhor.

    ResponderExcluir
  14. Nunca li nada da autora e nem conhecia este livro também, mas gosto bastante de tramas que nos trazem o tema amizade.
    Achei uma pena que o livro seja tão maçante, pois fiquei curiosa com o segredo de Charlotte.
    Mas confesso que não sei se leria o livro, pois quando a leitura é maçante eu acabo ficando presa por um mês na trama e isso me deixa muito irritada haha

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia o livro, nem a autora, mas gostei da sua resenha.
    Deu pra ver que não é dos melhores, mas é fofo, com uma história diferente e que traz algumas reflexões sobre amizade, etc.
    Fiquei curiosa para saber sobre esses segredos e tal.
    bjs

    ResponderExcluir
  16. Oi Alê,
    Gosto muito de histórias sobre amizades, principalmente de amigos de longa data. Mas Um Segredo Doce e Amargo é mais do que um enredo sobre a relação entre duas amigas, é sobre as diferenças entre elas e os desafios que com os anos foram surgindo em suas vidas. Tem muita coisa interessante nessa trama, mas o exagero da autora pode não ser agradável a todos os leitores. Eu, particularmente, não me importo com detalhes bem ou muito descritos, mas se a história não for tão boa, aí, realmente, o livro fica bem chato e cansativo. Fiquei curiosa sobre o segredo de Charlotte que, percebi, é o apelativo da obra, pois sem ele a premissa não seria interessante.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Alê!!
    Não lembro de ter lido nada da Barbara Delinsky, e sinceramente não conhecia essa história, e infelizmente não curto livros que descrevem detalhadamente o local a história torna-se maçante.
    Bjoss

    ResponderExcluir
  18. Olá, Alê
    Não li nada da autora, mas um livro que fala de culinária dá fome também.
    Quero ter chance de ler o livro e descobrir essa relação entre as amigas, porque se distanciaram e qual é o segredo de Charlotte.
    Beijos

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©