3 de outubro de 2018

Resenha: Ariel


Com a publicação póstuma do livro de poesia Ariel, em 1965, Sylvia Plath se tornou um nome de destaque na literatura norte-americana. No entanto, o manuscrito de Ariel deixado pela autora quando morreu, em 1963, era diferente do volume de poemas então publicado e mundialmente aclamado.
Esta edição bilíngue e fac-similar restabelece pela primeira vez a seleção e o arranjo dos poemas exatamente como Sylvia Plath os deixou antes de se suicidar. Além da reprodução dos manuscritos da autora, este volume também inclui os rascunhos completos do poema-título, “Ariel”, oferecendo ao leitor a oportunidade de acompanhar o processo criativo da poeta. Com esta publicação, o legado de Sylvia Plath pode ser reavaliado à luz de seu trabalho original e permanece conforme sua vontade.
Sylvia Plath conseguiu, em Ariel, transformar em poesia tanto assuntos particulares como eventos históricos trágicos. Seus poemas evidenciam as dores de uma vida traumática, marcada pela morte do pai e pelos conflitos com o marido infiel, e são a prova do talento dessa poeta que, com otimismo ou sofrimento, soube unir técnica e emoção e criar uma obra já clássica

Título Original: Ariel
Autor: Sylvia Plath
Páginas: 208
Tradução: Rodrigo Garcia Lopes
Editora: Verus
Livro recebido em parceria com a editora
Compre aqui

Poesias possuem uma linguagem diferente da linguagem utilizada nos romances. É uma escrita mais intima, introspectiva e, muitas vezes difícil de compreender. Com Ariel não é diferente. Apesar de não ter conseguir absorver tudo o que Plath quis dizer, a gente sente. Suas poesias transbordam para fora das páginas, é pesado, pungente e doloroso.

Sylvia Plath escreveu e organizou Ariel nos meses anteriores ao seu suicídio e isso fica claro em muitos poemas. A morte é um tema frequente e o leitor sente o peso e a presença da ideação suicida em vários momentos.

A autora incluiu em seus poemas alguns relatos de momentos de sua vida. Por isso, é importante conhecer ao menos um pouco da história de vida de Plath, pois isso contribui para um melhor entendimento dos poemas. A própria edição da Verus traz uma contextualização que já auxilia nesse sentido.

E por falar na edição, que capricho que a Editora Verus aplicou a esse livro. Além de lindo por fora, a edição é muito completa e bem trabalhada. Nas páginas do lado esquerdo, nós temos os poemas em sua forma original, do jeito como foram datilografados, corrigidos e rasurados por Sylvia e, nas páginas do lado direito, os poemas em português. É muito interessante ver as correções que Plath fez.

Alguns dos temas presentes nos poemas são a morte do pai de Sylvia, os relacionamentos familiares e o aborto. Os textos são tão cruéis que a impressão que temos é que Sylvia está sangrando no papel.Os textos de apoio também são complementos ótimos para uma leitura mais completa e entender o contexto de publicação dessa coletânea de poemas faz o leitor ter uma experiência única.

Ariel é leitura obrigatória para quer quer conhecer melhor essa que foi uma das maiores escritoras do mundo. Esses poemas, juntamente com o romance A Redoma de Vidro, são obras-primas indispensáveis e essenciais para quem deseja compreender melhor a depressão e o suicídio.

Para mim, é um privilégio ter acesso a essa coletânea em sua forma original, ou seja, da forma como Plath gostaria que fosse. Recomendo demais essa leitura, especialmente nessa edição linda da Editora Verus.

10 comentários:

  1. Puxa, ter um livro destes em mãos, é como ter um tesouro!!
    Já havia visto alguma coisa pela internet, mas muito pouco.
    Nada que seja comparado ao que esta obra apresenta e realmente, pelo pouco mostrado, a Editora caprichou!!
    Com certeza, vai para a minha lista de desejados.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Uma leitura avassaladora não é?!?
    Sylvia tão talentosa e famosa mas com seus próprios demônios a enfrentar!
    Vou procurar o livro pois fiquei curiosa em relação a essa edição.

    ResponderExcluir
  3. Pryscilla!
    Nossa! Amo poesias e gostaria de ler esse livro denso, tenso, doloroso e premeditado da autora.
    Os poemas devem transmitir todo sentimento de angústia por que ela passou e que antecedem seu suicídio.
    Desejo um mês abençoado!
    “A gratidão é o único tesouro dos humildes.” (William Shakespeare)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA OUTUBRO - 5 GANHADORES –
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  4. Nossa, mas esse não parece um livro pra qualquer um. Conhecendo a história da autora e o fim que teve, ver poemas dos meses anteriores ao fato deve ser bem pesado. E os temas de morte no meio só deixam a coisa mais densa. Leria por gostar de poesias e tem interesse em ver coisas da autora, mas esse parece um desses livros que o leitor tem que ter cuidado ao ler. É forte pelo visto.
    Ah, e a edição parece estar bem bonita mesmo.

    ResponderExcluir
  5. Sou completamente apaixonada por poesia.
    E de fato, todo poeta sangra no papel, escrever poesia acaba sendo uma necessidade.
    Já fiquem interessada nessa edição da Verus, deve ser um privilégio ler como realmente foi escrito.
    Temas fortes que Silvya abordou.
    Quero ler mesmo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Embora não sou fã de poesias, esse livro desperta interesse, deve ser muito triste e emotivo, por ter partes da historia da autora, não sei sobre ela, teria que me informar mais, pois meu receio com as poesias é o entendimento.

    ResponderExcluir
  7. Quero muito ler a biografia da Sylvia Plath. Dizem que é um livro de memórias sensacional. Ariel parece ser excelente. Meu único problema é não gostar tanto de ler um livro de poemas/poesia inteiro. Mas para quem gosta, com certeza vale super a pena.

    ResponderExcluir
  8. Oi Priscilla!
    Amo poesias, estou aqui quase me matando pq ainda não sabia desse livro, já tinha ouvido flar da autora, mas ainda não tive oportunidade de ler nd dela, é claro que vai para os desejados.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Oi Pri,
    Não conheço nada sobre a vida de Sylvia, e confesso que poesias não me prendem tanto, mas não nego o belíssimo trabalho que Ariel é. Acredito que se torna ainda mais belo por conter verdade, beleza, toda a vida da autora em suas palavras, é raro encontrar quem consiga transmitir tantos sentimentos em pequenos textos.
    Feliz que a edição esteja caprichada.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá, Priscila
    Gosto de poesias, mas não leio com frequência. Não li nada da autora, mas já ouvi falar sobre ela.
    Essa edição da Editora Verus está linda, adorei a capa, bilíngue que mostra os originais da autora.
    E nessas poesias ela aborda temas complicados como a morte, aborto e relacionamentos familiares, quero ter oportunidade de ler.
    Beijos

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©