13 de novembro de 2018

Resenha: Tudo Aquilo Que Nos Separa

Imagine a seguinte situação: você conhece um homem, vocês passam sete dias maravilhosos juntos, e você fica apaixonada. E o que é melhor: o sentimento é recíproco. Você nunca teve tanta certeza de algo na vida.
Então, quando ele parte numa viagem de férias agendada há muito tempo e promete te ligar para o aeroporto, você não tem nenhum motivo para duvidar disso. Mas ele não liga. Seus amigos dizem que você deve desencanar, que deve esquecer o cara, mas você sabe que eles estão errados. Eles não sabem de nada. Algo de ruim deve ter acontecido, deve haver um motivo sério para explicar o silêncio dele.
O que você faz quando finalmente descobre que tem razão? Que existe um motivo ― e que esse motivo é a única coisa que vocês não compartilharam um com o outro? A verdade.

Título Original: The Man Who Didn't Call
Autora: Rosie Walsh
Páginas: 336
Tradução: Márcio El-Jaick
Editora: Record
Livro recebido em parceria com a editora

Em Tudo Aquilo Que Nos Separa, conhecemos Sarah Mackey, uma mulher que, quando jovem, se viu obrigada a abandonar o seu país de origem para tentar superar a perda de uma pessoa importante. Todos os anos Sarah volta à Inglaterra no aniversário do acidente, mas em sua última visita, conhece Eddie. O encontro entre os dois ocorre de uma maneira bem divertida e natural, e a conexão entre ele é notada logo nas primeiras páginas. Sarah e Eddie passam sete dias incríveis juntos, e, no último, ele promete que vai telefonar em breve, mas simplesmente desaparece. 

Sarah falta entrar em colapso tentando entender o porquê de Eddie ter sumido, e quando eu digo colapso, quero dizer surtada. Sabe quando a gente tem uns 16 anos e não aceita que o boy não quer mais nada? Pois é... Ela liga, manda mensagem no Facebook, chega a criar um perfil numa rede social de relacionamentos para ver se ele estaria por lá, mas não tem nenhuma resposta. Porém, algumas coisas bem estranhas começam a acontecer: Sarah recebe telefonemas silenciosas e mensagens de texto de um número desconhecido, além de jurar que está sendo vigiada por alguém. A partir daí, temos certeza que existe alguma coisa bem errada nessa história toda.

A trama de Rosie Walsh é boa, mas deixa a desejar em alguns pontos. Primeiramente, foi impossível para mim ter o mínimo de empatia pela protagonista, principalmente por causa do seu comportamento infantil. Além do mais, eu detesto quando um autor coloca uma mulher como louca em uma história, me incomoda muito. Em segundo lugar, Eddie e os personagens secundários — Tommy, Jo e Jenni, melhores amigos de Sarah — não têm um pingo de carisma e desenvolvimento, o que impediu a minha conexão com eles. Como o livro é narrado em primeira pessoa sob o ponto de vista de Sarah, o que conhecemos das pessoas próximas é o que ela mostra, mas a paranoia é tão grande que não sobra espaço para falar deles.

Apesar de inesperado, achei o plot twist muito fraco e um tanto forçado. Na minha opinião, o enredo poderia ter sido melhor aproveitado se Walsh tivesse focado um pouco mais nos sete dias em que os protagonistas ficaram juntos. A gente só acredita que foi inesquecível porque Sarah diz isso, mas tal fato não é realmente mostrado. Não existe aquele romaaaaaaaaaaance de tirar o fôlego, só algumas lembranças superficiais que podem acontecer com qualquer pessoa, nada de extraordinário e tocante.

A propaganda em volta do livro promete uma história emotiva, que levará o leitor às lágrimas, mas, para mim, a narrativa assume um tom misterioso demais para emocionar. Em contrapartida, acredito que isso não seja um defeito, visto que o mistério acerca do sumiço de Eddie é o que movimenta a trama. Assim como Sarah, a gente quer saber desesperadamente o que aconteceu, o que nos instiga a finalizar a leitura. De um modo geral, o que eu mais gostei na história foi esse enigma, que fez com que eu terminasse der ler o livro em uma sentada. É justamente por isso que considero Tudo Aquilo Que Nos Separa um livro bom — mas que tinha potencial para ser maravilhoso.

14 comentários:

  1. Realmente a campanha de Tudo Aquilo Que Nos Separa tá bem grande. Além da editora vários igs estão falando sobre ele.
    O que achei interessante foi a forma como foi construída a narrativa: em três partes.
    Achei pela resenha que Sarah se apegou rápido demais ao Eddie mas mesmo assim tô aqui em cólicas pra saber o que aconteceu com ele. Sumiu? Morreu? Era bom ou canalha?
    Também curti o fato do romance acontecer com personagens na faixa dos 30 anos

    ResponderExcluir
  2. Justamente o mistério do sumiço do cara é que me prenderia à leitura. Já fiquei curioso só com a resenha, mas receoso com a tal reviravolta. Não gosto quando o autor do nada, desejando surpreender o leitor, faz algo totalmente sem sentido. Quero ler.

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana,
    Olha, só o mistério mesmo para manter o leitor kkk Porque o enredo está todo errado. Ando fugindo de personagem infantil, e a princípio já vemos que Sarah é exatamente isso. Quando li a sinopse, esperava aqueles romances bem amorzinho sabe, me decepcionei.
    Mesmo você dizendo que considera um bom livro, não tenho vontade de ler, sinceramente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Realmente os anúncios para este livro foram e ainda estão em alta! Eu ainda não pude ler o livro de fato, mas tenho lido algumas resenhas. Umas nem tão positivas e algumas, boas demais.
    Gosto muito desse amor inesperado e avassalador. Mas claro que a parte ruim da história, do sumiço, do procurar ou esperar, não é tão bom assim.rs(mas faz parte)
    Mas pelo que entendi acima, o livro não traz de fato um drama daqueles sofridos, mas parte mais para o lado da investigação e eu gosto muito disso tudo.
    Doida para saber o final deste enredo.
    O livro está na listinha da desejados e espero ter e ler em breve.
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana,
    Adoro histórias que prometem emocionar o leitor e quando esta vem com a proposta de um pequeno mistério fico ainda mais interessada. Encontrar um amor quando menos se espera e de uma forma tão intensa e verdadeira não é para todos e claro Sarah tinha mais era que aproveitar isso, se entregar para algo que ela tinha certeza e confiar no que seu coração estava dizendo. Mas, tudo isso pode ser demais para ela, principalmente quando Eddie some e faz com que a relação passe a se tornar o único foco da vida da protagonista. Realmente a história tem muito potencial e eu achei que os sete dias de romance ocupariam uma boa parte da trama, pois seria o envolvimento emocional do leitor com a história e o restante se desenvolveria no mistério e nas outras relações entre os personagens. Ainda assim, todo o suspense sobre Eddie despertou curiosidade suficiente para me deixar interessada na leitura deste livro.

    ResponderExcluir
  6. Nossa, mas tenho visto tanta gente falando ser lindo, um baita livro que emocionou e que tem uma história forte...
    Isso do jeito da protagonista não ter te agradado já me deixou pé atrás. E o romance também. Umas coisas que podiam desenvolver melhor com personagem e coisa e tal já me deixa com medo de pegar e achar bobo. Queria ler, mas acho que vou com menos sede nesse pote viu. Tava esperando muito pelo que já tinha visto, mas é bom ver umas resenhas assim pra acalmar os ânimos e ir com calma.

    ResponderExcluir
  7. Poxa, estava pensando que essa seria uma ótima leitura para chorar horrores; me enganei!
    Não sou tão fã de mistério, e pensei que esse não seria o foco.
    Acho que a autora teve uma ótima ideia, mas pelo visto seguiu por outro caminho.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Quando mais ia lendo a sinopse, mas agonia me dava, como assim? A verdade! A Sarah é tipo tão eu kkkkk, na minha cabeça tem um motivo (normalmente muito ruim) para o boy desaparecer, mas que pena que os outros pontos potenciais do livro não foram tão bem utilizados, dá até uma peninha ai você fica pensando "caramba tinha tudo para ser um top 10 na minha lista", mas confesso que o enigma deve ser de se motivar mesmo, estou curiosa!

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ana!!
    O livro promete ser bem emotivo e que fará o leitor se emocionar e chorar muito.. Mas tudo que acho interessante na história é o mistério do sumiço do Eddie e o que realmente aconteceu com ele. Enfim bem curiosa para saber mais sobre as reviravoltas da história.
    Bjos

    ResponderExcluir
  10. A premissa demonstra um livro realmente maravilhoso. Porém, seu ponto de vista co relação aos personagens e o desfecho me deixaram com um pé atrás. Mas confesso que fiquei curiosa demais Lara saber o que aconteceu com Eddie e porque ele desapareceu tão de repente.
    Inúmeras possibilidades passaram pela Minh cabeça até eu concluir a leitura da resenha, e acho que esse número se tornará infinito até eu poder ler Tudo Aquilo Que Nos Separa.

    E como sempre, adorei a resenha e seu ponto de vista.

    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Ana!
    Pena a protagonista ser atitudes tão infantis e não permitir que haja empatia.
    Não entendo como uma escritora, não consegue desenvolver um plot até interessante, poderia ter escolhido tantas vertentes e explorado melhor.
    As editoras fazem o papel de divulgação para comprarem os livros, infelizmente, a tal da propaganda enganosa...
    “Felizes são os que ajudam os pobres, pois o Senhor Deus os ajudará quando estiverem em dificuldades.” (Bíblia)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  12. Olá, Ana
    Gostei da premissa do livro, não li nada da autora.
    Assim como você tenho certeza que ia ler o livro só pelo mistério que envolve Eddie, mas poderia ter mostrado mais os amigos de Sarah.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Eu achei o livro bastante carregado em elementos românticos e eu esperava pela capa e pela sinopse uma história bastante dramática mas não foi isso que eu recebi embora o livro tenha sido uma leitura agradável realmente não me surpreendeu ou teve um elemento diferencial

    ResponderExcluir
  14. Ana, gostei da premissa, mas pela sua resenha acho que eu não ia gostar não.
    Também não gosto dessas personagens loucas kkkkk
    E esse sumiço desse Eddie me pareceu bem estranho, tem cara de algo assustador ou supertriste.
    Vamos ver, pode ser que eu leia...
    bjs

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©