26 de julho de 2019

Resenha: Dumplin'

Especialmente para os fãs de John Green e Rainbow Rowell, apresentamos uma destemida heroína e sua inesquecível história sobre empoderamento feminino, bullying, relação mãe e filha, e a busca da autoaceitação. Sob um céu estrelado e ao som de Dolly Parton, questões como o primeiro beijo, a melhor amiga, a perda de alguém que amamos demais e “estou acima do peso e ninguém tem nada com isso” fazem de Dumplin’ um sucesso que mexerá com o seu coração. Para sempre. Gorda assumida, Willowdean Dickson (apelidada de Dumplin’ pela mãe, uma ex-miss) convive bem com o próprio corpo. Na companhia da melhor amiga, Ellen, uma beldade tipicamente americana, as coisas sempre deram certo... até Will arrumar um emprego numa lanchonete de fast-food. Lá, ela conhece Bo, o Garoto da Escola Particular... e ele é tudo de bom. Will não fica surpresa quando se sente atraída por Bo. Mas leva um tremendo susto quando descobre que a atração é recíproca. Ao contrário do que se imaginava – a relação com Bo aumentaria ainda mais a sua autoestima –, Will começa a duvidar de si mesma e temer a reação dos colegas da escola. É então que decide recuperar a autoconfiança fazendo a coisa mais surreal que consegue imaginar: inscreve-se no Concurso Miss Jovem Flor do Texas – junto com três amigas totalmente fora do padrão –, para mostrar ao mundo que merece pisar naquele palco tanto quanto qualquer magricela.

Título Original: Dumplin'
Autora: Julie Murphy
Páginas: 336
Tradução: Heloísa Leal
Editora: Valentina
Compre aqui

Não é de hoje que Dumplin' faz o maior sucesso, tanto no Brasil quanto na gringa, mas confesso que só tive vontade de lê-lo após assistir ao filme homônimo na Netflix. Eu gostei muito do filme, porque geralmente quando encontramos enredos sobre meninas gordas, elas simplesmente sofrem muito e vivem uma luta para emagrecer, e não é isso o que acontece com Willowdean Dickson, a personagem principal dessa história.

Will é uma adolescente na casa dos 17 anos que vive uma vida boa e comum. Sua mãe é uma ex-miss e vive preocupada com o sobrepeso da filha, mas Will não se importa nem um pouco. Ela é gorda e ponto final, não acha que essa característica seja um insulto ou um xingamento, muito menos que ela é uma pessoa inferior por causa disso. Sua autoconfiança é realmente incrível, mas dá uma leve balançada quando descobre que o seu colega de trabalho, Bo, também é apaixonado por ela. Quer dizer, tudo bem ela se apaixonar pelo cara mais lindo que estuda no colégio particular, mas ele se apaixonar por ela?

Então, para provar a si mesma que um corpo é apenas um corpo, Will resolver fazer a maior loucura da sua vida: se inscrever para o Concurso Miss Jovem Flor do Texas — sim, o mesmo concurso que sua mãe venceu no passado e agora coordena. O que ela não imaginava é que sua inscrição encorajaria outras meninas "fora do padrão" a fazerem o mesmo, afinal, uma menina é apenas uma menina e deveria, ao menos na teoria, ter as mesmas chances que qualquer participante, não é mesmo?

Há algo no biquíni que faz com as mulheres achem que precisam conquistar o direito de usá-lo. E isso é um absurdo. Na verdade, o critério é muito simples: você tem um corpo, não tem? Então veste um e manda a ver!

Dumplin' pode até se passar em um ambiente escolar, mas é bem diferente de todos os livros que já li do gênero e essa diferença se dá pela protagonista. E não, não é porque ela é gorda, isso não faz uma pessoa diferente. É porque Will é muito real: ao mesmo tempo que demonstra uma força inabalável, mostra, também, que é um ser humano como qualquer outro, cheio de medos e inseguranças. A única coisinha que me incomodou foi o fato de ela ser babaca em vários momentos com sua melhor amiga, Ellen, e com as outras meninas que entraram no concurso.

O mais interessante, imagino, é que Julie Murphy não criou uma protagonista estereotipada, apenas com o intuito de "inspirar" outras meninas gordas. O fato de ela ser muito idiota em alguns momentos e ter vários rompantes de raiva, por exemplo, só mostra que ela é uma adolescente normal. Outro personagem muito bom é o Bo, muito mais que "o aluno popular da escola particular". Na verdade, o simples fato de ele não ser colocado como o macho tóxico babaca — o que é muito comum & romantizado em livros do gênero, acreditem — foi um alívio e tanto para mim.

Apesar de ter gostado muito do livro, Dumplin' é uma das poucas histórias que digo, com certeza, que o filme é melhor. Na produção cinematográfica, Will é mil vezes mais legal e ela resolve participar do concurso por um motivo bem diferente e bem mais bacana, na minha opinião. Ah, a parte do concurso em si também, que já é bem no finalzinho, é infinitamente melhor no filme, já que envolveu uma superprodução — e eu estava esperando isso no livro também. Mas o que importa, na verdade, é que ambos querem passar a mesma mensagem: a gente não tem que ser uma beldade de capa de revista para estar bem, feliz e se sentir poderosa.

Tirando o final meio borocoxô, a obra de Murphy é extremamente leve e divertida, o que faz com que eu me lembre o porquê de eu gostar tanto de young adults. Recomendo veemente a leitura desse livro cujo foco é o romance adolescente, mas recomendo infinitamente mais o filme, que arrasa no quesito amor próprio e autoconfiança.

17 comentários:

  1. Eu não li o livro ainda, mas já vi o filme duas vezes e acho que vou concordar contigo no quesito filme ser melhor..rs
    Parece estranho, mas já li algumas resenhas do livro e nada como ver Dumplin ali, encarnada realmente no papel da atriz e claro que tem Jennifer e isso já é muito bom.
    Mas mesmo assim, com certeza, ainda quero ler a obra só para comparar!rs
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Não conhecia o livro e também não sabia da existência do filme na netflix, mas já vou assistir esse fim de semana. Achei bem legal a premissa do livro, de cara quebra o estereótipo que já esperamos. Uma garota sofrida que sofre e não consegue viver bem com seu corpo. Quero muito ler.

    ResponderExcluir
  3. Assisti a Dumplin na Netflix recentemente e confesso que chorei horrores. Especialmente na parte do concurso. É triste admitir, mas, como você mesma disse, o filme é melhor que o livro.
    Sobre o livro, Willow foge dos padrões que é comum com personagens gordas, ela se aceita e convive bem com o fato. Não faz dietas malucas e nem tenta se encaixar nos padrões. Ela é assim e ponto final.
    Fiquei com raiva e ao mesmo tempo entendi a reação dela em relação os sentimentos de Bo.
    Willow inspira as leitoras a se aceitarem

    ResponderExcluir
  4. Já ouvi falar sobre Dumplin, mas ainda não li o livro nem assisti ao filme.
    Realmente, a autoconfiança da protagonista quebra o estereótipo da gorda sofrida, ao mesmo tempo em que, como qualquer pessoa, ela tem seus momentos de insegurança.
    Acho muito legal o filme ter superado as tuas expectativas quando comparado ao livro. Infelizmente, no momento, sem Netflix para conferir. Mas, valeu pela dica!

    ResponderExcluir
  5. Amei aquele filme que saiu e não foi um livro que me inspirou tanta vontade de ler quando vi pela primeira vez. Também não busquei saber tanto da história. Se soubesse melhor teria lido antes. Parece um livro tao gostoso de conhecer e amei isso de fugir daquele clichê de livro adolescente com coisa de escola e tal, aquele padrãozinho. A personagem parece madura, mesmo com esses rompantes de babaquice e detalhes que podem fazer a gente não simpatizar tanto. Mas deve acabar simpatizando sim porque desse jeito é mais real, uma pessoa mais fácil de ver, de acreditar. É um livro que fiquei com vontade de ler agora.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ana
    Toda vez que acesso a Netflix penso em ver o filme, mas gosto de ler o livro primeiro. Mas depois de ler sua resenha penso que vou assistir o filme sem ler o livro mesmo.
    Mesmo com alguns problemas gostei de saber que a personagem é bem real, quero poder ler o livro em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Gostei de Dumplin', mas confesso que esperava mais do concurso; parecia que era um concurso para quebrar padrões e tal, só que ficou em segundo plano.
    Ainda não assisti o filme, sou bem chata com adaptações, mas agora quero conferir para ver se vou achar melhor que o livro.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ludy, acho que o filme expressa bem essa coisa de quebrar padrões no concurso, sério. Acho que foi por isso que eu acabei gostando mais! Depois me conta se você curtiu.

      Excluir
  8. Mais um filme que eu não sabia que era baseado num livro hahaha Sinceramente eu fiquei com vontade de assistir o filme mais ainda não tive tempo. Talvez eu devesse primeiro ler o livro e depois assistir o filme. QUer dizer, normalmente eu já faço isso, mas nesse caso bastante específico em que o filme é melhor que o livro, parece ser a coisa mais esperta a se fazer.

    ResponderExcluir
  9. Oiii ❤ O que mais me faz querer ler esse livro é o fato de Willow quebrar o padrão do corpo perfeito e de ela não querer emagrecer para agradar os outros. É difícil encontrarmos personagens que aceitam o próprio corpo da forma que é.
    Acho tão importante que livros/filmes mostrem que você é bonita da forma que é e não precisa mudar nada em você por causa das pessoas ao seu redor.
    Eu gostaria de ler o livro, mas confesso que estou mais animada pra assistir o filme, já que ele parece ter aspectos mais agradáveis que o livro.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  10. Olá! Uma das coisas que mais gostei de saber sobre esse livro é o fato de que a autora não criou uma personagem estereotipada, mas sim uma adolescente normal, totalmente humana e que também erra.
    O livro parece ótimo, mas o filme me empolgou bem mais, já que no mesmo foi trabalhado mais a questão do amor próprio e da autoconfiança, tópicos muito importantes e que precisam ser trabalhados.
    Me incomodou que a Will por vezes seja bem babaca com as outras garotas que também entraram no concurso e com sua própria amiga.
    Espero poder conferir o filme e o livro em breve! Obrigada pela indicação!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, e erra bastante viu. Mas talvez, no fundo, seja coisa de adolescente mesmo. O filme é bem melhor, nossa. Acho que fizeram um trabalho maravilhoso. Assim, no filme Will é babaca em algumas partes também, mas bem menos que no livro.

      Excluir
  11. Olá!
    Já ouvi fala tanto desse livro, do filme que estou com muita curiosidade para ver e também para ler, mas prefiro antes ler e depois assistir. Sempre faço isso. A historia é muito fofa e basicamente fora do padrão de beleza que a sociedade exige e gosto muito disso, de ver que a personagem não é uma mulher incrivelmente linda. Espero muito poder ler!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  12. Oi, Ana!!
    Assisti o filme Dumplin' e bateu aquela curiosidade de ler o livro também e sinceramente achei o filme é muito bom, não que o livro seja ruim só que não concordei com tudo que a autora colocou no livro por exemplo algumas atitudes da Will.
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Eu ameeeeei demais o filme, se tornou um dos meus preferidos!
    O livro comecei a ler, mas não fluía, então parei. Mas quero voltar a ler em breve.
    A história é realmente tocante e ler sobre uma protagonista forte e que não se obriga a passar por dietas malucas é muito necessário!
    Não gostei da Ellen do filme e pelo que li, ela é mais chata no livro, rsrs
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, tomara que você consiga finalizar o livro! Mas acontece, talvez você esteja esperando muito dele pelo fato do filme ser um dos seus preferidos, né?

      Excluir
  14. Olá Ana ;)
    Ainda não li o livro, mas vi a adaptação de Dumplin. Gostei bastante dos temas que foram abordados na história, e achei o longa leve e com vários ensinamento. Acredito que pelo que você falou o filme foi fiel ao livro!
    Como você disse, é demais que a história fala sobre esse tema, sem fazer com que a personagem se limite à tentativa de emagrecer para agradar outras pessoas, o que é comum em livros/filmes assim.
    E isso que é lindo nos young adults, esse poder de fazer com que uma história possa ser leve e ao mesmo tempo ensinar uma lição a todos!
    Bjos

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©