Sumchi | Amós Oz


As emoções, as fantasias e as trapalhadas de um menino na conquista do primeiro amor. Sumchi é um menino de 11 anos, crescendo na Jerusalém ocupada pelos ingleses e tentando escapar das provocações dos meninos da vizinhança e se aproximar da garota por quem é apaixonado, Esti. Ao ganhar uma bicicleta de seu tio Zemach, tem início uma aventura de fantasia e desilusão, medo e amadurecimento. Nesta adorável novela, que condensa acontecimentos de um dia de verão, em 1947, Amós Oz retrata com enorme sensibilidade a leveza e a intensidade do primeiro amor.

Título Original: Soumchi
Autor: Amós Oz
Páginas: 130
Tradução: Paulo Geiger
Editora: Companhia das Letras
Livro recebido em parceria com a editora
Compre aqui

Não consigo esconder minha paixão por livros infantis. Por mais simples que as tramas pareçam, sempre há uma mensagem forte ou um personagem que a gente carrega para sempre. Foi assim com a história do israelense Amós Oz, Sumchi, que apesar de ser singela, é quase como um conto de fadas. Com uma linguagem rica — e acessível, ao mesmo tempo —, o autor nos apresenta a história de Sumchi, um menininho de 11 anos que vive na Jerusalém ocupada pelos ingleses.

Tudo começa quando ele ganha uma bicicleta de seu "tio maluco" que ele tanto ama e admira. Parte dessa admiração vem, imagino, pela identificação que Sumchi tem com ele, já que é um garoto de espírito aventureiro e corajoso. É por causa dessas características do protagonista que conseguimos acompanhá-lo durante um dia inteiro, período de tempo em que se passa a trama, onde as teias do destino o levam para a companhia de Esti, a garota que tanto gosta.

É realmente uma história de amor, mas obviamente diferente dos livros de romance — afinal, é direcionado ao público juvenil —, pois mostra como esse sentimento é puro entre as crianças. O livro inteirinho é a própria definição do primeiro amor, pois Sumchi não tira Esti da cabeça por um momento sequer, inclusive aqueles em que está metido em alguma confusão.

Então, acredito que Sumchi é uma história sobre ritos de passagem: a história de um menino que está na iminência de deixar a infância para trás para mergulhar num mundo inteiramente novo, onde qualquer decisão pode mudar o curso de um dia inteiro — consequentemente, de uma vida inteira. De forma geral, é uma bela reflexão sobre o tempo e o que podemos fazer com ele.

Amós Oz foi o único escritor israelense a ter obras traduzidas para diversas línguas, além de ter recebido diversos prêmios pela sua vasta bibliografia. Sumchi foi publicado no Brasil pela Companhia das Letras em maio de 2019, uma maravilhosa homenagem para o autor, que completaria 80 anos caso estivesse vivo. 

Postar um comentário

19 Comentários

  1. Eu não sou de ler livros infantis, mas pela resenha, não sei pq, eu me lembrei do filme animado de O Pequeno Príncipe, de 2015. Pode ter temáticas completamente diferentes, mas quando vc disse q fala de fantasia, desilusão e amadurecimento foi o q me veio à cabeça... eu amei esse filme e talvez goste do livro, espero q ele dê o mesmo calorzinho no coração :)

    ResponderExcluir
  2. Gente, que lindo!
    Estou encantada com essa premissa; e a capa não parece se tratar de um livro infantil.
    Também gosto muito das mensagens que esses livros trazem.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá! ♡ Também gosto de livros infantis, de maneira simples e com uma linguagem acessível eles conseguem passar mensagens importantes tanto para as crianças quanto para os adultos támbem.
    Achei fofinho o livro tratar sobre o primeiro amor! ♡
    Sumchi parece um personagem encantador, estou animada para conhecê-lo.
    Ainda não conhecia o escritor, mas vou procurar me informar mais sobre seus livros!
    Obrigada pela indicação! Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  4. Também tenho um carinho especial por livros narrados pelo ponto de vista de uma criança e mesmo quando são coadjuvantes e roubam a cena.
    Sumchi tem uma história singela um menino de 11 anos com sua bicicleta e o coração cheio de amor por uma menina e assim vai viver grandes aventuras e o leitor aprende algumas lições.
    Sumchi é praticamente uma fábula dos dias atuais.

    ResponderExcluir
  5. Gostei de onde se passa e disso de falar do primeiro amor. Impossível não se encantar e até lembrar da própria infância, de quando ganhou a primeira bicicleta e das aventuras de criança. Essa transição pra vida adulta e como faz refletir parecem bem legais também. Um bom livro do gênero ^^

    ResponderExcluir
  6. Concordo que enredos que têm crianças como protagonistas, carregam a intensidade dos sentimentos que vivemos nessa época. O cenário da trama também é algo que chama minha intenção, por ser diferente da maioria que costumo ler. Imagino que deve ter sido um dia repleto de aventuras para o menino Sunchi. Quero ler.

    ResponderExcluir
  7. Ahhh!!!Que gracinha!rs adoro livros infanto juvenis, destes que sim, sempre trazem alguma lição importante a todos nós, que por culpa do tempo corrido e judiado, acabamos nos esquecendo de como é gostoso ser criança.
    E adorei isso do amor puro, ingênuo,ainda mais numa criança de 11 anos, onde essa "paixãozinha" se mistura a brincadeiras, aventuras e afins!
    Doçura, li isso na resenha e com certeza, quero muito conhecer a história.
    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana,
    Acho que as histórias infantis nos marcam tanto, pois através da inocência vemos tantas mensagens importantes e de impacto, mesmo quando parecem simples e bem óbvias. Pequenos detalhes como a bicicleta, que foi presente do tio, me fazem lembrar de minha própria infância e isso me deixa bem curiosa para a leitura deste livro. Sumchi me parece ser mais que o livro infantil, pois mesmo que a história aqui se passe no decorrer de um único dia, quando se é criança em 24 horas muita coisa pode acontecer, inclusive o primeiro amor. Adorei essa indicação!!

    ResponderExcluir
  9. Olá, Ana
    Sou suspeita para falar que amo livros infantis!
    Que enredo lindo com um menino maravilhoso que dá vontade de guardar dentro de um potinho, que mesmo tendo 11 anos ainda brinca e faz de tudo pelo seu amor.
    Obrigada pela dica maravilhosa.
    Quero poder conhecer essa estória em breve, beijos!

    ResponderExcluir
  10. Ah, amei a indicação! Amo livros infantis e, além disso, Sumchi tem um fundo histórico, pois se passa quando Jerusalém estava ocupada pelos ingleses.
    O fato da narrativa se passar em um dia, me lembrou a resenha de O Dia de Julio, que viveu 100 anos. Acho que os dois livros são muito intensos, por evidenciar a questão cronológica e nos trazem importantes reflexões, porque retratam o contexto de guerras, ao mesmo tempo em que falam de amor.
    Sumchi já foi adicionado à minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  11. Oiii ❤ Gosto muito de ler livros infantis, o que mais me agrada neles é a simplicidade ao abordar temas importantes, a sensibilidade que muitos autores têm para escrever para as crianças de uma forma que elas entendam e possam refletir.
    Sumchi deve ser uma graça de livro, pequeno em páginas, mas com bons ensinamentos.
    Gostei que o autor decidiu escrever sobre um garotinho que vive em Jerusalém, geralmente não vemos muitos personagens que vivem lá.
    Deve ser legal ver como o amor é para as crianças e como ele vai evoluindo entre elas. Ver como entre crianças isso é algo puro e bonito.
    Vou colocar Sumchi na minha lista de leituras, com certeza.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  12. Que lindo, um romance infantil. Achei muito legal a resenha e consigo até imaginar a diferença da época em que se passa a història para os dias atuais, e como seria. Este é um livro que chamou minha atenção e que quero muito ler.

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Esse ano li alguns livros infantais e adorei bastante a historia e de como ela é passada. Não seria diferente com esse livro, fiquei um tanto curiosa por ele, tem uma premissa ótima.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Livros infantis são minha religião, é o que eu costumo dizer. ahahaha

      Excluir
  14. Eu ainda não conhecia o livro e poxa, tenho certeza que se encontrasse ele numa livraria e fosse julgá-lo pela capa, sem ler a sinopse ou algo sobre ele eu nunca diria que ele é um romance infanto juvenil. Fui pesquisar sobre o livro pois fiquei curioso e pelo que vi ele foi escrito em 1978, incrível! Faz tempo que não leio algo do tipo, acho que Sumchi possa ser uma leitura interessante.

    ResponderExcluir
  15. Oi Ana ;)
    Livros que se passam em lugares bem diferentes (do que estou acostumada) sempre chamam minha atenção, pois acho que conseguimos aprender mais sobre a cultura daquele local.
    Assim como você também gosto de livros infantis, apesar de não ter lido muitos. Esse parece ser um livro bem reflexivo mesmo, e amei saber os temas abordados pelo autor no livro.
    E que mais autores de Israel tenham essa chance de terem suas obras traduzidas para muitos países :)
    Bjos

    ResponderExcluir
  16. Oi , Ana
    Que lindo!
    Parece ser tão puro e tocante!
    Meio poético até!
    Também adoro livros infantis, e o Sumchi parece ser tão fofo e divertido.
    Já quero!
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo, meio poético.
      Engraçado que até faz a gente se lembrar da própria infância.

      Excluir
  17. Oi, Ana!!
    Que livro mais fofo e emocionante, já tem um bom tempo que não leio livros infantis. Achei a história maravilhosa e adoraria fazer a leitura dele!!
    Bjs

    ResponderExcluir