Um Lugar Bem Longe Daqui | Delia Owens - Roendo Livros

9 de outubro de 2019

Um Lugar Bem Longe Daqui | Delia Owens


Por anos, boatos sobre Kya Clark, a “Menina do Brejo”, assombraram Barkley Cove, uma calma cidade costeira da Carolina do Norte. Ela, no entanto, não é o que todos dizem. Sensata e inteligente, Kya sobreviveu por anos sozinha no pântano que chama de lar, tendo as gaivotas como amigas e a areia como professora. Abandonada pela mãe, que não conseguiu suportar o marido abusivo e alcoólatra, e depois pelos irmãos, a menina viveu algum tempo na companhia negligente e por vezes brutal do pai, que acabou também por deixá-la.
Anos depois, quando dois jovens da cidade ficam intrigados com sua beleza selvagem, Kya se permite experimentar uma nova vida — até que o impensável acontece e um deles é encontrado morto.
Ao mesmo tempo uma ode à natureza, um emocionante romance de formação e uma surpreendente história de mistério, Um Lugar Bem Longe Daqui relembra que somos moldados pela criança que fomos um dia e que estamos todos sujeitos à beleza e à violência dos segredos que a natureza guarda.
A obra foi incluída no clube de livros de Reese Witherspoon, que posteriormente adquiriu os direitos de adaptação cinematográfica e vai produzir o filme com a Fox 2000.

Título Original: Where The Crawdads Sing
Autora: Delia Owens 
Páginas: 336
Tradução: Fernanda Abreu
Editora: Intrínseca
Livro recebido em parceria com a editora

De uns dias para cá estou sofrendo com um bloqueio criativo gigantesco, que não apenas me impede de ler com a frequência que preciso, mas também me atrapalha a falar sobre os livros que ando lendo. Engraçado começar essa resenha falando isso, mas acho que precisava dizer para as coisas começarem a fluir de novo, talvez. Hoje, especialmente, falarei sobre Um Lugar Bem Longe Daqui, obra que me deixou deveras intrigada logo no seu lançamento, e que me deixou muito, mas muito pensativa assim que finalizei a leitura.

Catherine "Kya" Clark tinha apenas seis anos quando sua mãe foi embora pela estradinha minúscula que chegava até o barracão onde moravam, no brejo, em 1952. Pouco tempo depois, foi abandonada pelos irmãos, que, assim como Ma, não aguentavam mais o pai violento. Kya ainda ficou na companhia do pai por um tempo, até que um dia ele saiu e nunca mais voltou. A partir daí, o brejo passara a ser a companhia da garotinha, não apenas sua casa. Aprendeu a pescar, cozinhar, manter a casa em ordem e, principalmente, aprendeu a se esconder.

Um Lugar Bem Longe Daqui alterna a narrativa entre presente e passado, nos contando um pouco da história de abandono da protagonista, desde quando a mãe vai embora até sua vida adulta. Fico pensando se algum dia terei contato com algum outro personagem tão determinado. Apesar da solidão e da melancolia que a consumiam, Kya nunca desistiu de sobreviver. Mesmo com todo o preconceito, já que era conhecida como a "Menina do Brejo", ela continuou seguindo sua vida, tentando até mesmo se aproximar de algumas pessoas.

Primeiramente surgem Pulinho e Mabel, um casal dono de uma pequena lojinha que se compadece da situação da garotinha e passa ajudá-la da forma como podem, seja comprando mariscos e peixes defumados sempre que ela levava, seja doando algumas roupas usadas, dando alimentos. Pulinho acaba se tornando, de certa forma, o pai de Kya. Foi um dos meus personagens preferidos. Aliás, é importante, talvez, salientar que Pulinho e Mabel eram pessoas negras em uma história que se passa em meados de 1950, 1960, na Carolina do Norte, época e lugar onde o racismo dominava. Acredito que por sofrerem tanto, os dois eram totalmente livres de preconceitos.

Outro personagem essencial para a história é Tate, o primeiro — e talvez único — amor de Kya, um garoto sensível e inteligente, fascinado pelo brejo. É ele que faz florescer o conhecimento da menina, já que é ele quem a ensina a ler. A partir daí, conhecemos uma personagem diferente, mais forte e mais inteligente. E é engraçado, porque no meu primeiro contato com o livro imaginei que acompanharia a vida de uma selvagem, mas Kya é totalmente o oposto, possuidora de uma intelectualidade obviamente desconhecida por todas as pessoas que simplesmente a viam como a Menina do Brejo.

Porém, como nem tudo são flores, Tate vai fazer faculdade em outro estado e, mesmo prometendo, não volta mais. A vida de Kya, como puderam perceber, é cercada de abandonos e muito drama. Ainda que o estilo de narrativa Delia Owens não tenha sido usado para despertar pena da protagonista, é impossível não sentir, no mínimo, empatia. Quando Tate vai embora, é a vez de Chase Andrews se aproximar da garota, que estava sensível e vulnerável. Ela viu em Chase um porto seguro, alguém em quem ancorar. Mas é óbvio que não se podia esperar muita coisa do garoto mais cobiçado da cidade, não é mesmo?

E aí que vem o ponto principal da história, que não é spoiler, não se preocupem: Chase Andrews é simplesmente encontrado morto em uma manhã de outubro de 1969 e, é claro, todas as pistas — ou falta delas — levam à Kya. Justamente por isso o estilo de narrativa, mesclando passado e presente, de forma que consigamos chegar em alguma conclusão a partir das informações que nos são dadas. Apesar desse mistério no enredo, o foco do livro está em contar a vida de Kya, e foi por isso que eu gostei tanto dele. A morte de Chase só começa a aparecer da segunda metade para o final, quando toda a colcha de retalhos da história da protagonista foi costurada.

Ai gente, simplesmente não tenho palavras para Kya, seu amadurecimento, a construção inteirinha dela. É simplesmente impressionante. Tudo aqui é impressionante e intenso. A forma como autora trabalha inclusive com o brejo, que acredito se encaixar aqui como um personagem, é de cair o queixo. A única conclusão que eu consegui chegar é que, de verdade, não sei exatamente como me expressar em relação a Um Lugar Bem Longe Daqui. Talvez não seja o tipo de literatura que agrade a todos, mas me agradou e muito. Acho que merece demais todo esse hype em torno dele.

O mistério em si não é muito impressionante ou difícil de ser descoberto. O que impacta, na realidade, é a forma como é descoberto, quem descobre, como descobre. Acho que foi esse o motivo de eu ter ficado tão reflexiva, porque eu já sabia quem era o assassino desde o início, mas ainda assim a autora conseguiu me arrebatar, me surpreender. Engraçado é que, depois, quando parei para pensar, me dei conta de que é esse tipo de coisa que torna um livro, de fato, muito, muito bom.

19 comentários:

  1. Tinha muita expectativa para ler a resenha deste livro, devido à grande repercussão em torno do seu lançamento.
    Me chamou atenção a relação intrínseca entre Kya, a natureza e os livros. Além disso, apesar do estigma de "menina do brejo", ao contrário do que se possa imaginar, ela é inteligente e muito forte, pois teve que aprender a viver sozinha depois de tantos abandonos. Que difícil, não é?
    Fiquei querendo saber o desfecho em torno da morte do Chase e quais rumos a vida de Kya acaba tomando.
    Enquanto aguardo o lançamento da adaptação, já adicionei Um lugar bem longe daqui à lista de desejados!

    ResponderExcluir
  2. Este livro é um dos mais desejados desde seu lançamento e a cada resenha que leio dele, esse desejo só aumenta!
    Apesar de conhecer pouco o trabalho da autora, a expectativa em torno desta obra foi grande e pelo que li mais uma vez, merecidamente!
    O livro agradou demais e a parte dramática do enredo misturada a parte do mistério agradou demais aos leitores!
    Gosto demais quando um livro deixa quem o leu meio sem palavras!!!!
    Espero ter a obra o quanto antes!!!
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que esse seja um dos livros com mais hype atualmente, né? O mais incrível é que ele realmente não decepciona, e olha que fui com MUITA sede ao pote.

      Excluir
  3. Caramba que livro tenso! kkkkkkk Infelizmente não é o tipo de livro que eu gosto de ler, por mais q eu tente. Então o jeito vai ser esperar a adaptação. A Reese parece estar se saindo mto bem com as adaptações q ela trabalha, eu tbm nao li os livros, mas que ja leu tem opiniões mto boas. Pela resenha eu não importo q fosse uma série ao invés de livro, mas sendo bem feito to aceitando tudo kkkkkk

    ResponderExcluir
  4. Uma história singela, comovente e que proporciona muitas reflexões.
    Kyra é inspiradora. Sua relação com o brejo, lugar tão inóspito, sua relação com o casal - que também são vítimas do preconceito- , únicas pessoas que Realmente se preocupam com ela, dando a ela uma sensação, ainda que frágil, de família. Já que sua família biológica a deixou sem olhar para trás e sem preocupação.
    Superação, abandono, pertencimento, preconceitos, desejos são sentimentos que permeiam toda a vida de Kyra. Que apesar de tudo se torna uma mulher de espírito livre e de personalidade forte.

    ResponderExcluir
  5. Querendo muito ler esse bendito, de tanto que falam dele. A história da Kya é forte e que personagem heim! A garota só passa por coisas ruins nessa vida, meu senhor. Abandonos, perdas, morte. O mistério do assassinato parece ser aquela parte do "não pode ficar pior que isso" na vida dela. Como lidar com o tanto de coisa ruim assim? E apesar disso tudo ela ainda parece ser tão forte, tão determinada a não desistir. Uma personagem que inspira admiração. Gostei do jeito de ser contado também, passado e presente, não ter um foco em assassinato mas na vida dela, o jeito que deixa a gente refletindo...parece bem legal e o tipo de livro que gosto.

    ResponderExcluir
  6. Oie!
    Menina, sabe que eu estava tentando entender o hype do livro na editora e não entrava na minha cabeça. Apesar de tanta propaganda eu não tinha visto nem a sinopse e agora sabendo do que se trata parece ser um livro para poucas pessoas. É muito difícil lidar com personagens que sofre tantos traumas assim e, como leitora, acho que no momento não estou muito preparada para isso por medo de acabar tendo uma ressaca literária depois. De qualquer maneira parece ser uma história muito tocante e que, de certo ponto de vista distante, me lembrou Marlena pela questão de abandono.

    Silviane, blog Memento Mori • Participe do Top Comentarista de Outubro

    ResponderExcluir
  7. Ana!
    Fiquei sabendo que o livro poderá se transformar em filme. Para mim acho ótima a ideia de ver o livro se transformar em filme, só falta ver como será a adaptação.
    O romance de formação para conquistar, tem de ter uma personagem de personalidade forte e que não deixa abater, apesar das vicissitudes que a vida programou para ela e mostrar toda uma vida sem se tornar ‘chata’. Além de tudo, aqui ainda temos esse tão assassinato e o mistério que envolve a trama. Deve ser um livro bem estimulante para leitura.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  8. Olá! Doida pra ler esse livro, está no topo da lista de desejados, essa é segunda resenha que vejo dele e cada uma vai me deixando ainda mais curiosa em conferi essa história que parece surpreendente e mega emocionante, amei saber que vai vira filme, por tudo que dizem tem tudo pra ser um filmaço. Bjs

    ResponderExcluir
  9. Antes de mais nada, espero que tudo esteja fluindo por aí.
    Recentemente, me disseram que essa dificuldade em se expressar é porque gostamos muito da história; eu tenho vontade de ler esse livro, tanto que estou ignorando essa parte do assassinato.
    Acho que será comovente acompanhar a história de Kya, e espero me surpreender com esse mistério.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ludy!

      Acho que é bem isso mesmo, parece que quanto mais a gente gosta de uma história, mais a gente sente dificuldade pra falar dela.
      De forma geral foi um livro que me comoveu muito. Espero que você goste!

      Excluir
  10. Olá...
    Esse sem dúvida é o lançamento que venho mais desejando ultimamente e a cada resenha que leio minha vontade de quase que triplica!
    Gostei bastante de seus comentários a respeito do livro, principalmente, sobre o quão arrebatador ele é e o fato de te ter deixado tão reflexiva... Sem dúvida, parece ser um livro sublime!
    Bjo

    ResponderExcluir
  11. Oiii ❤ Nossa, fiquei horrorizada que toda a família de Kya foi abandonando a garota até ela ficar sozinha. Tudo bem que a situação familiar, ao que parece, era muito complicada, mas algum deles poderia ter levado ela junto.
    Estou curiosa pra saber com mais detalhes como Kya conseguiu crescer sozinha, como conseguiu se sustentar, como foi pra ela toda essa situação.
    É triste que a personagem, além de tudo isso, tenha que lidar com o preconceito também.
    Quero muito conhecer Pulinho e Mabel, já que parecem pessoas maravilhosas e que realmente se importam com Kya.
    Quero muito ler esse livro e saber tudo pelo que Kya passará.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  12. Olá! ♡ Estou muito curiosa acerca dessa leitura, pois até agora só ouvi comentários e resenhas positivos sobre essa obra.
    Que descaso o dessa família! Não entendo como eles puderam abandonar uma criança a própria sorte.
    Achei inteligente e bem relevante a história ser narrada entre presente e passado, pois ajuda muito o leitor a não só conhecer mais a história da personagem, como também tirar conclusões a partir das informações que recebemos durante a leitura.
    Parece de fato uma história intensa, cheia de drama, uma trama bem marcante.
    Kya parece uma personagem muito bem construída e que tem um notável amadurecimento durante a trama.
    Muito obrigada pela indicação! Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Olá! Todos os comentários e resenhas que li sobre este livro foram muito bons. Adorei a sua resenha (mesmo,você achando que está com bloqueio criativo),consegui entrar no mundo de Kya, achei muito comovente. Muito boa sua indicação, Obrigada
    Bjos ❤

    ResponderExcluir
  14. Oi, Ana
    Gostei da sua resenha e de outras que li desse livro e confesso que me chamaram muito a atenção. Porém, gente, que drama na vida da Kya! Essa menina só sofre, quantas perdas, tô indignada e com muito medo de lê-lo!
    Quero ler porque parece ser muito bom mesmo, mas né, esse drama me deixou apreensiva.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Olá, Ana
    Desejo muito esse livro desde o lançamento, primeiro pela capa lindíssima e depois pela premissa.
    Li muitas resenhas desse livro, mas a sua deixou aquele gostinho de quero mais.
    Preciso para ontem ler esse livro e poder acompanhar Kya que poderia ser tudo pelo abandono de sua família mas escolheu ser forte.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luana!

      Ai menina, é bem legal mesmo esse livro. Além de tudo é bem surpreendente. Adorei o estilo de narrativa da autora.

      Excluir
  16. Oi, Ana!!
    Acho que até agora só li um livro que era romance de formação e desde que descobrir que Um lugar longe daqui é desse gênero fiquei mais curiosa para fazer a leitura. E também por que só li resenhas maravilhosas sobre essa história emocionante.
    Bjs

    ResponderExcluir