Glória e Ruína | Tracy Banghart - Roendo Livros

20 de novembro de 2019

Glória e Ruína | Tracy Banghart


Glória e Ruína é o segundo volume da duologia criada por Tracy Banghart. Se você ainda não leu Graça e Fúria, deixe essa resenha para mais tarde, porque é impossível não soltar um spoiler ou outro. Pois bem, tendo isso em vista, a segunda parte da história das nossas heroínas começa exatamente onde termina a primeira: Serina liderando um motim contra os homens que dominavam Monte Ruína — e vencendo com honra, diga-se de passagem — e Nomi chegando à Monte Ruína exilada após o assassinato do superior. 

A atmosfera de Glória e Ruína permanece extremamente tensa, já que as mulheres continuam sem um pingo de dignidade. Assim, o foco das protagonistas é fazer com que as mulheres de Viridia, incluindo as sobreviventes de Monte Ruína, tenham um futuro digno. Então o foco das duas irmãs se torna o mesmo: mudar o sistema, ainda que seja necessária uma revolução. É claro que as coisas não são fáceis, principalmente levando em conta o tirano que assumiu o governo — o filho mais novo do antigo superior, aquele que tirou a vida do próprio pai unicamente para conseguir poder.

O que eu mais gostei em Graça e Fúria foi o desenvolvimento de Serina, que foi se tornando cada vez mais forte e terminou o livro de forma magistral. Nesse segundo volume, a personagem continua perfeita, sem defeitos. Obviamente também me apaixonei pela forma como as mulheres são unidas, lutam juntas por um único objetivo. Ainda bem que Tracy Banghart seguiu essa mesma linha em Glória e Ruína

— Eu não esperava que fosse fácil, só que... que estivéssemos à altura da tarefa.
— Nunca ouvi isso de uma mulher.
— Porque é difícil esperar muito de si mesma quando o resto do mundo não acha que você é capaz. (p. 92)

E por falar em luta, quem se incomodou com a ambientação brutal das cenas que se passavam em Monte Ruína, ficará ainda mais impactado com as batalhas desse segundo volume. Lutas estão presentes o tempo inteiro, desde o momento em que as mulheres estavam se organizando para sair do cárcere em que viviam até o momento em que chegaram, de fato, onde queria chegar. Apesar de não gostar dessa violência toda, estaria mentindo para mim mesma se dissesse que não gostei. Concordo que é muito triste que elas precisassem matar pessoas para se libertarem, mas cada tiro, cada facada, foi sinceramente uma satisfação pessoal.

Eu sei que é um sentimento muito pesado, mas foi a forma como a autora conseguiu erguer todas as personagens contra a opressão. A história inteira se passa em uma sociedade que simplesmente apagou as mulheres — que, inclusive, chegaram a governar Viridia —, transformando-as em meros objetos. A força física está presente o tempo inteiro, mas existem outras ações envolvendo sororidade e empatia que mostram que as mulheres têm poder.

Falando em sororidade, é impressionante os laços que as mulheres de Monte Ruína criam no decorrer da história. Por mais que tivessem suas diferenças e desavenças, eram muito unidas e respeitavam umas as outras acima de tudo. Existem várias cenas emocionantes no livro que provam isso, "detalhes" que contaram muito para mim. Eu dou muito, muito valor à essa união, porque acredito que ninguém segura mulheres que caminham juntas para alcançar um objetivo em comum.

Glória e Ruína é um livro bastante rápido, mas mesmo com o final aberto bem no estilo de conto de fadas — convenhamos que depois de tanta luta, não é possível que as pessoas não pudessem sonhar, não é mesmo? —, dá um desfecho para as irmãs Tessaro e todas as outras coadjuvantes que fizeram essa história acontecer.

Título Original: The Iron Flowers ✦ Autora: Tracy Banghart  ✦ Páginas: 312
 Tradução: Isadora Prospero ✦ Editora: Seguinte

12 comentários:

  1. Glória e Ruína cumpriu seu papel ao concluir com chave de ouro a história dessas duas irmãs que são tão diferentes mas que cada uma tem seu papel na busca por um mundo melhor, pela vida das mulheres.

    ResponderExcluir
  2. Confesso que pulei essa resenha com uma dor no coração. Mas tenho esse livro na estante,mas não tenho o primeiro ;/
    Então, ando evitando e muito pegar os spoilers, pois sei que em enredos assim, ainda mais numa duologia, eles são inevitáveis!
    Espero logo poder voltar e conferir!
    P.s.(as capas dos dois livros são lindíssimas)
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito do que vi desse primeiro livro e agora no segundo ele não parece ter perdido o rumo, só melhorou e entregou outra ótima história. Pesada, mas com tanta injustiça com as mulheres não é de admirar o rumo que a trama vai tomando. Lutas brutais, crescimento de personagem e muito pra animar quem lê porque não parece ter aqueles momentos parados mesmo, é um tipo de livro que sempre tá acontecendo alguma coisa. Isso é bom de ler, faz a gente se agarrar na história. Gostei muito desses livros.

    ResponderExcluir
  4. Ah, esse livro é um super desejado!
    Apesar de todo desconforto, eu amei a leitura de Graça e fúria.
    Serina tem um crescimento e tanto, e espero ver mais atitude da Nomi.
    É lindo ver a sororidade presente na história.
    Sua resenha me deixou ainda mais empolgada.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. ANA!
    Bom ver que gostou do desenvolvimento de Serina.
    Muito bom quando uma duologia cumpre o que promete.
    Acho o máximo essa série trazer a igualdade de gênero e ainda enaltecer as mulheres que tenham ajudar o Príncipe a resolver seus problemas.
    Sem contar com toda ambientação, a mitologia e a boa ficção.
    Adoro livros com mapas, porque podemos nos localizar bem no enredo.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana,
    A capa do primeiro livro dessa duologia foi o que primeiro me chamou atenção e depois que li resenhas fiquei ainda mais intrigada com a história. A respeito da trama, acho que tem muita coisa que seria bem previsível, mas a autora consegue contornar com algumas reviravoltas. Os retratos tão reais, em certo ponto, das personagens femininas já me deixam indignada sem nem ao menos ter lido os livros. Se as lutas e batalhas são pesadas, eu não me importo, pois sabendo como Virídia funciona não poderia ocorrer de outra forma a libertação dessas mulheres. Mas que bom que o final foi satisfatório, pois é uma história que me parece ter tanto a oferecer e espero ter a chance de conhece-la em breve.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Ana
    Tenho 2 exemplares do primeiro livro ainda não li porque quero ter esse em mãos.
    Li as resenhas dessa duologia e não vejo a hora de poder ler. Adorei que a autora trabalhou muito a questão da sororidade e manteve o mesmo padrão foi primeiro livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Adorei sua resenha!
    Se eu já tava com muitaaaa vontade de ler essa duologia, agora então,nem se fala!
    Adorei saber que tem tanta união entre as mulheres. Muito interessante mesmo!
    Assim que der lerei!
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Oiii ❤ Gosto muito que se trate de uma duologia, já que gosto de tramas mais rápidas e não estou numa fase de ler séries longas.
    Gosto que o livro parece passar uma mensagem importante sobre a luta das mulheres e isso é algo que me agrada demais. Gostei que as personagens criam empatia e sororidade umas pelas outras.
    Estou muito curiosa para ler os dois livros e ver todos os desafios que Nomi e Serina precisarão enfrentar.
    Estou curiosa sobre esse final bem ao estilo conto de fadas.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  10. Olá! ♡ Essa duologia está como prioridade na minha lista de leituras, a premissa de ambos os livros me impactaram bastante!
    Que essa incrível união entre as mulheres do livro sirva de exemplo e inspiração para nós mulheres. Precisamos nos unir e lutar por nossos direitos. Juntas somos ainda mais fortes! ♡
    Eu adorei sua resenha, ficou ótima! Preciso ler esses livros o mais rápido possível!
    Muitooo obrigada pela indicação! Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Vejo muitos cometários em relação ao livro e estou muito curiosa para ler a duologia. A premissa é incrível e as personagens me encantaram pela personalidade de cada uma e a forma que elas lutam pelo direito delas e das demais. Estou muito querendo ler.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  12. Oi, Ana!!
    Como ainda não li o primeiro livro dessa duologia fiquei um pouco perdida na história, mas lembro que quando li a resenha de Graça e Fúria fiquei bem curiosa em fazer essa leitura e pelo que vejo Glória e Ruína é tão bom quanto ao primeiro.
    Bjs

    ResponderExcluir