Os Sete Maridos de Evelyn Hugo | Taylor Jenkins Reid


Este é com certeza o melhor livro que li em 2019. Os Sete Maridos de Evelyn Hugo traz a história de — obviamente — Evelyn Hugo, mas não só ela, também temos Monique Grant. Evelyn é uma ousada atriz de Hollywood, que fez sucesso nas décadas de 50 até mais ou menos 80. Ela, como qualquer celebridade, foi retratada na mídia como polêmica e claro, pelos seus vários casamentos. Mas acreditem em mim, ela é MUITO mais do que isso.

Eu estou bem com o fato de que às vezes fazer a coisa certa deixa as coisas ruins. E também, eu tenho compaixão comigo mesma. Eu acredito em mim.

Monique Grant é uma jornalista que atualmente trabalha na revista Vivant em uma posição que pouco a agrada e que está infeliz tanto por isso, quanto pelo divórcio eminente que surge em sua vida. Enquanto isso, Evelyn está afastada dos holofotes vivendo uma vida tranquila, mas recentemente marcada pela morte de sua filha por conta de um câncer. Ela é envolvida com caridade, e decide fazer um leilão de seus vestidos mais luxuosos. O que surpreende aqui é que ela decide que chegou a hora de dar uma entrevista, e a revista escolhida? Vivant. Mas ela só aceita se quem escrever for Monique. Então, Monique percebe que aquela é a sua oportunidade, mas ela não tem a menor noção de como esses dias com Evelyn Hugo vão mudar sua vida.

Os Sete Maridos de Evelyn Hugo
é extremamente bem escrito. Achei que fosse um romance ou algo do tipo, mas logo nos primeiros capítulos percebi que na-na-ni-na-não, era algo bem maior e bem mais profundo. O leitor vai descobrir Evelyn Hugo junto com Monique. Na verdade, nossa jornalista não vai simplesmente escrever uma matéria sobre a artista, Evelyn quer que ela seja responsável por sua biografia. O que mais me fisgou nessa leitura é que fisicamente Evelyn me lembrou muito ícones como Marylin Monroe e Elizabeth Taylor, até nas questões envolvendo sexualidade e polêmicas. Eu AMO quando um personagem fictício me acende para pessoas reais.

Eu nunca pensei que eu era uma força a ser reconhecida. Talvez eu deva começar a pensar em mim mesma desse jeito, talvez eu mereça…

A escrita de Taylor é absolutamente de tirar o fôlego. E a história que ela criou para Evelyn Hugo é tanto de deixar o coração quente quanto para parti-lo em 4000 mil pedacinhos. O livro é dividido em partes, cada uma indicando um dos maridos de Evelyn, mas não espere grandes romances ou amores intensos com eles. Não mesmo. E apesar de basicamente todo o livro ser sobre Evelyn, Monique não fica sobrando, todos os personagens citados tem uma parte importante dentro dessas histórias e isso é de tirar o chapéu.

Os Sete Maridos de Evelyn Hugo vai trazer a Hollywood antiga e até a nova, no modo de representar artistas, os segredos que eles guardam em nome da carreira, os altos e baixos de uma celebridade e toda a parte obscura de um. Eu gostei muito disso. Eu como admiradora de muitos artistas, consigo ter uma mínima ideia de como essa indústria é e não deve nem chegar perto da realidade. O livro também trata de um assunto extremamente importante no quesito representatividade, mas isso aí eu deixo pra você ter a experiência de ler.

Ninguém é só uma vítima ou o vencedor. Todo mundo está em algum lugar no meio. As pessoas que falam por ai que são um ou outro não estão apenas mentindo pra eles mesmos, mas são ridiculamente sem originalidade.

O livro é forte, profundo, cru e sincero. Claro, vão existir exageros em prol da ficção, mas não ache que pelo menos 70% dessas situações poderiam realmente ocorrer com uma celebridade. A história tem alguns gatilhos envolvendo abandono, sexualização, machismo, aborto e suicídio. Fiquei impressionada com as caracterizações dos personagens, nenhum deles é raso ou está ali só por uma questão de encher linguiça. Finalizei a leitura chorando e eu nem sei explicar porque, raiva, compaixão, ressentimento? Uma leitura rica e que me deixou de queixo caído com as reviravoltas existentes. Estou aplaudindo Taylor Jenkins.

Título Original: The Seven Husbands of Evelyn Hugo
 Autor: Taylor Jenkins Reid ✦ Páginas: 360
 Tradução: Alexandre Boide ✦ Editora: Paralela
Livro recebido em parceria com a editora

Postar um comentário

9 Comentários

  1. Fiquei muito curiosa para ler Os Sete Maridos de Evelyn Hugo. Tenho Em Outra Vida Talvez da Taylor aqui pra ler. Só tenho visto elogios aos 3 livros dela.
    Evelyn viveu uma vida glamourizada, sob os holofotes, mas poucos devem conhecê -la realmente. 
    Por que dentre tantos jornalistas conhecidos Evelyn escolheu justo Monique? Será que há uma ligação entre elas?

    ResponderExcluir
  2. Essa autora já chegou arrasando! O livro anterior dela, que fala de uma banda de rock fictícia, já deu o que falar e é maravilhoso ver e ler que ela se superou ainda mais!
    Não conheço suas letras ainda, mas já gostei demais da resenha e o livro vai para a lista dos desejados.
    Evelyn só não conta o amor que viveu, mas é quase uma biografia e isso é fascinante!
    Lerei!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  3. Oi, Ana
    Ainda não tive oportunidade de conhecer a escrita da autora, mas assim que tiver chance lerei.
    Li muitas resenhas do livro, várias fotos e claro participei de vários sorteios e não ganhei. Mas se ele entrar em promoção eu compro porque o preço ainda está salgado e tem o frete.
    Como você disse na resenha muitas coisas pode ser inventadas, mas quem garante que muitos artistas não passam coisas semelhantes na vida real.
    Estou bem intrigada com essa trama e saber como foi a vida de Evelyn por trás das câmeras e holofotes.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ana!
    Nada como um bom livro, mesmo que a escrita seja crua e certeira.
    Delícia ver personagens tão bem contruídas, parecem reais.
    Bom quando um livro traz grandes aprendizados mostrando a vida de uma personagem, mesmo que ficticia, de grande evidência em sua época.
    Seus amores, seus revéses na vida, suas dores e tudo isso ainda bem escrito, de uma forma que é impossível deixar de ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  5. Achei interessante o tema escolhido, retratar a vida da artista de uma forma que mostre a pessoa, não so a figura que o mundo conhece. Poder explorar emoções e experiências, traçar a vida da pessoa de uma forma que surpreenda o leitor e o aproxime da personagem. Ter essa conexão entre quem está escrevendo e a pessoa do outro lado, as mudanças na vida de cada uma por meio dessa matéria. Isso me chama atenção. Achei bem bonito e parece ter tanto pra falar, sexualidade, amores, a vida conturbada da pessoa nos holofote s... a trama dele parece fisgar muito bem o leitor. Não foi um livro que fiquei querendo ler de cara, mas vendo mais dele tá me chamando bastante atenção. Estão gostando muito dessa trama e só vi coisa legal dela. Tem que ter algo muito bom aí mesmo pra agradar assim. Gostaria de ler.

    ResponderExcluir
  6. Uau!
    Esse livro já está na minha lista de desejados, mas resenha aumentou minha vontade em ler de uma maneira absurda.
    Taylor parece ter uma escrita incrível, e são tantos temas fortes sendo abordados.
    Nossa... preciso ler com urgência!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Engraçado, eu não daria nada por esse livro lendo somente a sinopse ou sabendo dele meio que por cima, acharia até bobinho. Mas as aparências enganam, não é mesmo?!
    Até eu que não sou muito fã do gênero já estou colocando ele na minha listinha rs.
    Estou doida para conhecer as personagens.

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana,
    Fazia um bom tempo que eu não ouvia falar tão bem de uma autora, como ouvi sobre a escrita de Taylor Jenkins Reid. Não só suas obras chamam atenção pelos títulos como trazem toda uma narrativa diferenciada e curiosa. Imagine poder ficar cara a cara com uma celebridade como Evelyn e conhecer sua história de vida. Não, somente, para um jornalista isso seria incrível, mas para qualquer pessoa que goste de saber sobre a vida de alguém famoso. Acho que a autora foi bem inteligente em criar Monique que neste livro não só divide o protagonismo com Evelyn, mas também serve como a ponte entre nós leitores e a história. Pelo o pouco que sei da indústria, sei que há muito mais dificuldades do que imaginamos e para uma mulher entre as décadas de 50 e 80, com certeza, os desafios e consequências eram bem mais significativos. Fiquei muito curiosa com essa obra desde o lançamento e cada nova recomendação só me deixa mais ansiosa pela leitura.

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu já tinha visto muito o livro mas não parei para conhecer sobre a trama. Adorei muito, tem uma ótima premissa e que me deixou bastante curiosa por ela. Vejo que a autora soube dá vida a uma personagem única e diferente, meio que faz lembrar Marylin Monroe como você mesma citou. Já estou bem interessada pela leitura!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir