Pessoas Normais | Sally Rooney


Sinceramente, depois dessa leitura acredito que mais importante que não julgar um livro pela capa é não julgar um livro pela sinopse. Quando li a sinopse de Pessoas Normais, fiquei extremamente curiosa para saber mais. Mas, infelizmente, a autora não conseguiu atender às minhas expectativas.

Connell e Marianne estudam juntos na escola, estão no último ano do ensino médio, mas até então a única ligação entre os dois é que a mãe de Connell, Lorraine, trabalha na casa de Marianne. Em algum momento uma faísca ascende entre os dois e eles começam a se relacionar. Mas, entre a escola e a universidade, muitas coisas acontecem e eles ficam num vai e vem, tentando descobrir o que exatamente é a relação que eles têm.

Sinceramente, nunca me estressei tanto com um livro. O personagem masculino principal é um hétero top, querendo se passar por alguém que se importa com o sentimento da sua parceira, e a personagem feminina principal é fraca, além aceita tudo o que fazem com ela sem falar nada. Até agora não entendi se, para a autora (fiquei muito chocada quando descobri que uma mulher escreveu esse livro), Marianne é uma mulher bonita ou feia, não que a opinião da autora importe, mas cada hora tive uma impressão diferente.

É verdade que os personagens têm muitos problemas parecidos com os que muitos de nós temos, mas isso é tudo de “normal” que eles têm. Connell é sinceramente um babaca, mas insiste em se passar por mocinho inocente. E Marianne é o tipo de mulher que acredita que merece tudo que acontece com ela e nunca desconfia que estão abusando dela.

A linha do tempo também me confundiu muito, o espaço entre um capítulo e outro varia de semanas a meses, além disso a autora volta no tempo algumas vezes dentro do mesmo capítulo, para contar uma anedota que complementa o que está se passando.

É muito ruim quando não se tem nada de bom para falar sobre uma história, mas esse foi o caso. Talvez alguém tenha uma visão diferente, em alguns momentos eu senti pena sim de Marianne, pensei em como deve ser difícil ter a vida que ela tem, mas essa empatia para mim não foi suficiente para que eu desconsiderasse todo o resto que estava acontecendo.

Pessoas Normais é o segundo romance de Sally Rooney, pelo que eu li, sua primeira obra também deixou muito a desejar. Mas, quem sabe um dia eu não dê uma segunda chance à autora.

Título Original: Normal People ✦ Autora: Sally Rooney ✦ Páginas: 264
Tradução: Débora Landsberg ✦ Editora: Companhia das Letras 
Livro recebido em parceria com a editora

Postar um comentário

11 Comentários

  1. Não me recordo de ter lido sobre esse livro ou se li, não foi bom também não.rs
    Pelo que entendi acima, os personagens além de não terem nadinha a acrescentar, fazem tudo ao contrário do que tentamos viver e até por vezes, ensinar, principalmente no lado feminino da coisa.
    Não digo que não lerei, mas não senti vontade não!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. A não julgar livro pela capa eu já aprendi. A sinopse ainda julgo um pouquinho.
    Nossa! Ranço só de ler sobre Connel! E Marianne também não fica atrás.
    Vou passar bem longe dessa autora

    ResponderExcluir
  3. Ale!
    Quando o livro traz tanta dualidade entre as personagens e ainda assuntos que tocam os leitores, porque de alguma forma há uma identificação, a crítica aclama mesmo, porque vende o livro.
    Gostei de saber que é um livro irlandês, diferente dos eixos literários que nos acostumamos a ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Primeira vez que vejo algo sobre esse livro.
    Não compraria pela capa, apesar de achar curiosa.
    A premissa me pareceu mais do mesmo, e é uma pena que a autora tenha deixado a desejar.
    Torcendo para que ela lance algo que conquiste todos os leitores.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá Ale!
    Essa obra parece ser tão vazia, e aparentente no final o leitor não absorve nada de marcante de toda a história.
    Os personagens são muito mal construídos, e realmente há sim um problema de abuso no romance entre os protagonistas que é simplesmente ignorado, como se fosse NORMAL.
    Tenho uma noção da raiva que você passou hahahaha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Esse livro não me chamou atenção e pelo visto não perdi muito. Parece o tipo de história boa pra estressar, ahhh não quero não. Ri do "macho hétero top" mas ri já vendo que teria sérios problemas pra aturar então. Vamos passar essa mesmo, que eu não tava errada em não ter chamado atenção...

    ResponderExcluir
  7. Oi, Ale
    O livro até levanta alguns temas interessantes como o pertencimento a um grupo, a necessidade de se encaixar, o medo de ser julgado. Esse vai e vem na relação entre os personagens.
    Ainda não conhecia o livro, quero ler e ter minha opinião.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Ale,
    Confesso que o título me deixou curiosa, o normal pra mim é fascinante, até aí queria ler o livro, mas sinceramente não gosto nenhum pouquinho de protagonistas fracas, muito menos do cara escroto que finge ser o mocinho, já passamos dessa fase né? Com tanto livro top por aí, esse não entrará para a minha lista de desejados. Espero uma outra oportunidade para conhecer a escrita da autora.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Já tinha visto algo desse livro mas não procurei para saber mais dele, tem uma premissa legal mas não sei se leria. Ficaria na duvida!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ale
    Nossa, que livro!
    Lerei não!
    Essa Marianne parece ser bem sem personalidade e que fica pagando pau pra macho escroto. Afffs.
    Não é meu estilo mesmo.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. O livro não me chamou atenção e na verdade eu imaginava até que fosse ser um suspense visto a temática da capa mas talvez eu mude de ideia por vontade de conhecer um pouco mais da autora

    ResponderExcluir