12 de julho de 2014

Resenha: Garotas de Vidro

Título Original: Wintergirls
Autora: Laurie Halse Anderson
Páginas: 272
Tradutora: Ana Paula Corradini
Editora: Novo Conceito

Lia está doente e sua obsessão pela magreza a deixa cada vez mais confusa entre a realidade e a mentira. Mas ela perde totalmente o controle quando recebe a notícia de que sua melhor amiga, Cassie, morreu sozinha em um quarto de motel. E o pior: Cassie ligou para Lia 33 vezes antes de morrer. O que começou como uma aposta entre duas amigas para ver quem ficaria mais magra tornou-se o maior pesadelo de duas adolescentes reféns de seus próprios corpos. Ao negar seu problema, Lia impõe a si mesma um regime cruel em que contar calorias não é o bastante. Ao omitir seu desespero, apela ao autoflagelo numa tentativa premeditada de aliviar seus tormentos. Seus pais e sua madrasta tentam ajudá-la a qualquer custo, mas nem mesmo sua doce irmã, Emma, consegue fazer com que Lia pare de se destruir. Agora, Lia precisa encontrar um modo de lidar com todos os seus fantasmas, e a morte de Cassie é um deles. Garotas de Vidro é uma história intoxicante sobre a autorrepugnância e a busca pela identidade. Neste livro, Laure Halse anderson aborda de modo realista a dolorosa condição de jovens que sofrem de transtornos alimentares e sua complicada relação com o espelho e consigo mesmos.

Quando li "Garotas de Vidro", eu simplesmente não sabia o que esperar. Um dia eu pus na cabeça que queria um livro novo, e queria tão urgentemente que vesti uma roupa e fui na livraria aqui da minha cidade mesmo, que costuma ser bem mais cara que as virtuais.Comprei esse livro unicamente poque achei a capa a coisa mais maravilhosa do mundo. Foi um mergulho no escuro: não li resenhas, não li sinopse, nunca tinha ouvido falar nele. A parte boa? Foi uma belíssima surpresa. 

Lia e Cassie são melhores amigas de infância, daquelas que não desgrudam nem um minuto. Ambas enfrentam transtornos alimentares gravíssimos: Lia tem anorexia - disfunção alimentar caracterizada por uma dieta rígida e insuficiente, causando perda de peso excessivo e estresse físico - e Cassie, bulimia - transtorno no qual a principal característica é a indução de vômitos, uso abusivo de laxantes e outros métodos para impedir o ganho de peso. 

Um dia, as garotas têm uma briga muito feia e param de se falar. Cassie liga para o telefone de Lia 33 vezes (trinta e três mesmo) e ela ignora todas as chamadas. Acontece que, poucas horas depois, ela recebe uma ligação de um total desconhecido e descobre que sua amiga foi encontrada morta num quarto de motel. A partir daí, Lia começa a conviver com a culpa e com fantasmas da própria Cassie. 

Sou pequena e sempre fui magra por natureza, mas nunca deixei de comer nada; muito pelo contrário: ninguém acredita na quantidade de alimentos que eu ingiro diariamente. Em vista disso, fiquei chocada e muito muito assustada com a forma que a personagem principal agia e pensava. E o pior de tudo é saber que a estória existe mesmo: a autora não exagerou, não mentiu, não criou uma ficção. "Garotas de Vidro" relata a realidade de varias garotas, sem tirar nem por. 

Fantasmas esperam nas sombras da sala, tremeluzindo devagar. Os outros podem vê-los também, eu sei. Todos têm medo de falar sobre o que nos encaram do escuro.

Além de personagens bem trabalhados, Laurie Halse Anderson abordou um tema super atual e polêmico. Durante a leitura, senti como se estivesse dentro da cabeça da Lia. Até então, eu não tinha a mínima ideia do que as garotas com esses tipos de transtornos pensavam. Sempre soube que são doenças que têm que ser tratadas com bastante delicadeza, mas é bem mais sério do que eu pensava. Entenda mais sobre bulimia e anorexia (que são doenças diferentes) clicando nos links.

No decorrer da estória, conhecemos o cara misterioso que ligou para Lia para informar acerca da morte da melhor amiga, o Elijah. O legal é que eles constroem uma amizade muito bacana, e com cheirinho de coisa a mais, se é que me entendem. 

Apesar de ter adorado o livro, fiquei ligeiramente decepcionada algumas coisas no final. Gostei da forma que a autora mostrou a forma de ajudar as pessoas com transtorno alimentar, mas senti falta de um aprofundamento da relação entre a Lia e o Elijah. É melhor eu parar por aqui se não vou acabar soltando algum spoiller indesejado.  

A narrativa da Laurie é bem gostosa e fluida, o que fez com que eu terminasse o livro bem rápido. O título do livro é bem condizente com estória, já que a personagem principal é bem frágil, tanto no físico quanto no psicológico, principalmente depois que a morte da Cassie começa a atormentá-la ininterruptamente. "Garotas de Vidro" é uma estória de dor e sofrimento, mas também de companheirismo e superação.

Classificação final: 

4 comentários:

  1. Olá
    Nossa, eu tenho uma vontade mt grande de ler esse livro, pois acho mt legal retratar assuntos assim em livros atuais, minha amiga leu e adorou, mas eu ainda não tive oportunidade e espero ter em breve.
    Que bom que gostou e espero gostar tanto quanto você.
    Linda resenha haha.

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/2014/07/tag-copa-de-livros-2014.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Catharina!

      Leia, é bem bom. Também gosto muito desses temas...

      Beijos!

      Excluir
  2. Oi Ana Clara!!

    Eu já li esse livro e, como você, me senti na cabeça de Lia, fiquei surpresa com a fragilidade e loucura da personagem. Fiquei bem desapontada com o Elijah... esperava mais desse ponto do livro também. Gostei muito da história.

    Beijos,

    Marcelle
    www.bestherapy.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcelle!

      É bem impressionante, né? Fiquei com pena da personagem quase o livro inteiro, tadinha. Acho que todo mundo esperava mais do Elijah, né? Mimimi.

      Beijos!

      Excluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©