13 de setembro de 2014

Resenha: A Invenção das Asas

Título Original: The Invention of Wings
Autora: Sue Monk Kidd
Páginas: 328
Tradução: Flavia Yacubian
Editora: Paralela

Em sua terceira obra, Sue Monk Kidd, cujo primeiro livro ficou por mais de cem semanas na lista de mais vendidos do New York Times, conta a história de duas mulheres do século XIX que enfrentam preconceitos da sociedade em busca da liberdade. Sue Monk Kidd apresenta uma obra-prima de esperança, ousadia e busca pela liberdade. Inspirado pela figura histórica de Sarah Grimke, o romance começa no 11º aniversário da menina, quando é presenteada com uma escrava: Hetty “Encrenca” Grimke, que tem apenas dez anos. Acompanhamos a jornada das duas ao longo dos 35 anos seguintes. Ambas desejam uma vida própria e juntas questionam as regras da sociedade em que vivem.

A única coisa que eu sabia quando comprei esse livro é que ele contaria a estória de duas garotas: uma delas, Sarah Grimké, filha de um aristocrata dono de alguns escravos; a outra, Hetty (ou Encrenca), vejam só, uma autêntica escrava que, obviamente, pertencia à família Grimké. O que eu não sabia é que Sue Monk Kidd falaria sobre a escravidão de uma forma tão sensível. 

"A Invenção das Asas" foi meu primeiro contato com a autora, apesar de já ter assistido (e adorado) a adaptação homônima do seu romance "A Vida Secreta das Abelhas". Já podem imaginar que eu não fazia ideia que o filme era baseado em um livro. 

A trama, que se inicia em 1803 e termina em 1838 é dividida em seis partes e tem uma característica que eu gosto muito: é narrada pelas duas personagens principais, o que nos faz ter o ponto de vista, sentimentos e confissões de ambas as personagens. Além disso, o foco da estória em si é mostrar a cultura, leis, política e as tradições que predominavam naquela época. 

Durante esses 35 anos da vida de Sarah e Encrenca, acompanhamos diversos fatos que ocorrem em suas vidas. É claro que as duas têm uma característica que as diferem das outras pessoas: Sarah, apesar de viver num ambiente totalmente escravista, acredita que as pessoas brancas e negras são iguais; Encrenca, mesmo sofrendo todos os castigos possíveis, é audaciosa e sonha em conquistar não só sua liberdade, mas também a de sua mãe. 

Eu sempre quis a liberdade, mas nunca tive pra onde ir nem como sair. Não importava mais. Queria liberdade mais do que respirar. A gente iria, em cima dos nossos caixões se precisasse. Foi assim que mamã viveu sua vida. Ela dizia, “Cê tem que saber que lado da agulha vai sê, o que tá amarrado na linha ou o que fura o pano.” (Encrenca)

O que mais me agradou durante a leitura foram as semelhanças entre Sarah e Encrenca, mesmo levando vidas totalmente diferentes. O mais interessante ainda é que justamente essas semelhanças fazem também as diferenças entre as duas.

De formas distintas, ambas as personagens estão presas. Sarah, que sonhava em ser advogada, se via impossibilitada de realizar o seu sonho por causa da época em que vivia, onde as mulheres não têm voz e a sociedade é completamente machista. Já Encrenca, apesar de ter uma mente que vaga por todos os lugares possíveis, tinha o corpo preso. Não consigo imaginar o que é pior, para ser sincera.

Com o passar do tempo, Sarah e Encrenca vão se distanciando, mas mesmo assim a ligação entre as duas continua inquebrável. Elas representam a batalha das minorias. Sue Monk Kidd utiliza uma escrita bastante detalhada (muitas vezes maçante) para mostrar a estórias de duas mulheres de origens duras e suas realidades bárbaras. 

"A Invenção das Asas" é uma obra completa que, com protagonistas notáveis e ricas, emociona e faz o leitor refletir sobre perdas, amizade, companheirismo e, principalmente, fé. 

Classificação final: 

3 comentários:

  1. Achei o livro muito sensível mesmo, e realmente as duas protagonistas vivem situações horríveis. Mas, sinceramente, para mim é fácil escolher a pior, a escravidão é uma coisa que nunca vou entender. Foi o primeiro livro que li da autora e espero conseguir ler mais!

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  2. Esse livro parece ser super bacana, sempre achei a premissa dele bastante curiosa e tenho vontade de ler a obra. Sua resenha me convenceu.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Amei sua resenha! porque eu, sinceramente, não fazia a mínima ideia do que se tratava o livro
    Vai ser minha proxima leitura
    Annasantts@hotmail.com

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©