26 de dezembro de 2014

Resenha: Marina

Título Original: Marina
Autor: Carlos Ruiz Zafón
Páginas: 189
Tradução: Eliana Aguiar
Editora: Suma de Letras

Na Barcelona dos anos 1980, o menino Óscar Drai, um solitário aluno de internato, conhece Marina, uma jovem misteriosa que vive num casarão com o pai idoso. Em passeios pela cidade, os dois presenciam uma cena estranha num cemitério e se envolvem na resolução de um mistério que remonta aos anos 1940. Numa tentativa inútil de escapar da própria memória, Oscar abandona sua cidade. Acreditava que, colocando-se a uma distância segura, as vozes do passado se calariam. Quinze anos mais tarde, ele regressa à cidade para exorcizar seus fantasmas e enfrentar suas lembranças – a macabra aventura que marcou sua juventude, o terror e a loucura que cercaram a história de amor.

Sempre que ouvi falar do Zafón, foram sempre coisas muito positivas. Me diziam que seus livros são especiais, que todos os "mundos" que ele criou são extremamente peculiares e difíceis de sair da memória. Lembro de "Marina" como se o tivesse lido ontem, e é claro que isso é um elogio. 

O livro narra a história de Óscar Drai, um garoto de 15 anos que mora e estuda em um internato na Barcelona dos anos 80. Por ser muito solitário, vive vagando pelas ruas da cidade em busca de algum tipo de aventura. Em um desses passeios, acaba descobrindo uma velha mansão aparentemente abandonada e resolve, é claro, descobrir o que tem lá dentro. Óscar fica simplesmente deslumbrado com o lugar e todos os objetos contidos lá dentro, principalmente um certo relógio de ouro.

O que Óscar não esperava é que, diferente do que ele pensava, não era uma simples casa abandonada. Assustado por ver o vulto de um dos moradores do lugar, Óscar sai correndo e acaba levando consigo o tal relógio de ouro. Algum tempo depois, preocupadíssimo com sua reputação, já que, na verdade, não pretendia levar o relógio, Óscar volta para a mansão com o intuito de devolvê-lo e acaba conhecendo Marina e seu pai, Gérman.

Como esperado, Marina e Óscar constroem uma amizade muito forte, é e essa amizade que leva os dois a uma aventura totalmente macabra e cheia de reviravoltas que os levam a conhecer a verdadeira história de Mijail Kolvenik, um homem muito rico e famoso, e sua esposa, Eva Irinova, há muito uma cantora de sucesso. 

[...] a vida concede a cada um de nós apenas alguns raros momentos de pura felicidade. Às vezes são apenas dias ou semanas. Às vezes anos. Tudo depende da sorte de cada um. p. 144

Expor minha opinião sobre esse livro é de longe uma tarefa fácil. Zafón, assim como todo mundo fala, foi capaz de criar não só um mundo, mas também personagens incríveis e inesquecíveis. Além disso, o autor consegue descrever Barcelona tão bem que nos faz sentir como se estivéssemos caminhando por ela com Óscar e Marina. 

Uma coisa que me intrigou desde a primeira página é o fato de o título levar o nome da menina e não do Óscar. Não se preocupem, pois tudo é esclarecido no final do livro, que é surpreendente e não deixa nenhum ponta solta, apesar de o livro ser bem curto. 

"Marina" é um livro que nos deixa uma moral, que mostra a importância de guardarmos nossas memórias, aceitarmos os nossos medos e aprendermos a lidar com eles. Finalizei o livro com um misto de sentimentos tão grande que não tenho como explicar. Zafón, além de conseguir conquistar e prender o leitor com sua escrita mágica, o fará morrer de amores por essa história tão maravilhosa e singular.

Classificação final: 

7 comentários:

  1. Oie Ana
    já tive a oportunidade de ler um livro do Zafón, e amo o modo como ele torna qualquer história em um poço de emoção.
    Eu comprei esse livro já tem anos, e nunca li. Bom saber que apesar de ter poucas páginas, carrega uma história recheada de reviravoltas e lições.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jacque!

      Não perca mais tempo e leia! Nunca li outra obra do Zafón, mas se todas tiverem tanta qualidade quanto essa, não poso perder.

      Beijo!

      Excluir
  2. Olá,
    Eu ainda não li nada do Záfon, mas vontade não fala. As obras dele são sempre tão elogiadas, morro de vontade de conhecer a escrita dele!
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Inês!

      Pois então leia, moça! hauehauehaue
      O que você acha de começar por "Marina"?

      Beijo!

      Excluir
  3. Oi, Ana! Ainda não li nada do Záfon, mas já o conhecia (tenho uma amiga que é doida para ler "Marina"). Fiquei bem curioso para ler a obra e saber o porquê do nome da Marina ser o título do livro! rs Muito boa a resenha, me fez querer ler o livro! :)

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tony!

      "Marina" é um livro muito bom, sério. Záfon merece todo esse crédito, de verdade. Não vejo uma pessoa que se decepcionou com algum livro dele.

      Beijo!

      Excluir
  4. Estou louca para ler esse livro! Já li "A Sombra do Vento" e adorei. Agora, quando fui para Espanha, comprei a edição espanhola de "Marina"! Espero que consiga ler sem problemas e aproveitar cadamomento das aventuras de Óscar e Marina *-*
    Beijos,
    Déia!
    Own mine

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©