21 de maio de 2015

Resenha: Mensagem de Uma Mãe Chinesa Desconhecida

Título Original: Message From an Unknow Chinese Mother
Autora: Xinran
Páginas: 272
Tradução: Caroline Chang
Editora: Companhia das Letras

Com Mensagem de Uma Mãe Chinesa Desconhecida, Xinran, jornalista e autora do best-seller internacional As Boas Mulheres da China, retorna às histórias verídicas de mulheres chinesas que a tornaram mundialmente conhecida. Desta vez ela aborda o sofrimento humano resultante da interação de uma milenar cultura machista com circunstâncias históricas, econômicas e sociais específicas. Em dez capítulos, são apresentadas dez histórias marcadas pela interrupção da relação mãe-filha, de meninas que nunca conheceram suas mães biológicas e mulheres que deram a filha em adoção a casais de camponeses que vivem sem endereço fixo, viajando pelos quatro cantos da China para burlar a fiscalização da lei do filho único - eventualmente abandonando uma menina numa estação de trem.

Um dos sentimentos mais puros que existem no mundo, se não o mais, na minha opinião, é o amor que uma mãe sente pelo filho. Eu não sei exatamente como é, mas a minha mãe descreve como "inexplicável, infinito, incontável". Imaginem vocês o drama e a dor de uma mulher que nasce na China, onde bebês do sexo feminino são totalmente rejeitados, abandonados e até mesmo mortos. 

Em Mensagem de Uma Mãe Chinesa Desconhecida, a jornalista Xinran narra em 10 capítulos o sofrimento de várias mães que foram obrigadas a abandonar suas filhas devido aos velhos costumes e crenças de um país que não valoriza nem um pouco o sexo feminino, além de possuir a rígida política do filho único. Cada capítulo expõe a história de uma mulher diferente e cada história foi uma punhalada no meu coração. 

É duro imaginar que essas mulheres foram obrigadas a darem as filhas para adoção, abandonarem em portas de hospitais ou mesmo na rua e, o pior de todos, matarem suas próprias bebezinhas. Mais triste ainda é pensar que tais costumes persistem até hoje, principalmente nas zonas rurais da China, onde um filho do sexo masculino vale pedaços de terra que, na região, são tão úteis quanto escassos, portanto extremamente desejáveis. 

Todos nós conversamos e rimos com pessoas à nossa volta, no nosso trabalho, de dia. Isso tudo é pra que possamos nos adaptar, torna a vida mais fácil. Mas à noite ou quando estamos sós, experimentamos os sentimentos que ninguém mais conhece, e precisamos enfrentar isso sozinhos. (pág. 179 - 180)

Além das 10 histórias citadas acima, contadas exatamente como chegaram aos ouvidos da autora, Xinran também fornece ao leitor todas as informações necessárias para a compreensão não só das mulheres da China, mas também do contexto social e cultural do país como um todo. O livro também traz algumas informações como as leis chinesas de adoção e o alto índice de suicídios entre as mulheres chinesas. 

Xinran é fundadora da The Mother's Bridge of Love (MBL), uma organização que visa ajudar os órfãos chineses a entenderem suas raízes e as suas mães (chinesas e as adotivas) a compreenderem as questões que envolvem a cultura da China, principalmente nas áreas mais precárias. No vídeo abaixo, a jornalista responde algumas questões sobre o livro Mensagem de Uma Mãe Chinesa Desconhecida e fala um pouco sobre a ONG. 


Gente, que livro maravilhoso! Triste, é claro, mas maravilhoso. A cada página que eu lia, mais chateada eu ficava por saber que sim, coisas terríveis e absurdas como as contadas nas histórias de Xinran acontecem em pleno século XXI. Ler Mensagem de Uma Mãe Chinesa Desconhecida me fez querer conhecer mais sobre a cultura da China e uma coisa é certa: se fosse a minha área, meu TCC com certeza seria sobre esse assunto.

O mais incrível é que, através da narrativa simples, a autora conseguiu deixar leve a leitura de um livro que eu considerei muito mais que pesado. Juro para vocês que todo dia antes de dormir eu penso nessas mães e nas crianças que se perguntavam porque as mãe chinesas não a quiseram, mas que conseguiram, talvez, encontrar a resposta através desse livro magnífico.

Classificação final: 

8 comentários:

  1. Olá, Ana.
    Não conhecia o livro, mas concordo com você. Um dos maiores e mais admiráveis amor do mundo, sem sombras de dúvida é de uma mãe por o filho. Como já citado por mim, não conhecia o livro, mas fiquei bastante interessado em conhecer. Gostei muito de sua resenha, você conseguiu passar através dela todos os sentimentos que sentiu no decorrer da leitura de forma incrível.
    Até mais. http://realidadecaotica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renato!

      É um livro bem desconhecido mesmo... Isso me faz pensar que ele deveria ter um pouco mais de status, aliás. Enfim, para mim, amor verdadeiro só de mãe mesmo, viu? Obrigada por ter lido!

      Beijo!

      Excluir
  2. Nossa, parece um livro bem forte né?Gosto de livros assim..que retratem exatamente como esse mundo é cruel e injusto.Faz todo mundo(leitor né) refletir sobre como os seres humanos podem ser..sério.O jeito que você fez a resenha..conseguiu demonstrar exatamente o que sentiu ao ler esse livro e como de fato é..

    amei :)

    parabééénnnns <3

    beeijos
    http://carolhermanas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolina!

      Muito forte, muito bonito. Às vezes eu acho que a resenha não conseguiu passar nem um terço do que o livro é, sabe? Só lendo mesmo pra saber...

      Beijo!

      Excluir
  3. Que coisa horrível, né?
    Realmente é um sentimento que só quem passa entende, e quem não passa não quer entender :(
    É revoltante saber o quanto as mulheres são subestimadas e humilhadas apenas por nascerem no "sexo errado" :@ :@ :@
    Deve ser muito emocionante ler essas histórias. Vou colocar o livro na lista de desejados!

    Beijos,
    Duas Leitoras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kemmy!

      Péssimo! Ficava me contorcendo de ódio a cada página, mesmo sabendo que é da cultura deles. Não consigo imaginar uma cultura onde bebês são mortos só por serem meninas. É um horror!

      Beijo!

      Excluir
  4. Nossa deve ser um livro que poucos consegue digerir. Forte, mas acho que vale a pena ler. Queria muito...gosto de obras documentais.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paloma!

      É bem difícil mesmo. Também gosto muito de obras documentais e biografias. *.*

      Beijo!

      Excluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©