5 de junho de 2015

Resenha: A Playlist de Hayden

Título Original: Playlist for the Dead
Autora: Michelle Falkoff
Páginas: 285
Tradução: Amanda Orlando
Editora: Novo Conceito
Livro recebido em parceria com a editora
Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente. Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava. A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

Às vezes eu não sei lidar com as minhas expectativas. Fico apreensiva e idealizo mil e uma coisas. E vocês sabem muito bem o que acontece quando esperamos muito de alguma coisa: ah, a decepção. Bem no começo deste livro, foi isso mesmo o que achei que ia acontecer, mas com o passar das páginas fui ficando cada vez mais ansiosa. 

Em A Playlist de Hayden, Michelle Falkoff vai narrar a um breve espaço da existência de Sam, aquele típico garoto nerd que sofre bullying o tempo inteiro. Sam vê sua vida se tumultuar toda quando, após uma pequena briga, entra no quarto de Hayden, seu melhor e único amigo e o encontra morto, ao lado de um vidro de remédios vazio, uma garrafa de vodca e um bilhete com um pendrive que dizia "Para Sam. Ouça. Você vai entender".

É claro que, apesar de se sentir realmente triste pelo amigo ter se matado, Sam também se sente culpado, mesmo achando que o irmão de Hyden e seus amigos, a trifeta do bullying, têm uma parcela grande de culpa. É claro que isso passa na cabeça de todas as pessoas que perderam alguém querido: "E se tivesse sido diferente...?". Além desse misto de sentimentos, o garoto se vê forçado a entender o significado de todas as músicas que estavam no pendrive que Hayden deixou. 

Arquimago_Ged: Muitas pessoas querem ser invisíveis. Talvez elas até pensem que podem fingir que são. Mas sempre alguém as vê. (pág. 44)

Confesso que no início pensei que o livro seria difícil de digerir, mas apesar de se tratar de assuntos densos, não é nem um pouco complicado. É claro que apesar de o suicídio de Hayden ser o foco principal da história, ela não se trata apenas disso. A cada página, conseguimos enxergar novas amizades se formando, romance, uma pitada de mistério e, é claro, cada peça do quebra cabeça entrando em seu lugar.

Os personagens são incríveis também. Em certa parte da história conhecemos Astrid, que tem uma ligação desconhecida com Hayden, mas que é fundamental para o entendimento do que aconteceu. Os amigos de Astrid também são o máximo, principalmente o Eric. 

Uma coisa que eu não posso deixar de comentar são todas as referências incríveis que estão presentes no livro. Além da playlist (que você pode ouvir no site oficial do livro) que aparece a cada capítulo, são citados também alguns filmes e jogos. Só para vocês terem um gostinho da playlist, resolvi colocar uma das musiquinhas aqui para vocês. Vocês já podem imaginar qual foi a primeira coisa que eu fiz assim que terminei o livro, não é?


A Playlist de Hayden, apesar do desfecho pouco convencional (ainda não sei se isso é uma coisa boa ou ruim), é um bom livro. A história traz um alerta de como nem sempre conhecemos uma pessoa que achamos realmente conhecer. Todo mundo tem um segredo que guarda só para si e, por mais que gostemos de alguém, nunca vamos saber o que ela realmente sente, lá no fundo.

Classificação final:  

6 comentários:

  1. Ei Ana :3

    Estou muito a fim de ler esse livro, ele passaria batido por mim se eu não lesse algumas resenhas sobre ele. Enredos que envolvem suicídio, por mais que seja um tabu, onde todos julgam a pessoa como "egoísta" e blá blá, é um tema que por mais que é narrada de forma "não densa" me deixa aflita e totalmente interessada pela história. Espero ter a oportunidade de lê-lo :3

    Beijos!
    www.livroterapias.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nathália!

      Eu gostei bastante do livro, viu... Espero que você goste quando ler. As referências musicais são ótimas e dão um up na história.

      Beijo!

      Excluir
  2. Estou lendo e gostanto até agora.
    Espero que o final seja bom, apesar de que pelas resenhas que leio, é meio estranho.
    Adorei a resenha.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rízia!

      Ah, o final é meio sei lá, mas não deixa de ser bom.
      Obrigada!

      Beijo!

      Excluir
  3. Oi Ana, eu tenho curiosidade de ler esse livro, li a provinha que a Novo Conceito mandou e gostei do início. Pelo que pude perceber nas resenhas, a autora trabalhou bem com essa questão de inserir outras coisas no livro, como o romance e mistério, acho que a história deve ficar ainda mais interessante com isso.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ju!

      Acho que as coisas têm que ser bem dosadas, ainda mais em um YA como esse, que trata sobre suicídio. Ficou bem legal mesmo.

      Beijo!

      Excluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©