6 de setembro de 2015

Resenha: A Menina Submersa

Título Original: The Drowning Girl
Autora: Caitlín R. Kiernan
Páginas: 320
Tradução: Ana Resende e Carolina Caires Coelho
Editora: DarkSide Books

Com uma narração intrigante, não-linear e uma prosa magnífica, Caitlín vai moldando a sua obsessiva personagem. Imp é uma narradora não-confiável e que testa o leitor durante toda a viagem, interrompe a si mesma, insere contos que escreveu, pedaços de poesia, descrições de quadros e referências a artistas reais e imaginários durante a narrativa. Ao fazer isso, a autora consegue criar algo inteiramente novo dentro do mundo do horror, da fantasia e do thriller psicológico.

Desde que descobri a edição clássica de A Menina Submersa fiquei apaixonada. Não só pela capa, que também é maravilhosa, mas pela história em si. Quando a DarkSide lançou esta edição limitada não me aguentei e tive que ir atrás. Finalmente teria a oportunidade de ler essa obra que tanto me instigava e ela chegou ainda mais rápido quando a Cah, do De Cabeça Para Baixo me desafiou a lê-lo no projeto da Ju, do LiteRata. É verdade que algumas partes da narrativa são confusas, mas nada que tire o brilho da história. 

Não vou mentir para vocês: este não é um livro fácil. Mas como seria, se somos levados para a mente de India Morgan Phelps (ou Imp, que é como a maioria das pessoas a conhecem), uma jovem aparentemente comum, mas que carrega consigo um grave quadro de esquizofrenia. Imp é neta e filha de mulheres com esse mesmo problema, mas diferente da avó e da mãe que acharam no suicídio a única forma de contornar o problema, Imp resolve escrever uma história para tentar entender a atitude das duas, além de ser uma forma de preservar as suas lembranças. 

Imp está escrevendo um livro sobre fantasmas. Afinal, fantasmas não são necessariamente pessoas que já morreram. Como ela mesma diz, fantasmas são aquelas lembranças que não conseguimos esquecer de jeito nenhum e que nem o tempo consegue apagar. São essas coisas que nos assombram de alguma forma. A Menina Submersa é uma história sobre fantasmas, sereias e lobos e, é claro, todas as outras coisas que Imp não consegue esquecer.

O que mais tememos não é o conhecido. O conhecido, por mais horrível ou prejudicial à existência, é algo que podemos compreender. Sempre podemos reagir ao conhecido. Podemos traçar planos contra ele. Podemos aprender suas fraquezas e derrotá-lo. Podemos nos recuperar de seus ataques. Uma coisa tão simples quanto uma bala poderia ser suficiente. Mas o desconhecido desliza através de nossos dedos, tão insubstancial quanto o nevoeiro. (pág. 170)

Muito provavelmente esse é o livro mais complexo que já li na minha vida. Não é aquele tipo de história que você lê em uma sentada, mas aquela que deve ser degustada. A narrativa varia entre primeira e terceira pessoa e pode até ser um pouco confusa no começo, mas tudo não passa de uma técnica para nos levar direto para a mente de Imp, e funciona bem. Imp nos conta, no decorrer dos capítulos, sobre a sua fixação por dois quadros em especial: A Menina Submersa, de Phillip George Saltonstall e Fecunda Ratis, de Albert Perrault. Essas duas obras são tão presentes no livro que se tornam personagens dele. Imp fala também sobre o seu relacionamento com Abalyn, sua namorada. Pra mim foi um dos pontos altos da narrativa.

A mente de Imp é tão incrível e complexa que não sabemos até que ponto as coisas que ela conta são reais. Ela mesma nos deixa a par disso em diversos trechos, quando fala que não tem certeza se aquilo que nos conta no momento aconteceu realmente daquela forma. E o mais incrível é que terminamos o livro sem termos a mínima ideia se os relatos são verdeiros ou não. Uma parte que mexeu extremamente comigo foi o capítulo sete, onde Imp deixa de tomar os remédios e conhecemos o que realmente é a esquizofrenia... E posso adiantar para vocês que não é nada fácil.

Não preciso nem comentar muito sobre essa edição maravilhosa, não é mesmo? Além de ter essa capa dura maravilhosa, a diagramação está perfeita: em diversas páginas encontramos alguns insetos perdidos (que farão sentido com a leitura, eu garanto), muitas ilustrações e esse acabamento cor-de-rosa incrível ao redor das folhas.Vocês podem até tentar me dizer que as histórias de Imp são duvidosos demais... Mas o que eu penso é: será que seria muito diferente se, por exemplo, nós fossemos narrar os nossos pensamentos mais íntimos? É um caso a se pensar...

Classificação final: 

12 comentários:

  1. Eu tenho uma vontade danada de ler os livros da darkside e esse é um deles. Eu fui num evento e a editora estava lá falando dos livros e mostrando algumas edições, e eu fiquei apaixonada por esse livro. Pelo jeito eu vou ter um pouco de dificuldade para ler igual você mas ainda quero ler algum livro da editora. Sempre pensei que eles fossem mais complexos e muito cheio de terrores então acho que é por isso que eu ainda não li nada. Mas agora tô a fim de ler menina submersa. <3

    Beijos!
    http://www.prateleiracolorida.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Acho que é a primeira resenha que leio que fala realmente do que se trata o livro.
    Gostei muito da sua resenha. Me deixou com muita vontadede ler esse livro. Adoro thrillers psicológicos e tudo mais.
    Essa capa ta linda e o acabamento rosa do lado tambem ficou show
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Oie Ana =)

    Confesso que esse livro nunca me chamou muito atenção, e depois que li uma resenha não muito positiva desanimei totalmente da leitura.
    O gênero já não é o meu favorito e a premissa me pareceu um tanto lenta e confusa. Mas, fico feliz que você tenha aproveitado a leitura ^^

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  4. Oi, Ana! Tudo bem? Huuuum... Achei a premissa da obra interessante! Gosto dessas obras que exploram bastante a mente de algum personagem, e a mente da Imp me pareceu ser fascinante! haha
    Essa edição também parece ser linda, então a minha vontade de lê-lo só aumenta! :) Adorei a resenha!

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/2015/08/resenha-premiada-johnny-bleas-um-novo.html <- Tá rolando promoção do livro "Johnny Bleas - Um Novo Mundo" lá no blog! ;)

    ResponderExcluir
  5. Os livros da Darkside me deixam doidaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa! D: Pelamor do bom pai, é uma capa mais bonita que a outra, com um capricho que não dá pra reclamar JAMÉ!
    O problema de ser um leitor, e ainda por cima um leitor pobre, é que não dá pra bancar essas coisas.
    Aguardo o dia em que vou poder ter qualquer um dos livros da DS no aconchego do meu lar! hahaha
    Gostei muito da sua resenha, viu? Adoro obras que tenham essa inconstância de nunca ter como saber se aquilo aconteceu ou não. Dá uma raiva danada! hahaha

    Beijocas <3

    http://estanterecheada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana,
    To super de olho nos livros dessa editora, menina!
    Na Bienal não achei nenhum desses que eu queria em conta, só pude babar mesmo haha

    Gostei da premissa e da edição. Criaria outra pessoa para comentar meus pensamentos mais íntimos hahaha.

    P.S.: Ai eu amo a Rainbow, consegui comprar Anexos na Bienal, o único que faltava pra mim.
    Eu gostei de Ligações, o Neal é apaixonante ♥

    bjs e tenha uma maravilhosa semana.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  7. Os livros da darkside são um primor mesmo. Ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre A menina submersa e não sabia exatamente do que se tratava. Acompanhar uma mente esquizofrênica deve ser realmente difícil e causar um certo impacto/ estranhamento. Achei interessante e vou adicionar a minha listinha haha
    beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie
    Já li este livro e você tem toda razão, ele não se lê numa sentada, é aos poucos. Eu tenho a primeira versão deste livro e gosto muito daquela capa. Esta nova versão está maravilhosa, linda!!

    beijos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Eu li esse livro há pouco tempo e para mim foi uma grata surpresa. adorei!
    Fiz resenha dele lá no meu blog também. Gostei muito da sua resenha :)

    Beijinhos, Hel

    leiturasegatices.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi, Ana!

    Esta edição é muito linda, eu também gostaria de tê-la na estante. Apesar de ter curiosidade em ler "Menina Submersa", ainda não havia lido resenhas sobre... E agora, que grata surpresa eu encontrei. Amo histórias densas que precisam de tempo e reflexão. Espero ler em breve e sei que irei gostar tanto quanto você.
    Ótima resenha!

    Beijocas.
    http://artesaliteraria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá ...
    Adorei a diagramação do livro !!! Tá muito linda ...
    A premissa é super interessante , inclusive , vou adicionar na minha wishlist para não esquecer .
    Beijos
    Adorei seu blog ! Seguindo ...

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Ganhei de aniversário e estou louca para ler! Amei sua resenha,além de ter lido outras e ter amado,fico impressionada como você escreve muito bem. Parabéns por duas coisas,primeira por escrever muito bem e segunda por ter me deixado mais doida para ler esse livro que parece interessante. :D

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©