8 de março de 2016

Resenha: Quarto

Título Original: Room
Autora: Emma Donoghue
Páginas: 350
Tradução: Vera Ribeiro
Editora: Verus
Livro recebido em parceria com a editora.

Atenção! Esta resenha pode conter spoilers!

Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la. O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.

Apesar de esse livro ter sido lançado há algum tempo, a comoção da adaptação cinematográfica, O Quarto de Jack, fez com que o livro ganhasse uma nova edição. É claro que, depois que Brie Larson ganhou o Oscar de melhor atriz pelo filme, a curiosidade ficou praticamente incontrolável. Além do mais, é considerado o melhor livro do ano pelo New York Times e pelo Independent, além de ter sido finalista em vários outros prêmios conhecidos.

Jack é uma criança que acaba de completar cinco anos de idade. Ele poderia ser um garotinho cem por cento normal se não fosse por um "detalhe": Jack passou toda a sua vida dentro de um Quarto, ou seja, nunca teve nenhum tipo de contato com o mundo exterior. Apesar de ser muito inteligente, principalmente para um menino da sua idade, seu conhecimento se baseia somente no que sua Mãe ensina. O que Jack não sabe, na verdade, é que os dois estão confinados porque sua Mãe foi sequestrada há sete anos atrás. 

O livro é narrado por Jack e, apesar da linguagem ser muito simples, traz um misto de sentimentos complexos demais para eu conseguir explicar. O que mais me impressionou, principalmente enquanto mãe e filho ainda estavam presos, foi a forma como a Mãe conseguiu criar e educar bem o Jack. Apesar de ter apenas cinco anos, o menino sabe ler, escrever e tem vários conhecimentos gerais. É claro que o fato de não ter contato com outras pessoas e com o Lá Fora por tanto tempo o faz muito parecido com um recém-nascido em muitos aspectos. 

O Lá Fora tem tudo. Agora, toda vez que eu penso numa coisa, como esquis ou fogos de artifícios ou ilhas ou elevadores ou ioiôs, tenho que lembrar que eles são reais, acontecem todos juntos de verdade no Lá Fora. Isso deixa minha cabeça cansada. E as pessoas também, bombeiros, professores, ladrões, bebês, santos, jogadores de futebol e gente de todo tipo, eles todos estão mesmo no Lá Fora. Mas eu não estou lá, eu e a Mãe, nós somos os únicos que não estão lá. Será que ainda somos reais?

O ponto alto do livro é quando a Mãe bola um plano de fuga totalmente maluco. Até posso dizer que essa primeira parte do livro passou mais lentamente para mim, já que a única coisa que é contada é o dia-a-dia dos personagens dentro do Quarto. A rotina dos dois era praticamente a mesma, o que fez a leitura ficar bastante cansativa em alguns pontos. É claro que isso não tornou a história menos forte ou interessante. Há uma divisão de opiniões bem grandes nesse ponto pelo o que eu percebi, já que muitos leitores acharam a parte pós-fuga mais monótona. Acho que as descobertas de Jack, por mais pequenas foram, na minha opinião, tão incríveis que foi impossível não se impressionar também. 

Quarto é um livro angustiante e pesado, algo que a narrativa infantil não conseguiu tirar. Imaginem, para uma mulher, ser abusada, maltratada, privada de sua liberdade por longos sete anos. Imaginem, para uma criança, presenciar todas essas coisas sem entender muito bem o que está acontecendo. Pior, imaginem, para uma mãe, se submeter a todas essas coisas para manter o filho seguro e, de certa forma, longe de toda essa loucura. 

Para mim, o mais brilhante de toda essa história é o amor entre mãe e filho. Se formos levar em consideração todo o contexto e, principalmente, que Jack é fruto de um abuso, seria mais plausível a Mãe sentir repulsa pelo filho. Mas o mais mágico é que isso não acontece, é justamente o contrário. Ela tem o Jack justamente para conseguir superar todo o sofrimento, para ter alguém para amar.

Adaptação 

Não posso falar muito sobre o filme, mas é claro que, depois de ter recebido o Oscar de melhor atriz pela Brie Larson, o livro ganhou uma visualização ainda maior. Para quem, assim como eu, não teve a oportunidade de assistir, eis o trailer para dar uma espiadinha (só por aqui dá para perceber a atuação maravilhosa da mulher, sem or). 


Classificação final: 

14 comentários:

  1. Oieee! Eu tô super afim de ver esse filme! Achei a premissa bastante interessante. Nesse caso acredito que o filme tire um pouco da monotonia que vc sentiu no livro. Essa é uma das raras exceções em que o filme me chamoumais atenção que o livro! Vou assistir com certeza. Bjoss

    http://www.porredelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Li esse livro a um tempão e gostei muito. Estou agora bastante curiosa para assistir ao filme.
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - SORTEIOS NO BLOG! PARTICIPE :)

    ResponderExcluir
  3. OI Ana
    Este livro tem um tema bem forte e confesso que é o tipo de tema que não me faz ter aquela vontade de ler, mas ainda sim fico curiosa para conhecer a história e quem sabe até assistir ao filme.
    Adorei sua resenha.

    Beijos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Então, eu quero muito comprar este livro. Depois que saiu o filme, ele está sendo muito bem comentado por aí.

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  5. Faz anos que comprei este livro, logo que ele foi lançado, no entanto até hoje ainda não li... provavelmente não farei isto logo, mesmo com o filme aí nas telonas... Eu imagino mesmo que este livro seja forte, angustiante, mesmo tendo sido contado por uma criança, afinal, as coisas que este menino e sua mãe enfrentaram não foram fáceis...Tenho medo de chorar litros com esta leitura...

    Beijo, Van - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Uma história que parece ser bem forte, mas achei interessante. Talvez, no momento, para mim, seja melhor assistir ao filme... Tenho medo de chorar horrores com a leitura.

    Bjs,


    http://www.tamiresdecarvalho.com/

    ResponderExcluir
  7. Já li ótimas críticas sobre o livro e o filme, acho que já tá na hora de ler kkk
    Amei a resenha está muito bem escrita =]

    ❥Blog:Gordices Literárias

    ResponderExcluir
  8. Oi Ana!
    Comecei a ler o livro e achei um pouco complicado de me adaptar, já que a história é narrada pelo Jack, a linguagem é muito simples, como você mesma disse e estranhei isso de começo.
    As coisas mais pesadas são contadas com uma sensibilidade enorme pela autora, achei genial e lá pro final tava gostando do ponto de vista do Jack! haha
    Assisti o filme depois de ter lido o livro e vou te falar, esse é um daqueles filmes que bate de igual pra igual com o livro, fiquei impressionada, fora a atuação maravilhosa tanto do Jacob quanto da Brie!
    Com certeza é um livro que vale a pena ler!
    Beijos e sucesso!

    ResponderExcluir
  9. Poxa depois dessa resenha fiquei louca pra ler...Nunca tinha visto esse livro, mas com certeza vai pra minha lista!!
    bookmoda123.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Poxa depois dessa resenha fiquei louca pra ler...Nunca tinha visto esse livro, mas com certeza vai pra minha lista!!
    bookmoda123.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Ana, quando esse livro foi lançado eu dei ele de presente para uma amiga que prometeu me emprestar, acabou que nunca mais vi a cara do livro. Desde que vi ele senti que tivesse esse peso que você diz que a história tem e isso me atrai como ímã para livros, portanto estou curiosa há muito tempo e só não vi o filme ainda pq preciso ler o livro antes.

    ResponderExcluir
  12. Oi, Ana!
    Realmente, mesmo com tantos elogios feitos ao livro na época em que foi lançado, só recentemente, com o combo adaptação + Oscar é que ele foi ganhar ainda mais impulso, o que não deixa de ser algo muito bom, por contar uma história, como descrita por você, tão sensível, com o olhar de uma criança, mas ao mesmo tempo com uma profundidade tão grande. Não sei, apesar disso, se tenho vontade de lê-lo no momento, talvez deixe para daqui a um tempo quando estiver mais preparada para a leitura, mas, enfim, parabéns pela linda resenha!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir
  13. Só de assistir o trailer eu já fiquei angustiada e comovida, imagino que com a leitura isso seja mil vezes pior. Achei a trama sensacional e muito real, todas as opiniões positivas que eu leio só me fazem ter certeza que eu vou adorar a leitura também.
    beijos
    http://www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  14. Ana Clara,
    O livro é realmente sensacional! Adorei a sua resenha e concordo que é um livro difícil de ler, ainda mais sabendo que se trata de uma história real.
    O que mais me encantou (e doeu) foi ler os pensamentos de Jack (misturado com as falas e com a narração dele).
    Ainda não assisti ao filme, mas confesso que estou com água na boca!
    Beijos!

    Karla Samira
    http://www.pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©