29 de maio de 2016

Resenha: A Guardiã de Histórias

Título Original: The Archived
Autora: Victoria Schwab
Páginas: 322
Tradução: Daniel Estill
Editora: Bertrand Brasil
Livro recebido em parceria com a editora.

Imagine um lugar onde, como livros, os mortos repousam em prateleiras. Cada corpo tem uma história para contar, uma vida disposta em imagens que apenas os Bibliotecários podem ler. Aqui, os mortos são chamados de Histórias, e o vasto domínio em que eles descansam é o Arquivo. Mackenzie Bishop é uma implacável Guardiã, cuja tarefa é impedir Histórias geralmente violentas de acordar e fugir do Arquivo. Naqueles domínios, os mortos jamais devem ser perturbados, mas alguém parece estar, deliberadamente, alterando Histórias e apagando seus trechos essenciais. A menos que Mac consiga juntar as peças restantes, o próprio Arquivo sofrerá as consequências.

Não tem como negar o quanto a sinopse de A Guardiã de Histórias é instigante, principalmente para nós, fãs de livros. Dá para imaginar prateleiras cheias e cheias de histórias para contar? É o que a gente mais ama, não é? Mas no mundo de Mackenzie Bishop, essas Histórias são diferentes: são pessoas mortas, guardadas num Arquivo e a tarefa da menina é não deixar essas criaturas fugirem. Imaginei que fosse me apaixonar por esse livro logo nas primeiras páginas, mas a verdade é que não foi bem assim...

Antes que comecem a falar qualquer coisa, eu acabei gostando muito do livro, sim, mas não posso deixar de falar dos pontos negativos, né? Mac não é uma adolescente muito comum, convenhamos. Ela é Guardiã desde os 12 anos, uma tarefa que seu avô lhe passou. As Histórias não podem fugir de jeito nenhum do arquivo, e as que tentam, em sua maioria, são super violentas. Digamos que Mac cumpre o seu trabalho muito bem, mas as coisas começam a desandar de verdade quando o seu irmãozinho mais novo, Ben, morre em um acidente de carro. Isso faz com que a família se mude, na esperança de deixar todas as dores para trás. O grande problema é que suas tarefas como Guardiã triplicam assim que ela coloca o pé no Coronado, o lugar onde passa a viver. 

O Coronado, antes de virar o lar de muitas pessoas,  era um hotel. Por ser um lugar antigo, é repleto de lembranças e uma delas, que Mac "leu" em seu quarto, a deixou completamente inquieta. Imaginem só vocês dormirem em um lugar onde aconteceu um assassinato? E o pior é que todos os vestígios do mesmo foram simplesmente apagados. Creio que o ponto alto de A Guardiã de Histórias é esse mistério, que deixa a gente morrendo de vontade de terminar o livro. 

A narrativa, em primeira pessoa, é sob o ponto de vista de Mackenzie, o que faz com que conheçamos todos os pensamentos, os dilemas e as dificuldades da garota. Não vou negar para vocês que muitas das vezes achei a história um tanto cansativa, principalmente se for levar em consideração o tempo que levei para finalizar a leitura: quase 15 dias. Comecei a me envolver de verdade com o livro quando o mistério em volta do assassinato virou o foco. E olha, vou dizer uma coisa... Quando chegavam as partes onde Mac tinha que impedir uma História, morria de vontade de saltar umas páginas viu. 

A Guardiã de Histórias com certeza é um livro com um enredo super original, mas a verdade é que não me surpreendeu tanto, não me marcou de forma alguma. A maior parte da narrativa foi morna em sem muita ação, mas cumpre o seu papel de entreter e ser leve. Sinto que se eu tivesse a mesma faixa etária da personagem principal, que tem seus 16 anos, teria aproveitado muito mais. 

Classificação final: ✩ (3,5)

11 comentários:

  1. Gente... imagina que maravilha você estar e um lugar assim!! Confesso que a ideia me agradou muito(exceto pelas histórias violentas), é como entrar em várias memórias, me lembrou um pouco aquela mania de avó de lembrar as coisas, aquele famoso '' quando eu era jovem...''
    Só me desapontei quando você comentou que a história ficou morna... O livro desperta interesse mas ao pensar que a autora perdeu a chance de tornar esse livro maravilhoso... Isso me preocupa um pouco. Mesmo assim o livro entrou para a lista dos que irei ler!

    ResponderExcluir
  2. Ops errinho * estar em um lugar assim
    mals o erro

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua resenha, especialmente porque você conseguiu descrever bem algumas sensações que eu mesma senti ao ler esse livro. A sinopse é mesmo muito instigante, foi o que chamou a minha atenção inicimente. Tinha muitas expectativas, mas a autora conseguiu me surpreender ainda mais com uma história intrigante e repleta de perigos. Eu achei bem original também, mas é uma pena que no seu caso não conseguiu lhe surpreender tanto assim.
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  4. Excelente resenha. Deu vontade de ler.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ana! Acho que você é a primeira pessoa que eu vejo falando desse livro de uma forma mais negativa. Achei legal por isso seu texto, pois confesso que tantos elogios que li anteriormente já estavam me incomodando. A premissa do livro é legal mas não é uma obra que eu pegaria de cara, acho a capa bonita e o titulo da uma certa curiosidade, mas para mim não passa disso.

    Beijos
    Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
  6. Esta sinopse é mesmo muito instigante e claro que nos deixa muito curiosos. Coitada da menina, com apenas 12 anos foi incumbida de uma tarefa tão séria... Achei a premissa toda bem louca e ao mesmo tempo super interessante e lógico que quero ler, faz tempo que não dedico o meu tempo há um livro tão diferente.

    Beijo, Van - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Fiquei instigada com a sinopse, mas no fim, não solicitei porque não me cativou o suficiente. E que bom, senão iria me decepcionar muito. Pela sua resenha ia acabar não curtindo tanto também... :(
    Mas a trama parece original e interessante, talvez faltou algo a mais...
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  8. Olá. Que premissa inusitada, a menina ser o arquivo das pessoas mortas. Mas imagino que seja uma história bem instigante. É uma pena que não tenha te prendido tanto, pois realmente pela sinopse imaginamos que não vamos largar o livro enquanto não soubermos todos os seus mistérios. Talvez tenha faltado algum detalhe.
    Beijos.
    Karla Samira
    www.pacoteliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Olá. Que premissa inusitada, a menina ser o arquivo das pessoas mortas. Mas imagino que seja uma história bem instigante. É uma pena que não tenha te prendido tanto, pois realmente pela sinopse imaginamos que não vamos largar o livro enquanto não soubermos todos os seus mistérios. Talvez tenha faltado algum detalhe.
    Beijos.
    Karla Samira
    www.pacoteliterario.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oie, Ana! Eu estou querendo muito ler esse livro, mas, assim como a sua resenha, a maioria das que li consideraram o livro mediano. O que é uma pena, pois minhas expectativas estavam altas. Ao mesmo tempo, é bom elas terem abaixado, já que posse chegar na história de forma "mais pé no chão" e curti muito mais. Ah, bom saber que tem um mistério, pois amo mistérios! kkk
    bjus
    Anna - Letras & Versos

    ResponderExcluir
  11. Nossa, gostei muito da resenha,me fez lembrar um pouco da serie A Mediadora da Meg Cabot, que adoro, já estava com muita vontade de ler esse livro antes, agora que mais ainda, só espero que sejam lançados todos os livros aqui, porque pelo que ouvi são 3 e lá fora só foram lançados 2.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©