21 de junho de 2016

Resenha: O Caderninho de Desafios de Dash e Lily

Título Original: Dash & Lily's Book of Dares
Autores: David Levithan & Rachel Cohn
Páginas: 256
Tradução: Regiane Winarski
Editora: Galera Record
Livro recebido em parceria com a editora.

O novo livro de David Levithan e Rachel Cohn que juntos escreveram Nick e Nora: Uma Noite de Amor e Música, acompanha a dupla Lily e Dash. Ela está doida pra se apaixonar e, pra encontrar o par perfeito, decide criar um caderninho cheio de tarefas e deixá-lo na livraria mais caótica de Manhattan. Quem encontra o moleskine é Dash, e os dois começam a se corresponder e trocar sonhos, desafios e desejos no caderninho, que vai se perdendo nos mais diversos lugares de Nova York.

Desde que li Will & Will há alguns anos atrás, decidi que leria todos os livros do David Levithan e todos os livros do John Green. A verdade é que não tive experiências tão boas assim com o David, mas apesar de não me identificar tanto com as suas histórias, não posso negar a fluidez das suas narrativas. Aconteceu essa mesma coisa com Dash e Lily: não gostei tanto assim do conteúdo do livro (acho que mais pelas partes narradas por Lily), mas ele é tão bem escrito que é impossível não tiver proveito.

Lily é uma adolescente de poucos (ou talvez nenhum) amigos que ama o Natal e, acima de tudo, ama passar as festas de fim de ano com sua família. Vocês não imaginam a revolta dessa garota quando os pais foram passar o Natal em férias nas Ilhas Fiji, como uma lua de mel atrasada. O irmão mais velho de Lily, para se ver livre dela para passar o feriado com o novo namorado, decide que ela também precisa de um para ocupar o seu tempo. E aí que nasce o caderninho de desafios.

Os pais de Dash se separaram há anos e, como eles não se falam, o garoto os enganou dizendo para cada um que passaria o Natal nada casa do outro, podendo ficar em casa livre. Por isso é que, obviamente, Dash acha o moleskine vermelho em uma prateleira em uma livraria que sempre visita, entre os seus livros preferidos. Dash não imaginaria que um caderninho iria se tonar um passa tempo tão divertido. 

Talvez, pensei, não seja a distância o problema, mas como você lida com ela. (p. 122)

Apesar de ter meus 21 anos nas costas, eu adoro um bom e velho YA, de verdade. Gosto desses livros mais leves principalmente quando fico muito tempo lendo coisas pesadas demais. Mas acho que leve é totalmente diferente de infantil. Gostei muito mais das partes narradas por Dash, que provavelmente foram escritas pelo David Levithan, do que as partes narradas por Lily, que deram o tal toque infantil à obra. Pessoalmente, senti que estava lendo uma menina de 11 anos e não 16. Tudo bem, não posso dizer que somos criaturas super maduras nessa idade, mas né, creio que vocês entendem o meu ponto de vista. 

O é justamente aquilo que propõe: divertido. Eu mesma ficava bem curiosa para saber como eles fariam para cumprir os desafios (que Deus, são criativos para caramba) e quais seriam os próximos. E claro, toda aquela ansiedade para a hora que eles se encontrariam de fato, não apenas por trocas de mensagens no moleskine. Não existe um romance daqueles de tirar o fôlego, foi mais como uma paixonite adolescente mesmo. No fundo senti que ambos procuravam mais uma amizade do que um amor.

Passei um tempo agradável com O Caderninho de Desafios de Dash e Lily, mas a obra em si está longe de ser a melhor história criada David Levithan, está longe de ser a melhor parceria dele, mas ainda assim é válida para aqueles que procuram uma leitura despretensiosa.

Classificação final: ✩ (3,5)

5 comentários:

  1. Oi Ana, li uma resenha desse livro há um tempo, ele ainda não tinha sido lançado no Brasil e a blogueira tinha lido em inglês.. Não lembro onde foi, mas dizia exatamente o mesmo que você, que era um livro leve e despretensioso.
    Eu também não tenho me dado também com os livros do David Levithan, então não fiquei muito curiosa para ler esse.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Já tinha ouvido falar desse livro mas nunca tinha lido a sinopse,também gosto muito de ler um YA de vez em quando e esse parece ser divertido.Não conheço ninguém que tenha lido e pela sua resenha eu fiquei curiosa,eu gostaria de ler e ver se eu tenho uma perspectiva diferente porque pelo que você escreveu foi como se faltasse algo no livro para que ele fosse melhor.Vou adicioná-lo a minha lista haha,ótima resenha!Bjss.

    ResponderExcluir
  3. Oie!
    "Desde que li Will & Will há alguns anos atrás, decidi que leria todos os livros do David Levithan e todos os livros do JOHN GREEN." - De John Green? Tu é masoquista? Tirando essa parte que demonstra uma necessidade de frequentar a escola do bom gosto, gostei da resenha e fiquei curioso com o livro. Até ganhei um bloquinho com a capa dele, mas tem umas meninas que ficam pedindo tudo que ganho e acabei cedento. ;)
    T+

    ResponderExcluir
  4. Olha eu!!!
    Precisava vir aqui ver sua resenha pra esse livro! Voc~e sabe que tenho uma doença pelo David Né? Assim como você conheci ele com Will & Will e decidi ler todos os livros dele, e como não gostei do Will escrito pelo John decidi nunca mais ler nenhum livro dele!!
    Eu imaginei que as partes do Dash seriam melhores afinal é o David quem está escrevendo, a Lily é com a Rachel, a maioria dos livros de parceria dele não me agradam por completo prefiro os trabalhos solos dele, mas estou ansioso por essa leitura!
    O que mais gosto do David é toda a representatividade que a gente encontra no livro e sempre me sinto incluso, como se eu existisse, isso não acontece em alguns livros.
    Tenho 25 nas costas e adoro YA é a melhor coisa do mundo pra mim kkkk, não sei qual será minha avaliação quanto a esse livro, mas já estou bem curioso!!

    Xo
    Alisson
    Re.View

    ResponderExcluir
  5. Hey!
    Já li uma outra resenha sobre esse livro e ele simplesmente me encantou pelo tema das cartas e tudo mais. Eu mesma estou escrevendo uma história com esse tema e estou empolgadíssima. Realmente imagino que seja uma leitura leve, e essas são as que mais gosto. Pessoalmente não gosto de me sentir cansada durante uma leitura, e o melhor é quando a história me faz refletir. Porém, não entendo porque você deu apenas três estrelas para o livro. Só lendo pra conferir mesmo.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©