10 de setembro de 2016

Resenha: A Fúria e a Aurora

Personagem central da história, a jovem Sherazade se candidata ao posto de noiva de Khalid Ibn Al-Rashid, o rei de Khorasan, de 18 anos de idade, considerado um monstro pelos moradores da cidade por ele governada. Casando-se todos os dias com uma mulher diferente, o califa degola as eleitas a cada amanhecer. Depois de uma fila de garotas assassinadas no castelo, e inúmeras famílias desoladas, Sherazade perde uma de suas melhores amigas, Shiva, uma das vítimas fatais de Khalid. Em nome da forte amizade entre ambas, Sherazade planeja uma vingança para colocar fim às atrocidades do atual reinado. Noite após noite, Sherazade seduz o rei, tecendo histórias que encantam e que garantem sua sobrevivência, embora saiba que cada aurora pode ser a sua última. De maneira inesperada, no entanto, passa a enxergar outras situações e realidades nas quais vive um rei com um coração atormentado. Apaixonada, a heroína da história entra em conflito ao encarar seu próprio arrebatamento como uma traição imperdoável à amiga. Apesar de não ter perdido a coragem de fazer justiça, de tirar a vida de Khalid em honra às mulheres mortas, Sherazade empreende a missão de desvendar os segredos escondidos nos imensos corredores do palácio de mármore e pedra e em cenários mágicos em meio ao deserto.

Título Original: The Wrath and the Dawn
 Autora: Renée Ahdieh
Páginas: 336
Tradução: Fabienne Mercês
Editora: Globo Alt
Livro recebido em parceria com a editora

Eu não conheço muito bem o clássico As Mil e Uma Noites, mas por alto eu sei que conta a história do rei da Pérsia, que foi traído por sua mulher e mandou matá-la junto com o amante. A partir de então, ele resolveu passar cada noite da sua vida com uma mulher diferente e, para evitar traições, matava a mulher na manhã seguinte. Sherazade foi a única esposa que conseguiu sobreviver devido a sua incrível esperteza. A Fúria e a Aurora é uma releitura maravilhosa das mil e uma noites de Sherazade. 

Aqui, conhecemos a história do jovem califa de Khorasan, Khalid Ibn al-Rashid, um verdadeiro monstro. Todas as noites se casa com uma mulher e no dia seguinte a mesma é encontrada morta. Uma das vítimas era a melhor amiga de Sherazade e, para vingar a morte dela e de todas as outras moças, resolve se voluntariar para o cargo de esposa do califa, a fim de acabar com sua vida. O seu plano principal é se manter viva por mais de uma noite. É claro que ela consegue, usando a mesma tática que a protagonista de As Mil e Uma Noites: conta uma história para Khalid, prometendo que iria continuá-la apenas no dia seguinte.

Ninguém sabe o motivo de Khalid matar todas as suas esposas, mas é claro que todo mundo tem certeza que ele é apenas um monstro sem coração — até eu achei né, que diacho de homem louco. A medida que Sherazade vai conhecendo o marido e o seu passado triste, ela percebe que ele não chega nem perto do homem odioso que todos pensam que ele é.

— Eu não estou brincando, Rahim. Eu devia ter imaginado que ela faria algo assim.
— Também não estou brincando. — Rahim franziu o cenho. — Você não é capaz de prever o futuro. E não há nada que possa fazer sobre o passado.
(p. 81)

Não considero o fato de Sherazade se apaixonar pelo califa um spoiler, a gente já imagina isso desde o primeiro momento. Mas eu gostei demais da forma com que as coisas acontecem. Todo o ódio que ela sentia por ele vai se transformando em algo cada vez mais forte, tudo misturado com um sentimento de culpa, já que independentemente do motivo, Khalid não deixa de ser um assassino. Mas ai, gente, é impossível não gostar dele apesar de tudo. Os outros personagens também são maravilhosos, principalmente Jalal e Despina — criada com quem Sherazade tem uma relação de ódio mais parecida com amor. Shazi é daquelas mulheres fortes e decididas, bem do jeitinho que eu gosto mesmo.

Eu já sabia que ia gostar muito A Fúria e a Aurora, mas não fazia ideia que eu ia me apaixonar tanto por ele. Eu gostei principalmente do ambiente e da cultura, que são super diferentes e interessantes, além dos personagens, que são todos muito bem construídos. E ai, pelo amor de Deus, a história é tão instigante que foi praticamente impossível parar de ler. Fiquei querendo morrer com o final de tanta curiosidade, e o pior de tudo é que o segundo volume da série, The Rose and the Dagger, só vai ser lançado no início de 2017! Planejando vários ataques histéricos até lá.

Renée Ahdieh é uma escritora incrível, que narra de forma ágil e de uma criatividade sem tamanho. Apesar de ser uma releitura de um clássico, ela claramente conseguiu deixar a história nada convencional, ou de acordo com o New York Times, uma verdadeira joia — que não pôde deixar de entrar para a minha lista de favoritos.

Classificação final: 

10 comentários:

  1. As Mil e Uma Noites é uma ótima história, faz tempo que li. Já vi algumas resenhas de A Fúria e a Aurora e a releitura despertou minha curiosidade. Espero ter a oportunidade apreciar o livro e gostar tanto quanto você.

    ResponderExcluir
  2. Já vi algumas resenhas e a sua em especial despertou minha curiosidade! Amei <3
    http://fogelolla.wix.com/fuja-da-lolla

    ResponderExcluir
  3. Oi Aninha,
    Você me deixou super curiosa pra conhecer essa cultura, a escrita fluida da autora e esses personagens <3, embora também não tenha lido "As mil e uma noites" quero esse livro, MAS pensei que fosse único O.o até bateu o dilema de comprá-lo e ler logo ou esperar o próximo livro.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  4. Minha professora de literatura falava muito sobre essa história, mas eu tinha esquecido o nome, ainda bem que seu post me lembrou! Parece ser um livro cheio de mistérios a serem desvendados. Agora estou cheia de vontade de ler e me sinto no ensino médio outra vez.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Ana!
    Menina, acredita que mesmo com toda a divulgação e animação que o livro recebeu em seu lançamento aqui, eu realmente não estava dando bola para ele? Sei lá, é como se eu tivesse pensado que se tratava de uma história diferente - mesmo sem nem ter conferido a sinopse antes, olha a bobeira, rs -, mas que bom parar para ler sua resenha agora e saber tratar-se de uma releitura desse conto tão famoso. Também conheço a história original bem por alto, nunca a li de verdade, mas já vou considerar fazer essa leitura, sim, e conhecer mais, ainda que em uma versão de releitura, claro, mas conta, rs, sobre a lábia da personagem para manter-se viva ao contar uma história para o califa e mesmo para saber o porquê das atitudes do personagem. Valeu mesmo a dica! ^_^
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir
  6. Oiii Ana,tudo bem
    Menina eu fiquei completamente apaixonada pela sua resenha e com toda certeza adoraria ter a oportunidade de realizar a leitura, além do mais a edição parece estar incrível e linda por demais, quero muito ler para saber de tudo, o porquê de tais fatos acontecerem e quem sabe assim amaria mais a obra.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Olá, Ana tudo bem? Ai que bom que o livro atendeu suas expectativas. Tenho amigas que leram e falam super bem dele também. Confesso que não sou fã de recontos mas além da capa maravilhosa, os elogios me despertaram o interesse. Muito boa sua resenha <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Não conheço nada dessa releitura, então fiquei bastante empolgada para conferir a obra. Eu fico imaginando qual seria o motivo para ele ser um assassino e o que faz o leitor ter pena dele ao mesmo tempo. Curiosa demais! Não sabia que a obra se tratava de uma releitura de As mil e uma noites, bacana! Adorei a resenha. Vou colocar nos desejados. *-*
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  9. Se você deu cinco estrelas, eu já confio que vai ser um livro e tanto. Também não conheço o clássico, então acho que eu gostaria de lê-lo primeiro antes de embarcar na releitura. Acredito que deva ser uma história muito legal, principalmente por ter alcançado as suas expectativas. Parece que o livro tem várias reviravoltas e dramas, o que me deixou beeem curiosa mesmo.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oie!
    Não sabia que esse livro era uma releitura! Mas como sou muito por fora das Mil e Uma Noites, seria praticamente um livro inédito pra mim. Acho que o mais me atrairia mesmo é a cultura e localidade, pois raramente leio algum livro que retrata essa região.
    Dica super anotada!

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©