21 de setembro de 2016

Resenha: George

Seja quem você é. Quando as pessoas olham para George, acham que veem um menino. Mas ela sabe que não é um menino. Sabe que é menina. George acha que terá que guardar esse segredo para sempre: ser uma menina presa em um corpo de menino. Até que sua professora anuncia que a turma irá encenar “A Menina e o Porquinho”, e George quer muito ser Charlotte, a aranha e protagonista da peça. Mas a professora diz que ela nem pode tentar o papel porque... ela é um menino. Com a ajuda de Kelly, sua melhor amiga, George elabora um plano. E depois que executá-lo todos saberão que ela pode ser Charlotte — e entenderão quem ela é de verdade também.

Título Original: George
Autor: Alex Gino
Páginas: 144
Tradução: Regiane Winarski
Editora: Galera Júnior
Livro recebido em parceria com a editora

Eu já sabia que, provavelmente, mesmo que o Victor não tivesse postado uma foto desse livro no seu Instagram fazendo tanta propaganda, eu iria solicitá-lo. Não só porque ele tem uma capa super fofa, mas por causa da sua importância. George e sua história têm muito o que ensinar para as pessoas e, mesmo sendo um livro voltado para o público infantil, narra um assunto muito sério e muito pouco discutido.

Já começo a resenha pedindo uma leve desculpa: se eu usar algum termo errado ou que ofenda algum de vocês, me avisem por favor. Já que eu não sou 100% conhecedora do assunto, pode acontecer. George é uma criança como qualquer outra... Tem seus dez anos de idade, vai para a escola, tem uma melhor amiga e até mesmo coleciona essas revistas direcionada para meninas. Mas tem uma coisa sobre ela que ninguém sabe e ela acha que nunca vão saber. Apesar de ter certeza que é uma menina, ela nasceu biologicamente menino e tem muito medo de que não a aceitem como ela realmente é.

Tudo anda bem na medida do possível, até que sua professora anuncia que a turma encenará a peça A Menina e o Porquinho e tudo o que George quer é fazer o papel da Charlotte, a aranha que protagoniza a peça. No fundo do seu coração ela pensa que, se conseguirem vê-la como Charlotte, talvez consigam vê-la também sendo quem ela é de verdade. Mas é claro que o seu desejo se desmorona quando a professora simplesmente diz que ela não pode nem tentar concorrer ao papel porque ela é um menino. 

[...] — O que eu quero dizer é que só uma pessoa especial chora por causa de um livro. Mostra compaixão além da imaginação. — Ela deu um tapinha no ombro de George. — Nunca perca isso, George, e sei que você vai se tornar um ótimo rapaz.
A palavra rapaz a atingiu como um amontoado de pedras caindo em seu crânio. Ela cem vezes pior do que garoto [...]
(p. 18)

George é simplesmente uma das melhores personagens que leio em muito tempo. Pensem em uma criança forte e determinada, gentil e amável com as pessoas, mas que tem que lidar com questões muito complicadas com apenas dez anos. Eu não consigo imaginar a confusão na cabeça dessa menina, que tem uma certeza em sua vida, mas que precisa esconder isso porque tem medo. O medo não é só da mãe e do irmão mais velho, mas de todo mundo que a cerca, porque, provavelmente, na cabecinha dela, ser menina e ter um corpo de menino não é uma coisa normal. Infelizmente a sociedade nunca deixa a gente ser que é de verdade. 

Acho que eu nunca li um livro tão pequeno que tivesse uma lição tão gigante. Para vocês terem ideia, George é o primeiro livro publicado no Brasil que aborda o tema transgeneridade. Alex Gino simplesmente brilhou em escolher uma criança como personagem, simplesmente pelo fato de a maioria das pessoas acharem que não existem crianças transgênero. O tema foi abordado de uma forma tão fantástica e tão leve que é impossível não amar. 

George é mais um livro que entra para a lista de "livros que devem ser colocado na lista de leitura das escolas" por um único motivo: é sim normal sermos quem somos e, independentemente de tudo, não devemos nos esconder por medo de pessoas hipócritas que se acham no direito de dizer alguma coisa. Seja quem você é. 

Classificação final: 

11 comentários:

  1. Oi Ana!
    Também acho que seria um livro bacana para ser lido nas escolas, até porque é infanto juvenil né... Sabe-se lá quantas crianças passam por isso e a gente n dá notícia porque elas tem medo, fico até preocupada. Seria uma ótima forma de inclusão.
    Bjs
    Bárbara

    ResponderExcluir
  2. Acho que apesar de ter uma grande lição, não deveria ir pras escolas não. Principalmente porque ainda há pessoas que não gostariam que os filhos tivessem esse tipo de literatura, acho que a educação vem de cada um. Agora, devemos sim perceber que é normal ser quem nós somos, e estou louca pra ler esse livro e saber como toda essa história foi desenvolvida. Li algumas outras resenhas e estou super curiosa.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana!
    Pelo que tenho visto por aí, e acrescentado através da sua resenha, George é aquele livro tocante, que todos precisam ler, que mostra a história de uma criança que só quer sua vida seja como de as outras.
    Adorei a sensibilidade que você conduziu sua resenha.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Acredito que esse livro realmente deveria ser uma indicação para leitura nas escolas por conta dos temas abordados.
    Parece ser um livro bem tocante e que nos faz refletir sobre algumas atitudes e que defende que devemos ser nós mesmos acima de tudo.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi, quero muito ler esse livro, nunca li um livro nessa temática e esse é um dos motivos pelo qual estou louca para ler, e segundo essa capa simplista muuuuuuuuuito fofa. E também o que mais me chamou atenção é sobre a identidade do autor ou autora, que o que me parece ele/ela pediu pra não revelar seu gênero. estou muito curiosa e pretendo ler em breve!

    https://sobrelivroseliteratura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi, Ana!
    Ai acho essa capa tão gracinha! :3
    Mas sim, depois que li essa história também achei que seria uma coisa maravilhosa se fosse lido nas escolas - é um tema que deve ser abordado. A linguagem e a forma como a história lida com seus temas é feita de maneira tão encaixadinha...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Oi Ana, tudo bem?
    Eu não conhecia o livro, mas ele já entrou para a minha lista de leitura, eu já me encantei com George. Acho bem legal livros que trazem grandes lições e apresentam personagens fortes como protagonistas, com certeza esse livro precisa ser adotado nas escolas para quebrar tabus. Dica anotada!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá Ana, tudo bem? Ouvi falar dele primeira vez com o Vitor mesmo haha Bom saber que ele é fininho e mesmo assim o impacto que pode nos causar é grande. Adorei saber que o George tem uma personalidade que faz ele destacar como um dos melhores personagens! Adoro ler livros sobre o tema tratado até para quebrar tabus na nossa sociedade. Muito boa sua resenha <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi, Ana!
    Faz pouco tempo desde o lançamento, mas já tem dado muito o que falar justamente por apresentar uma temática tão séria na visão de uma criança. Na verdade, acho que qualquer temática de grande teor e discussão como essa, retratada por uma criança, causa muito choque e ao mesmo tempo encanto pela forma diferente delas verem as coisas, de certa forma até mais simples do que os adultos. Interessante indicação para quem curte leituras com essa abordagem, o que não é mesmo o meu caso, mas valeu a dica mesmo assim.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional.blogspot.com.br/ ♥

    ResponderExcluir
  10. Olá! Achei a capa lindinha mesmo! Poxa... que tema forte! Fiquei louca de vontade de ler, pois tudo o que acessamos sobre transgeneridade atualmente é sempre em torno de adultos. Quando o livro envolve esse tema e o personagem é criança, me aguça muito a curiosidade para saber como tudo se conduz. Entra agora mesmo para a minha lista de leitura e penso como você: deveria ser leitura obrigatória na escola.
    Beijos!

    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Primeira resenha que leio desse livro e cara, eu preciso ler esse livro, conferir essa história e tenho certeza que é uma história linda e que passa uma mensagem maravilhosa. Porém, sabemos que vivemos em uma sociedade hipócrita que é contra tudo e todos e acredito que quando esse livro for conhecido será uma falação só. Mas, seria ótimo mostrar que nós é quem escolhemos nosso destino, a vida é individual, ninguém tem que agradar ninguém.. só viver!

    Beijos!

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©