4 de novembro de 2016

Resenha: Muito Amor, Por Favor

Este livro reúne textos que mostram o amor do ponto de vista de quatro jovens que escrevem sobre relacionamentos legítimos e atuais, que souberam se reinventar. Sem medo de expressar seus sentimentos, deixam para trás estereótipos já obsoletos – como o controlador machista ou o piegas choroso – e falam sobre viver a dois e sobre a natureza das relações em todos os seus aspectos. Assim, cada autor reflete sobre o amor representado por um elemento: Arthur Aguiar escreve que “O amor é água”, dizendo que ele é fluido, mas por vezes gelado; ora tempestade, ora profundo. Fred Elboni explica que “O amor é ar”, mostrando a leveza de se amar sem sofrer, da brisa que envolve os apaixonados, mas que por vezes torna-se furacão. Ique Carvalho se debruça sobre quando “O amor é fogo”, que arde, aquece a alma, mas que também pode incendiar até doer. E Matheus Rocha conta que “O amor é terra”, estável, tranquilo, mas que não escapa dos terremotos da vida, que tiram tudo do lugar para que a rotina não o extermine. Um livro apaixonante, para quem ama e para quem quer amar um dia... e sempre.

Título Original: Muito Amor, Por Favor
Autores: Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho e Matehus Rocha
Páginas: 240
Editora: Sextante
Livro recebido em parceria com a editora

Muito Amor, Por Favor é o livro da editora sextante que reuniu quatro escritores maravilhosos para falar de uma coisa que hoje em dia é tão dualística: o Amor. Ora, deixado de lado, ora como foco de todas as atenções, o amor é um tema que atrai a todos nós, seres humanos, e que foi trabalhado magistralmente nas mãos de Arthur Aguiar, Frederico Elboni, Ique Carvalho e Matehus Rocha, numa obra belíssima em imagens e cores, com uma capa muito bem trabalhada, ilustrações de encher os olhos e que é extremamente prazerosa pra quem a vê. Dividido em quatro partes, uma para cada autor, cada uma se reserva para a representação do amor para um diferente elemento: Fogo, Terra, Ar e Água.

A leitura se inicia com as letras de Ique Carvalho com textos tranquilos e cheio de emoções mostrando o poder do amor quando este é fogo. Não vou dizer que este teve a forma de escrita facilitada já que escrever sobre o amor como fogo é comum, pois, o escritor conseguiu trazer ainda mais charme a sensualidade a este estado de queima da sensação. Marcado de paixão, de ardência, de faísca. Destaco entre seus textos, “a faísca”:

'Sabe, aquela faísca que te faz querer dormir com a pessoa todos os dias.’/ Ela se agarrou ao anzol: ‘Sei, essa chama tem nome: paixão’

Nessa poesia, vemos a marcação exata da chama que acende o amor, aquela que faz com que este não possa esperar, que nos faz tomar atitudes por impulso, viver intensamente. Uma forma muito bem explanada sobre esta força.

A próxima escritura é por conta de Matheus Rocha que fala do amor quando este é terra. Um amor firme, calmo, mas que pode rachar e afundar, que passa por terremotos e intempéries. Um amor por vezes pacato até demais, “perfeito” demais, ou pelo menos foi assim que achei.

Arthur Aguiar fala do sentimento quando este é água. Límpido e cristalino, porém, podendo ser turbulento e poluído. Aqui, vale destacar a poesia “quando um vira par”. No meu ver, a leitura fala sobre a libertação de um relacionamento e o seu esquecimento quando este passou por uma traição, quando este foi trocado.

Você? Quem é você? / Eu já esqueci/ Como pode alguém preferir de três fazer um feliz?/ Trocar um sorriso por um choro

Admito que me impressionei com a escrita do autor. Até então conhecia seu trabalho como ator, ao qual eu particularmente acho muito bom, mas com este seu livro de estreia, agarrei-me bastante ao seu estilo de escrita: leve, porém apaixonante e intensa, chegando a ser um pouco crua, direta, com poucos rodeios. Nada de enrolações, o objetivo é atingido rapidamente em suas frases. Que mais trabalhos literários venham com sua assinatura, que trouxe um brilho a mais ao livro com uma escrita tão boa e real.

E, pra fechar a obra com chave de ouro, temos o trabalho do talentosíssimo Frederico Elboni. Preciso, antes de falar sobre sua contribuição neste trabalho, destacar um de seus textos: “Só eu sei a brisa e o furacão que sou”, remetendo bastante ao ar, o elemento sobre o qual este descreve.

Sou brisa e furacão, intensidade e mansidão, nada e tudo, ao mesmo tempo. Sofro com propriedade. Sorrio na eterna vontade de abraçar a todos. Sou euforia no beijo e no silêncio.

Neste texto, vemos uma característica do amor que eu, ao menos, julgo ser a mais importante deste sentimento: a dualidade. A capacidade de viajar entre polos opostos de forma tão fluida e perfeita, podendo ser um e outro ao mesmo tempo ou, até mesmo, nenhum dos dois. Quase um paradoxo, um sentimento de Schrödinger. Aqui, o tema é tratado de forma central na capacidade de construção e destruição do mesmo. O quanto o amor pode salvar ou destruir relacionamentos, relações, momentos ou mesmo, vidas. Um grande final para um livro tão belo.

Muito Amor, Por Favor é um ensaio sobre um sentimento absurdamente forte, que move o mundo e as pessoas. Uma obra poderosa, com palavras sábias e carregadas de simbolismo, que conseguem prender até o mais amargo dos leitores. Sei que o recomendarei a muitas pessoas ainda, e cá estou eu, começando o trabalho de recomendação. Sem arrependimentos pós-leitura, e com uma fé renovada nesta emoção tão importante.

Classificação final: 

8 comentários:

  1. Que livro lindo e fofo!
    Ainda não li, mas já tinha ouvido falar.
    Amo livros com contos e esse parece ser tão fofoo!
    Vou comprar ele quando der.
    A capa é tão linda!

    ResponderExcluir
  2. O amor tem várias formas de se expressar as vezes boa as vezes ruim, os textos parecem muito bom e de fácil leitura, nada daqueles complicados.

    ResponderExcluir
  3. Oi Edu!

    Confesso que eu tenho um pouco de preconceito com esse tipo de livro, sabe? Auto ajuda não é um gênero que me atrai. Além do mais, não curti muito o outro livro do Matheus Rocha. Gostei de aliarem as partes dos livros com os elementos que regeem o mundo.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. Oi Edu!

    Nossa, esses livros sempre têm polêmicas né... Eu mesma fiquei sabendo que o Arthur Aguiar tem o gost whriter, mas né, nunca se sabe. A verdade é que tão merecendo o sucesso do livro sim porque ele é maravilhoso! Eu ja adoro o Matheus, acompanho o blog dele também

    Bjs, Bárbara

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Oi Edu!

    Acho livros de auto ajuda muito válidos viu, sempre ajudam as pessoas nos momentos difíceis da vida e com esse não parece ser diferente, principalmente por falar de amor. Adoraria lê-lo.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. Oi Edu! Não conhecia esse livro, e achei a proposta interessante, gosto de livros que deixam a gente inspirado. :) Ah, e essa capa é maravilhosa!

    ResponderExcluir
  8. OOOI! Eu não sou fã de livros que se trata de coisas realistas,como sentimentos ou coisas que se passam no cotidiano , mas parece um ótimo livro para quem gosta de se inspirar !! obrigada

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©