Charlotte | David Foenkinos


Charlotte é um livro biográfico, escrito por David Foenkinos, sobre a pintora alemã Charlotte Salomon, que foi morta em Auschwitz aos vinte e seis anos durante a Segunda Guerra Mundial. O autor se baseou na obra autobiográfica Vida? Ou Teatro?, escrita por Charlotte pouco antes de morrer. Ainda não consigo expressar direito o que eu achei do livro e talvez vocês me entendam um pouquinho ao ler a resenha.

Charlotte foi uma pintora judia que descobriu o seu talento na adolescência. Digamos que nossa personagem tem um histórico de vida conturbado desde antes de nascer, já que, só para começar, ela leva o nome da sua tia suicida. No decorrer da narrativa, percebemos que o suicídio é algo comum na família de Charlotte, o que me assustou para caramba. O livro fala um pouco sobre como a pintora nasceu, como foi criada e, claro, foca bastante nos dramas familiares.

Foi um surgimento de uma heroína.
E também de um bebê que chorava sem parar.
Como se não aceitasse seu nascimento. 

Creio que esse livro foi vendido de uma forma totalmente errada: "um romance que lembra poesia, com uma frase de impacto empilhada sobre a outra". Para começar, a narrativa não tem nada de poética. É realmente um empilhado de frases que, para mim, foram romantizadas erroneamente. A vida de Charlotte foi trágica e dura do início ao fim, não foi nada bonita. Impactante? Sim, mas de uma forma muito triste e nem um pouco romântica. 

Eu achei engraçado o fato de o livro de Foenkinos ser baseado em um livro da própria autora. Juro para vocês que a sensação que eu tive foi que ele resumiu o Vida? Ou Teatro? meio que para facilitar as coisas, não de uma forma boa. Não posso dizer que não gostei do livro porque fiquei conhecendo uma mulher incrível, que passou por muita coisa e morreu de uma forma muito trágica e doída. Mas acho que, se eu tivesse oportunidade, teria lido a autobiografia da autora ao invés de Charlotte

É uma leitura válida? Sim, mas só se vocês tiverem paciência de ler um livro que cada parágrafo é uma frase — e eu não estou exagerando. Achei bacana a iniciativa do autor de querer nos mostrar mais sobre uma mulher tão maravilhosa, mas não se esqueçam de que a vida de uma pessoa que perdeu entes queridos para a depressão e que viveu na Segunda Guerra Mundial nunca é bonita.

Título Original: Charlotte
Autor: David Foenkinos
Páginas: 240
Tradução: Maria Alice A. de Sampaio Doria
Editora: Bertrand Brasil
Livro recebido em parceria com a editora

Postar um comentário

13 Comentários

  1. Ana!
    A guerra mundial foi um período bem catastrófico, acredito que como a vida da Charlotte, com todo esse histórico familiar de suicídios na família, embora ela tivesse o dom da pintura.
    Não entendi essa do autor de apenas copiar o livro da pintora, poderia ter acrescentado algo mais e trazifo novos subsídios a respeito da vida e arte dela.
    Desejo uma ótima semana!
    “Conhecer os outros é sabedoria. Conhecer-se a si próprio é sabedoria superior.” (Lao-Tsé)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE MAIO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nossa, achei legal isso da Segunda Guerra, mas pelo tipo do livro não sei se leria. Não me chamou muita atenção e parece um tanto estranho esse negócio das frases...
    Acho que ficaria mais interessante se tivesse uma outra abordagem, talvez.
    Não sei se leria mesmo =/

    ResponderExcluir
  3. Charlotte é um livro que eu estou muito ansiosa para ler. Eu adorei a resenha, o que me fez ficar mais ansiosa. <3

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Nunca tinha visto esse livro, mas lendo essa pequena resenha me deixou curiosa e ao mesmo tempo assustadar porque e difícil estar em uma familia a onde todos seus familiares foram mortos por suicidio e bem conturbador, não sei se leria!

    ResponderExcluir
  5. Oi Ana!
    Conhecia apenas por nome, nunca tinha lido nenhuma resenha do livro, gostei do enredo, delicado demais o tema, vai pra minha listinha...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Oi Ana,
    A história de alguém que teve uma vida e morte como a de Charlotte, não deveria ser romantizada. Se a realidade dela foi dura ou pesada não há o porque de amenizar isso, afinal de contas biografias não precisam e nem devem ser um romance. Fiquei interessada na história de Charlotte e confesso que nunca tinha ouvido falar dela. A forma de narrativa da história é algo que pode me incomodar por não ser acostumada, mas se eu tiver a oportunidade lerei este livro.

    ResponderExcluir
  7. Oi Ana.
    Eu confesso que não leio livros biográficos porque raramente consigo me prender os personagens ou curti a narrativa em fim Foram poucos livros que ele deste gênero e com certeza posso contar nos dedos mas achei essa premissa bem interessante e concordo com você em relação à divulgação porque se a história não tem nada a ver com poesia então não dá para comparar ela como um livro poético algo assim outro fato que eu acho que me incomodaria é a narrativa acho que não tenho paciência para ler um livro onde cada parágrafo é uma frase.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. A Segunda Guerra Mundial foi um período caótico, catastrófico, horrível e que pudemos ver o quanto a humanidade pode ser podre. Esse livro não me chamou a atenção pela forma que a abordagem foi feita, acho que uma vida marcada por acontecimentos tão tristes não deveria ser romantizada.

    Li o livro "A Bibliotecária de Auschwitz" que apesar de abordar o tema da Segunda Guerra Mundial e seus horrores tem uma proposta diferente, mostrar a esperança. Você já leu este?

    Um abraço!

    Jéssica Burgos - http://www.clubedofarol.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Não sei se leria achei que ficou confuso, mas gosto de livros que abordam o tema sobre os judeus, a guerra que foi um período muito cruel e trágico para muita gente. E a personagem me comoveu pois sofrer do inicio ao fim é muita crueldade.

    ResponderExcluir
  10. Oi, infelizmente não chamou a minha atenção e porse tratar de uma vida que sofreu por enquanto não pretendo ler, quem sabe mais para a frente eu mude de ideia.

    ResponderExcluir
  11. Oi.
    Sua resenha está muito bem escrita. Não conhecia o livro. Infelizmente não me despertou interesse. Gosto de enredos com fundo nessa época, pois apesar de todo o sofrimento, há um espaço para a reflexão e avaliação desses erros brutais. Mas esse, em especial, não sei se leria.
    De qualquer forma, obrigada pela dica.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Eu não conhecia este livro, mas lendo sua resenha e vendo do que se trata a história, percebi que não faz muito meu estilo de leituras, é muito difícil eu me interessar por biografias, então não pretendo ler Charlotte.

    ResponderExcluir
  13. Olá Ana ;)
    Adoro livros e filmes que se passam na Segunda Guerra Mundial, mas não conhecia Charlotte ainda.
    Realmente não deve ser um livro "bonito" de se ler, mas vou tentar!
    Obrigada pela indicação ;)
    Bjos

    ResponderExcluir