23 de julho de 2017

Resenha: Nossas Noites


Em Holt, no Colorado, Addie Moore faz uma visita inesperada a seu vizinho, Louis Waters. Viúvos e septuagenários, os dois lidam diariamente com noites solitárias em suas grandes casas vazias. Addie propõe a Louis que ele passe a fazer companhia a ela ao cair da tarde para ter alguém com quem conversar antes de dormir. Embora surpreso com a iniciativa, Louis aceita o convite. Os vizinhos, no entanto, estranham a movimentação da rua, e não demoram a surgir boatos maldosos pela cidade. Aos poucos, os dois percebem que manter essa relação peculiar talvez não seja tão simples quanto parecia. Neste aclamado romance, Kent Haruf retrata com ternura e delicadeza o envelhecimento, as segundas chances e a emoção de redescobrir os pequenos prazeres da vida que pode surpreender e ganhar um novo sentido mesmo quando parece ser tarde demais.

Título Original: Our Souls at Night
Autor: Kent Haruf
Páginas: 160
Tradução: Sonia Moreira
Editora: Companhia das Letras
Livro recebido em parceria com a editora

Com uma capa singela, mas que muito representa sua trama, Nossas Noites, de Kent Haruf, logo me chamou a atenção, mas por um motivo não tão nobre: suas poucas páginas. Pensei que, se o enredo não conseguisse me envolver, ainda conseguiria fazer uma leitura rápida, então por que não arriscar? Felizmente, eu estava muitíssimo enganada ao pensar assim e percebi isso logo que o livro chegou às minhas mãos, visto que havia uma carta da editora dentro dele com ótimas recomendações. Quando cheguei ao fim da leitura, lamentei essas mesmas poucas páginas.

Nossas Noites conta a história de Addie e Louis, dois vizinhos septuagenários que já cumpriram todas as "formalidades" da vida e, agora, parecem não ter uma função bem definida na sociedade. Tudo muda quando Addie bate à porta de Louis com uma proposta inusitada: que ele passe as noites na casa dela para terem um ao outro como companhia, sem outras intenções além de ter alguém ali do lado.

Não, sexo não. Não é essa a minha ideia. Acho que perdi todo e qualquer impulso sexual já faz muito tempo. Estou falando de ter uma companhia para atravessar a noite, para esquentar a cama. De nós nos deitarmos na cama juntos e você ficar para passar a noite. As noites são a pior parte. Você não acha?

A leitura do livro se torna interessante desde sua construção textual. Sem aspas ou travessões que demarquem os diálogos, o texto exige do leitor maior atenção a cada parágrafo, para que se possa acompanhar a história em sua plenitude. Isso não atrapalha em nada e ainda nos obriga a reparar em detalhes da escrita que, com a devida marcação, talvez passassem despercebidos.

Para além da forma, o livro conquista muito mais por seu conteúdo. Um romance entre "velhinhos" pode parecer desinteressante num primeiro momento para quem vive em plena juventude, mas acho que li poucas histórias de amor tão tocantes quanto essa. Acompanhar Addie e Louis é transbordar emoção e, por isso, Nossas Noites se torna um daqueles livros que acalenta o coração.

É inspirador ver um romance nascer sem aquela urgência da juventude e se solidificar nos pequenos detalhes do dia a dia. Não há aqui aquela incerteza incômoda de um futuro, já que o futuro não importa mais, apenas um dia após o outro. É lindo acompanhar os dois se redescobrirem um no outro, deixarem a comodidade de lado para viverem coisas novas, se tornarem pessoas melhores quando ninguém espera mais algo diferente nessa fase da vida. Fiquei fascinada pela forma como a obra de Kent Haruf mostra o amor como ele sempre deveria ser: sem pressa, sem posses, sem interesses; somente o prazer de ter aquela pessoa ao seu lado.

Quem imaginaria que, a essa altura da vida, nós ainda poderíamos ter algo desse tipo? Que afinal ainda existe, sim, espaço para mudanças e entusiamos na nossa vida. E que nós ainda não estamos acabados nem física nem espiritualmente.

Além disso, são mais do que válidas as reflexões que o texto traz, sobre idade e solidão, sobre ideias pré concebidas de que idosos não têm mais vida e nem podem ter e em quanto sofrimento isso resulta. No livro, essas características se personificam em todos os habitantes da cidade e, principalmente, na figura de Gene, filho de Addie, que acha que a mãe "não tem mais idade para isso" e faz de tudo para que Louis se afaste dela.

Nossas Noites me conquistou por sua simplicidade, por tratar do amor em sua forma mais límpida, por mostrar como é importante viver sem se preocupar com outros e que há muito mais maldade no julgamento do que no fato em si.

16 comentários:

  1. Achei esse livro interessante pelos personagens bem diferentes da história. Gosto de um bom romance e todo aquele amor jovem e coisa e tal. Mas achei diferente poder ver uma coisa assim, que valorize mais as pequenas coisas e com pessoas que já viveram tanto pra saber o que realmente vale a pena e importa.
    É diferente ter essa visão do amor. De ver que não importa a idade ainda existe uma forma de outra pessoa despertar o nosso melhor e somos capazes de mudar sempre. Que não existe o tal "tarde demais", que é só querer.
    Parece fazer a gente pensar em muita coisa, então deve ser legal.

    ResponderExcluir
  2. Oi Ju, gostei da resenha e da dica de um livro com um amor que é pouco comum vermos representado nos livros, ao menos nos que tenho lido, um amor mais maduro, com pessoas que tem uma vivência maior e que me deixou curiosa. O autor parece envolver o leitor na história, que parece ser sensível também e muito bem escrita, a capa é mesmo singela mas parece combinar com a história. Enfim, gostei da resenha e espero ter a oportunidade de ler o livro futuramente ;)

    ResponderExcluir
  3. Oi Ju,
    Um dos grandes problemas do ser humano é o pré-julgamento da vida, da forma de viver e de como cada fase da vida humana deve ser. Nossas noites mostra que a velhice não deve ser solitária ou vazia como todos imaginam e Addie e Louis irão provar isso. De uma forma simples e direta este livro é uma grande reflexão e ensinamento sobre o que damos como certo ao nos aproximarmos do final da vida e do quanto estamos errados em achar que os idosos não tem mais nada para aprender ou vivenciar. Acompanhar a relação se desenvolver, aos poucos e de forma tão sincera deve ser lindo e, por isso, acredito ser uma ótima leitura para se fazer.

    ResponderExcluir
  4. Esta estória me surpreendeu desde o primeiro momento que me deparei com a primeira resenha deste livro, já que os personagens protagonista são idosos, algo incomum na literatura, eu por exemplo ainda não tinha lido nada parecido. Outro ponto e que a trama aborda algo comum nesta fase da vida, que e a solidão depois que se perde os companheiros, e ambos juntos iram aprender a lidar com isso e não vão se importa com os outros,e por isso quero muito adquirir um exemplar deste livro.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá Ju!
    Estou curiosa pra ler esse livro desde q li uma resenha dle, me agradou mto, não conheço o autora tbm, então seria uma oportunidade e tanto.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Ju! Tudo bem?

    Tenho lido muitas críticas positivas deste livro e sempre é uma surpresa as opiniões que são expostas, me pergunto se eu sentirei isso quando comprar e ler este livro. Estou ansioso para compra-lo, para falar a verdade.

    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  7. eu ja tinha ouvido falar desse livro, e estou com muita vontade de ler ele, só vejo comentários positivos sobre o livro e realmente parece ser uma daquelas histórias de amor tocantes, onde mostra o verdadeiro significado do amor, é tão bom achar algo interessante na nossa vida quando parece nao ter mais nada. quero muito ler !!!!!

    ResponderExcluir
  8. Oi! Nunca ouvi falar desse livro e, apesar de não ser fã de romances, acredito que essa seria uma leitura encantadora e gostosa de ler. Adorei o fato do autor nos passar essa reflexão sobre o que é o amor de verdade. Que pena que tem poucas páginas, odeio quando isso acontece hahah Beijoss

    ResponderExcluir
  9. Ainda não conhecia o livro, mas somente de ler a sinopse já fiquei encantada com a historia e compreendi a simplicidade da capa também. Nunca li um livro com esta temática e sem dúvida deve ter muito mais que palavra e romance, creio que de uma forma geral deve nos trazer um ensinamento bem bacana! Amei conhecer o livro e da sua resenham sem dúvida já inclui ele na lista de desejados ♥

    ResponderExcluir
  10. Oi Ju!
    Esse livro tinha me chamado a atenção, mas pensei que, da mesma forma como podia ser uma bela história também podia ser um tédio. Agora me arrependi de não ter arriscado a leitura.
    Adoro quando o autor arrisca uma estrutura pouco convencional no texto. As vozes dos personagens tem que estar muito bem estabelecidas para o leitor não se confundir sem essa demarcação de diálogos. Adoro quando encontro livros assim.
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Esse livro está ganhado corações na internet! Já vi milhares de pessoas falando que tinham adorado o livro!
    Muito fofo mesmo parece ser a história! Adoreia capa e a sinopse está bem legal!
    Vou tentar ler em breve.

    ResponderExcluir
  12. Ju!
    Tremendo absurdo mesmo ter de enfrentar preconceito ainda mais da família e já com uma idade mais avançada.
    Deve ser um livro enternecedor e já imagino o quanto vou chorar ao lê-lo.
    Desejo uma ótima semana!
    “Demore na dúvida...E descubra a sabedoria que insiste em se esconder na ausência de palavras.” (Padre Fábio de Melo)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Parece ser uma leitura muito agradável e fofa, um romance que surge sem nenhuma pressa começando com conversas e se conhecendo melhor é bem diferente do que vemos hoje, gostei que eles não se importam com a opinião dos outros.

    ResponderExcluir
  14. Este livro deve ser muito bom mesmo, achei que se tratava sobre outra coisa, mas é sobre velhinhos e como vivem, uma leitura que até hoje não tive a oportunidade de ler. Achei a resenha tão fofa que me fez ter vontade de ler o livro. Já vai para a minha lista.

    Visitem meu blog!
    https://garotaeraumavez.blogspot.com.br/
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  15. Oi, também me chamou a atenção poe ser pequeno, a capa também é bem simples, como a história parece ser. Tenho muita vontade de ler, e não sei se já lançaram, mas a Netflix ia adaptar pra esse ano e com certeza vou assitir.

    ResponderExcluir
  16. nunca li nada do Ken apesar de querer fazê-lo a algum tempo. Gostei bastante da premissa dessa história, e já estou adicionando ele a minha lista de desejos, e olha que o fato dos personagens serem idosos já sai completamente da minha zona de conformo, já que costumo priorizar leituras cujos protagonistas estão na minha faixa etária pois gosto de me colocar na pele e imaginar como eu agiria nas situações apresentadas, apesar disso não deixarei o meu interesse perder força e procurarei o livro para ler quão breve for possível.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©