13 de agosto de 2017

Resenha: A Casa do Lago

A casa da família Edevane está pronta para a aguardada festa do solstício de 1933. Alice, uma jovem e promissora escritora, tem ainda mais motivos para comemorar: ela não só criou um desfecho surpreendente para seu primeiro livro como está secretamente apaixonada. Porém, à meia-noite, enquanto os fogos de artifício iluminam o céu, os Edevanes sofrem uma perda devastadora que os leva a deixar a mansão para sempre. Setenta anos depois, após um caso problemático, a detetive Sadie Sparrow é obrigada a tirar uma licença e se retira para o chalé do avô na Cornualha. Certo dia, ela se depara com uma casa abandonada rodeada por um bosque e descobre a história de um bebê que desapareceu sem deixar rastros. A investigação fará com que seu caminho se encontre com o de uma famosa escritora policial. Já uma senhora, Alice Edevane trama a vida de forma tão perfeita quanto seus livros, até que a detetive surge para fazer perguntas sobre o seu passado, procurando desencavar uma complexa rede de segredos de que Alice sempre tentou fugir. Em A Casa do Lago, Kate Morton guia o leitor pelos meandros da memória e da dissimulação, não o deixando entrever nem por um momento o desenlace desta história encantadora e melancólica.

Título Original: The Lake House
Autora: Kate Morton
Páginas: 464
Tradução: Rachel Agavino
Editora: Arqueiro
Livro recebido em parceria com a editora

A Casa do Lago foi publicado no Brasil este ano pela editora Arqueiro. Possui 457 páginas, divididos em 34 capítulos, alternados entre vários personagens, tanto os principais quanto os secundários. Esse detalhe me agradou bastante já que a premissa é repleta de mistérios e assim podemos ver todos os lados da história e do caso.

A história se passa em anos distantes: no ano de 1933 conhecemos Alice Edevane ainda jovem, morando com sua família em uma bela casa, aproveitando seu tempo livre para escrever belas histórias e isso trará coisas boas para seu futuro. Sua família é numerosa, com irmãs e o caçula da família e, nesse caso, a premissa se desenrola em torno do irmão mais novo; setenta anos depois, conhecemos a detetive Sadie Sparrow, que não possui uma boa relação com os familiares, e atualmente esta aproveitando a calmaria da casa do seu avô, já que está tirando uma licença um pouco forçada por causa de acontecimentos ocorridos no seu trabalho. 

Com esta calmaria que lhe deixa agoniada, Sadie decide caminhar aos arredores da sua nova casa. Assim, ela descobre um lago muito bonito e adiante uma casa grande, porém abandonada. Ao comentar com seu avô, acaba descobrindo que, naquela casa, um bebê desapareceu e jamais foi achado. Nem corpo e nem o responsável pelo possível sequestro foram identificado.

O livro se desenrola entre o passado e o presente. Somos apresentados a Alice criança, adolescente e sendo uma senhora de idade, escritora e com muitas histórias para contar e um passado que a atormenta até os dias atuais. E conhecemos Sadie, como foi sua infância e todo o decorrer dela, até se tornar policial e o motivo para a escolha desta profissão que admiro tanto.

A Casa do Lago foi uma grande surpresa, quando li a sinopse não esperava ter essa leitura tão cheia de mistérios. A cada nova descoberta fiquei de boca aberta. Para terem ideia, minha mãe reclamou várias vezes comigo porque ficava falando sozinha. Várias vezes fiquei me perguntando o porquê de algo e como não tinha visto aquilo que estava bem na minha cara desde o começo.

A Alice senhora se mostrou ser uma mulher muito conhecedora do mundo e nada inocente. Pensem numa mulher obstinada e cheia de segredos, fiquei pensando se tudo o que li sobre ela na infância era verdade. Contudo, apesar de sempre apresentar tal personalidade, melhorou e se tornou a famosa escritora de livros de romances policiais que, curiosamente, contam coisas sobre o seu passado.

Sadie Sparrow foi uma mulher forte desde o começo do livro, mas percebi que sua infância não foi tão fácil e com tanto amor igual a de Alice. Contudo, ela soube se desdobrar e mostrar para a vida que ela não iria ser derrubada tão facilmente. Seu avô foi um personagem que me agradou bastante, sempre do lado da neta a ajudando e mostrando como a vida possui lados bons, apesar dos ruins. 

A Casa do Lago é uma leitura para quem procura mistérios, com uma pequena pitada de romance e uma dose de descobertas que te deixaram abismados. O livro possui uma narrativa que flui extremamente bem e que caminha com o leitor. Além disso, a autora conseguiu linkar com maestria passado e presente, sem deixar a história confusa. Apesar de ser rico em detalhes, em momento algum a leitura se tornou maçante. Juro que foi uma das melhores leituras que fiz este ano. 

4 comentários:

  1. Oi Lari! Tudo bem?

    A capa me agradou bastante, apesar de eu não gostar de pessoas retratadas nas capas e também a sinopse. A sua resenha está ótima.


    Grande abraço,
    www.cafeidilico.com

    ResponderExcluir
  2. Achei a capa do livro super bonitinha, se fosse começar a ler vendo só ela, acharia que é mais um romance de época ao invés de um suspense, fiquei super curiosa para saber o que aconteceu na casa do lago e descobrir o que a Sadie vai contribuir nessa descoberta.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá! Fiquei surpresa com a sua resenha, não imaginava que o mistério está tão presente no enredo. Gosto bastante!
    Gosto também do livro ocorrer entre duas épocas diferentes, acho que isso acaba dando uma movimentada.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Essa leitura é para mim, pois adoro mistérios kk. Muito bom ter vários personagens também gosto de outros pontos de vista, para poder avaliar melhor o ocorrido. A leitura parece ser muito envolvente e deixar o leitor na expectativa do que vai acontecer.

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa | Todos os direitos reservados ©