25 de agosto de 2017

Resenha: A Rainha de Tearling

Quando a rainha Elyssa morre, a princesa Kelsea é levada para um esconderijo, onde é criada em uma cabana isolada, longe das confusões políticas e da história infeliz de Tearling, o reino que está destinada a governar. Dezenove anos depois, os membros remanescentes da Guarda da Rainha aparecem para levar a princesa de volta ao trono – mas o que Kelsea descobre ao chegar é que a fortaleza real está cercada de inimigos e nobres corruptos que adorariam vê-la morta. Mesmo sendo a rainha de direito e estando de posse da safira Tear – uma joia de imenso poder –, Kelsea nunca se sentiu mais insegura e despreparada para governar. Em seu desespero para conseguir justiça para um povo oprimido há décadas, ela desperta a fúria da Rainha Vermelha, uma poderosa feiticeira que comanda o reino vizinho, Mortmesne. Mas Kelsea é determinada e se torna cada dia mais experiente em navegar as políticas perigosas da corte. Sua jornada para salvar o reino e se tornar a rainha que deseja ser está apenas começando. Muitos mistérios, intrigas e batalhas virão antes que seu governo se torne uma lenda... ou uma tragédia.

Título Original: The Queen of the Tearling
Autor: Erika Johansen
Páginas: 352
Tradução: Cássio de Arantes Leite
Editora: Suma de Letras 
Livro recebido em parceria com a editora

Kelsea ainda era uma criança quando foi levada por um soldado da Guarda Real para um pequeno chalé escondido no meio da floresta para viver longe do seu reino, aos cuidados de um casal de amigos da Rainha, Carlin e Barty. Contudo, quando completou 19 anos de idade, toda a Guarda aparece para levá-la de volta para se tornar a Rainha de um reino pobre e desprovido de todas as coisas que vocês conseguem imaginar.

Nesta viagem de volta, Kelsea passa por poucas e boas: discussões, brigas acaloradas com os guardas, perseguições e ainda é levada por um grupo que, mais tarde, descobre que são ladrões. Nesse meio tempo, Kelsea faz amizade com o líder do grupo e espero sinceramente que ele apareça nos próximos livros porque me apaixonei por ele, risos.

Nossa futura rainha tem uma grande missão pela frente em seu reinado, que começa com tirar seu tio Thomas — O Aproveitador, como eu resolvi chamá-lo — do trono em que ele se intrometeu. Pensem num personagem que fez de tudo para não deixar nossa protagonista ter o que é seu por direito. Mas, ao chegar na cidade, Kelsea consegue provar que não é uma criança ou adolescente birrenta e deixa toda a população esperançosa e ao seu favor.

Só para complicar um pouco mais, o Reino e os outros ao redor, são comandando pela Rainha Vermelha, a vilã da história, que obriga as cidades a mandarem um número x de pessoas para ela de tempos em tempos, incluindo crianças.

A Rainha de Tearling foi uma leitura diferente em relação às outras do mesmo gênero, com uma escrita mais adulta e personagens pés no chão que fazem o que bem entenderem sem hesitar. Isso me agradou bastante, já que em algumas leituras tenho a severa impressão de que as autoras interrompem as ações dos personagens no meio do caminho, como se tivessem repensado o futuro deles do nada, e isso me frustra constantemente.

Kelsea, apesar dos pesares, se mostrou uma mulher forte desde o começo. É claro que nos primeiros dias teve seus momentos de tristeza e relutância, já que ninguém lhe informou nada sobre como encontraria seu reino e pior, as pessoas ao seu redor nunca contavam tudo, como se fossem ser punidas se revelassem qualquer coisa. A protagonista também se mostra extremamente justa com o seu povo e, apesar de inexperiente, é muito inteligente e esperta.

Temos vários personagens secundários que finalmente não foram esquecidos pelo seu autor! Eles possuem seus capítulos com pequenos pontos de vista, onde podemos entender as suas ações e emoções em relação à Rainha e seu reino. Até a vilã teve seus momentos de glamour e eu adorei, já que, geralmente, os vilões não são explorados o suficiente.

A Rainha de Tearling é uma leitura agradável, com personagens fortes e bem construídos, senso de humor na medida certa, uma pitada de ação sem forçar demais e uma protagonista espetacular. Se estiver a procura de uma distopia ou fantasia, essa é a história certa para você. Depois dessas 352 que passaram voando, só posso dizer que estou super ansiosa pela continuação, A Invasão de Tearling, que será lançada em setembro pela Suma de Letras.

11 comentários:

  1. Lari!
    Confesso que pela capa e pelo título, achei que o livro era um romance histórico e que bom estar enganada, porque gostei demais dessa fantasia distópica, principalmente por mostrar uma protagonista que mesmo exilada por anos, consegue manter sua postura e tomar decisões corretas, lutar por seu reino.
    Adorei!
    Desejo um final de semana mais que tranquilo e abençoado!
    “Deus com Sua infinita Sabedoria, escondeu o Inferno no meio do Paraíso para que nós sempre estivéssemos atentos.” (Paulo Coelho)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE AGOSTO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  2. Achei essa história bem interessante e me deu vontade de ler. Que tenha esse jeito mais adulto na escrita, mais maduro e com personagens mais lineares deve ser interessante. Não gosto de personagem fraco e essa garota sendo forte desde o começo já me anima. Gostei de ver que dão espaço aos outros personagens também. É legal ter um pouco deles nas trama né? Que mostrem mais, mostre o que pensam e as relações com a principal e etc. Fica algo mais completo.
    No geral ele parece um bom livro e estou animada pra ler.

    ResponderExcluir
  3. Mal posso esperar para ler!
    Gosto muito de fantasia!
    Obrigada,equipe e editora Suma de Letras,pela dica!

    ResponderExcluir
  4. Por aqui,também se aprecia a fantasia <3
    Grata!

    ResponderExcluir
  5. Amei a capa e a resenha me deixou muito curiosa! Com certeza se eu tiver um tempo vou ler este livro!

    ResponderExcluir
  6. Quero ler, parece ser muito bom, a trama parece que foi bem elaborada e os personagens bem trabalhados, principalmente a protagonista que mesmo afastada manteve a coragem de enfrentar a situação do reino, que não parece nada boa. Essa vilã é bem perversa incluir crianças, deve dar uma agonia nessas parte.

    ResponderExcluir
  7. Confesso que quero ler este livro,porém não está nas minhas prioridades.
    A história me pareceu ser interessante e gosto de livros neste estilo.

    ResponderExcluir
  8. Olá, gostei bastante da premissa do livro e crio também algumas expectativas sobre o desenrolar da historia. Gosto muito de personagens que não ficam de mimimi, gosto daqueles que vai e faz como você citou na resenha. E fiquei até feliz em ver que é um enredo medieval e quase não tem romance, li poucos livros com esse tema. Fiquei interessada nesse.

    ResponderExcluir
  9. Confesso que a premissa não chamou a minha atenção, mas tenho uma amiga que eu tenho certeza que vaia adorar, ela realmente gosta de livros nesse estilo.
    Engraçado, primeira resenha que paro para ler sobre ele.
    Ps. acho essa capa linda!

    ResponderExcluir
  10. Cada vez que leio uma resenha desse livro, minha vontade de lê-lo aumenta ainda mais, gosto bastante de distopias e fantasias, ainda mais quando se passam em algum reino, cheio de reis, rainhas e claro, muitas intrigas, acho a capa desse livro muito linda e não vejo a hora de finalmente poder lê-lo.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Estou muito curiosa para ler o livro, todas as resenhas sao super positivas e eu gostei muito de saber que temos personagens bem pé no chão na trama e tenho certeza de que o livro irá me agradar muito.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©