3 de outubro de 2017

Resenha: Provence

A vida de Heidi com o filho Abbot tornou-se um jogo para manter viva a memória de Henry, bom pai e marido exemplar. Manter uma vida normal em um mundo em que Henry não existe mais está cada dia mais complicado. Heidi precisa lidar com o filho que se tornou um verdadeiro maníaco por limpeza e com a sobrinha Charlotte, uma adolescente problemática. Uma casa em Provence, na França, que pertence à família de Heidi há gerações, é rica em histórias de amor e surpreendentes coincidências. Heidi e sua irmã mais velha, Elysius, passavam os verões lá quando crianças, com sua mãe. Mas a casa, as lembranças e os segredos de Provence haviam ficado no passado, mas agora, com o incêndio na propriedade, a casa precisa ser salva por Heide. Ou será que é Heide que precisa ser salva pela casa? Uma história de recomeço, amor e esperança em face à perda, onde uma pequena casa na zona rural do sul da França parece ser a responsável por curar corações partidos há anos. 

Título Original: The Provence, Cure for the Brokenhearted
Autora: Bridget Asher
Tradução: Amanda Orlando
Páginas: 368
Editora: Novo Conceito 
Livro recebido em parceria com a editora

Começamos a leitura de Provence — O Lugar Onde Se Curam Corações Partidos sabendo que Heidi, a personagem principal, perdeu o marido em um acidente de carro imprevisível, deixando-a sozinha com o filho. A mulher é uma confeiteira de mão cheia e possui uma loja conhecida na cidade, mas após a morte do seu marido, perdeu todo o amor que sentia em fazer bolos de casamentos, batizados e festas.

Sua família possui uma casa construída por seus familiares no sul da França e após um pequeno incidente ocorrido, ela é instigada a viajar com seu filho e sua sobrinha, Charlotte. Heidi acaba passando por maus bocados para chegar ao seu destino, mas tudo acaba bem e ela reencontra velhos amigos de infância. Chegando na casa, ela relembra alguns momentos felizes que passou com sua mãe e irmã, mas a felicidade acaba quando encontra a cozinha destruída pelo tal incêndio que informaram. Sua missão, a partir de então, foi reformar a cozinha do jeito que ela preferisse, além de aproveitar a casa.

No tempo que Heidi passa na casa, ela acaba revivendo momentos do seu passado e criando novas lembranças. Um rapaz em que ela tinha um quedinha naquela época está de e Heidi fica balançada com o encontro, já que ele acaba demostrando certo interesse. Porém, a personagem se sente culpada justamente por causa dos acontecimentos recentes em sua vida.

Provence possui uma leitura fluida, que nos leva longe. Acabei, em diversos momentos, me encontrando no sul da França, com suas belezas naturais e o amor flutuando ao redor destas famílias que estavam em pedaços, mas acabaram se reconstruindo, com mais força que antes. Bridget Asher soube dividir os momentos para todos os personagens, ou seja, todos tiveram seu espaço. Com isso não ficamos no escuro com os acontecimentos, já que cada capítulo era narrado por alguém.

Me apeguei à história justamente pela forma como nada descrito foi clichê, apesar dos vários elementos típicos. Aqui, já somos levados desde o início para dentro da dor da protagonista. É extremamente triste, mas ao mesmo tempo lindo e cativante. O cenário é totalmente digno, e cada personagem é bem construído a sua maneira.

O amor está sempre está presente na trama. Mesmo com as dores que ele traz, consegue uma maneira de penetrar na vida das pessoas, mesmo aquelas que estão com as portas fechadas para não se ferirem novamente. E é exatamente essa a ideia da premissa, se abrir de novo para a felicidade. Assim, os personagens acabam aprendendo a amar de novo, a saírem da zona de conforto, a se arriscarem apesar de tudo. Obviamente, além do amor, não falta drama nesse livro.

Provence nos mostra que tudo sempre vale a pena, apesar de todas as barreiras. Os corações partidos sempre encontrarão sua cura, não importa onde, como ou quando. É um romance tão apaixonante que se tornou meu favorito desse segundo semestre do 2017. Uma premissa que mistura amores perdidos, corações magoados e a esperança de um novo recomeço.

18 comentários:

  1. Que lindo, Lari!
    Já tinha visto este livro, mas só sabia o que a sinopse nos fornece. E apesar de ser um livro no estilo que gosto, esse não tinha me chamado tanta atenção.
    Agora já sinto uma vontade maior de ler. É lindo ver os personagens se reencontrando, crescendo...
    Provence tem uma capa linda.
    Gostei da resenha, espero poder conhecer esta história assim que possível.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Esse livro parece ser bem mais do que pensei a princípio. Tem uma carga emocional e tanto, tanta coisa pra ser explorada...Perda, amores e família. É bonito por tudo isso que parece abordar. E poder acompanhar a história da personagem, entender o quanto essa perda é forte pra ela, o quanto a machuca e faz falta. É triste e bonito ao mesmo tempo por ver como ela tem que superar isso e seguir em frente. Que ainda existe esperança mesmo.
    Me deu vontade de ler. Parece muito bom.

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito de livros que possuem está premissa de superação, onde mesmo com tantos problemas a protagonista ainda se permite viver, não que ela não sinta a perda do marido, mas pelo fato de talvez seja uma oportunidade de reconstruir uma nova oportunidade de amar, e ser amado. Gostei do fato de você ter sido de que a trama não e clichê, mesmo possuindo características, ainda sim consegue prender o leitor e nos surpreender.

    ResponderExcluir
  4. Olá, a autora aborda a perda de forma empática e realista, deixando o leitor comovido e simpatizado pela protagonista, sem contar que sua escrita descritivista dá um toque mais verossímil à obra. Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Quero ler esse livro deve ser uma leitura muito agradável apesar do drama que gosto nas historias e comovente também relembrar o passado não deve ser fácil para a personagem. Parece nos mostrar que não devemos desistir dos nossos sonhos e recomeçar se preciso for.

    ResponderExcluir
  6. Oi Lari,
    Acompanhar uma personagem que passará uma parte do livro vivenciando um luto já trás uma boa carga dramática para a história, mas claro que é parte que envolve Provence que chama mais atenção, pois faz o leitor fazer uma pequena viagem sem sair do lugar. Como sou uma adoradora de romance e gosto de acompanha-los nos livros sempre espero vê-los em evidência em um enredo como esse, mas entendo que Provence não é, só, uma história de amor, mas sim um livro sobre uma mulher que precisa descobrir como continuar vivendo após a perda de seu companheiro. Apesar de ter achado a premissa interessante não me vi muito atraída para realizar a leitura.

    ResponderExcluir
  7. Engraçado,. segunda resenha que leio desse livro em menos de 24 horas.
    E cheguei ao mesmo resultado: quero ler!
    Não sou chegada a romances, mas gosto e muito de histórias que abordam o processo de perda e superação de diferentes formas.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Lari!
    Até gosto de livros com dramas familiares e romance, mas saber que talvez Julien e Haiden não tenham uma química tão boa, me desanimou um pouco...mas, queria saber mais sobre a obsessão de Abott e se ele consegue superar...
    E se podemos viajar para a França, delicie...
    Amei a capa, super linda!
    Que outubro venha carregado de boas energias!
    “O tempo é teu capital; tens de o saber utilizar. Perder tempo é estragar a vida.” (Franz Kafka)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE OUTUBRO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  9. Provence é um livro que havia me chamado atenção por sua capa, ela é bela e acho que pega de certa forma, o ar que predomina sua história.
    Conhecer a fundo a dor desses personagens, se apegar a eles e ver como seus corações se curam pouco a pouco, abrindo novamente a chance para a felicidade entrar em suas vidas parece ser uma jornada emocionante. Ainda mais ao saber que a escritora soube como pegar certos elementos clichês, e ainda sim, inova-los a sua própria forma.
    Sendo um livro que tem o cerne familiar como um ponto central, eu gosto de saber que a autora soube dar o espaço ideal para cada personagem. Mesmo que Heidi seja a protagonista, entender as dores e alegrias de seus parentes é algo que em livros como esse, eu acho algo importante.
    Atualmente não estou no clima para leituras assim, mas sem dúvida darei uma chance para Provence no futuro. Parece um livro que vale a pena e que pode trazer ao leitor certas reflexões.
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Pelo título já dá para perceber que é um romance dramático. Gostei bastante da sinopse e é bem o meu estilo!
    Ainda bem que fugiu do clichê, não que eu não goste, mas muita coisa no livro deixa ele cansativo e sem graça.
    Beijosss

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bom?
    Gostei muito da resenha, ainda não conhecia o livro, mas pelo visto ele é muito bom, fiquei feliz em saber que ele foge do clichê, e que trata sobre superação, mas é algo que temos uma certa dificuldade de conseguir hoje em dia.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  12. Olá, como já disse que eu amo livros que tenha alguma reflexão de vida e que me faz pensar o porquê daquilo esta acontecendo, esse livro promete ser muito lindo e que vai me fazer chorar em alguns momentos. Entrou pra minha lista de desejados ♥
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Oi Lari.
    Eu já li esse livro e concordo com você meu amor está até mesmo na dor que os personagens sente devido à perda o que mais me levou a refletir foi o fato de quê Nem tudo que amamos vai durar para sempre porém ele sempre estará vivo em nossos corações, a mensagem que o livro passa é muito bonito os personagens são incríveis e a escrita é bastante fluida, eu curti bastante fiquei feliz por ter tido a oportunidade de desfrutar dessa leitura.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  14. Eu não conhecia este livro, mas após ler sua resenha acabei ficando curiosa para conferir a história de Provence, a história parece ser muito boa, e faz o leitor refletir sobre o amor e perdas, pretendo ler este livro em breve.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Lari!
    Que bom que você gostou dessa estória, não conhecia esse livro mas achei bem interessante a premissa dele e como não apreciar essa capa tão linda?! Sem dúvida também quero ser transportada para o sul da França.

    ResponderExcluir
  16. Olá Lari, tudo bem? Ainda não conhecia o livro,mas fui me encantado com a historia ao acompanhar tua resenha, deve ser aquele tipo de livro que nos prende de norma simples a sua historia. Ainda mais tendo como fundo de paisagem a França. Adorei demais conferir tua resenha!

    ResponderExcluir
  17. Oii Lari!
    Arrasou na resenha, parabéns, gostei mto!
    O enredo me conquistou logo de cara, o tempo resolve essas feridas e nos faz destruir as barreiras do caminho...Qro mto ler esse livro, capa linda tbm!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  18. Pelo que me parece se trata de uma bela história de amor, recomeços e dramas intensos e profundos. Me surprendeu você ter dito que a autora foge dos clichês pois geralmente livros assim são cheios deles e só por isso eu já fiquei ainda mais interessado. kk Curti muito a resenha e espero curtir o livro também, abraços!

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©