20 de fevereiro de 2018

Resenha: Criaturas & Criadores

Clássicos do medo reinventados por quatro escritores brasileiros, para noites de sustos, terror e gritos
Quatro dos mais populares autores contemporâneas brasileiros, Raphael Draccon, Carolina Munhoz, Frini Georgakopoulos e Raphael Montes se uniram para reinventar os contos de terror clássicos. Frankenstein vive, e está numa favela do Rio. Rumores indicam que Drácula pode ser o dono de uma nova e badalada boate. Numa faculdade de artes, há uma lenda que diz que um fantasma ajuda belas jovens a cantar num teatro abandonado. Um mistério ronda a vida de um dentista e pai de família que está prestes a descobrir seu lado mais monstruoso. Quatro clássicos do medo reinventados por quatro escritores brasileiros para noites de sustos, terror e gritos.

Título: Criaturas e Criadores
Autores: Raphael Draccon, Carolina Munhóz, Frini Georgakopoulos e Raphael Montes
Páginas: 244
Editora: Record
Livro recebido em parceria com a editora

Criaturas & Criadores é um livro de contos de terror, escrito por quatro autores em parceria com a Editora Record. Cada um dos escritores foi responsável por um conto: A Criatura de Raphael Draccon, Conde de Ville de Carolina Munhóz, Por Trás da Máscara de Frini Georgakopolus e O sorriso do Homem Mau de Raphael Montes. Livro de origem Brasileira, de autores brasileiros e com um visual de horror e terror psicológico extremamente forte e profundo.

Com um tipo de releitura de algumas criações clássicas do horror, vemos representado nesta obra um ser que assemelhasse ao Frankenstein (1818), um tipo de Conde Drácula (1897), uma espécie de fantasma, que claramente referencia-se ao Fantasma da Ópera de 1909 e uma dramatização do que seria uma perspectiva atual de um psicopata.

Já ressalto de início: todos os contos por mim lidos nesta obra (com exceção do terceiro), possuem uma leitura fácil e rápida. Também carrega uma escrita simples, sem muitos floreios, tentando alcançar o horror num ritmo rápido, e por vezes, até um pouco trash e escrachada. Contudo, a leitura apenas se intensifica com o seu passar, levando a qualidade da escrita e dos contos num aspecto crescente, de forma que, os dois últimos contos, foram meus favoritos por diversos motivos.

O primeiro conto, A Criatura conta a respeito de um ser formulado por um médico em uma favela do Rio de Janeiro. A história intercala-se entre Elizabeth, uma jornalista e YouTuber, que entrevista o médico que fez o ser e entre o policial que comanda uma ação de invasão ao morro, com a intenção de capturar um famoso traficante da área. A trama então, desenrola-se entre a interação da criatura com quem está ao seu redor e o mistério de descobrir o que é essa criatura.

Já no segundo conto, Conde de Ville, conhecemos Lis, escritora de contos de terror que já fizeram grande sucesso, mas que se vê em meio a uma grandiosa crise de criatividade. Esta então, vai à boate onde seu namorado trabalha como barman, para espairecer e acaba por encontrar um homem que muda toda sua vida.

Por Trás da Máscara, terceiro conto da obra, nos traz uma estudante de canto, que ao tentar embarcar em uma escola de artes de grande renome, se vê dividida com seu sentimento por conta da perda de sua mãe e sua empolgação para o canto.

Por fim, O Sorriso do Homem Mau, traz a trama de um homem comum que descobre estranhos impulsos agressivos dentro de si (que arrisco dizer, lembram um episódio esquizofrênico) e tenta contê-los, embora acabe apenas se afundando mais nos seus próprios problemas e angústias.

Por Trás da Máscara foi com certeza meu conto favorito de toda a obra, devido a alta taxa de descobertas e surpresas. Embora em alguns momentos caiam em certos clichês e previsibilidade, conseguem ainda ressaltado impacto para se mostrar a obsessão e a busca pela perfeição, além da necessidade dos amigos em momentos de dificuldade. O conto é marcado por momentos de tensão, mantendo o leitor atento do começo ao final da leitura. Como dito no início desta resenha, este conto traz uma força a mais a narrativa, sendo o conto mais longo e detalhado, o que pra mim o torna extremamente rico por dos detalhes que a descrição apresenta, nos fazendo submergir na narrativa. Consegui por muitas vezes ver a mim mesmo vivendo a vida da estudante, e asseguro um final perturbador.

Já em O Sorriso do Homem Mau, vemos uma obra que beira quase o horror puro e direto, em formato grotesco (o mesmo vale para Conde de Ville, embora este apresente uma característica mais trash que de horror propriamente dito). Membros decepados, sangue e mortes envolvem a história constantemente e se fazem presentes com muita intensidade. Observa-se também, a violência da obsessão e da inveja, além de abordar a respeito dos piores lados do ser humano e de como este pode acabar sendo maldoso e agressivo para satisfazer-se.

Todos os contos possuem histórias intensas e complexas. Embora o livro de forma geral traga bastantes clichês, vê-se também uma escrita magistral dos autores, que traz sentimentos variados e mistos, que vão desde o desgosto e o nojo e até o entorpecimento e alívio. Uma leitura muito boa pra quem busca terror e ainda traz uma valorização aos autores brasileiros que tanto lutam por seu espaço literário.

15 comentários:

  1. Oi Edu,
    Confesso que não sou a maior fã de contos, mas sou a favor destas parcerias, pois em único livro é possível conhecer a escrita de diversos autores e só de ler os nomes de alguns deles, já fiquei com vontade de ler este livro. Recontos sempre me deixam interessada e sendo de terror (inspirado em clássicos tão bem conhecidos) faz com que a ideia de Criatura e Criadores, para mim, seja uma das mais interessantes dos últimos tempos. O fato das histórias serem curtas (já que são contos) não permitem que haja maior aprofundamento ou inovações das mesmas, por isso, alguns contos podem acabar caindo no clichê pois é uma forma de fazer com que a proposta funcione e não deixe pontas soltas. A Record e os autores estão de parabéns por essa parceria e espero que como esta outras surjam talvez com outros gêneros literários. A edição do livro está lindíssima, o que só aumenta minha vontade de ler este livro.

    ResponderExcluir
  2. Livros de terror não são comigo, não leio nem pagando. Mas gostei de saber que estes contos são brasileiros, é uma obra e tanto para nossa literatura.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Edu!
    Só pelos autores já dava para saber que os contos seriam ótimos.
    Já tive oportunidade de ler cada um deles, embora a Frini o livro dela era falando sobre fãs, acredito que é uma oportunidade de conhecer o lado dela de terror.
    Se dá friozinho na espinha, deve ser uma leitura extasiante...
    Uma semana abençoada!
    “Acredite na justiça, mas não a que emana dos demais e sim na tua própria.” (Código Samurai)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  4. Sou apaixonada por contos e namoro este livro desde que vi a primeira chamada para o lançamento na época.
    A capa é maravilhosa e sendo bem sincera, eu compraria só por trazer Raphael Montes sem nem pensar(meu autor nacional favorito)
    Draccon também é maravilhoso e eu espero sinceramente poder conferir essa obra com gostinho de terror e suspense!
    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi Edu!
    Não conheço a escrita dos autores, mas pelos elogios já percebi que eles prendem o leitor com suas narrativas. O conto que mais me prendeu em sua resenha foi "Por trás da máscara", diferente e interessante. Os outros também parecem bons, gostei do livro, e olha que não sou de curtir contos.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Já adorei a ideia desse livro por ter umas releituras e ainda mais pela chance de conhecer algumas coisas desses autores. Só li antes um do Raphael Montes e gostei muito, seria legal ver o que ele fez com esse conto. E conhecer um pouco da escrita dos outros é bem legal. Parece que todos são bem feitos, mesmo tendo alguns clichês, um terror mais bobo e coisa assim adorei porque também não sou lá de gostar de terror terror. No geral parece uma ótima leitura. Bom livro, gostei muito dele.

    ResponderExcluir
  7. Olá Edu!
    Sou doida pra ler esse livro!
    Eu li um livro da Frini, fiquei encantada com a escrita dela, já os outros autres ainda não conheço, tenho um livro do Raphael Montes aqui e tô qrendo passar ele na fila pra ler...

    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Oi Edu.
    Eu quero muito ler esse livro!
    Eu adoro o fato de que apesar de ter alguns clichês e fatos previsíveis, os autores ainda conseguiram criar boas histórias que prende o leitor a narrativa. Dos autores que foram citados, ainda não li nenhum livro, todavia o Raphael Montes já está na minha lista de futuras leituras, mas enfim, pretendo ler com certeza.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Não sou muito fã de contos, pois todos os que eu sempre deixaram um gosto de que faltou algo o que é horrível, mas eu gostei das histórias desses e ainda mais da capa.
    Achei bem legal trazer releituras das obras para os dias atuais e para nosso cultura, é uma forma de valorizar nossas crenças e ainda mantes aquelas que pegamos dos Norte Americanos.

    ResponderExcluir
  10. Bem, eu não gosto de terror e não curto muito contos, mas fico feliz em ver a valorização dos escritores brasileiros, tem tantos por aí que merecem uma chance e é tão bom ver uma editora investir nisso. Mas eu realmente passo esse livro, o que é uma pena porque tem uma capa tão bonitinha. Obrigada pela resenha.

    ResponderExcluir
  11. Olá. Adoro livros de contos e adoro terror, então parece ser a combinação perfeita, rs. Porém tenho os dois pés atrás com o Draccon e confesso que isso me dá um medinho de investir no livro, apesar de saber que tem outros 3 escritores. Arriscaria pelo Raphael Montes, mas não sei. Quem sabe em algum momento.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  12. Eu gosto de terror e quero ler esses contos principalmente do Raphael Montes que já conheço e sei bem como são seus personagens e como ele gosto de sangue e morte rs. Já li um livro da Carolina Munhoz e fiquei curiosa em saber como ficou seu conto, os outros autores ainda não conheço a escrita.

    ResponderExcluir
  13. Eu adorei essas pessoas maravilhosas dos clássicos de terror eu ainda não li o livro mas eu só vejo resenhas positivas a respeito dele e eu quero muito ver como ficou a história do Frank

    ResponderExcluir
  14. Oi, Edu.

    Com certeza "A Criatura" (Frankenstein), é o que parece ter o melhor enredo, por ter esse ar investigativo, à respeito desse médico responsável por um monstro, mesmo sendo uma releitura.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Edu!
    Acho bem interessante um livro com clássicos do medo reinventados por quatro escritores brasileiros. Adoro livros de terror e sem dúvida adoraria ler esse livro recheado de contos maravilhosos!
    Bjoss

    ResponderExcluir

 
Layout feito por Vinícios Costa editado por Silviane Casemiro | Todos os direitos reservados ©